Cervical cancer: pathophysiology, clinical manifestations and main risk factors associated with pathogenesis

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33992

Keywords:

HPV; Cervical cancer; Colpocytopathological.

Abstract

Genital HPV infections are extremely common, most of them are asymptomatic and do not cause any tissue alteration, and consequently are not detected in the Pap smear test. When they do occur, the most common symptoms are abnormal vaginal bleeding, bleeding after sexual intercourse, and vaginal discharge (liquid, mucous, foul-smelling, or even purulent). The prevalence of HPV in cervical smears in women with normal test results peaks between the ages of 20 and 24 years, a relationship that is connected with the onset of sexual activity, while the subsequent decrease in prevalence reflects the acquisition of immunity and the preference for monogamous relationships with age. Thus, low education, advanced age, obesity, smoking and low socioeconomic status are independently related to lower rates of cervical cancer screening. In addition, the initiation of sexual activity at a young age, which increases exposure to the risk of HPV infection, in addition to immunosuppression, multiparity and prolonged use of estrogen oral contraceptives are factors associated with the development of uterine cervical cancer.

References

Andrade, A. C. A., et al. (2013). Depressão em idosos de uma instituição de longa permanência (ILP): proposta de ação de enfermagem. Revista Gaúcha Enfermagem, 26 (1), 57-66.

Araujo, A. G. C. (2014). Prevenindo a depressão em idosos institucionalizados. Trabalho de conclusão de curso - Curso de Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem em Atenção Psicossocial, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1-14.

Bruno, C. T., et al. (2012). Transtornos depressivos em idosos: o contexto social e ambiente como geradores. Revista RENE, 7(1), 263-267.

Coelho, I. F. B., et al. (2019). Incidência de depressão em idosos em asilamento prolongado. Revista Interdisciplinar do Pensamento Científico, 5 (96), 1-5.

Figueiredo, A. E. P. L., & Serbim, A. K. (2011). Qualidade de Vida de Idosos em um Grupo de Convivência. Revista Scienia Médica. Porto Alegre, 21 (4), 166-172.

Gil, I., et al. (2019). Efficacy of reminiscence in cognition, depressive symptoms and quality of life in institutionalized elderly: a systematic review. Revista da Escola de enfermagem da USP, 53 (8).

Guimarães, L. A., et al. (2019). Sintomas depressivos e fatores associados em idosos residentes em instituição de longa permanência. Ciência & Saúde Coletiva, 9 (24).

Martins, L. R. M. (2018). A depressão no idoso. Millenium, Viseu, 34 (7), 119-123.

Mello, E. M. A., et al. (2018). Síndrome da fragilidade e fatores associados em idosos residentes em instituições de longa permanência. Saúde em debate, 42 (17), 468-480.

Oliveira, D. A., et al. (2015). Estudo comparativo da qualidade de vida de idosos institucionalizados e idosos em cuidado domiciliar. Revista faculdade de Montes Belos, 8 (3), 142-179.

Saintrain, M. V. L., et al. (2018). Idosos com depressão: uma análise dos fatores de institucionalização e apoio familiar. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 31 (4), 1-7.

Scherrer Júnior, G. (2019). Qualidade de vida de idosos institucionalizados com e sem sinais de depressão. Revista Brasileira de Enfermagem, 8 (6).

Santos, Z. M. S. A. (2012). Autocuidado universal praticado por idosos em uma instituição de longa permanência. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 15 (4), 1-6.

Wanderley, L. W. B., & Cavalcante, F. C. (2015). Avaliação da depressão em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 16 (7).

Published

30/08/2022

How to Cite

CUNHA, Ítalo Íris B. R. da .; VASCONCELOS, A. C.; BRITO, B. F. de .; FIGUEIREDO, B. Q. de .; SOARES, C. A. V. D.; SANTOS, D. L. R.; PRESOT, I. Q.; FREITAS, M. T. O. de .; MARQUES, P. R. C. N.; FRANÇA, L. de A. Cervical cancer: pathophysiology, clinical manifestations and main risk factors associated with pathogenesis. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e491111133992, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33992. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33992. Acesso em: 28 sep. 2022.

Issue

Section

Health Sciences