Arrangements of biodiverse agroforestry systems to restoration of Legal Reserve Areas with socioeconomic viability

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i14.36239

Keywords:

Restoration of environmental liabilities; Productive recovery; Financial viability.

Abstract

In Brazil, Legal Reserve Areas (ARLs) are intended to maintenance of biodiversity and ecological processes, but can economically exploit the sustainable way. To restoration and use of these degraded spaces, are recommended the biodiverse agroforestry systems (SAF), that are identified as sustainable, as they provide both ambiental and socioeconomic benefits. The objective of this work is to propose two arrangements of agroforestry systems, with socioeconomic viability, in the ecotone between Cerrado and Atlantic Forest and in the Cerrado biome, aiming to comply the Brazilian Forest Code and subsidize farmers to restore these environmental liabilities, produce food and generate income in these areas. A multidisciplinary study was carried to indicate the native tree and shrub species, as well as the species intended for income generation and the respective designs for each of the SAF, the estimates of production, commercialization and income generation. For analysis of economic viability, we used techniques for evaluating capital investments such as: Net Present Value, Internal Rate of Return, Uniform Equivalent Annual, Payback, Profitability Index, Modified Internal Rate of Return, Benefit/Cost ratio and Asset pricing model financial, where data on income and expenses were inserted that reflect the reality of family farming, verifying its profitability over 20 years. The results showed that biodiverse agroforestry systems can be adopted by farmers to implement the "productive recovery" of Legal Reserve Areas, generating income from the first year after its implementation, maintaining itself over time.

References

Abdoellah, O. S., Hadikusumah, H. Y., Takeuchi, K., Okubo, S. & Parikesit, S. (2006). Commercialization of homegardens in an Indonesian village: Vegetation composition and functional changes. Agroforestry Systems, 68 (1), 1-13.

Agrianual (2019). Anuário da agricultura brasileira. FNP, Consultoria e Agroinformativos.

Altieri, M. A. & Nicholls, C. I. (2011). O potencial agroecológico dos sistemas agroflorestais na América Latina. Agriculturas, 8 (2), 31-34.

Alves, J. C., Soares, J. A. B., Feiden, A. & Padovan, M. P. (2019). Sistemas agroflorestais biodiversos: segurança alimentar e bem-estar às famílias agricultoras. Revista GeoPantanal, 14, 75-94.

Amorozo, M. C. M., Ming, L. C., Silva, S. M. P. (2002). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. Rio Claro, SP: SBEE.

Araújo, L. (2013). Transição agroecológica na comunidade quilombola de Morro Alto, Maquiné-RS. [Monografia de Pós-Graduação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul].

Arco-Verde, M. F. & Amaro, G. C. (2014). Análise financeira de sistemas produtivos integrados. Colombo: Embrapa Florestas (Documentos, 274).

Ávila, A. L., Araújo, M. M., Longhi, S. J. & Gasparin, E. (2011). Caracterização da vegetação e espécies para recuperação de mata ciliar, Ijuí, RS. Ciência Florestal, 21 (2), 251-260.

Bayley, K. (1994). Methods of social research. New York: The Free Press.

Brasil. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. (2012). Proteção da vegetação nativa. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm.

Brasil. Lei n. 9.985 de 2000. (2000). Brasília, DF: Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm.

Brasil. Lei Federal nº 6.902, de 27 de Abril de 1981. (1981). Dispõe sobre a criação de Estações Ecológicas, Áreas de Proteção Ambiental. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6902.htm.

Belarmino, L. C. (2017). Avaliações econômicas dos sistemas de produção de laranja convencional, orgânico e agroflorestal. Pelotas: Embrapa Clima Temperado.

Borges, P. R. S. (2011). A Pupunha como alternativa econômica para a Agricultura Familiar do Distrito Federal. [Monografia de Pós-Graduação - Universidade Federal do Paraná].

Börner, J. (2009). Serviços ambientais e adoção de sistemas agroflorestais na Amazônia: elementos metodológicos para análises econômicas integradas. In: Porro, R. (Ed.). Alternativa agroflorestal na Amazônia em transformação. Brasília-DF: Embrapa Informação e Tecnologia, 411-433.

Campos Filho, E. M. & Sartorelli, A. R. (2015). Guia de árvores com valor econômico. São Paulo: Agroicone.

Chape, S., Spalding, M. & Jenkins, M. D. (2008). The World's Protected Areas. Berkeley: University of California Press.

Cordeiro, S. A. & Silva, M. L. (2010). Rentabilidade e risco de investimento na produção de palmito de pupunha (Bactris gasipaes Kunth.). Cerne, 16 (1), 53-59.

Costa, A. A. & Oliveira. M. M. (2018). Análise de viabilidade econômica de um Sistema Agroflorestal localizado no município de Parauapebas–PA. Parauapebas, PA: Universidade Federal da Amazônia.

Fávero, C., Lovo, I. C. & Sá Mendonça, E. (2008). Recuperação de área degradada com sistema agroflorestal no vale do rio Doce, Minas Gerais. Revista Árvore, 32 (5), 861-868.

Fernandes, S. S. L., Santiago, E. F., Padovan, M. P., Carneiro, L. F. & Virginio Filho, E. M. (2020). Serviços ambientais culturais e de suporte: percepção por agricultores familiares em sistemas agroflorestais do Brasil e Costa Rica. Research, Society and Development, 9, e11691210783.

Ferreira, P. I., Gomes, J. P., Batista, F., Bernardi, A. P., Costa, N. C. F., Bortoluzzi, R. L. C. & Mantovani, A. (2013). Espécies potenciais para recuperação de áreas de preservação permanente no planalto catarinense. Floresta e Ambiente, 20 (2), 173-182.

Foleto, E. M. & Leite, M. B. (2011). Perspectivas do pagamento por serviços ambientais e exemplos de caso no Brasil. Revista de Estudos Ambientais, 13 (1), 6-17.

Gandolfi, S., Leitão Filho, H. F. & Bezerra, C. L. E. (1995). Levantamento florístico e caráter sucessional das espécies arbustivo arbóreas de uma floresta mesófila semidecídua no município de Guarulhos, SP. Revista Brasileira de Biologia, 55, (4), 753-767.

Garcia, L. T., Paulus, L. A. R., Fernandes, S. S. L., Arco-Verde, M. F., Padovan, M. P. & Pereira, Z. V. (2021). Viabilidade financeira de sistemas agroflorestais biodiversos no Centro Oeste Brasileiro. Research, Society and Development, 10, e47210413682.

Gottfried, R., Wear, D. & Lee, R. (1996). Institutional solutions to market failure on the landscape scale. Ecological Economics, 18 (2), 133-140.

Haufler, J. B. & Kernohan, B. J. (2009). Landscape Considerations for Conservation Planning on Private Lands. In: Millspaugh, J. & Thompson, F. R. (Eds.). Models for planning wildlife conservation in large landscapes. San Diego: Academic Press, 153-176.

Iwata, B. F., Leite, L. F. C., Araújo, A. S. F., Nunes, L. A. P. L., Gehring, C. & Campos, L. P. (2012). Sistemas agroflorestais e seus efeitos sobre os atributos químicos em Argissolo Vermelho-Amarelo do Cerrado piauiense. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 16, 730-738.

Junqueira, A. C., Schlindwein, M. N., Canuto, J. C., Nobre, H. G. & Souza, T. J. M. (2013). Sistemas agroflorestais e mudanças na qualidade do solo em assentamento de reforma agrária. Revista Brasileira de Agroecologia, 8 (1), 102-115.

Leles, P. S. S., Oliveira Neto, S. N. & Alonso, J. M. (2015). Restauração florestal em diferentes espaçamentos. In: Leles, P. S. S. & Oliveira Neto, S. N. (ed.). Restauração Florestal e a Bacia do Rio Guandu. Seropédica: Editora Rural, 120-156.

Lucena, H. D., Paraense, V. C. & Mancebo, C. H. A. (2016). Viabilidade econômica de um sistema agroflorestal com cacau e essências florestais de alto valor comercial em Altamira-PA. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, 8 (1), 73-84.

Maia, M. R., Oliveira, E. & Lima, E. M. (2011). O uso do solo e a questão ambiental na região Sudoeste da Bahia-Brasil. Revista Geográfica de América Central, 47 (2), 1-15.

Martinelli, G. do C., Schlindwein, M. M., Padovan, M. P. & Gimenes, R. M. T. (2019). Decreasing uncertainties and reversing paradigms on the economic performance of agroforestry systems in Brazil. Land Use Policy, 80, 274-286.

Martins, L. & Cavararo, R. (2012). Manual Técnico da Vegetação Brasileira. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas.

Martins, T. P. & Ranieri, V. E. L. (2014). Sistemas Agroflorestais como alternativa para Reservas Legais. Ambiente & Sociedade, 17 (3), 79-96.

Mayer, T. da S. (2019). Sistemas agroflorestais biodiversos: alternativa viável para recuperação de passivos ambientais. [Dissertação de Mestrado - Universidade Federal da Grande Dourados].

Miccolis, A., Peneireiro, F. M., Marques, H. R., Vieira, D. L. M., Arco-Verde, M. F., Hoffmann, M. R., Rehder, T. & Pereira, A. V. B. (2016). Restauração ecológica com sistemas agroflorestais: como conciliar conservação com produção - opções para Cerrado e Caatinga - guia técnico. Brasília, DF: Instituto Sociedade, População e Natureza, Nairobi: Centro Internacional de Pesquisa Agroflorestal.

Moreira, F. T. A. (2018). Avaliação de um sistema agroflorestal na região de Itaparica, semiárido pernambucano. [Tese de Doutorado - Universidade Federal Rural de Pernambuco].

Nascimento, J. S., Pereira, Z. V., Fernandes, S. S. L. & Padovan, M. P. (2020). Riqueza e estrutura de sistemas agroflorestais biodiversos contribuem para a recuperação de áreas degradadas. In: Zufo, A. M. & Aguilera, J. G. (Org.). Agricultura 4.0., 4 ed., Nova Xavantina, MT: Pantanal Editora.

Padovan, M. P., Mayer, T. S. & Pereira, Z. V. (2022). Modelo de arranjo agroflorestal biodiverso para restauração ecológica de áreas de preservação permanente, com geração de renda. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste (Série Documentos, 176).

Padovan, M. P.; Pereira, Z. V. & Serrano, M. R. (2021). Panorama dos sistemas agroflorestais biodiversos em Mato Grosso do Sul. Revista GeoPantanal, 30, 102-112.

Padovan, M. P., Cardoso, I. M., Pereira, Z. V. & Soares, J. A. B. (2019a). Sistemas agroflorestais no Brasil: desafios, demandas e perspectivas. In: Eyng, C., Kuhn, O. J., Silva, N. L. S., Stangarlin, J. R. & Rorato, D. G. (Org.). Ciências agrárias: ensino, cooperativismo, segurança alimentar e sucessão na agricultura. Marechal Cândido Rondon: CCA, 68-84.

Padovan, M. P., Pereira, Z. V., Nascimento, J. S., Soares, J. A. B., Fernandes, S. S. L., Alves, J. C. & Agostinho, P. R. (2019b). Potencial de sistemas agroflorestais biodiversos em processos de restauração ambiental. Competência Técnica e Responsabilidade Social e Ambiental nas Ciências Agrárias. Ponta Grossa, PR: Atena Editora, 127-136.

Padovan, M. P., Nascimento, J. S., Alves, J. C., Pereira, Z. V. & Motta, I. S. (2018a). Estado da arte de sistemas agroflorestais em bases agroecológicas na região Oeste do Brasil. Cadernos de Agroecologia, 13, 1-7.

Padovan, M. P., Pereira, Z. V. & Fernandes, S. S. L. (2018b). Espécies arbóreas nativas pioneiras em sistemas agroflorestais biodiversos. Revista GeoPantanal, 24, 53-68.

Padovan, M. P., Nascimento, J. S., Cariaga, J. A., Pereira, Z. V. & Agostinho, P. R. (2017a). Serviços ambientais prestados por sistemas agroflorestais biodiversos na recuperação de áreas degradadas e algumas possibilidades de compensações aos agricultores. In: Simpósio Nacional de Recuperação de Áreas Degradadas, 11. Anais. Curitiba: Sobrade.

Padovan, M. P.; Pereira, Z. V., Nascimento, J. S., Alves, J. C. & Agostinho, P. R. (2017b). Subsídios ao aprimoramento de ações estruturadas e de políticas públicas para apoio a sistemas agroflorestais biodiversos para recuperação de áreas degradadas. In: Simpósio Nacional de Recuperação de Áreas Degradadas, 11. Anais. Curitiba: Sobrade.

Padovan, M. P. & Pereira, Z. V. (2012). Sistemas agroflorestais diversificados. A Lavoura, 690, 15-18.

Pereira, Z. V., Sangalli, A., Padovan, M. P., Lobtchenko, J. C. P. & Santos, M. L. B. M. (2020). A restauração ecológica em área de preservação permanente no Estado de Mato Grosso do Sul. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3, 4394-4407.

Pereira, W. A. & Almeida, L.S. (2008). Método manual para cálculo da Taxa Interna de Retorno. Revista Objetiva, 38-50.

Pinheiro, J. de Q., Farias, T. M. & Abe-Lima, J. Y. (2013). Painel de Especialistas e Estratégia Multimétodos: Reflexões, Exemplos e Perspectivas. Psico, 44 (2).

Pinto, E., Azevedo, A., Cardoso, A., Gori, A., Eusébio, G., Cabral, P. G. F. & Guadagnin, J. L. (2017). Estratégias para reorientar o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para atividades produtivas de baixo impacto ambiental na Amazônia Legal. Boletim Amazônia em Pauta, 1-8.

Ribeiro, J. F., Kuhlmann, M., Ogata, R. S., Oliveira, M. C., Vieira, D. L. M. & Sampaio, A. B. (2022). Guia de plantas do Cerrado para a recomposição da vegetação nativa. Brasília, DF: Embrapa.

Santos J. C., Santos, J. C. dos, Homma, A. K. O., Sena, A. L. dos S., Gomes Junior, R. A. & Menezes, A. J. E. A. (2014). Desempenho socioeconômico do sistema produtivo familiar de dendê em Moju, Estado do Pará. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 94.

Santos, C. E. M. dos. (2009). A cultura da lichieira. Revista Brasileira de Fruticultura, 31 (2).

Tscharntke, T., Clough, Y., Bhagwat, S. A., Buchori, D., Faust, H. H., Hölscher, D., Juhrbandt, J., Kessler, M., Perfecto, I., Scherber, C., Schroth, G., Veldkamp, E. & Wanger, T. C. (2011). Multifunctional shade-tree management in tropical agroforestry landscapes. Journal of Applied Ecolology, 48, (3), 619-629.

Tremblay, S., Lucotte, M., Revéret, J. P., Davidson, R., Mertens, F., Passos, C. J. S. & Romana, C. A. (2015). Agroforestry systems as a profitable alternative to slash and burn practices in small-scale agriculture of the Brazilian Amazon. Agroforestry Systems, 89 (2), 193-204.

Van Der Pijl, L. (1982). Principles of dispersal in higher plants. 3rd ed. Berlin: Springer-Verlag.

Vasconcellos, R. C., Beltrão, N. E. S., Martins, S. S. & De Paula, M. T. (2020). Identificação dos serviços ecossistêmicos na produção agrícola: um estudo em sistemas agroflorestais. Research, Society and Development, 9 (10), e9259109268-e9259109268.

Zavala, C. B. R., Fernandes, S. S. L., Pereira, Z. V. & Silva, S. M. (2017). Análise fitogeográfica da flora arbustivo-arbórea em ecótono no planalto da Bodoquena, MS, Brasil. Ciência Florestal, 27 (3) 907-921.

Published

25/10/2022

How to Cite

AGOSTINHO, P. R.; PEREIRA, Z. V. .; MARTINELLI, G. do C. .; MAYER, T. da S. .; GONÇALVES, C. de B. Q. .; PADOVAN, M. P. Arrangements of biodiverse agroforestry systems to restoration of Legal Reserve Areas with socioeconomic viability. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 14, p. e240111436239, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i14.36239. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36239. Acesso em: 9 dec. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences