Evaluation of the microbiological quality of the water of the middle course of the river Itapecuru, state of Maranhão, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28824

Keywords:

Water analysis; Coliforms; Itapecuru watershed.

Abstract

Permanent monitoring and evaluation of water bodies in urban and suburban areas are essential to control water quality. The objective of this research was to evaluate the microbiological quality of the water of the river Itapecuru in the course that runs through the city of Caxias-MA. To carry out the microbiological analysis of the water, the methodology of multiple tubes was used, which is indicated for the determination of microorganisms, such as total coliforms and thermotolerant coliforms. Initially, the presumptive test was performed, in which the positive tubes of this stage (tubes that showed lactose fermentation and gas production) were recorded and from them, the confirmatory test and the complementary test were followed. In the result of the presumptive test, the readings varied between 240 and >1,600 MPN/100 ml, in the confirmatory test for total coliforms and in the complementary test (Escherichia coli-EC) for thermotolerant coliforms, there was a variation between 14 and 1600 MPN/100 ml for both the tests. It is concluded that the upstream and central points of the river were classified as suitable and excellent for bathing and the downstream point as inappropriate.

References

Abelho, M. (2013). Protocolo de Microbiologia Ambiental parte 3: Microbiologia Aplicada. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Coimbra.

Alcântara, E. H. (2004). Caracterização da Bacia Hidrográfica do rio Itapecuru, Maranhão-Brasil. Caminhos de Geografia, 5(11).

Almeida, U. S. D. (2019). Avaliação da qualidade da água do rio Itapecuru: Análise Físico-Química e Impactos Antrópicos.

Alves, L. M. C. (2010). Qualidade da água de múltiplos usos na microrregião de Itapecuru-Mirim-MA.

Andrade G. F., & Barros D. B. (2019). Bioindicadores Microbiológicos para Indicação de poluição Fecal. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (34), e1099. https://doi.org/10.25248/reas.e1099.2019

APHA (2017). American Public Health Association. Standard methods for the examination of water and wastewater. 21ª edição. Associação Americana de Saúde Pública. Washington: APHA.

Babick, L. & Rhoden, A. C. (2018). Avaliação de macroinvertebrados bentônicos, qualidade físico-química e microbiológica da água do Lajeado Rickia. Revista Ciências Agroveterinárias e Alimentos, n. 3, 2018.

Barros, M. C. (2012). Biodiversidade na Área de Proteção Ambiental Municipal do Inhamum. São Luís: UEMA, 142.

Brasil. (2000). Resolução CONAMA nº 274, de 29 de novembro de 2000. Define os critérios de balneabilidade em águas brasileiras. Brasília.

Brasil. (2005). Resolução CONAMA N° 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Brasília.

Cantanhede, E. D. K. P., de Aguiar, A. D. M., Sobrinho, O. P. L., da Silva Moraes, P. S., dos Santos Oliveira, L., dos Santos Xavier, R., & Pereira, A. I. S. (2015). Análise microbiológica das águas do Rio Itapecuru no município de Codó (MA), Brasil. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, 6(1), 7-13.

Carvalho Souza, I. O. (2016). Avaliação da condição de balneabilidade da Praia de Porto Real no município de Porto Nacional–Tocantins. Porto Nacional-TO.

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba - CODEVASF. (2019). Plano Nascente Itapecuru: plano de preservação e recuperação de nascentes da bacia hidrográfica do rio Itapecuru.

Correia Filho, F. L., Gomes, É. R., Nunes, O. O. & Lopes Filho, J. B. (2011). Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea: estado do Maranhão: relatório diagnóstico do município de Caxias. CPRM.

Costa, C. F., de Azevedo, C. A. S., de Souza Ferreira, S., & da Silva Moura, E. P. (2016). Análise microbiológica da água do Rio Itapecuru em Caxias-MA, Brasil. Revista Interface (Porto Nacional), (10), 274-283.

Euba Neto, M., da Silva, W. O., Rameiro, F. C., do Nascimento, E. S., & Alves, A. D. S. (2012). Análises físicas, químicas e microbiológicas das águas do balneário Veneza na bacia hidrográfica do médio Itapecuru, MA. Arquivos do Instituto Biológico, 79, 397-403.

Formiga, L. D. A. S., Câmara, J.T., Sousa, A.A.T. (2019). Integração do conhecimento científico biológico. Curitiba: Brazil Publishing, 202.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. (2021). Censo 2020. Acessado Abril 1, 2022 em https://cidades. ibge.gov.br/brasil/ma/caxias/panorama

Kolm, H. E., & Miquelante, F. A. (2010). Indicadores microbiológicos de poluição fecal na desembocadura da gamboa olho d’água, Paraná: subsídio para o monitoramento da balneabilidade no Brasil. Publication UEPG: Ciências Biológicas e da Saúde, 17(1), 21-35.

Lira, O. O. (2014). Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS: Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. Brasília: Funasa, 112 p.

Núcleo Geoambiental-NUGEO. (2016). Bacias hidrográficas e climatologia no Maranhão.

Paula, L. R., Cesar, K. K. F. A., Batista, A. K. R., Siqueira, F. F. F. S., da Silva, L., Limeira Filho, D., ... & da Silva, F. L. (2021). Análise físico-química da qualidade da água do rio Itapecuru no município de Caxias-MA. Research, Society and Development, 10(15), e551101521973-e551101521973.https://doi.org/10.33448/rsd-v10i15.21973

Santos Filho, L. Manual de Microbiologia Clínica, 4ª ed.-João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2006.

Silva Sousa, S., Silva, W. S., Miranda, J. A. L., & Rocha, J. A. (2016). Análise físico-química e microbiológica da água do rio Grajaú, na cidade de Grajaú-MA. Ciência e Natura, 38(3), 1615-1625.

Silva, E. O., Silva Freitas, C. F., & Carvalho, L. C. F. (2011). Análise microbiológica da água do balneário Veneza no município de Caxias-MA, Brasil. Acta Tecnológica, 6(1), 35-44.

Souza, C. D. D., Fernandes, R. J. A. R., & Matos, A. J. S. (2021). Mapeamento de manchas de inundação: Caxias/MA. CPRM.

Tundisi, J. G. (2014). Recursos hídricos no Brasil: problemas, desafios e estratégias para o futuro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 76.

Vasconcellos, F. D. S., Iganci, J. R. V., & Ribeiro, G. A. (2022). Qualidade microbiológica da água do rio São Lourenço, São Lourenço do Sul, Rio Grande do Sul. Arquivos do Instituto Biológico, 73, 177-181.

Vasconcelos, W. R., da Silva, J. P., & da Paixão Soares, J. (2018). ANÁLISE DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS E MICROBIOLÓGICOS DA ÁGUA DO RIACHO LAMEGO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS-MA. RETEC-Revista de Tecnologias, 11(1).

WHO (2018). World Health Organization. E. coli. Disponível em: < https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/e-colil>. Acesso em: 15 de março de 2022.

Published

30/04/2022

How to Cite

PAULA, L. R.; LIMEIRA FILHO, D.; SIQUEIRA, F. F. F. S. .; SILVA, L. da; CONCEIÇÃO, C. B. da; COSTA, S. L. O. .; SANTOS, L. J. da C. .; SILVA, F. L. da. Evaluation of the microbiological quality of the water of the middle course of the river Itapecuru, state of Maranhão, Brazil . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e34411628824, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28824. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28824. Acesso em: 18 may. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences