Mortality due to breast cancer in women of Santa Catarina, Brazil, 2000-2017

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21467

Keywords:

Increased mortality; Epidemiology; Time series studies; Breast neoplasms; Women’s health.

Abstract

The aim of this study was to analyze the trend of breast cancer mortality rates in women in the state of Santa Catarina, Brazil, between 2000 and 2017. This is an ecological study carried out with death data from the Information System on Mortality and population data obtained from estimates made available by the Ministry of Health. Simple linear and polynomial regression models were used in the analysis. Between 2000 and 2017, 7,363 deaths from breast cancer were recorded in women aged 20 years or over. For the period, 47.5% of the total deaths occurred in the age group from 50 to 69 years (n=3,497). The average breast cancer mortality rate was 18.24/100,000 women (2000-2017). The average mortality coefficients exceeded 30 deaths/100,000 women aged 50 to 59 years, reaching 87.25/100,000 in the longest-lived. In the analysis of the trend, broken down by age groups, it was observed, in general, a non-constant linear increase in the period. The study revealed an increasing trend of mortality from breast cancer in women living in the state of Santa Catarina during the period and showed the magnitude of the increase in the mean coefficients according to the age groups considered.

Author Biographies

Maria Isabel Gonçalves da Silva, Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde, na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). Possui Mestrado em Ciências da Saúde e Pós-Graduação Lato Sensu em Toxicologia Aplicada, pela Unochapecó.

Jane Kelly Oliveira Friestino, Universidade Federal da Fronteira Sul

Prof. Adjunta na Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó. Pesquisadora colaboradora do Departamento de Saúde Coletiva. Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - FCM/UNICAMP.

Priscila Maria Stolses Bergamo Francisco, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. do Departamento de Saúde Coletiva. Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - FCM/UNICAMP.

Marcelo Moreno, Universidade Federal da Fronteira Sul

Mestre em Engenharia Biomédica (UNIVAP) e Doutor em Medicina/Radiologia (UFRJ). Docente do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e do Programa de Pós-graduação Stricto sensu em Ciências Biomédicas.

Vanessa da Silva Corralo, Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Mestre e Doutora em Bioquímica Toxicológica pela Universidade Federal de Santa Maria. Docente da Área de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó. Diretora de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto sensu da Unochapecó.

References

Alves, L. A., & Ribeiro Filho, V. (2020). Usos do solo e ocorrências de câncer: uma abordagem geográfica a partir de São Gotardo (MG). Espaço em Revista, 22 (2), 56-78. https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/63687

Armstrong, N., Ryder, S., Forbes, C., Ross, J., & Quek, R. G. (2019). A systematic review of the international prevalence of BRCA mutation in breast cancer. Clinical Epidemiology, 11, 543-561. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6628947/

Barbosa, I. R., Costa, I. D. C. C., Pérez, M. M. B., & de Souza, D. L. B. (2015). As iniquidades sociais e as disparidades na mortalidade por câncer relativo ao gênero. Revista Ciência Plural, 1 (2), 79-86. https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/7618

Barros, L. O., Menezes, V. B. B., Jorge, A. C., de Morais, S. S. F., & da Silva, M. G. C. (2020). Mortalidade por Câncer de Mama: uma Análise da Tendência no Ceará, Nordeste e Brasil de 2005 a 2015. Revista Brasileira de Cancerologia, 66 (1), 1-8. https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/740

Charnet, R., Freire, C. A. L., Charnet, E. M. R., & Bonvino, H. (2008). Análise de modelos de regressão linear: com aplicações. Campinas: Editora da Unicamp.

Costa, L. D. L. N., de Lima Sardinha, A. H., Verzaro, P. M., Lisbôa, L. L. C., & Batista, R. F. L. (2019). Mortalidade por câncer de mama e condições de desenvolvimento humano no Brasil. Revista Brasileira de Cancerologia, 65 (1), e-12050. https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/50

Couto, M. S. A. (2016). Análise da taxa de mortalidade por câncer de mama nos municípios brasileiros no período de 1987 a 2013 e fatores associados [dissertação]. Juiz de Fora, MG: Universidade Federal de Juiz de Fora.

Dibaba, D. T., Ogunsina, K., Braithwaite, D., & Akinyemiju, T. (2019). Metabolic syndrome and risk of breast cancer mortality by menopause, obesity, and subtype. Breast Cancer Research and Treatment, 174 (1), 209-218. https://link.springer.com/article/10.1007/s10549-018-5056-8

Diretoria de Vigilância Epidemiológica. (2020). Barriga Verde Informativo Epidemiológico. Ano XV- Edição Especial. Santa Catarina. http://dive.sc.gov.br/barrigaverde/pdf/BV_Cancer_27.11.pdf.

Duarte, D. D. A. P., Nogueira, M. C., Magalhães, M. D. C., & Bustamante-Teixeira, M. T. (2020). Iniquidade social e câncer de mama feminino: análise da mortalidade. Cadernos Saúde Coletiva, 28, 465-476. https://www.scielo.br/j/cadsc/a/7KtMNqFxJZSPGYRB3FzgsZj/?format=html&stop=previous&lang=pt

Dutra, L. S., Ferreira, A. P., Horta, M. A. P., & Palhares, P. R. (2021). Uso de agrotóxicos e mortalidade por câncer em regiões de monoculturas. Saúde em Debate, 44, 1018-1035. https://www.scielo.br/j/sdeb/a/FfpPSnKCkxrdqPd8ptnfWsJ/?format=html&lang=pt

França, E., Teixeira, R., Ishitani, L., Duncan, B. B., Cortez-Escalante, J. J., Morais Neto, O. L. D., & Szwarcwald, C. L. (2014). Causas mal definidas de óbito no Brasil: método de redistribuição baseado na investigação do óbito. Revista de Saúde Pública, 48, 671-681. https://www.scielosp.org/article/rsp/2014.v48n4/671-681/pt/

Figueroa, J. D., Gray, E., Pashayan, N., Deandrea, S., Karch, A., Vale, D. B., ... & Breast Screening Working Group. (2021). The impact of the Covid-19 pandemic on breast cancer early detection and screening. Preventive Medicine, 151, 106585. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0091743521001699

Godfrey, L. G. (1978). Testing against general autoregressive and moving average error models when the regressors include lagged dependent variables. Econometrica: Journal of the Econometric Society, 46, 1293-1301. https://www.jstor.org/stable/1913829

Gonçalves, L. L. C., Travassos, G. L., Almeida, A. M. D., Guimarães, A. M. D., & Gois, C. F. L. (2014). Barreiras na atenção em saúde ao câncer de mama: percepção de mulheres. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48, 394-400. https://www.scielo.br/j/reeusp/a/9RfKfjrRGXmWNxvMYLSZdXD/abstract/?lang=pt

Gøtzsche, P. C., & Jørgensen, K. J. (2013). Screening for breast cancer with mammography. Cochrane Database of Systematic Reviews, (6). https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD001877.pub5/full

Höfelmann, D. A., Anjos, J. C. D., & Ayala, A. L. (2014). Sobrevida em dez anos e fatores prognósticos em mulheres com câncer de mama em Joinville, Santa Catarina, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 1813-1824. https://www.scielo.br/j/csc/a/TKzFdJ4MywrWDW6SmQLb66n/abstract/?lang=pt

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2018). Agência IBGE notícias. Expectativa de vida do brasileiro sobe para 75,8 anos. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/18469-expectativa-de-vida-do-brasileiro-sobe-para-75-8-anos

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). Sinopse do censo demográfico 2010. Santa Catarina. https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=42&dados=26.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. (2019a). Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil. https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. (2019b). Tipos de câncer. Câncer de mama. https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. (2019c). A situação do câncer de mama no Brasil: síntese de dados dos sistemas de informação. https://www.inca.gov.br/publicacoes/livros/situacao-do-cancer-de-mama-no-brasil-sintese-de-dados-dos-sistemas-de-informacao.

Leite, B. C., Oliveira-Figueiredo, D. S. T. D., Rocha, F. L., & Nogueira, M. F. (2020). Multimorbidade por doenças crônicas não transmissíveis em idosos: estudo de base populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 22 (6), e190253. https://www.scielo.br/j/rbgg/a/yPJDvn3XN5wbTBp6Scjq9Pz/?lang=pt

Lôbo, J. L. D. S., Silva, M. L. C., Tomé, T. K. B. V., & Souza, C. D. F. D. (2020). Mortalidade por Câncer de Mama Feminino em Alagoas no Período de 2001 a 2016: Análise de Tendência e Distribuição Espacial. Revista Brasileira de Cancerologia, 66 (1),1-7. https://pesquisa.bvsalud.org/controlecancer/resource/pt/biblio-1094926?src=similardocs

Macena, W. G., Hermano, L. O., & Costa, T. C. (2018). Alterações fisiológicas decorrentes do envelhecimento. Revista Mosaicum, 15 (27), 223-238. https://revistamosaicum.org/index.php/mosaicum/article/view/64

Meira, K. C., Guimarães, R. M., Santos, J. D., & Cabrelli, R. (2015). Análise de efeito idade-período-coorte na mortalidade por câncer de mama no Brasil e regiões. Revista Panamericana de Salud Pública, 37 (6), 402-408. https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/rpsp/v37n6/v37n6a05.pdf

Ministério da Saúde. (2018). Vigitel Brasil 2017: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2017. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2017_vigilancia_fatores_riscos.pdf

Moretin, P. A., & Toloi, C. M. (1986). Séries temporais. São Paulo: Atual.

Neter, J., Wasserman, W., & Kutner, M. H. (1990). Polynomial regression. In: Neter, J., Wasserman, W., Kutner, M. H., editors. Applied linear statistical models: regression, analysis of variance and experimental designs. Ed. Boston. 315-41.

Neuhouser, M. L., Aragaki, A. K., Prentice, R. L., Manson, J. E., Chlebowski, R., Carty, C. L., ... & Anderson, G. L. (2015). Overweight, obesity, and postmenopausal invasive breast cancer risk: a secondary analysis of the women’s health initiative randomized clinical trials. JAMA Oncology, 1 (5), 611-621. https://jamanetwork.com/journals/jamaoncology/article-abstract/2319235

Pinheiro, S. J. (2015). Câncer de mama: análise da mortalidade e do cuidado de enfermagem no município de Fortaleza – Ceará [dissertação]. Fortaleza (CE): Universidade Estadual do Ceará. https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UECE-0_0745bfc3fc41c803959d6b4919aadc0f

Rosa, L. M. D., Silva, L. D., Radunz, V., & Arzuaga, M. A. (2016). Rastreamento mamográfico: detecção de lesões neoplásicas malignas em mulheres de Santa Catarina e do Brasil. Texto & Contexto-Enfermagem, 25 (3), e5280015. https://www.scielo.br/j/tce/a/RfnRQgZnrm8ZXrSZsq6xBBm/?lang=pt&format=html

Shapiro, S. S., & Wilk, M. B. (1965). An analysis of variance test for normality (complete samples). Biometrika, 52 (3/4), 591-611. https://www.jstor.org/stable/2333709

Sociedade Brasileira de Mastologia. (2021). Sociedades brasileiras recomendam mamografia a partir dos 40 anos. https://sbmastologia.com.br/sociedades-medicas-brasileiras-recomendam-mamografia-anual-a-partir-dos-40-anos/

Souza, C. B., Fustinoni, S. M., Amorim, M. H. C., Zandonade, E., Matos, J. C., & Schirmer, J. (2015). Estudo do tempo entre o diagnóstico e início do tratamento do câncer de mama em idosas de um hospital de referência em São Paulo, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20 (12), 3805-3816. https://www.scielo.br/j/csc/a/GnqNTpPc7pxpDNN37tR3Pbt/abstract/?lang=pt

Souza, K. S., da Silva, M. R. F., dos Santos Silva, R. R., dos Santos Silva, J., de Oliveira, M. B. M., Miranda, F. S. L., ... & Lima, F. L. O. (2020). Tendência de mortalidade por Câncer de Mama na Bahia: 2008-2018. Brazilian Journal of Health Review, 3 (5), 14521-14528. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/18299

de Souza, N. H. A., Falcão, L. M. N., Nour, G. F. A., Brito, J. O., Castro, M. M., & de Oliveira, M. S. (2017). Câncer de mama em mulheres jovens: estudo epidemiológico no Nordeste brasileiro. SANARE-Revista de Políticas Públicas, 16 (2), 60-67. https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1179

Urban, L. A. B. D., Chala, L. F., Bauab, S. D. P., Schaefer, M. B., Santos, R. P. D., Maranhão, N. M. D. A., ... & Camargo, H. S. A. D. (2017). Recomendações do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, da Sociedade Brasileira de Mastologia e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia para o rastreamento do câncer de mama. Radiologia Brasileira, 50 (4), 244-249. https://www.scielo.br/j/rb/a/mdrskx4dDvTfVZxqkFp8ZKr/abstract/?lang=pt

World Health Organization (2020). Breast cancer. https://www.who.int/cancer/prevention/diagnosis-screening/breast-cancer/en/cited

Youlden, D. R., Cramb, S. M., Dunn, N. A., Muller, J. M., Pyke, C. M., & Baade, P. D. (2012). The descriptive epidemiology of female breast cancer: an international comparison of screening, incidence, survival and mortality. Cancer Epidemiology, 36 (3), 237-248. https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S187778211200029X

Published

20/10/2021

How to Cite

SILVA, M. I. G. da .; FRIESTINO, J. K. O. .; FRANCISCO, P. M. S. B. .; MORENO, M.; CORRALO, V. da S. . Mortality due to breast cancer in women of Santa Catarina, Brazil, 2000-2017 . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e531101321467, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21467. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21467. Acesso em: 7 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences