Characterization of precipitation and flow in the southwest stretch of the Paraguaçu Hydrographic Basin in Bahia, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.31659

Keywords:

Semiarid; Hydrology; Rainfall variability; Flow.

Abstract

Information on hydrological behavior in hydrographic basins is essential for environmental diagnosis as well as for optimizing the use of water resources throughout the year. Thus, the objective of this study was to characterize the precipitation and flow in a southwest section of the Paraguaçu river basin, Bahia, Brazil. Pluviometric and fluviometric data referring to the historical series of the stations of João Amaro, Usina Mucugê, Andaraí and Iaçu were obtained through the portal of the National System of Information on Water Resources of the National Water Agency. For data processing, the Hidroweb software was used, which enabled the management of the databases. And Action Stat 3.6 software for statistical analysis. According to the results obtained, the average monthly rainfall totals are stationary and without deterministic seasonality in the entire historical series. December was the rainiest for both the Chapada area and the Iaçu area. The probabilities of flows occurring permanently throughout the year in Iaçu are highly significant.

Author Biographies

Júlio Conceição dos Santos Neto, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia-UFRB. Cruz das Almas, Bahia.

Dráuzio Correia Gama, Associação Regional de Proteção Ambiental - Centro Jatobá

Mestre em Ciências Florestais.

Liniker Fernandes da Silva, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Professor do Departamento de Ciências Florestais da Universidade Federal do Recônvado da Bahia-UFRB. Cruz das Almas, Bahia.

Janisson Batista de Jesus, Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe-UFS

References

Alvares, C. A., Stape, J. L., Sentelhas, P. C., Gonçalves, J. D. M., & Sparovek, G. (2013). Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22(6): 711-728.

Andrade, H. O., & Fernandes, R. C. (2012). Contribuição ao estudo da variabilidade pluviométrica no múnicipio de Itaetê - BA. Revista Geonorte, Edição Especial 2. 2(5): 1066-1075.

Andreoli, R. V., & Kayano, M. T. (2007). A importância relativa do Atlântico Tropical Sul e Pacífico Leste na variabilidade de precipitação do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, 22(1): 63-74.

Bahia. (1994). Centro de Estatística e Informações (CEI). Informações Básicas dos Municípios Baianos. Salvador: Governo do Estado da Bahia. 297 p.

Bahia. (2007). Superintendência de Recursos Hídricos (SRH) – Instrução Normativa nº 01 de 27 de fevereiro de 2007. Dispõe sobre a emissão de outorga de direito de uso dos recursos hídricos de domínio do Estado da Bahia, assim como a sua renovação, ampliação, alteração, transferência, revisão, suspensão e extinção e dá outras providências. http://www.seia.ba.gov.br/legislacao-ambiental/instrucoes-normativas/instru-o-normativa-ing-n-01.

Bahia. (2015). Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA). Comitê de Bacia Hidrográfica do Paraguaçu. <http://www.inema.ba.gov.br/gestao-2/comites-de-Bacias/comites/cbh-paraguacu/>.

Barreto, L. V., Fraga, M. D. S., Barros, F. M., Rocha, F. A., Amorim, J. D. S., Carvalho, S. R. D., Bonomo, P., & Silva, D. P. D. (2014). Relação entre vazão e qualidade da água em uma seção de rio. Revista Ambiente & Água, 9(1): 118-129.

Bertoni, J. C., & Tucci, C. E. M. (2007). Precipitação. In: Tucci, C. E. M. (Org). Hidrologia: Ciência e aplicação. UFRGS. p. 177-241.

Bezerra, A. C. N. (2006). Aspectos da circulação atmosférica de grande escala sobre o Norte e Nordeste do Brasil relacionados com a temperatura da superfície do mar. Dissertação (Mestrado em Meteorologia), 90p. - Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Tecnologia e Recursos Naturais, Campina Grande-PB, 90p.

Botelho, R. G. M., & Silva, A. S. (2004). Bacia Hidrográfica e Qualidade Ambiental. In: Vitte, A. C.., Guerra, A. J. T. (Orgs.). Reflexões sobre a Geografia Física. Rio de Janeiro: Editora Berthand Brasil, 153-192.

Braga, C. C., Melo, M. L. D. de., & Melo, E. C. S. (1998). Análise de agrupamento aplicada a distribuição da precipitação no Estado da Bahia. In: Congresso Brasileiro de Meteorologia, 10, Brasília-DF. Anais... Sociedade Brasileira de Meteorologia. 185-762.

Brasil. (1978). Decreto n° 91.655, de 17 de setembro de 1978. Cria o Parque Nacional da Chapada da Diamantina. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/1985-1987/d91655.htm.

Brasil. (1997a). Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm

Brasil. (2007b). Plano de Manejo do parque Nacional da Chapada Diamantina. Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Apoio: IBAMA. <http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_chapada_diamantina.pdf>.

Brasil. (2012). Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm.

Brasil. (2019). Hidroweb – Sistema de Informações Hidrológicas. Agência Nacional das Águas (ANA). <http://www.snirh.gov.br/Hidroweb/publico/apresentacao.jsf>.

Buzelli, G. M., & Cunha-Santino, M. B. da. (2013). Análise e diagnóstico da qualidade da água e estado trófico do reservatório de Barra Bonita, SP. Rev. Ambient. Água, 8(1): 186-205.

Cândido, D. H., & Nunes, L. H. (2008). Influência da orografia na precipitação o da área entre o vale do rio Tietê e a Serra da Mantiqueira. Geousp, 1(24): 8-27.

Cardoso, C. A., Dias, H. C. T., Soares, C. P. B., & Martins, S. V. (2006). Caracterização morfométrica da Bacia hidrográfica do rio Debossan, Nova Friburgo, RJ. Revista Árvore, 30(2): 241-248.

Carregosa, R. A., & Andrade, H. O. (2012). Análise preliminar da pluviometria na Bacia hidrográfica do rio de una, Chapada Diamantina-BA. Revista Geonorte, Edição Especial 2, 1(5): 370-381.

Chiaranda, R., Rizzi, N. E., Colpini, C., Soares, T. S., & Silva, V. S. M. e. (2012). Análise da precipitação e da vazão da bacia do Rio Cuiabá. revista brasileira de ciências agrárias, 7(1): 117-122.

Dourado, C. D. S., Oliveira, S. R. D. M., & Avila, A. M. H. D. (2013). Análise de zonas homogêneas em séries temporais de precipitação no Estado da Bahia. Bragantia, 72(2): 192-198.

Fan, F. M., Maria-Helena, R., & Collischonn, W. (2015). Sobre o uso de previsões hidrológicas probabilísticas para tomada de decisão. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 20(4): 914-926.

Ferreira, R. A., Nascimento, M. I. C., Gama, D. C., Santos, T. I. S., Oliveira, D. G. de., Silva, A. J. da., & Mello, A. A. de. (2021). Aspectos da vegetação e estado de conservação de nascentes do rio Piauitinga, Sergipe-Brasil. Advances in Forestry Science, 8(4): 1591-1604.

Freire, J. L. M., Lima, J. R. A., & Cavalcanti, E. P. (2011). Análise de aspectos meteorológicos sobre o Nordeste do Brasil em anos de El Niño e La Niña. Revista Brasileira de Geografia Física, 3: 429-444.

Friedman, M. (1937). The use of ranks to avoid the assumption of normality implicit in the analysis of variance. Journal of the american statistical association, 32(200): 675-701.

Gomes, F. P. (1990). Curso de estatística experimental. (12a ed.), Nobel. 467p.

Kwiatkowski, D., Phillips, P. C., Schmidt, P., & Shin, Y. (1992). Testing the null hypothesis of stationarity against the alternative of a unit root: How sure are we that economic time series have a unit root? Journal of econometrics, 54(1-3): 159-178.

Lamas, I. R., Rita, L. S., & Miranda, R. M. (2016). Semeando águas no Paraguaçu. Conservação Internacional: Brasil, 180p.

Marengo, J. A., Alves, L. M., Beserra, E., & Lacerda, F. (2011) Variabilidade e mudanças climáticas no semiárido brasileiro. in: Medeiros, S. de S., Gheyi, H. R., Galvão, C. de O., Paz, V. P da S. (Orgs.). Recursos Hídricos e Regiões Áridas e Semiáridas. INSA: Campina Grande, p. 383- 416.

Mendonça, F. & Danni-Oliveira, I. M. (2007). Climatologia: noções básicas e clima do Brasil. Oficina de Textos, 208p.

Nóbrega, R. S., & Santiago, G. A. C. F. (2016). Tendências do controle climático oceânico sob a variabilidade temporal da precipitação no Nordeste do Brasil. Revista de Geografía Norte Grande, 63: 9-26.

Oliveira, A. G., & Assunção, W. L. (2009). A importância dos dados das variáveis climáticas nas pesquisas em geografia: um estudo de caso empregando a precipitação pluviométrica. Caminhos de Geografia, 10(31): 147-157.

Pessoa, F. C., Blanco, C. J., & Martins, J. R. (2011). Regionalização de curvas de permanência de vazões da região da Calha Norte no Estado do Pará. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 16(2): 65-74.

Rocha, P. C. (2010). Indicadores de alteração hidrológica no Alto Rio Paraná: intervenções humanas e implicações na dinâmica do ambiente fluvial. Sociedade & Natureza, 22(1): 191-211.

Rocha, P. C., & Santos, A. A. (2018). Análise hidrológica em Bacias hidrográficas. Mercator, 17(e.17025): p. 1-18.

Rodrigues, V. A., Sánchez-Román, R. M., Tarjuelo, J. M., Sartori, M. M. P., & Canales, A. R. (2015). Avaliação do escoamento e interceptação da água das chuvas. Irriga, 1(1): 1–13.

Santos, F. D. dos., Cruz, J. C., Swarowsky, A., Weiler, E. B., Fantinel, R. A., Andrzejewski, C., & Ferrari, K. F. H. (2001) Contribuição ao zoneamento agrossilvipastoril com base na perda de solo e balanço hídrico climatológico. Research, Society and Development, 10(8): e35710817517.

Santos, S. R. Q. dos., Cunha, A. P. M. do. A., & Ribeiro-Neto, G. G. (2019). Avaliação de dados de precipitação para o monitoramento do padrão espaço-temporal da seca no nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Climatologia, 15(25): 80-100.

Silva, C. P. R., Pereira, E. R. R., & Almeida, R. S. R. (2012). Estudo da variabilidade anual e intra-anual da precipitação na região nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, 27(2): 163-172.

Silva, D. F., Pantano, A. P., & Sant’anna Neto, J. L. (2008). Variabilidade da precipitação e produtividade agrícola na região do médio Paranapanema, SP. Climatologia agrícola, 3: 101-116.

Silva, G. R. (2003). Características de Vento da Região Nordeste: análise, modelagem e aplicações para projetos de centrais eólicas. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica). Universidade Federal de Pernambuco, Recife-PE, 141p.

Silva, G. R. da., Silva, F. S. da., Duarte, J. M., & Tavares, A. R. F. (2021). Análise de tendências nas séries históricas de precipitação e curva de permanência de vazão no município Cachoeira do Piriá, Pará. Research, Society and Development, 10(6): e38210615850.

Silva, V. P. da., Pereira, E. R., Azevedo, P. V. D., Sousa, F. D. A. de., & Sousa, I. F. D. (2011). Análise da pluviometria e dias chuvosos na região Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 15(2): 131-138.

Sousa, F. D. A. S. D., Macedo, M. J. H., Guedes, R. V. S., & Silva, V. P. R. (2016). O Índice de Precipitação Padronizada (IPP) na identificação de extremos de chuvas e secas na Bacia do rio Paraguaçu (BA). Ambiência Guarapuava, 12(2): 707-719.

Tambosi, L. R., Vidal, M. M., Ferraz, S. F. D. B., & Metzger, J. P. (2015). Funções eco-hidrológicas das florestas nativas e o Código Florestal. Estudos avançados, 29: 151-162.

Tanajura, C. A. S., Genz, F., & Araujo, A. de. (2010). Mudanças climáticas e recursos hídricos na Bahia: validação da simulação do clima presente do HadRM3P e comparação com os cenários A2 e B2 para 2070-2100. Rev. bras. Meteorol, 25(3): 345-358.

Teixeira, W., & Linsker, R (2005). Chapada Diamantina. Águas no Sertão. Terra Virgem, 160p.

Tomaziello, A. C. N. (2014). Variabilidade da Zona de Convergência Intertropical do Atlântico durante as estações seca e chuvosa da América do Sul tropical. Tese (Doutorado em Ciências) - Universidade de São Paulo, Departamento de Ciências Atmosféricas do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, São Paulo-SP, 194p.

Tucci, C. E. M. (2002). Regionalização de vazões. UFRGS, 14p.

Vale, R. D. M. C. do., & Rios, I. Q. (2015). Relevo e produção do espaço na depressão sertaneja meridional, Bahia. Geosaberes: Revista de Estudos Geoeducacionais, 6(3): 203-216.

Vidaletti, V. F., Marins, A. C. de., Secco, D., Rizzi, R. L., & Chang, P. (2021). Impacto da cobertura do solo, declividade e precipitação na infiltração de água no solo. Research, Society and Development, 10(17): e193101724562.

Villa, B. de., Petry, M. T., Martins, J. D., Tonetto, F., Tokura, L. K., Moura, M. B. de., Silva, C. M. da., Gonçalves, A. F., Cerveira, M. P., Slim, J. E., Santos, M. S. dos., Bellé, M. G., & Jimenez, D. H. (2022). Balanço hídrico climatológico: uma revisão. Research, Society and Development, 11(6): e50211626669.

Vogel, H. F., Zawadzki, C. H., & Metri, R. (2009). Florestas ripárias: importância e principais ameaças. Revista de Saúde e Biologia, 4(1): 24-30.

Published

11/07/2022

How to Cite

SANTOS NETO, J. C. dos .; GAMA, D. C.; SILVA, L. F. da; JESUS, J. B. de. Characterization of precipitation and flow in the southwest stretch of the Paraguaçu Hydrographic Basin in Bahia, Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e32911931659, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.31659. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/31659. Acesso em: 19 aug. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences