Expansion of acai fruit exploration in the Amazon Estuary: The case of the São Joao Batista Community, Municipality of Abaetetuba, Pará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.31703

Keywords:

Açaí fruits; Marketing; Income; Amazon Estuary.

Abstract

This study aims to evaluate the economic analysis of the production chain of açaí in the São João Batista community, municipality of Abaetetuba, Pará, Brazil, through 31 semi-structured and open interviews with açaí producers. This activity generates larger income during of açaí peak season, ranging from R$ 800 up to R$ 1,000 per month during the peak production season (August to October). The selling price of primary producers in the community varies according to the harvest season, showing a low value during peak season (August to October) due to the abundance of açaí fruits offered. Overall, the impact produced of management and cultivation of açaí on the riverside and extractive economy of the Amazon estuary generates great opportunities for employment, income and quality of life for the people of the plains.

References

Almeida, H. P., Homma, A. K. O., Menezes, A. J. E. A. de, Filgueiras, G. C. & Farias neto, J. T. de. (2021). Perfil socioeconômico da produção de açaí manejado em comunidades rurais do Município de Igarapé- Miri, Pará. Research, Society and Development, 10(11). 10.33448/rsd-v10i11.20084.

Almeida, S. S. de, Amaral, D. D. do, Silva, A. S. da. (2004). Floristic analysis and structure of tidal flooded forests in the Amazonian estuary. Acta Amazonica, 34, 513-524.

Anderson, A. B., Gely, A., Strudwick, J., Sobel, G. L., & Pinto, M. das G. C. (1985). Um sistema agroflorestal na várzea do estuário amazônico (Ilha das Onças, município de Barcarena, Estado do Pará). Acta Amazonica, 15(1-2). 195-224.

Brondizio, E., Safar, C., & Siqueira, A. (2002) The urban market of Açaí fruit (Euterpe oleracea Mart.) and rural land use change: ethnographic insights into the role of price and land tenure constraining agricultural choices in the Amazon estuary. Urban Ecosystems, 6. 67–97.

Brondizio, E. (2006). Landscapes of the past, footprints of the future: historical ecology and the analysis of land use change in the Amazon. In BALÉE, W. & ERIKSON, C. (Eds.), Time and complexity in historical: studies in the neotropical lowlands. pp. 365-405. Columbia U. Press

Calzavara, B (1972). As Possibilidades do açaizeiro no Estuário Amazônico. Brasília, Boletim Faculdades Ciências Agrarias.

Companhia Nacional de Abastecimento. (2012). Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Conjuntura mensal. http://www.conab.gov.br

Grossmann, M., Ferreira, F. C., Lobo, G, & Couto R. C. (2004). Planejamento participativo visando a um manejo sustentável dos açaizais no estuário amazônico e regulamentações oficiais. In: Jardim, M., Mourão, L., Grossmann, M. (Orgs.). Açaí: possibilidades e limites para o desenvolvimento sustentável no estuário amazônico. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

Guimaraes, L. A., et al. (2004). A produção e comercialização do açaí no município de Abaetetuba, Pará. In: Jardim, M. A. G., Mourão, L., & Grossmann, M. (Org.). Açaí: possibilidades e limites para o desenvolvimento sustentável no estuário amazônico. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi. 159 – 179.

Homma, A. K. O., Nogueira, O. L., Menezes, A. J. E. A. de, Carvalho, J. E. U., Nicoli, C. M. L., & Matos, G. B. de. (2006). Açaí: novos desafios e tendências. Amazônia: ciência & desenvolvimento, 1(2), 7-23.

Homma, A. k. O. (1999). A dinâmica do extrativismo vegetal na Amazônia: uma interpretação teórica. EMBRAPA-CPATU, Belém, 38 p.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2012). Sistema de IGBE de Recuperação Automática (SIDRA). http://www.sidra.ibge.gov.br

Lakatos, E. M., & Marconi, M. de A. (2003). Fundamentos de Metodologia Científica. Atlas.

Lescure, J. P., Pinton, F., & Emperaire, L. (1996). O povo e os produtos florestais na Amazônia Central: uma abordagem multidisciplinar do extrativismo. In: Clüsener-Godt, M., & Sachs, I. (eds.) Extrativismo na Amazônia brasileira: perspectivas sobre o desenvolvimento regional. UNESCO.

Marinho, J. A. (2005). Dinâmica das relações socioeconômicas o extrativismo do açaí: o caso do médio Pracuuba, São Sebastião da Boa Vista, Marajó (PA). Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido) - Núcleo de Altos estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará. Belém.

Mourão, L. (1999). Do açaí ao Palmito: uma história ecológica das permanências tensões e rupturas no estuário amazônico. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido) - Núcleos de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará. Belém.

Nogueira, O. L. (1999). Estrutura e dinâmica populacional de açaizais nativos de várzea na região do Baixo Tocantins, Estado do Pará. EMBRAPA Amazônia Oriental. Boletim de Pesquisa, 15, 21p.

Pastore, J., & Borges, F. (1998). Extração Florestal não madeireira na Amazônia: armazenamento e comercialização. Brasília ITTO, Funatura Ibama Lateq-UnB, p. 73.

Farias, R. T. S. de, & Brito, D. M. C. (2022). O açaí no contexto do território e da territorialidade ribeirinha na Amazônia brasileira. Confins, 54. 10.4000/confins.44303

Santana, A. de, & Costa, F. (2008). Mudanças recentes na oferta e Demanda do Açaí no Estado do Pará. In: Santana, A. C. de, Carvalho, D. F., & Mendes, A. F. T. (Eds.) Análise sistêmica da fruticultura paraense: organização, mercado e competitividade empresarial. Belém, Banco da Amazônia, pp. 205-226.

Santana, A. C. de, & Carvalho, D. F. (2008). Dinâmica de produção, comercialização e sazonalidade de preços de frutas frescas no estado de Pará. In: Santana, A. C. de, Carvalho, D. F., & Mendes, A. F. T. (Eds.) Análise sistêmica da fruticultura paraense: organização, mercado e competitividade empresarial. Belém, Banco da Amazônia, pp. 147-180.

Santos, E. S. dos, Azevedo-Ramos, C., & Guedes, M. C. (2021). Segurança alimentar de famílias extrativistas de açaí na Amazônia oriental brasileira: o caso da Ilha das Cinzas. Novos Cadernos NAEA, 24(2). 10.5801/ncn.v24i2.8193.

SEPLAN - Secretaria de planejamento. (2005). Secretaria de planejamento do estado de Pará. Estatística Municipal, Abaetetuba – PA. https://seplan.portal.ap.gov.br/

SEPOF - Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças. (2007). Estatística Estadual, Pará.

Silva, I. M. da, Santana, A. C. de, & Reis, M. da S. (2006). Análise dos retornos sociais oriundos de adoção tecnológica na cultura do açaí no estado do Pará. Amazónia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, 2(3).

Silva, S M da., & Freitas, A. F. de. (2020). Mudanças nos Meios de Vida dos Ribeirinhos a Partir da Ressignificação Econômica do Açaí (Euterpe oleracea Mart.): um Estudo em Igarapé-Miri, Pará. Amazônica – Revista de Antropologia. 13(1). 345-374.

Sousa, L. A. de. (2006). Desenvolvimento de plantas Jovens de açaizeiro (Euterpe Oleracea Mart.) plantado em área com vegetação secundária (Capoeira) na localidade de Benjamin Constant, Município de Bragança, Estado do Pará. Dissertação (Mestrado em Botânica Tropical) - Museu Paraense Emílio Goeldi, Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém.

Tregidgo, D., Campbell, A. J., Rivero, S.; Freitas, M. A., & Almeida, O. (2020). Vulnerability of the Açaí Palm to Climate Change. Human Ecology, 48, 505-514. doi: 10.1007/s10745-020-00172-2

Yin, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. (3a ed.), Bookman, 2005. 212 p., il.

Published

07/07/2022

How to Cite

ALVEZ-VALLES, C. M. .; ALMEIDA, O. T. de .; LAVADO-SOLIS, K. N. .; PEDRADA, A. K.; SALES, A. D. .; SOUSA, P. C. de . Expansion of acai fruit exploration in the Amazon Estuary: The case of the São Joao Batista Community, Municipality of Abaetetuba, Pará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e20511931703, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.31703. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/31703. Acesso em: 10 aug. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences