Interested death: a dialogue about the "social" and its relationship with health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33994

Keywords:

Social theory; Social determinants of health; Covid-19; Death.

Abstract

The objective of this work is to analyze the notion of “social” and explain how it relates to the problems inherent to the field of Public Health. Considering the multiplicity inherent to the constructions of such a notion, the study is guided above all by the perspectives of professionals working in the health area. From the methodological point of view, the argument is built from the junction between sociological theoretical reflections and contemporary facts, guided by a certain panorama given by the theme of death. Its results are organized in four axes. Initially, the point of view presented by Émile Durkheim in the work Suicídio is summarized. Then, the customary understanding that humanity would be composed of different “strata”: biological, psychological, social and cultural is discussed. In the sequence, fundamentals of the notion of “social determinants of health” are analyzed. Next, processes linked to the Covid-19 pandemic are pointed out. It concludes by seeking to derive an allegory capable of showing what the “social” would be and its relations with health.

Author Biography

Diogo Neves Pereira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, atuando na Licenciatura em Educação do Campo e no Programa de Pós-Graduação em Ensino em Saúde. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005). Mestre e Doutor em Antropologia pela Universidade de Brasília (2008 e 2012). Realizou estágio de pós-doutorado em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2014). Áreas de estudo: antropologia política da saúde; antropologia da educação.

References

Bezerra, D. R. C.; Santo, F. H. E.; Monteiro, J. K. M. F. & Muto, T. S. (2020). Os vulneráveis no período do COVID-19: uma revisão integrativa de literatura. Research, Society and Development, 9(10), 1-18.

Bourdieu, P. (1990). The Logic of Practice. 3a ed. Stanford University Press.

Buss, P. M. & Filho, A. P. (2007). A saúde e seus determinantes sociais. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, 17(1), 77-93.

Demenech, L. M.; Dumith, S. C.; Vieira, M. E. C. D. & Silva, L. N. (2020). Desigualdade econômica e risco de infecção e morte por COVID-19 no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, 23: E200095.

Durkheim, É. (2001). As Regras do Método Sociológico. 1a ed. Martin Claret.

Durkheim, É. (2003). O Suicídio. 1a ed. Martin Claret.

Dyniewicz, A. M. (2014). Metodologia da pesquisa em saúde para iniciantes. Difusão Editora.

Elias, N. (1994). A Sociedade dos Indivíduos. 3a ed. Jorge Zahar Ed.

Elster, J. (1994). Peças e Engrenagens das Ciências Sociais. 1a ed. Relume-Dumará; 1994.

Garbois, J. A.; Sodré, F. & Dalbello-Araujo, M. (2014). Determinantes sociais da saúde: o “social” em questão. Saúde e Sociedade, 23(4), 1173-1182.

Garbois, J. A.; Sodré, F. & Dalbello-Araujo, M. (2017). Da noção de determinação social à de determinantes sociais da saúde. Saúde Debate, 41(112), 63-76.

Geertz, C. (1989). A Interpretação das Culturas. 1a ed. Livros Técnicos e Científicos Editora S.A.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Gonçalo, C. S.; Castro, C. M.; Bonon, M. M.; Motta, P. M. R.; Dahdal, A. B.; Batista, J. C.; Hirayama, M. S.; Peres, S. M. P. & Barros, N. F. (2012). Planejamento e execução de revisões sistemáticas da literatura. Brasília Med, 49(2), 104-110.

Guimarães, R. M.; Eleuterio, T. A. & Monteiro-da-Silva, J. H. C. (2020). Estratificação de risco para predição de disseminação e gravidade da Covid-19 no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, 37, 1-17.

Latour, B. (2005). Reassembling the Social: an introduction to actor-network-theory. 1a ed. Oxford University Press.

Marx, K. (1983). O capital: crítica da economia política. 1a ed. Abril Cultural.

Mauss, M. (2003). Sociologia e Antropologia. 1a ed. Cosac & Naify.

Mendes, E. V. (2011). As redes de atenção à saúde. 2a ed. Organização Pan-Americana da Saúde.

Minayo, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: Minayo, M. C. S.; Deslandes, S. F. & Gomes, R. (Org.). (2009). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Vozes.

Oliveira, R. G.; Cunha, A. P.; Gadelha, A. G. S.; Carpio, C.G.; Oliveira, R. B. & Corrêa, R. M. (2020). Desigualdades raciais e a morte como horizonte: considerações sobre a COVID-19 e o racismo estrutural. Cad. Saúde Pública, 36(9), 1-14.

Parsons, T. (2010). A Estrutura da Ação Social: um estudo de teoria social com especial referência a um grupo de autores europeus recentes. 1a ed. Vozes.

Pinheiro, F. M. G.; Martinho, R. M. L.; Moreira, R. C. & Martinho, L. A. B. (2020). Iniquidades regionais e sociais na mortalidade por covid-19 no Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 16(4), 77-90.

Radcliffe-Brown, A. R. (2013). Estrutura e Função na Sociedade Primitiva. 2a ed. Vozes.

Ribeiro, J. L. P. (2014). Revisão de investigação e evidência científica. Psicologia, Saúde & Doenças, 15(3), 672- 683.

Rother, E. T. (2007). Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paul. Enferm. 20(2), 1-2.

Santos, K. O. B.; Fernandes, R. C. P.; Almeida, M. M. C.; Miranda, S. S.; Mise, Y. F. & Lima, M. A. G. (2020). Trabalho, saúde e vulnerabilidade na pandemia de COVID-19. Cad. Saúde Pública, 36(12), 1-14.

Silva, V. V. A. (2021). A covid-19 enquanto questão social: classe, escolaridade e cor da pandemia no Pará. HOLOS, 37(1), 1-14.

Soares, M. (2021). Mortes entre caixas, frentistas e motoristas de ônibus aumentaram 60% no Brasil no auge da pandemia. El País. https://brasil.elpais.com/brasil/2021-04-05/caixas-frentistas-e-motoristas-de-onibus-registram-60-a-mais-de-mortes-no-brasil-em-meio-ao-auge-da-pandemia.html.

Published

31/08/2022

How to Cite

PEREIRA, D. N. Interested death: a dialogue about the "social" and its relationship with health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e512111133994, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33994. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33994. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences