Comparative study on the knowledge and use of plant biodiversity in the District of Mimoso (Santo Antônio de Leverger), Mato Grosso, Brazil - Pantanal Biosphere Reserve

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32530

Keywords:

Traditional knowledge; Uses; Plants; Morraria.

Abstract

The study was carried out with residents of the Mimoso Community, in the municipality of Santo Antônio de Leverger, Mato Grosso, with the objective of investigating ethnobotanical knowledge and comparing the use of plants from the morraria macrohabitat between the years 2000 and 2020. In 2000, they were interviewed 30 people, chosen at random and in 2020 29 people participated, selected through the snowball method. Information was collected through semi-structured interviews. In 2000, the interlocutors cited 91 ethnospecies and in 2020, they cited 83, of which 56 are shared in the two studies. The categories of uses with the highest number of citations were, respectively, in 2000 and 2020, distributed as follows: medicinal 49 and 42, construction 41 and 46 and utensil 36 and 26. Although the numerical difference between the two periods was not significant the similarity in the use of ethnospecies was low (4%). This result can be explained by the substitution of products found in the current local commerce for food and medicinal plants, the decrease of some individuals in the flora of the hills and the prohibition of their exploitation for timber species. Traditional knowledge about the use of plants is at risk due to the decrease in its use because what was commonly used may no longer be in future generations, and for the transmission of knowledge to occur, practices of daily use are necessary.

Author Biographies

Margô De David, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutoranda da Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal - BIONORTE. Mestre em Ciências Florestais e Ambientais, na Linha de Pesquisa em Análise e Gestão Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa ESCER - Estudando o Cerrado, com certificação nacional pelo CNPq/Capes. Membro do Conselho Editorial do livro Múltiplos Olhares sobre a Biodiversidade IV. Membro do Conselho Editorial do livro Múltiplos Olhares sobre a Biodiversidade vol. V (e-book). Professora de Biologia na Educação Básica - Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso. Atua em pesquisas nas áreas de Etnobotânica e Etnociências, vertentes das Ciências Biológicas e das Ciências Ambientais.

Joari Costa de Arruda, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutor em Biodiversidade e Biotecnologia - Rede BIONORTE/UNEMAT. Bolsista PDSE/CAPES (2017) Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior na Universidad Autónoma del Estado de Hidalgo - México. Mestre em Ciências Ambientais pela UNEMAT - Cáceres 2011/2013; Especialista em Gestão Ambiental pela Faculdade de Pimenta Bueno (FAP) 2009/2010, Graduação em Ciências Biológica pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT/Cáceres 2005/01). 

Carolina Joana da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Professora Adjunta da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, desde 2000. Possui graduação em Licenciatura e História Natural pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT (1974), mestrado em Biologia (Ecologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA (1979) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR (1990), sob orientação de Dr. Francisco Assis Esteves. Pós Doc em Limnologia de Áreas Úmidas Tropicais, no Grupo de Ecologia Tropical do Instituto Max Planck de Limnologia, Plom, Alemanha (1999), sob a supervisão de Dr. Wolfgang J. Junk. Participa como orientadora dos Programas de Pós Graduação: mestrado e doutorado em Ciências Ambientais da UNEMAT e do Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal, PPGBionorte, da Rede Bionorte.

References

Albernaz-Silveira, R. & Da Silva, C. J. (2020). Conexōes etno ornitológicas na comunidade Cuiabá Mirim. Pantanal de Mato Grosso. In: Da Silva, C. J & Guarim Neto, G. (Orgs.). Comunidades tradicionais do pantanal. Cuiabá: Entrelinhas; Cáceres: Editora Unemat. 1, 129-137.

Albernaz-Silveira, R. & Da Silva, C. J. (2018). Palmeira tucum (Astrocarium Huaimi Mart.): espécie-chave cultural entre os povos da fronteira amazônica. In: Da Silva, C. J.; Sousa, K. N. S.; Silveira, M.; Pierangeli, M. A. P.& Sander, N. L. (Orgs.). ABC do Guaporé: água, biodiversidade, biotecnologia e cultura. Cuiabá: Entrelinhas; Cáceres: Editora Unemat. 1, 149-153.

Albuquerque, E. M. Avaliação da técnica de amostragem “Respondent-driven Sampling” na estimação de prevalências de Doenças Transmissíveis em populações organizadas em redes complexas. (2009). 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca – ENSP; Rio de Janeiro: Ministério da Saúde – Fiocruz.

Alburquerque, U. P.; Cunha, L. V. F. C.; Lucena, R. F. P. & Alves, R. R. N. (2014). Methods and Techniques in Ethnobiology and Ethnoecology. Springer, New York.

Albuquerque, U. P. & Hanazaki, N. (2009). Five problems in current ethnobotanical research and some suggestions for strengthening them. Human Ecology. 37(5), 653-661. https:// springer.com/article/10.1007/s10745-009-9259-9.

Alvarenga, S. M. M.; Brasil, A. E.; Pinheiro, R. & Kux, H. J. H. (1984). Estudo geomorfológico aplicado à Bacia do Alto Paraguai e Pantanais Mato-grossenses. Boletim Técnico do Projeto Radambrasil. 90-183. (Série Geomorfologia,1)

Amorozo, M. C. M. (1996). A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: Distasi, L. C. (Org.). Plantas medicinais: arte e ciência, um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: EDUSP. 47-68.

Amorozo, M. C. M. (2008). Os quintais – funções, importância e futuro. In: Guarin Neto, G.; Carniello, M. A. (Org.). Quintais mato-grossenses: espaços de conservação e reprodução de saberes. Cáceres: Editora Unemat.

Amorozo, M. C. M. (2002). Uso e diversidade de plantas medicinais em Santo Antônio do Leverger, MT, Brasil. Acta Botânica Brasílica. 16(2), 189-203. https://doi.org/10.1590/S0102-33062002000200006

Amorozo, M. C. M. & Gély, A. L. (1988). Uso de plantas medicinais por caboclos do Baixo Amazonas. Bol. Mus. Para. Emilio Goeldi, Série Botânica. 4(1), 47-131.

Arakaki, D. G.; Candido, C. J.; Silva, A. Fernandes; Guimarães, R. C. A. & Hiane, P. A. (2016). In vitro and in vivo antioxidant activity of the pulp of Jatobá-do-cerrado. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas. 36 (1), 166-170. https://doi.org/10.1590/1678-457X.0084

Arruda, J. C. Conhecimento ecológico de comunidades tradicionais rurais e de pescadores profissionais urbanos no entorno de Unidades de Conservação nos biomas Amazônia, Cerrado e Pantanal, Mato Grosso. (2018). 160 f. Tese (Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia) - Universidade do Estado de Mato Grosso.

Arruda, J. C.; Da Silva, C. J.; Sander, N. L. & Pulido, M. T. (2018). Conhecimento ecológico tradicional da ictiofauna pelos quilombolas no Alto Guaporé, Mato Grosso, Amazônia meridional, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum. 13, 315-329. https://doi.org/10.1590/1981.81222018000200004

Arruda, J. C.; Da Silva, C. J.; Sander, N. S. & Barros, F. B. (2014). Traditional ecological knowledge of palms by quilombolas communities on the Brazil-Bolivia border, Meridional Amazon. Novos Cadernos NAEA, Belém. 17 (2), 123-140. https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2018.001.0004

Arruda, J. C., Da Silva, C. J., Silva, M. T. P. & Sander, N. L. (2020). Conhecimento ecológico de pescadores no entorno da estação Ecológica de Taiamã, rio Paraguai (Pantanal de Mato Grosso). In: Da Silva, C. J. & Guarim Neto, G. (Orgs.). Comunidades tradicionais do pantanal. Cuiabá: Entrelinhas; Cáceres: Editora Unemat. 1, 121-128.

Baptistel, A. C.; Coutinho, J. M. C. P.; Lins Neto, E. M. F. & Monteiro, J. M. (2014). Plantas medicinais utilizadas na Comunidade Santo Antônio, Currais, Sul do Piauí: um enfoque etnobotânico. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 16, 406-25. https://doi.org/10.1590/1983-084X/12_137

Bayley, K. D. (1982). Methods of social research. New York: Free Press, 553 p.

Begossi, A. (2004). Ecologia humana. In: Begossi, A. (Org.). Ecologia de pescadores da Mata Atlântica e da Amazônia. São Paulo: Hucitec/Nepan-Unicamp/Nupaub-USP. 13-36.

Bem, J. S.; Giacomini, N. M. R. & Waismann, M. (2015). Utilização da técnica da análise de clusters ao emprego da indústria criativa entre 2000 e 2010: estudo da Região do Consinos, RS. Interações, Campo Grande. 16 (1), 27-41. https://doi.org/10.20435/interações.v16i1.48

Bernard, H. R. (2006). Research Methods in Anthropology. Qualitative and Quantitative Approaches. Altamira Press, Lanham.

Bieski, I. G. C. & Guarim Neto, G. (2020). Uma quilombola e suas plantas: Pantanal de Poconé, MT, Quilombo de Mata Cavalo. In: Da Silva, C. J. & Guarim Neto, G. (Orgs.). Comunidades tradicionais do pantanal. Cuiabá: Entrelinhas; Cáceres: Editora Unemat. 1, 83-97.

Bortolotto, I. M.; Ziolkowski, N. E.; Gomes, R. J. B.; Almeida, F. S. D.; Campos, R. P. & Aoki, C. (2021). Mulheres em rede: conectando saberes sobre plantas alimentícias do cerrado e pantanal. Ethnoscientia, 6 (2), 198-232. doi: http//:10.18542/ethnoscientia.v6i2.10374

Brasil. Decreto N. 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm

Caballero, J. (1979). La Etnobotânica. In: Barrera, A. (Ed.). La Etnobotânica: três puntos de vista y uma perspectiva. INIREB, Xalapa. 27-30.

Calheiros, D. F.; Castrilon S. K. I. & Bampi, A. C. (2018). Hidrelétricas nos rios formadores do pantanal: ameaças à conservação e às relações socioambientais e econômicas pantaneiras tradicionais. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais. 9 (1), 119-139. http://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2018.001.0009

Candil, R. F. M. (2004). A capacitação construtiva local e o estímulo ao uso do cumbaru (Dipterix alata vog.) no incremento de renda em assentamento rural: o caso do Assentamento Andalucia, Nioaque/MS. 161 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) - Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande-MS.

Cavalcante, J. W.; Cavalcante, V. M. G. & Bieski, I. G. C. (2017). Conhecimento tradicional e etnofarmacológico da planta medicinal copaíba (Copaifera langsdorffii Desf.). Biodiversidade. 16 (2), 123-132. https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/5607

Cunha, L. H. O. (1992). Reserva extrativista para regiões de mangue: uma proposta preliminar para o estuário de Mamanguape, Paraíba. São Paulo, Programa de Pesquisa e Conservação de Áreas Úmidas no Brasil. Pró-Reitoria/USP, 84 p.

Da Silva, C. J. & Silva, J. A. F. (1995). No ritmo das águas do Pantanal. NUPAUB, São Paulo.

Da Silva, C. J. (2020). Povos e comunidades tradicionais e locais no pantanal. In: Da Silva, C. J. & Guarim Neto, G. (Orgs.). Comunidades tradicionais do pantanal. Cuiabá: Entrelinhas; Cáceres: Editora Unemat. 21-37.

Da Silva, C. J. Nunes, J. R. S.; Santos-Filho, M.; Sander, N. L.; Cruz, E. L.; Zago, B. W. & Oliveira, R. F. (2018). Área úmida Guaporé: unidade de paisagem macrohabitat buritizal. In: Da Silva, C. J.; Sousa, K. N. S.; Silveira, M.; Pierangeli, M. A. P. & Sander, N. L. (Orgs.). ABC do Guaporé: água, biodiversidade, biotecnologia e cultura. Cuiabá – MT: Entrelinhas; Cáceres – MT: Editora Unemat. 97-104.

Debortoli, N. S.; Camarinha, P. I. M.; Marengo, J. A. & Rodrigues, R. R. (2017). An index of Brazil’s vulnerability to expected increases in natural flash flooding and landslide disasters in the context of climate change. Natural Hazards. 86, 557–582. http://dx.doi.org/10.1007/s11069-016-2705-2

Diegues, A. C. (1999). Biodiversidade e Comunidades Tradicionais no Brasil. NUPAUB-USP – PROBIO-MMA-CNPQ, São Paulo.

Fernandes, D. & Fernandes, J. G. (2015). A ‘experiência próxima’: saber e conhecimento em povos tradicionais. Espaço Ameríndio. 9 (1), 127-150. https://doi.org/10.22456/1982-6524.53593

Flora do Brasil. (2020). Jardim Botânico do Rio de Janeiro. http://floradobrasil.jbrj.gov.br

Galdino, Y. S. N. & Da Silva, C. J. (2009). Casa e Paisagem pantaneira: conhecimento e práticas tradicionais. Cuiabá, MT: Carlini & Caniato.

Gandolfo, E. S. & Hanazaki, N. (2011). Etnobotânica e urbanização: conhecimento e utilização de plantas de restinga pela comunidade nativa do distrito do Campeche (Florianópolis, SC). Acta Bot. Bras. 25 (1), 168-177. https://doi:10.1590/s0102-33062011000100020

Garcia, L. C., Szabo, J. K., de Oliveira Roque, F., de Matos Martins Pereira, A., Nunes da Cunha, C., Damasceno-Júnior, G. A., Morato, R. G., Tomas, W. M., Libonati, R., & Ribeiro, D. B. (2021). Record-breaking wildfires in the world's largest continuous tropical wetland: Integrative fire management is urgently needed for both biodiversity and humans. Journal of environmental management. 293. https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2021.112870

Giraldi, M. & Hanazaki, N. (2010). Uso e conhecimento tradicional de plantas medicinais no Sertão do Ribeirão, Florianópolis, SC, Brasil. Acta Bot. Bras. 24(2), 395-406. https://doi.org/10.1590/S0102-33062010000200010

Gonçalves, M. M. M.; Cajaiba, R. L.; Santos, W. B.; Sousa, E. S.; Martins, J. S. C.; Pereira, K. S. & Sousa, V. A. (2018). Estudo etnobotânico do conhecimento e uso de plantas medicinais em Santa Luzia, Maranhão, Brasil. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais. 9 (5), 12-21. http://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2018.005.0002

Hammer, Ø; Harper, D. A. T.; Ryan, P. D. (2001). Paleontological statistics software: Package for education and data analysis. Palaeontologia Electronica. 4.

Hanazaki, N.; Zank, S.; Fonseca-Kruel, V. S. & Schmidt, I. B. (2018). Indigenous and traditional knowledge, sustainable harvest, and the long road ahead to reach the 2020 Global Strategy for Plant Conservation objectives. Rodriguésia, Rio de Janeiro. 69 (4), 1587-1601. https://doi.org/10.1590/2175-7860201869409

ICV. Instituto Centro de Vida. (2020). Balanço dos incêndios em Mato Grosso em 2020. Nota técnica. Instituto Centro de Vida: ICV. 1-9. https://www.icv.org.br/tag/queimadas-no-pantanal.

Ikeda Castrillon, S.; Puhl, J. I.; Fernandes, J. R. C.; Morais, F. F. & Leão, D. S. (2015). Envolvimento da comunidade em recuperação de nascentes no Assentamento Laranjeiras, Cáceres, Pantanal Mato-grossense. Cadernos de Agroecologia. 10 (3). https://revistas.aba-agroecologia.org.br/cad/article/view/19324

Jiménez-González, F.; Veloza, L. A. & Seúlver-Arias, J. C. (2013). Anti-infectious activity in plants of the genus Tabebuia. Universitas Scientiarum. 18 (3), 257-267. https://doi: 10.11144/Javeriana.SC18-3.aapg

Junk, W. J. (2017). Ecoturismo: uma opção de manejo sustentável para o Pantanal? In: Irigaray, C. T. J. H.; Braun, A. & Irigaray, M. (Orgs.). Pantanal Legal: A tutela jurídica das áreas úmidas e do Pantanal Mato-grossense. Cuiabá-MT: EdUFMT. Carlini & Caniato Editorial.

Köppen, W. (1931). Grundriss der Klimakunde: Outline of climate science. Berlin: Walter de Gruyter.

Lorenzi, H. (2002). Árvores Brasileiras: manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum. 368p.

Mamede, J. S. S. & Pasa, M. C. (2019). Diversidade e uso de plantas do Cerrado na comunidade São Miguel, Várzea Grande, MT, Brasil. Interações, Campo Grande, v. 20, n. 4, p. 1087-1098. https://doi.org/10.20435/inter.v20i4.2064

Marengo, J. A.; Cunha, A. P; Cuartas, L.A.; Deusdará Leal, K. R.; Broedel, E.; Seluchi, M. E.; Michelin, C. M.; De Praga Baião, C. F.; Chuchón Ângulo, E.; Almeida, E. K.; Kazmierczak, M. L.; Mateus, N. P. A.; Silva, R. C. & Bender, F. (2022). Extreme Drought in the Brazilian Pantanal in 2019–2020: Characterization, Causes, and Impacts. Frontiers in Water. 3. http://doi.org/10.3389/frwa.2021.639204

Megersa, M.; Asfaw, Z.; Kelbessa, E.; Beyene, A. & Woldeab, B. (2013). An ethnobotanical study of medicinal plants in Wayu Tuka District, East Welega Zone of Oromia Regional State, West Ethiopia. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine. 9 (1), 1-18. https://doi:10.1186/1746-4269-9-68

Minayo, M. C. S. & Costa, A. P. (2018). Fundamentos Teóricos das Técnicas de Investigação Qualitativa. Revista Lusófona de Educação. 40, 139-153. https://doi.org/10.24140/issn.1645-7250.rle40.01

Morais, F. F. & Da Silva, C. J. (2011). Etnoecologia de plantas nativas na comunidade de Estirão Comprido, Pantanal Mato-grossense – Brasil. Revista de Ciências Agroambientais, Alta Floresta. 9 (1), 13- 30. http://www.unemat.br/revistas/rcaa/

Morais, F. F. & Da Silva, C. J. (2010). Conhecimento ecológico tradicional sobre fruteiras para pesca na Comunidade de Estirão Comprido, Barão de Melgaço - Pantanal Mato-grossense. Biota Neotrop. 10 (3), 197-203. https://doi.org/10.1590/S1676-06032010000300023

Morais, F. F.; Morais, R. F. & Da Silva, C. J. (2009). Conhecimento ecológico tradicional sobre plantas cultivadas pelos pescadores da comunidade Estirão Comprido, Pantanal Mato-grossense, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Humanas. 4 (2), 277-294. https://doi.org/10.1590/S1981-81222009000200005

Nolan, J. M. & Robbins, M. C. (1999). Cultural conservation of medicinal plant use in the Ozarks. Human Organization. 58(1), 67-72. https://doi.org/10.17730/humo.58.1.k1854516076003p6

Oliveira-Melo, P. M. C.; Fonseca-Kruel, V. S.; Lucas, F. C. A. & Coelho-Ferreira, M. (2019). Coleções etnobotânicas no Brasil frente à estratégia global para a conservação de plantas. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém. 14 (2), 665-676. https://doi.org/10.1590/1981.81222019000200020

Orsi, P. R.; Seito, L. N. & Di Stasi, L. C. (2014). Hymenaea stigonocarpa Mart. ex Hayne: a tropical medicinal plant with intestinal anti-inflammatory activity in TNBS model of intestinal inflammation in rats. Journal of Ethnopharmacology, 151(1), 380-385. http://dx.doi.org/10.1016/j.jep.2013.10.056PMid:24211392.

Ortega-Meza, D.; Pulido-Silva, M. T.; Arruda, J. C. & Da Silva, C. J. (2019). Ethnobotanical Study of the Mexican Laurel in El Chico National Park, Mexico: A Quantitative Perspective. Ethnobiology Letters. 10(1), 1–13. https://doi:10.14237/ebl.10.1.2019.1427

Pasa, M. C. (2010). Copaifera langsdorffii Desf: Aspectos ecológicos e silviculturais na comunidade Santa Teresa. Cuiabá, MT, Brasil. Biodiversidade. 1 (2). https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/702

Pasa, M. C. (2007). Um olhar etnobotânico sobre as comunidades do Bambá. Cuiabá: Entrelinhas: EdUFMT, 143 p.

Pasa, M. C.; Hanazaki, N.; Silva, O. M. D.; Agostinho, A.B.; Zank, A. & Esteves, M. I. P. N. (2019). Medicinal plants in cultures of afro-descendant communities in Brazil, Europe and Africa. Acta Botanica Brasilica. 33(2), 340-349. https://doi.org/10.1590/0102-33062019abb0163

Pereira, B. E. & Diegues, A. C. (2010). Conhecimento de populações tradicionais como possibilidade de conservação da natureza: uma reflexão sobre a perspectiva da etnoconservação. Desenvolvimento e Meio ambiente. 37-50. https://doi:10.5380/dma.v22i0.16054

Pereira F. C.; Guilherme, F. A G. & Marimon, B. S. (2021). Edge Effects on Successional Dynamics of Forest Fragments in the Brazilian Cerrado. Floresta e Ambiente, 28(2), 1-8. https://doi.org/10.1590/2179-8087

Ritter, M. R.; Silva, T. C. D.; Araújo, E. D. L. & Albuquerque, U. P. (2015). Bibliometric analysis of ethnobotanical research in Brazil (1988-2013). Acta Botanica Brasilica. 29 (1), 113-119. https://doi: 10.1590/0102-33062014abb3524

Romney, A. K.; Weller, S. C. & Batchelder, W. H. (1986). Culture as consensus: A theory of culture and informant accuracy. American anthropologist. 88 (2), p. 313-338. https://www. jstor .org /stable/677564

Rossetto, O. C. (2015). Produção do Espaço Agrário no Estado de Mato Grosso e o Processo de Concentração de Terras no Pantanal Norte Mato-grossense. In: Rossetto, O. C & Tocantins, N. (Orgs.). Ambiente Agrário do Pantanal Brasileiro: Socioeconomia e Conservação da Biodiversidade. Porto Alegre: Imprensa Livre, Compasso Lugar Cultura. 25-76.

Rossetto, O. C. & Girardi, E. P. (2012). Dinâmica agrária e sustentabilidade socioambiental no Pantanal brasileiro. São Paulo: Revista NERA (Unesp). 1, 135-161. https://doi:10.47946/rnera.v0i21.2115

Sander, N. L.; Arruda, J. C.; Aires, S. & Da Silva, C. J. (2018). Etnoecologia de um buritizal na fronteira biológica Amazônia-Cerrado. In: Da Silva, C. J.; Sousa, K. N. S.; Silveira, M.; Pierangeli, M. A. P. & Sander, N. L. (Orgs.). ABC do Guaporé: água, biodiversidade, biotecnologia e cultura. Cuiabá – MT: Entrelinhas; Cáceres – MT: Editora Unemat. 119-123.

Schwenk, L.M. & Da Silva, C. J. (2000). A Etnobotânica da Morraria Mimoso no Pantanal de Mato Grosso. III Simpósio sobre Recursos Naturais e Socioeconômicos do Pantanal – Os Desafios do Novo Milênio. Corumbá-MS.

Silgueiro, V. F.; Souza, C. O. C. F.; Muller, E. O. & Da Silva, C. J. (2021). Dimensions of the 2020 wildfire catastrophe in the Pantanal wetland: the case of the municipality of Poconé, Mato Grosso, Brazil. Research, Society and Development. 1-10. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i15.22619

Silva, J. R. & Jesus, P. (2010). Juventude rural e agricultura familiar: os determinantes dos processos migratórios e desafios para a preservação da agricultura familiar. In: VIII Congresso latino-americano de sociologia rural, 2010, Porto de Galinhas. Anais... Porto de Galinhas, v. II.

Silva, W.; Cajaiba, R.; Parry, M. (2018). Levantamento etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pelos moradores do município de Uruará, estado do Pará, Brasil. Revista Cubana de Plantas Medicinales. http://www.revplantasmedicinales.sld.cu/index.php/pla/article/view/696

Souza, V. C.; Flores, T. B.; Colletta, G. D. & Coelho, L. R. G. (2018). Guia das Plantas do Cerrado. Piracicaba, SP: Taxon Brasil Editora e Livraria.

Srithi, K.; Balslevb, H.; Wangpakapattanawonga, P.; Srisangac, P. & Trisonth, C. (2009). Medicinal plant knowledge and its erosion among the Mien (Yao) in northern Thailand. Journal of Ethnopharmacology. 123, 335–342. https://doi: 10.1016/j.jep.2009.02.035

Teklehaymanot, T. (2009). Ethnobotanical study of knowledge and medicinal plants use by the people in Dek Island in Ethiopia. Journal of Ethnopharmacology. 124 (1), 69-78. https://doi: 10.1016/j.jep.2009.04.005.

Valle, T. L. (2002). Coleta de germoplasma de plantas cultivadas. In: Amorozo, M. C. M.; Ming, L. C. & Silva, S. P. (Orgs.). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. 129-154. In: Anais do I Seminário de Etnobiologia e Etnoecologia do Sudeste. Rio Claro, Coordenadoria de Área de Ciências Biológicas, Gabinete do Reitor, UNESP/ CNPq.

Viertler, R. B. (2002). Métodos antropológicos como ferramenta para estudos em Etnobiologia e Etnoecologia. In: Amorozo, M. C.; Ming, L. C. & Silva, S. P. (Orgs.). Seminário de etnologia e etnoecologia do Sudeste, 2001. Rio Claro: UNESP/CNPQ. 11-29.

Vinuto, J. (2014). Amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas. 22 (44), 203-220. https://doi:10.20396/tematicas.v22i44.10977

Zepeda Gomez, C.; Burrola Aguilar, C.; White Olascoaga, L. & Rodriguez Soto, C. (2017). Especies leñosas útiles de la selva baja caducifolia en la Sierra de Nanchititla, México. Madera y bosques. 23 (3), 101-119. https://doi.org/10.21829/myb.2017.2331426

Published

25/07/2022

How to Cite

DE DAVID, M. .; ARRUDA, J. C. de .; SILVA, C. J. da . Comparative study on the knowledge and use of plant biodiversity in the District of Mimoso (Santo Antônio de Leverger), Mato Grosso, Brazil - Pantanal Biosphere Reserve . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e130111032530, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32530. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32530. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences