Falls in the home environment: quality of life of the elderly after them

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i3.26622

Keywords:

Elderly health; Quality of life; Falls in the elderly in the home environment.

Abstract

Objectives: To analyze the consequences of falls on the quality of life of the elderly in the home environment. Methodology: The methodology of this work consists, essentially, of research with a broad bibliographic review. The construction procedures of these studies will be based on information taken from scientific articles published in the last 10 years and researched in the Ministry of Health, in the Latin American and Caribbean Literature databases Health Sciences (LILACS), electronic page of the Virtual Health Library (BIREME) and Scientific Electronic Library Online (SciELO). Results and discussion: Falls can have serious physical and psychological consequences, including injuries, hospitalizations, mobility disturbance, fear of falling again, activity restriction, functional decline, institutionalization and even death. Conclusion: Falls in the elderly are multifactorial events, and knowledge of their risk factors is important to guide the planning of preventive measures.

References

Araújo, L.A. (2017). O Programa Saúde da Família: perfil de idosos assistidos por uma equipe. Rev. Bras. Enferm., Brasília , v. 57, n. 5, out.

Araldi, M. (2017). A descoberta de projetos de vida: contribuição do projeto idoso empreendedor no processo de envelhecimento. Trabalho de Conclusão de Curso de Serviço Social, UFSC. Florianópolis.

Aveiro, M. S. et al. (2011). Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, supl.1, p.1467-78.

Borges, A. M. P. et al. (2010). A contribuição do fisioterapeuta para o Programa de Saúde da Família – uma revisão da literatura. UNICiências, Cuiabá, v. 14, n. 1, p. 69-82.

Brasil,(2005). Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Saúde da Família: uma nova opção para o trabalho do fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Revista trimestral do COFFITO, Brasília, v. 7, n. 24, p. 6-8.

Brasil. (2019). Lei nº 10.741de 01 de outubro de 2003. Estatuto do idoso. www.planalto.org .

Brasil. (2019). Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Diário Oficial da União, Brasília, 19 de outubro de 2006. www.planalto.org.

Brasil. (1998). Ministério da Saúde. Saúde da família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2006). Ministério da Saúde. Portaria GM n. 648, de 28 de Março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2010). Ministério da Saúde. Portaria GM/MS n. 4.279, de 30 de Dezembro de 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2006). Ministério da Saúde. Regionalização solidária e cooperativa: orientação para sua implementação no SUS. Brasília: Ministério da Saúde, b. 40 p. (Série Pactos Pela Saúde, v. 3).

Brasil. (2011). Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Monitoramento e Avaliação o SUS. Programa de Avaliação para Qualificação do Sistema Único de Saúde. Brasília, DF.

Conill, E. M. (2008). Ensaio histórico-conceitual sobre a Atenção Primária à Saúde: desafios para a organização de serviços básicos e da estratégia saúde da família em centros urbanos no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, supl. 1, p. 7-16.

Duarte, Y. A. (2016). Atendimento Domiciliar: Um Enfoque Gerontológico. 1 ed. São Paulo: Ateneu.

Feitosa, A. N. A. et al. (2020). O Processo de Trabalho do Enfermeiro na Atenção Básica: Gerenciamento e Assistência: The Nurse's Work Process In Basic Care: Management And Assistance. Brazilian Journal of Production Engineering-BJPE, p. 199- 207.

Lakatos, E. M. & Marconi, M. A. (2006). Metodologia do Trabalho Científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório publicações e trabalhos científicos. 6º ed. 7º reimpr. São Paulo: Atlas.

Magalhães, L. C. et al. (2003). Estudo comparativo sobre o desempenho perceptual e motor na idade escolar em crianças nascidas pré-termo e a termo. Revista Arquivos de NeuroPsiquiatria, São Paulo, v. 61, n. 2A, p. 250-255.

Marchi, R. (2016). Escolhendo Qualidade de Vida: Opção Saúde. CPH – Tecnologia em Saúde.

Medeiros. (2017). Aline Carolina. Qualidade de Vida: Um desafio para os aposentados da CELESC. Trabalho de Conclusão de Curso – Serviço Social. UFSC.

Milnitzky, C. & Sung, F. & Pereira, R.M. (2017). Políticas públicas e envelhecimento: conquistas e desafios, envelhecimento e a bioética: o respeito a autonomia do idoso. A Terceira Idade, v. 15, n. 31, São Paulo.

Minayo, M. C. S. & Sanches, O. (1993). Quantitativo-qualitativo: oposição ou Complementaridade? Cad. Saúde Pública, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 239-262.

Martins, K. M. S. & Walquiria L. & Álvares, A. C. M. A. (2019). Importância da imunização: revisão integrativa. Revista de Iniciação Científica e Extensão, v. 2, n. 2, p. 28-33.

Mendes, E. V. Agora mais do que nunca - uma revisão bibliográfica sobre Atenção Primária à Saúde. In: conselho nacional de secretários de saúde. Oficinas de Planificação da Atenção Primária à Saúde nos Estados. Brasília: CONASS, 2009.

Muniz, C. F.et al. (2007). Projeto de assistência interdisciplinar ao idoso em nível primário: Enfoque dos alunos de fisioterapia. APS. v.10, n° 1, p. 84-89, jan./jun. 2007 http:// www.ufjf.br/nates/files/2009/12/Pidoso.pdf> .

Neri, A. L. (2015). Qualidade de Vida e Idade Madura. Campinas: Papirus.

Oliveira, (2015). Reinaldo Marcon. Trabalhar com famílias no Programa de Saúde da Família: a prática do enfermeiro em Maringá- Paraná. Rev Esc Enferm USP.

Oms - organização mundial de saúde. (1978). Declaração de Alma-Alta. Alma-Alta: OMS, 1978. 3 p. <http://www.opas.org.br/coletiva/uploadArq/Alma-Ata.pdf >.

Oms - organização mundial de saúde. (2008). Relatório Mundial da Saúde 2008: Cuidados de Saúde Primários - Agora mais que nunca. Genebra: OMS.

Organização pan-americana da saúde - opas. (2011). A atenção à saúde coordenada pela APS: construindo as redes de atenção no SUS - Contribuições para o debate. Brasília: OPAS.

Oliveira, Valéria Conceição et al. (2019). A percepção da equipe de enfermagem sobre a segurança do paciente em sala de vacinação. Revista Cuidarte, v. 10, n. 1.

Silva, M. J. (2017). O autocuidado dos idosos: intervenção de enfermagem e melhor qualidade de vida. Rev Enfem UERJ.

Simões, R. (2017). Qual idade de vida na qual idade de vida. In: MOREIRA, W. W.(org.) Qualidade de vida: complexidade e educação. Campinas: Papirus.

Thumé, E. C. et al. (2016). Assistência Domiciliar a Idosos: Fatores Associados, Características do Acesso e do Cuidado. Rev. Saúde Pública, v.44, n.6, 2016.: http://www.scielosp.org/pdf/rsp/v44n6/1961.pdf

Published

01/03/2022

How to Cite

FERREIRA, L. de M. .; SILVA, M. de L. .; MEDEIROS , R. L. S. F. M. de .; SOUZA, K. C. .; CAVALCANTE RODRIGUES , S.; FEITOSA, A. do N. A. . Falls in the home environment: quality of life of the elderly after them. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 3, p. e39111326622, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i3.26622. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26622. Acesso em: 14 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences