Obstetric violence: a conduct beyond pain and its repercussions today

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30314

Keywords:

Health teaching; Part; Obstetric; Violence.

Abstract

Obstetric violence is understood as any act of violence practiced by health professionals against women during prenatal care, childbirth and/or puerperium that inflict physical, psychological and/or social suffering on them. Occurrences of cases of obstetric violence range from offensive comments to misappropriation of the woman's body and reproductive processes in the situations described above. In this sense, this study aims to be a source of knowledge and information, through health education about obstetric violence in the contemporary setting of childbirth care in Brazil. Therefore, a study was carried out in the form of an integrative bibliographic review of the literature in Scientific Electronic Library Online (Scielo), LatinAmerican and Caribbean Literature in Health Sciences (LILACS) and Virtual Health Library (VHL) databases, using the Health Descriptors (DECS) Violence and Obstetric and Part. For this, articles that portrayed the contextualization of Obstetric Violence, the types of violence and violence from the perspective of women were approached. Thus, there needs to be a reform in the care provided, based mainly on humanization, respecting women's autonomy so that they feel protagonists of this moment.

References

Aguiar, J., Azevedo, Y., Oliveira., A.F., et al. (2020). Violência institucional, direitos humanos e autoridade tecno-cientifica: a complexa situação de parto para as mulheres. Scielo, 24, 2-7. doi.10.1590/200231.

Almeida, B., Andrade., & A., Coelho., J. (2020). Violência obstétrica: a agressão silenciosa nas salas de parto. Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas. 5 (9), 719-740, 8 set.2020 http://periodicos.pucminas.br/index.php/pretextos/article/view/22182.

Alonso., Danielle. (2018). Violência Obstétrica: conceituações e considerações sobre sua implicação no parto. 3 (9), 1-44, 5 julho.2018 http://periodicos.pucminas.br/index.php/pretextos/article/view/22182.

Barros, T. C. X. De., Castro, T. M., Rodrigues, D.P., et al. (2018). Assistência à mulher para a humanização do parto e do nascimento. Revista de Enfermagem UFPE online. 12 (2), 554-558, doi. 10.5205/1981-89.

Bastos, I.B., Bezerra, E. O., Pereira, M.l.D., et al. (2020) Aspectos da violência obstétrica institucionalizada. Enfermagem em Foco, 11 (6). 157-164, http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/3821/1069.

Brandt, G. P., Migoto, M. T., Souza, S. J. P. De., et al. (2018). Violência Obstétrica: a verdadeira dor do parto. Revista Gestão & Saúde. 19(1), 19-37, ISSN- 1984-8153 https://www.herrero.com.br/files/revista/file2a3ed78d60260c2a5bedb38362615527.pdf.

Brito, R. S. De., & Silva, I. C. Da. (2017). Formas de violência obstétrica vivenciadas por puérperas que tiveram parto normal. Enfermería Global, 16 (3), 71-97, doi 10.6018/16.3.250481

Campos, V. S., Morais, A. C., Souza, Z. C. S. do N., & Araújo, P. O. de. (2020). Práticas convencionais do parto e violência obstétrica sob a perspectiva de puérperas. revista baiana de enfermagem‏, 34. https://doi.org/10.18471/rbe.v34.35453

Cavalheiro, E. A. M., Faria, G., & Lima, M. K. G. De. (2021). Violência obstétrica: revisão de literatura. Revista Artigos. Com, 26, e6695. Recuperado de https://acervomais.com.br/index.php/artigos/article/view/6695.

Flores, Y. Y. R., Ibarra, L.E.H., Ledezma, A. G. M., et al. (2019). Social construction of obstetric violence of Tenek and Nahuatl women in Mexico. Rev Esc Enferm USP. 53 (9), doi 10.1590/S1980-220X2018028603464.

Jojoa, E.T., Rengifo, J. B. L., Sánchez, Y. D.C., et al. (2019). Violencia obstétrica: haciendo visible lo invisible. Revista de la Universidad Industrial de Santander. Salud, 51 (2), 135-146, 0121-0801.

Lansky, Sônia., Peixoto, E. R. M., Souza, K. V. De., et al. (2019). Violência obstétrica. Influência da exposição sentidos do nascer na vivência das gestantes. Ciência & Saúde Coletiva.24 (8), doi: 10.1590/1413-81232018248.30102017.

Lucenas, Glaucia., & Nery, Vanilde. (2019). Principais tipos de violências obstétricas sofridas pelas parturientes. Revista Cientifica de Enfermagem. 9 (27), 1-17, https://dspace.uniceplac.edu.br/bitstream/123456789/92/1/Vanilde%20Nery_0006985.pdf.

Marques, G. M., & Nacimento, D. Z. (2019). Alternativas que contribuem para a redução da violência obstétrica. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, p. 4743-4744. https://doi.org/10.1590/1413-812320182412.236612019.

Marques, S. (2020). Violência obstétrica no Brasil: um conceito em construção para a garantia do direito integral à saúde das mulheres. Biblioteca Virtual em Saúde. 9 (1), 97-119, doi: 10.17566.v9i1.585.

Martins, Fabiana., Paris, L. L. M., Silva, B. O. et al. (2019). Violência Obstétrica: uma expressão nova para um problema histórico. Revista Saúde em Foco.11, 413-423, https://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2019/03/034_VIOL%C3%8ANCIA-OBST%C3%89TRICA-Uma-express%C3%A3o-nova-para-um-problema-hist%C3%B3rico.pdf.

Mendes, K. S., Silveira, R. C. C. P., Galvão, C. M.(2019) Uso de gerenciador de referências bibliográficas na seleção dos estudos primários em revisão integrativa. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 28. https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2017-0204.

Nadal, A. H. R. De., Uribe, M. C., Zanardo, G. L. P. et al. (2017) Violência Obstétrica no Brasil: uma revisão narrativa. Psicol. Soc. 29 (9), 1-11: e155043.

Nakano, A. R., Nucci, M., Teixeira, L. et al. (2019). “Parto Ideal”: medicalização e construção de uma roteirização da assistência ao parto hospitalar no Brasil em meados do século XX. Scielo. Saúde Pública. 28 (3). 171-184, DOI 10.1590/S0104-12902019180819.

Possati, A. B., Ressel, L. B., Scarton, J., et al. (2017). Humanização do parto: significados e percepções de enfermeiras. Esc. Anna Nery.21 (4), 1-6, doi : 10.1590/2177-9465-EAN-2016-0366.

Rodríguez, M. J., & Martínez, A. (2021). La violencia obstétrica: una práctica invisibilizada en la atención médica en España [Obstetric violence. A hidden practice in medical care in Spain]. Gac Sanit. 35 (3), 02139111.

Vendruscolo, C. Zanatta. E.A., Zocche, D. A. Z. et al. (2018). Construção de um protocolo de Revisão Integrativa: contribuições para fundamentação teórica e qualificação das práticas em saúde. In: 13º Congresso Internacional Rede Unida. 2018. http://conferencia2018.redeunida.org.br/ocs2/index.php/13CRU/13CRU/paper/view/4985.

Published

04/06/2022

How to Cite

MOREIRA, L. M. F. .; MARTINS, N. de H. .; RODRIGUES, A. A.; MARQUES , G. A. R. . Obstetric violence: a conduct beyond pain and its repercussions today . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e56911730314, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30314. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30314. Acesso em: 16 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences