Epidemiological profile of teenage pregnancy in northeastern Brazil: an ecological study

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30188

Keywords:

Teenage pregnancy; Early pregnancy; Epidemiological profile.

Abstract

Objective: The present study aimed to describe the epidemiological profile of pregnant adolescents in northeastern Brazil in the period 2015 - 2019. Methodology: This is a descriptive, ecological study with a quantitative approach based on data obtained from information platforms such as the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) and the Department of Informatics of the SUS (DATASUS) in the period from 2015 to 2019. Results: 811,662 teenage pregnancies were studied during the years 2015 to 2019 in the northeast of Brazil, where 94, 61% (767,930) of pregnant women were between 15-19 years old and 5.39% (43,732) were between 10-14 years old. Conclusion: It was concluded that the majority of pregnant adolescents in the Northeast are in the age group of 15 to 19 years old, most with 8 to 11 years of schooling, and among adolescents from 10 to 14 years old, with 4 -7 years of study, with a single marital status, who declared themselves to be brown. The prenatal follow-up consisted of 7 or more consultations, the delivery method was vaginal, with term births and newborns weighing between 3000g and 3999g.

References

Artes, A. (2018). Dimensionando desigualdades por sexo e cor/ raça na pós-graduação brasileira. Educação em Revista, 34.

Brasil. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). (2020). Ministério divulga dados de violência sexual contra crianças e adolescentes. https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020-2/maio/ministerio-divulga-dados-de-violencia-sexual-contra-criancas-e-adolescentes.

Brasil. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. (2020) Campanha visa reduzir altos índices de gravidez precoce no Brasil https://www.mdh.gov.br/todas-as-noticias/2020-2/fevereiro/campanha-visa-reduzir-altos-indices-de-gravidez-precoce-no-brasil

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. (2018) Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. (2a ed.), Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. (2018). Saúde Brasil 2017: uma análise da situação de saúde e os desafios para o alcance dos objetivos de desenvolvimento sustentável [recurso eletrônico] /Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde.

Bussmann, C. E., & Pretto, B. (2017). Relato de experiência: percepção acerca do significado dos cortes no corpo do adolescente. Revista Destaques Acadêmicos, 9(3).

Cabral, C. D. S., & Brandão, E. R. (2020). Gravidez na adolescência, iniciação sexual e gênero: perspectivas em disputa. Cadernos de Saúde Pública, 36.

Campos et al. (2020). Análise dos casos de gravidez na adolescência no estado do Pará, Brasil. Adolesc. Saude, 17(3), p. 96-104.

Código Civil. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Artigo 1.517, 2002.

Código Penal Art. 217-A, 226 e 234-A, modificado pela Lei nº 12.015, 2009.

Costenaro, R. G. S., Gaiger, M. B., Diaz, C. M. G., Araújo, C. P., de Oliveira, P. P., Monteiro, A. T., & Benedetti, F. J. (2021). Perfil comparativo de puérperas adolescentes e adultas de risco habitual. Brazilian Journal of Development, 7(1), 11240-11251.

Dias, B. F., De Antoni, N. M., & Vargas, D. M. (2020). Perfil clínico e epidemiológico da gravidez na adolescência: um estudo ecológico. Arquivos Catarinenses de Medicina, 49(1), 10-22.

Farias, R. V., Soares, C. F., da Silva Araújo, R., de Almeida, V. R. S., de Souza Leitão, D., dos Santos, J. S., & Oliveira, C. B. F. (2020). Gravidez na adolescência e o desfecho da prematuridade: uma revisão integrativa de literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (56), e3977-e3977.

Freire, M. C. M.; & Pattussi M. P. (2018). Tipos de estudos. IN: Estrela, C. Metodologia científica. Ciência, ensino e pesquisa. (3a ed.), Artes Médicas. p.109-127

Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA). (2020). Relatório Situação da População Mundial 2020 - Contra minha vontade: desafiando as práticas que prejudicam mulheres e meninas e, impedem a igualdade. https://brazil.unfpa.org/sites/default/files/pub-pdf/situacao _da_ populacao_mundial_2020-unfpa.pdf

Fundo de População das Nações Unidas no Brasil (UNFPA). (2021). Situação da População Mundial 2021- Meu corpo me pertence reivindicando o direito à autonomia e à autodeterminação.

Fundo das Nações Unidas para Infância – UNICEF e o Fundo de População das Nações Unidas. – UNFPA. (2017). Gravidez na Adolescência no Brasil – Vozes de Meninas e de Especialistas / Benedito Rodrigues dos Santos, Daniella Rocha Magalhães, Gabriela Goulart Mora e Anna Cunha. Brasília: INDICA, 2017. 108 p. ISBN: 978-85-62539-48-0

Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm

Lei nº 13.798, de 3 de janeiro de 2019. Acrescenta art. 8º-A à Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), para instituir a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13798.htm

Lei nº 13.811, de 12 de março de 2019. Confere nova redação ao art. 1.520 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), para suprimir as exceções legais permissivas do casamento infantil.

Lopes, M. C. D. L., Oliveira, R. R. D., Silva, M. D. A. P. D., Padovani, C., Oliveira, N. L. B. D., & Higarashi, I. H. (2020). Tendência temporal e fatores associados à gravidez na adolescência. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54.

MEC- Ministério da educação e cultura. Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade.

Morais, T., Feitosa, P., Oliveira, I., Girão, M., Sales, W., Brito, E., Coutinho, L., Pinheiro, S., & Tavares, W. (2019). Interseccionalidades em Saúde: Predomínio de Sífilis Gestacional em Mulheres Negras e Pardas no Brasil /. ID on line. Revista de psicologia, 13(45), 670-679. doi:https://doi.org/10.14295/idonline.v13i45.1772

Menezes, A. H. N., Duarte, F. R., Carvalho, L. O. R., & Souza, T. E. S. (2019). Metodologia científica: teoria e aplicação na educação a distância. [e-book] Petrolina-PE. https://portais.univasf.edu.br/dacc/noticias/livro-univasf/

Oliveira, J. C. S., dos Santos, A. A. P., dos Santos, W. B., Santos, J. A. M., de Morais Teixeira, L., Rodrigues, R. P. G. T. O., & Acioli, D. M. N. (2020). Mortalidade materna: perfil de um estado do nordeste brasileiro. Research, Society and Development, 9(10), e9859109310-e9859109310.

ONDH - Ouvidoria nacional dos direitos humanos, Painel de dados da Ouvidoria nacional dos direitos humanos 1º semestre de 2020. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/paineldedadosdaondh/ONDH-2020SM01

ONU. Organização das Nações Unidas. (2020) In: Taxa de gravidez na adolescência no Brasil está acima da média mundial, aponta ONU. Brasília: ONU.

PAHO/OPAS. Pan American Health Organization. (2018). In: Part II: The current status of the health of adolescents and youth in the americas. Washington: PAHO/WHO.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/.

Pinheiro, Y. T., Pereira, N. H., & Freitas, G. D. D. M. (2019). Fatores associados à gravidez em adolescentes de um município do nordeste do Brasil. Cadernos Saúde Coletiva, 27, 363- 367.

SBP. Sociedade Brasileira de Pediatria. (2020). Abstinência sexual na adolescência: o que a ciência evidencia como método de escolha para prevenção de gravidez na adolescência. https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/abstinencia-sexual-na-adolescencia-o-que-a-ciencia-evidencia-como-metodo-de-escolha-para-prevencao-de-gravidez-na-adolescencia/

SBP. Sociedade Brasileira de Pediatria. (2019). Guia Prático de Atualização: Prevenção da gravidez na adolescência. Adolesc. Saúde, Rio de Janeiro, 11: 1-9.

Vasconcelos C. R., Carvalho M. I., Moraes, A. C. R., & Gomes Alvim, R. (2021). Gravidez na adolescência: uma análise do perfil das adolescentes assistidas em hospital escola na cidade de Maceió-al. Revista Ciência Plural, 7(3), 100–120.

Published

03/06/2022

How to Cite

PACÓ, B. R.; RABELO, A. F. de A. Epidemiological profile of teenage pregnancy in northeastern Brazil: an ecological study. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e51411730188, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30188. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30188. Acesso em: 16 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences