The evolution of coverage of the number of oral health teams in the Northeastern states of Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29703

Keywords:

Family Health Strategy; Primary Health Care; Oral Health.

Abstract

Introduction: health practices in Brazil have changed over the years, adopting a more preventive approach. Thus, linked to primary care, the Family Health Strategy (ESF) emerged, responsible for health promotion in Brazilian families, including the provision of dental care. However, there are difficulties in accessing these services, due to the lack of supplies and the unavailability of some dental treatments by the SUS, in addition to insufficient coverage of the population by the oral health teams (ESB). Therefore, the study aims to describe the evolution of coverage of oral health teams in the Northeast region from 2018 to 2021. Methodology: an ecological study was carried out, analyzing the nine northeastern states, seeking secondary data on the e-gestor platform (Ministry of Health), with a time frame from 2018 to 2021. The absolute and relative frequencies of coverage of the ESBs linked to the ESF of each state were collected and organized, calculating the arithmetic mean of the percentages and arranged in graphs in the Excel software for representative purposes. Results: there was a progressive increase in the coverage of ESBs since 2018 in the Northeastern states. Of these, Piauí has the highest coverage, while Bahia has the lowest one, although it has shown growth in this rate over the years. Sergipe was the only state to register a drop. Conclusion: despite different rates, the Northeast region has the highest coverage of oral health teams per population, but a more effective distribution is needed, in addition to an increase in the supply of services and improved access to oral health..

References

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação de Acompanhamento e Avaliação da Atenção Básica. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/periodicos/ Informe21.pdf.

Brasil. (2022). Ministério da Saúde. E-Gestor atenção básica: informação e gestão da atenção básica. https://egestorab.saude.gov.br/.

Cascaes, A., Dotto, L. & Bomfim, R. (2018). Tendências da força de trabalho de cirurgiões-dentistas no Brasil, no período de 2007 a 2014: estudo de séries temporais com dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Epidemiol Serv Saúde. 27(1):1-10.

Chaves, S., Almeida, A., Reis, C., Rossi, T. & Barros, S. (2018). Política de Saúde Bucal no Brasil: as transformações no período 2015-2018. Saúde Debate. 42(Espec 2):76-91. https://doi.org/10.1590/0103-11042018s206.

Corrêa, G. & Celeste, R. (2015). Associação entre a cobertura de equipes de saúde bucal na saúde da família e o aumento na produção ambulatorial dos municípios brasileiros, 1999 e 2011. Cad Saúde Pública. 31(12):2588-98.

Costa, R., Ribeiro, I., Rodrigues, L., & Valença, A. (2018). Configuração da cobertura de saúde bucal brasileira e o acesso da população ao serviço público odontológico. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, 6(2), 212-219.

Freire, M. & Patussi, M. (2018). Tipos de estudo. In: Estrela, C. Metodologia Científica: Ciência, Ensino, Pesquisa. Editora Artes Médicas, p. 109-127.

Gabriel, M., Cayetano, M., Chagas, M., Araújo, M., Dussault, G., Júnior, G., & Carrer, F. (2020). Mecanismos de ingresso de cirurgiões dentistas no SUS: Uma agenda prioritária para o fortalecimento do Brasil Sorridente. Cien Saude Colet. 25(3):859-868.

Giovanella, L., Escorel, S., & Mendonça, M. (2003). Porta de entrada pela atenção básica? Integração do PSF à rede de serviços de saúde. Saúde debate, 27(65), 278-89.

Lucena, E., Lucena, C. Alemán, J., Pucca Júnior, G.., Pereira, A., & Cavalcanti, Y. (2020). Monitoramento das equipes de saúde bucal após a Política Nacional de Atenção Básica 2017. Revista de Saúde Pública, 54, 1-10.

Pereira, C., Patrício, A., Araújo, F., Lucena, E., Lima, K., & Roncalli, A. (2009). Impacto da Estratégia Saúde da Família com equipe de saúde bucal sobre a utilização de serviços odontológicos. Cadernos de Saúde Pública, 25, 985-996.

Pimentel, F., Albuquerque, P., Martelli, P., Souza, W., & Acioli, R. (2012). Caracterização do processo de trabalho das equipes de saúde bucal em municípios de Pernambuco, Brasil, segundo porte populacional: da articulação comunitária à organização do atendimento clínico. Cadernos de Saúde Pública, 28, s146-s157.

Pinheiro, R., & Torres, T. (2006). Uso de serviços odontológicos entre os Estados do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 11(4), 999-1010.

Pinho, J., Souza, T., Bôas, M., Marques, C., & Neves, P. (2015). Evolução da cobertura das equipes de saúde bucal nas macrorregiões brasileiras. Revista da Associacao Paulista de Cirurgioes Dentistas, 69(1), 80-95.

Pucca, G., Gabriel, M., Araujo, M., & Almeida, F. (2015). Ten years of a National Oral Health Policy in Brazil: innovation, boldness, and numerous challenges. Journal of dental research, 94(10), 1333-1337.

Reis, C., Matta-Machado, D., Gonzaga, A., Amaral, J., Werneck, M., & Abreu, M. (2015). Describing the primary care actions of oral health teams in Brazil. International Journal of Environmental Research and Public Health, 12(1), 667-678.

Rocha, R., & Goes, P. (2008). Comparação do acesso aos serviços de saúde bucal em áreas cobertas e não cobertas pela Estratégia Saúde da Família em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 24, 2871-2880.

Roncalli, A., Côrtes, M., & Peres, K. (2012). Perfis epidemiológicos de saúde bucal no Brasil e os modelos de vigilância. Cadernos de Saúde Pública, 28, s58-s68.

Sousa, J., Maciel, L., Oliveira, C., & Zocratto, K. (2017). Mercado de trabalho em Odontologia: perspectivas dos estudantes concluintes de faculdades privadas no município de Belo Horizonte, Brasil. Revista da ABENO, 17(1), 74-86.

Sousa, J., Maciel, L., Oliveira, C., & Zocratto, K. (2017). Mercado de trabalho em Odontologia: perspectivas dos estudantes concluintes de faculdades privadas no município de Belo Horizonte, Brasil. Revista da ABENO, 17(1), 74-86.

Published

18/05/2022

How to Cite

ROCHA , E. S.; GOMES, A. A.; SANTOS, L. G. S.; RIBEIRO, F. P.; SILVA, A. P. B. da; LIMA, D. M. The evolution of coverage of the number of oral health teams in the Northeastern states of Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e14311729703, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29703. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29703. Acesso em: 22 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences