Affective abandonment in childhood and psychological damage: An integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.36934

Keywords:

Affective abandonment; Psychological damage; Childhood abandonment.

Abstract

The subject of the present study addresses a subject that is part of the reality of many children who are victims of affective abandonment, which has consequences in their psychological formation. The family is the child's first constitution and has a strong influence on all stages of its development. Following this assumption, the research aims to analyze the psychological consequences caused by affective abandonment in childhood, studying its main consequences. The article performs an Integrative Literature Review as a methodology, which consists of conducting research that enables the synthesis, identification and structuring of knowledge for the elaboration of new interventions on the subject. It will use the BVS Platform, Library of Medicine (MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (Scielo) as a database.

References

Almeida, F. C. (2015). Responsabilidade civil no direito de família: angústias e aflições nas relações familiares. Livraria do Advogado Editora.

Borges, M. M. (2017). Efeitos jurídicos e psicológicos do abandono afetivo parental (Monografia) Goianésia-GO. http://repositorio.aee.edu.br/bitstream/aee/8312/1/2017_TCC_MirleneBorges.pdf.

Branco, B. C. (2016). Dano moral no direito de família. Editora Método.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasilia, DF: Senado.

Brasil. (2002). Constituição da República Federativa do Brasil de 05 de outubro de VadeMecum. (2ª .ed.) Revista dos Tribunais.

Calderan, T. B. Abandono afetivo e suas consequências jurídicas. Revista da Faculdade de Direito de Uberlândia. <http://www.seer.ufu.br/index.php/revistafadir/article/view/18545>.

Dias, M. B. (2019). Manual de direito das famílias. 4. Livraria do Advogado Editora.

Dornelas, B. G. (2015). Responsabilidade civil por abandono afetivo dos pais perante os filhos. (Monografia aprovada como requisito parcial para a obtenção do Grau de Bacharel em Direito).

Ferreira, F. R., & Vieira, A. M. M. (2018). O abandono afetivo na jurisprudência. Revista de Doutrina Jurídica, 109(2), p. 173-195.

Gama, G. C. N. (2018). Princípios Constitucionais de Direito de Família: guarda compartilhada à luz da lei nº 11.698/08: família, criança, adolescente e idoso. Editora Atlas.

Gil, A. C. (2014). Como elaborar projetos de pesquisa. 6. Editora Atlas.

Lopes, P. K. (2017). Considerações sobre o abandono afetivo e o dano moral no Brasil. <http://www.ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=19782&revista_caderno=14>.

Oliveira, D. L. (2018). Abandono afetivo e a possibilidade de reparação decorrente da abstenção do dever de cuidado. Revista do Curso de Direito da Universidade Braz Cubas.

Pereira, R. C. (2016). A Ética da Convivência Familiar e sua Efetividade no Cotidiano dos Tribunais. Editora Forense.

Pereira, R. C., & Silva, C. M. (2016). Nem só de pão vive o homem. Revista Sociedade e Estado, 21(3), 667-680. <http://www.scielo.br/pdf/se/v21n3/a06v21n3.pdf>.

Pires, M. F. (2017). O abandono afetivo parental. < https://www.unicerp.edu.br/ensino/cursos/psicologia/monografias/20172/OAbandonoAfetivoParental.pdf>.

Porto, T. C., & Oliveira, J. F. Z. C. Aspectos do abandono afetivo de filhos não-heterossexuais e suas implicações. < https://nadir.fflch.usp.br/sites/nadir.fflch.usp.br/files/upload/paginas/Artigo%20ENADIR%20Jo%C3%A3o%20e%20Tauane.pdf>.

Quintans, L. C. (2016). Parentesco e grau de parentesco. <https://quintans1.jusbrasil.com.br/artigos/390320357/parentesco-e-grau-de-parentesco>.

Ruiz, J. Á. (2010). Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos. 3ª. Editora Atlas.

Soares, L. C. E. C., & Moreira, L. E. (2016). Contornos da judicialização: reflexões sobre famílias recasadas e abandono afetivo. Psicologia em Estudo, 21(3), 497-508.

Souza, S. G. N. (2021). Abandono afetivo na infância: compreendendo crenças disfuncionais no processo de tornar-se adulto. Repositório Institucional Unicambury, 1(1).

Tartuce, F., & Neves D. A. A. (2012). Manual de direito do consumidor: direito material e processual. 3. Editora Método.

Vieira, I. D. O. S. (2020). Abandono afetivo: formas de prevenção aos danos causados aos filhos pela omissão parental. <https://www.locus.ufv.br/handle/123456789/27966>.

Published

17/11/2022

How to Cite

ARAÚJO, R. F. de S. .; MOUCHEREK, M. C. . Affective abandonment in childhood and psychological damage: An integrative literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e274111536934, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.36934. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/36934. Acesso em: 9 feb. 2023.

Issue

Section

Health Sciences