Popularization of Integrative and Complementary Healthy Practices

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32927

Keywords:

Health promotion; Comprehensive health; Sistema Único de Saúde.

Abstract

The Integrative and Complementary Practices in Health (PICS) represent a set of therapeutic systems that use technologies that aim at the prevention of diseases and the recovery of health. These practices contribute to reducing public spending and the use of services of the Sistema Único de Saúde. Given the relevance of PICS, this study aimed to characterize the perception and use of PICS by brazilians of Southern region. This is an observational, cross-sectional study carried out through the application of a questionnaire with semi-structured questions about the sociodemographic profile of individuals and aspects that cover the use of PICS in Southern Brazil. Descriptive frequency statistics were used to describe the results. The Chi-square test was also used to test possible associations between variables. The study had 213 participants, most of them female and between 18 and 25 years old. Most participants recognize the benefits of using PICS, however, they are not in the habit of using them. The relevance of disseminating PICS among the population is highlighted, as well as their benefits encouraging their use and health promotion.

References

Aguiar, Jordana et al. Práticas Integrativas e Complementares na atenção básica em saúde: um estudo bibliométrico da produção brasileira. https://www.scielo.br/j/sdeb/a/5NdgGYwFCNsQPWZQmZymcqM/?format=pdf&lang=pt.

Alves, C. M. & Querino, R. A. Práticas integrativas e complementares de saúde em Uberlândia, Minas Gerais: o processo de implantação na perspectiva dos trabalhadores. Hygeia [Internet], 15(32), 149-63, 2019.

Barreto, Alexandre Franca; Reis, Layla Feitosa Maia & Mó, Barbara. O Centro de Referência em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do Vale do São Francisco: um relato sobre conquistas e desafios da implementação das PICS no sertão brasileiro. Trajetórias das Práticas Integrativas e Complementares no SUS.

Bastos, João Luiz D. & Duquia, Rodrigo Pereira. Um dos delineamentos mais empregados em epidemiologia: estudo transversal. file:///D:/Usuario/Downloads/2806-Article%20Text-42422-2-10-20130619%20(2).pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Brasília, DF: Ministério da Justiça, 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Brasília, DF: Ministério da Justiça, 2015.

Brasil. Ministério da Saúde. PORTARIA N° 702, DE 21 DE MARÇO DE 2018. Altera a Portaria de Consolidação nº 2/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para incluir novas práticas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares - PNPIC. Diário Oficial da União, 2018.

Bilharinho Junior, C. R. Análise institucional e práticas integrativas e complementares em saúde: o caso do Lian Gong. In: L'abbate, Solange; Mourão, Lúcia C; Pezzato, Luciane M. (org.). Análise institucional e saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, 2013. p. 239-261.

Couto, Angélica Garcia et al. Conhecimento, uso e aceitação de acadêmicos de medicina sobre as práticas integrativas e complementares. Vittalle - Revista de Ciências da Saúde, 30(1), 56-62.

Hammer, Ø.; Harper, D. A. T. & Ryan, P. D. (2001) PAST: Palaeontological Statistics software package for education and data analysis. Palaeontologia Electronica, 4(1), 9

Jonas, Wayne B. & Levin, Jeffrey S. Introdução: Modelos de Medicina e Cura. In: Jonas, Wayne B. Tratado de medicina complementar e alternativa. Barueri: Manole, 2001. p. 1-15. https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=rScNkGWFpTMC&oi=fnd&pg=PA1&dq=medica%C3%A7%C3%A3o+alop%C3%A1tica+e+alternativa&ots=_JDTYyjvhQ&sig=MjUbUBN1xIVpAypc23jPrEYM-ZQ#v=onepage&q=medica%C3%A7%C3%A3o%20alop%C3%A1tica%20e%20alternativa&f=false.

Machado, M. M. T.; Oliveira, J. da C. de & Fechine, Á. D. L. (2012) Acupuntura: conhecimento e percepção de professores universitários. Revista Brasileira de Educação Médica, 36(1), 41-49

Nagai, S. C., & Queiroz, M. D. S. (2011). Medicina complementar e alternativa na rede básica de serviços de saúde: uma aproximação qualitativa. Ciência & Saúde Coletiva, 16(3), 1793-1800.

Oliveira, Oridia Carollynne Marcolino Santos et al. Práticas integrativas e complementares no trabalho de parto: Uma revisão integrativa de literatura. 2018.

Otani, M. A. P., & Barros, N. F. D. (2011). A Medicina Integrativa e a construção de um novo modelo na saúde. Ciência & saúde coletiva, 16, 1801-1811.

Otani, M. A. P., & Barros, N. F. de (2011) A Medicina Integrativa e a construção de um novo modelo na saúde. Ciência & Saúde Coletiva. 16(3), 1801-1811. <https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000300016>. https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000300016.

Pereira, Vagna Cristina Leite Da Silva et al. Benefícios das práticas integrativas e complementares no processo de envelhecimento humano. Envelhecimento Humano no Século XXI: atuações efetivas na promoção da saúde e políticas sociais... Campina Grande: Realize Editora, 2020. p. 289-302. <http://www.editorarealize.com.br/artigo/visualizar/64858>.

Pettres, Andreia Assmann & Da Ros, Marco Aurélio. A determinação social da saúde e a promoção da saúde. Arquivos Catarinenses de Medicina, v. 47, n. 3, p. 183-196, 2018.

Reis, B. O., Esteves, L. R., & Greco, R. M. (2018). Avanços e desafios para a implementação das práticas integrativas e complementares no Brasil. Revista de APS, 21(3).

Richardson, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 3ª ed. Reimpresso. p. 168, 2012.

Rozenfeld, Tatiana & Galindo, Wedna Cristina Marinho. Experiências de saúde entre mulheres: reflexões a partir de um programa de rádio comunitária. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v. 15, n. 2, 2021.

Santos, F. A. D. S., Sousa, I. M. C. D., Gurgel, I. G. D., Bezerra, A. F. B., & Barros, N. F. D. (2011). Política de práticas integrativas em Recife: análise da participação dos atores. Revista de Saúde Pública, 45, 1154-1159.

Silva, J. B. D. (2012). As práticas de uso de plantas medicinais e fitoterápicos por trabalhadores de saúde na atenção básica (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Souza, Carolina Rogel & Botazzo, Carlos. Construção social da demanda em saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 23, p. 393-413, 2013.

Sousa, I. M. C. D., Bodstein, R. C. D. A., Tesser, C. D., Santos, F. D. A. D. S., & Hortale, V. A. (2012). Práticas integrativas e complementares: oferta e produção de atendimentos no SUS e em municípios selecionados. Cadernos de Saúde Pública, 28, 2143-2154.

Sumiya, A., Santos, K. E., Machuca, L., Tavares, L. R., Marcos, V. M., Farhat, G., Checchi, M. H. R., & Tenani, C. F. (2022). Distribuição espacial das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde na Atenção Básica no Brasil. Revista Brasileira Em Promoção Da Saúde, 35, 10. https://doi.org/10.5020/18061230.2022.11945

Telesi Junior, E. Práticas Integrativas e Complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. São Paulo, 2016. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttest&pid=S0103-40142016000100099>.

Tesser, Charles Dalcanale. Práticas complementares, racionalidades médicas e promoção da saúde: contribuições poucos exploradas. Cadernos de Saúde Pública, v. 25, p. 1732-1742, 2009.

Tesser CD, Norman AH. Prevenção quaternária e práticas integrativas e complementares em saúde (I): aproximação fundamental. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet], 15(42):2551, 2020. https:// www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2551 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2551

Trovo M. M.; Silva, M. J. P. & Leão, E. R. Terapias alternativas/complementares no ensino público e privado: análise do conhecimento dos acadêmicos de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem [online]. 2003, vol.11, n.4, pp. 483-489. ISSN. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000157&pid=S0034-7167200800020000900024&lng=pt.

VIDAL, Mariana dos Santos Araujo; SOUSA, Milena Nunes Alves de, TOLEDO Miguel Aguila. Aplicação das Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Primária à Saúde. Rev. Mult. Psic. V.14 N. 54 p. 357-368, Fevereiro/2020.

Published

06/08/2022

How to Cite

AGNOLIN, J. S. .; HOFFMANN, G. .; BARRETTA, J. C. .; LUTINSKI, J. A. Popularization of Integrative and Complementary Healthy Practices. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e431111032927, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32927. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32927. Acesso em: 1 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences