Anthropometric nutritional assessment of children followed up by Primary Care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28610

Keywords:

Child health; Food security; Primary attention; Family; Nursing.

Abstract

Objective: to evaluate the nutritional status of children as well as to list factors associated with the investigated health condition. Method: cross-sectional study, developed in seven Family Health Strategies - ESF's in a region in the middle north of the state of Mato Grosso, Brazil. The nutritional profile was evaluated according to the weight-for-age, height-for-age and weight-for-height indexes (n = 66), with the help of the WHO Anthro program, and a questionnaire was applied to the legal representative, in order to outline the socioeconomic profile, with association estimated by applying Pearson's association test. Results: there was an inadequate nutritional status in children, with a higher rate of overweight or obesity, for females and children under 3 years of age. Conclusion: it points to a nutritional imbalance among children, which is an ascending public health problem, and a great challenge for primary care in promoting healthy eating habits from childhood.

Author Biographies

Patrycia Conceição de Almeida Costa , Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduada em Enfermagem pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Diamantino, Mato Grosso-Brasil.

Paula Fernanda Albonette de Nóbrega, Secretaria de Estado de Educação/SEDUC-MT

Biólogo Doutora em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre. Secretaria de Estado de Educação/SEDUC-MT, Diamantino, Mato Grosso-Brasil

Claudia Cristina dos Santos, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduanda em Enfermagem pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Diamantino, Mato Grosso-Brasil.

Julia de Souza Alves, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduanda em Enfermagem pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Diamantino, Mato Grosso-Brasil.

Patrícia Pereira Gomes, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira Mestranda no programa Gestao do Cuidado em enfermagem: Modalidade Profissional da Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC.

Dayane dos Santos Souza Magalhães, Universidade Federal do Mato Grosso

Enfermeira assistencial na Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares no Hospital Universitário Júlio Muller da Universidade Federal do Mato Grosso. Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Ambiente e Saúde da Universidade de Cuiabá (UNIC).

Dennislaine Alves Lima Dantas, Clínica Pediátrica no Hospital Regional Drº Antônio Fontes

Enfermeira assistencial da Clínica Pediátrica no Hospital Regional Drº Antônio Fontes.  Pós Graduada Latu Sensu em Enfermagem do Trabalho e Saúde do Trabalhador e Gestão em Saúde.

References

Antunes N. J. Obesidade infantil: vivências familiares relativas ao processo de aconselhamento nutricional. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018; 233pg.

Balaban G, & Silva G. A. P. Efeito protetor do aleitamento materno contra a obesidade infantil. J. Pediatr. 2004; 80(1): 7-16. 10.1590/S0021-75572004000100004.

Barreto S. M, Passos V. M. A, & Lima-Costa M. F. F. (2003) Obesity and underweight among Brazilian elderly. The Bambuí Health and Aging Study. Cad. Saúde Pública. 2003; 19(2):605-612. 10.1590/S0102-311X2003000200027.

Batista Filho M, Souza A. I, Miglioli T. C, Santos M. C. Anemia e obesidade: um paradoxo da transição nutricional brasileira. Cad. Saúde Pública. 2008; 24 (sup 2): 247-57. 10.1590/S0102-311X2008001400010.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resoluções. 2012.

Brasil. Ministério da saúde. Redefine as diretrizes para a organização da prevenção e do tratamento do sobrepeso e obesidade como linha de cuidado prioritária da Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas. Brasília 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Protocolos do sistema de vigilância alimentar e nutricional-SISVAN na assistência à saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2008. p.61.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Brasil. Cad. Saúde Pública. 2011;27(12):2409-2418. 10.1590/S0102-311X2011001200012.

Breigeiron M. K, Miranda M. N, Souza A. O. W, Gerhardt L. M, Valente M. T, & Witkowski M. C. Associação entre estado nutricional, aleitamento materno exclusivo e tempo de internação hospitalar de crianças. Rev Gaúcha Enferm. 2015;36(esp):47-54. https://doi.org/10.1590/1983- 1447.2015.esp.57459

Burrows T. L, Martin R. J, Collins C. A systematic review of the validity of dietary assessment methods in children when compared with the method of Doubly Labeled Water. J Am Diet Assoc. 2010; 110(10): 1501-10. 10.1016/j.jada.2010.07.008.

Camargos A. C. R, Azevedo B. N. S, Silva D, Mendonça V. A, & Lacerda A. C. R. (2019) Prevalência de sobrepeso e de obesidade no primeiro ano de vida nas Estratégias Saúde da Família. Cad. saúde colet. [online]. 27(1); 32-38. https://doi.org/10.1590/1414-462x201900010010.

Costa L. M. C, Santos T. C. F, Ferreira L. O, Almeida Filho A. J, Santos R. M, & Lázaro Alcántara E. Project HOPE: American nurses in Brazil (1973). Rev Bras Enferm 2018;71(4):1956-62. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0432

Crestani A. H, Souza A. P. R, Beltrami L, Moraes A. B. Análise da associação entre tipos de aleitamento, presença de risco ao desenvolvimento infantil, variáveis obstétricas e socioeconômicas. J. Soc. Bras. Fonoaudiol. 2012; 24(3);205-210. 10.1590/S2179-64912012000300004.

Escobar, R, Bavaresco C. S, Bobacina C. M, & Cunha M. R. Perfil nutricional das crianças menores de cinco anos de uma unidade de saúde de Porto Alegre - RS. Rev. APS. 2014; 17(4): 523 – 529.

Favaro T. R, Santos R. V, Cunha G. M, Leite I. C, & Coimbra Junior C. E. A. Obesidade e excesso de peso em adultos indígenas Xukuru do Ororubá, Pernambuco, Brasil: magnitude, fatores socioeconômicos e demográficos associados. Cad. Saúde Pública. 2015;31(8):1685-1697. 10.1590/0102-311X00086014.

Freire, M. C. M, & Pattussi, M. P (2018). Tipos de estudos. IN: ESTRELA, C. Metodologia científica. Ciência, ensino e pesquisa. 3ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 109-127.

Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009. Antropometria e análise do estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. 2010.

Leal K. K, Schneider B. C, França G. V. A, Gigante D. P, Santos I, Assunção M. C. F. Qualidade da dieta de pré-escolares de 2 a 5 anos residentes na área urbana da cidade de Pelotas, RS. Rev paul. pediatr. 2015; 33(3):310-317. 10.1016/j.rpped.2015.05.002.

Lima, A. L. L, Silva A. C. F, Konno S.C, Conde W. L, D’Aquino Benicio M. H, Monteiro C. A. Causas do declínio acelerado da desnutrição infantil no Nordeste do Brasil (1986-1996-2006). Rev. Saúde Pública. 2010; 44(1): 17-27. doi: 10.1590/S0034-89102010000100002.

Lipschitz D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Prim Care. 1994; 21(1):55-67.

Lopes W. C, Marques F. K. S, Oliveira C. F, Rodrigues J. A, Silveira M. F, & Caldeira A. P. Pinho L. Alimentação de crianças nos primeiros dois anos de vida. Rev. paul. pediatr. [online]. 2018;36(2): 164-170. 10.1590/1984-0462/;2018;36;2;00004.

Melo C. S, & Gonçalves R. M. Aleitamento materno versus aleitamento artificial. Estudos, Goiânia. 2014; 41(especial): 7-14. 10.18224/est.v41i0.3804.

Nascimento C. M, Ribeiro A. Q, Cotta R. M. M, Acurcio F. A, Peixoto S. V, Priore S. E, & Franceshini S. C. C. Estado nutricional e fatores associados em idosos do Município de Viçosa, Minas Gerais.

Pereira I. F.S, Andrade L. M. B, Spyrides M. H. C, & Lyra C. O. Estado nutricional de menores de 5 anos de idade no Brasil: evidências da polarização epidemiológica nutricional. Ciênc. saúde coletiva, 2017; 22(10):3341-3352. 10.1590/1413-812320172210.25242016 .

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Marco de referência da vigilância alimentar e nutricional na atenção básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

Pereira I. F. S, Andrade L. M. B, Spyrides M. H. C, & Lyra C. O. Estado nutricional de menores de 5 anos de idade no Brasil: evidências da polarização epidemiológica nutricional. Ciênc. saúde coletiva. 2017; 22(10):3341-3352. 10.1590/1413-812320172210.25242016.

Romani S. A. M, & Lira P. I. C. Fatores determinantes do crescimento infantil. Rev. Bras. Saúde Materna Infantil. 2005; 4(1): 15-23. 10.1590/S1519-38292004000100002.

Silva G. A. P, Costa K. A. O, & Giugliani E. R. J. Alimentação infantil: além dos aspectos nutricionais. J. Pediatr. 2016;92(3 Suppl 1):S2-7.10.1016/j.jped.2016.02.006

Silva I. F. S. Um retrato do estado nutricional de crianças menores de 5 anos e idosos: diferenciais regionais, sociais e demográficos, brasil, 2009. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ciências Exatas e da Terra. Programa de Pós-Graduação em Demografia. 74F. 2014.

Spinelli M. G. N, Morimoto J. M, Freitas A. P. G, Barros C. M, Dias D. H. S, Pioltine M. B, et. al. Estado nutricional e consumo alimentar de pré-escolares e escolares de escola privada. Revista Ciência & Saúde. 2013; 6(2): 94-101. 10.15448/1983-652X.2013.2.12686.

World Health Organization - WHO ‎. Essential nutrition actions: improving maternal, newborn, infant and young child health and nutrition. World Health Organization. 2013:144.

Published

18/04/2022

How to Cite

COSTA , P. C. de A. .; LIMA, C. M. de; NÓBREGA, P. F. A. de .; SANTOS, C. C. dos .; ALVES, J. de S.; GOMES, P. P. .; MAGALHÃES, D. dos S. S.; DANTAS, D. A. L. . Anthropometric nutritional assessment of children followed up by Primary Care . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e1611628610, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28610. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28610. Acesso em: 18 may. 2022.

Issue

Section

Health Sciences