Characteristics of leprosy cases diagnosed in the state of Acre in the period from 2018 to 2022

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37235

Keywords:

Leprosy; Epidemiology; Prevalence; Incidence.

Abstract

Leprosy is a chronic infection caused by Mycobacterium leprae. A curable infectious disease remains endemic in more than 140 countries around the world. The objective of this study was to describe the epidemiological profile of the population diagnosed with leprosy in the State of Acre, Brazil, from 2018 to 2022. This is a retrospective study, using secondary data collected at the Department of Informatics from SUS – DATASUS and tabulated from TABNET. There were 520 cases of the disease in the state during the study period, most of them male (65.6%) and (85.2%) of mixed race/skin color. The most affected age group was 15 years old and over (94.8%) and there were 27 cases in children under 15 years old (5.2%). The most prevalent clinical form was borderline (62.5%) and the most frequent outcome was cure (58.5%). It is essential that health education interventions be constantly carried out for the population, in addition to intensifying the active search, individualized and direct assistance, and the examination of contacts of leprosy patients, in an attempt to reduce or eliminate cases of the disease.

Author Biography

Ruth Silva Lima da Costa, Centro Universitário Uninorte

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Acre (UFAC); Especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde (UFAC) e em Educação Profissional na Área da Saúde: Enfermagem (ENSP/FIOCRUZ). Mestre em Ciências da Saúde (UFAC). Atua na Divisão de Captação de Recursos da Secretaria de Estado de Saúde do Acre e como docente nos cursos de Medicina e Enfermagem do Centro Universitário Uninorte. Tem experiência na área de Gestão e Planejamento em Saúde, Atenção á Saúde da Criança e Adolescente e Atenção Primária em Saúde. É revisora de periódicos científicos e membra de comitê de ética em pesquisa. Atualmente tem se dedicado a pesquisa com potencial interesse em produtos derivados de plantas amazônicas, e também voltadas para saúde coletiva com ênfase nas condições crônicas , além da atenção integral à saúde da criança e adolescente e sistematização da assistência de enfermagem.

References

Belachew, W. A., Naafs, B. (2019). Declaração de posição: Hanseníase: Diagnóstico, tratamento e acompanhamento. Eur Acad Dermatol Venerol, 33(7), 1205-1213.

Campos, M. R. M., Batista, A. V. A., & Guerreiro, J. V. (2018). Perfil clínico-epidemiológico dos pacientes diagnosticados com hanseníase na Paraíba e no Brasil, 2008-2012. Rev Bras Ciênc Saúde, 22, 79-86.

Costa, A. K. A. N., Pfrimer, I. A. H., Menezes, A. M. F., do Nascimento, L. B., & do Carmo Filho, J. R. (2019). Aspectos clínicos e epidemiológicos da hanseníase. Revista de Enfermagem UFPE on line, 13(2), 353-362.

da Costa, N. M. G. B., Barbosa, T. D. C. S., Queiroz, D. T., Oliveira, A. K. A., Montemezzo, L. C. D., & do Couto Andrade, U. (2020). Perfil sociodemográfico e grau de incapacidade do portador de hanseníase em um centro de referência no estado do Ceará. Brazilian Journal of Development, 6(6), 41439-41449.

Cruz, K. R. P., da Silva, M. R., Soares, A. R. A. P., Alves, H. B., & Pereira, F. R. A. (2018). Avaliação epidemiológica dos casos de hanseníase no estado da Paraíba. In III Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde, Campina Grande.

Cunha, D. V., Rodrigues, E. B., Lameira, H. A., da Cruz, M. T. S., Rodrigues, S. M., & dos Santos, F. D. S. (2019). Perfil Epidemiológico da Hanseníase no Município de Castanhal–Pará no período de 2014 a 2017. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11(15), e858-e858.

da Silva, P. S. R., Cunha, N. G. T., Oliveira, L. S., & Santos, M. C. A. (2020). Perfil clínico-epidemiológico de pacientes portadores de hanseníase em um município do Maranhão. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 12(8), e3468-e3468.

de Andrade Goiabeira, Y. N. L., Rolim, I. L. T. P., de Aquino, D. M. C., da Silva Soeiro, V. M., Inácio, A. S., & de Sousa Queiroz, R. C. (2018). Perfil epidemiológico e clínico da hanseníase em capital hiperendêmica. Revista de Enfermagem UFPE on line, 12(6), 1507-1513.

de Lira, T. B., Rocha, F. C. V., de Sá Martins, D. M., Lopes, T. P., de Sousa Oliveira, K. M., dos Santos, B. L., ... & Lemos, N. A. F. (2019). Hanseníase no Piauí: uma investigação epidemiológica. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (24), e499-e499.

Makhakhe, L. (2021). Leprosy review. S Afr Fam Pract (2004), 63(1), e1-e6.

Mendonça, C. A. D. S. (2018). Perfil clínico-epidemiológico dos pacientes diagnosticados com hanseníase no estado do Maranhão de 2006 a 2015. Monografia (Graduação em Enfermagem) –Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2018. Disponível em:< https://monografias.ufma.br/jspui/handle/123456789/2518>. Acesso em: 20 out 2022.

Mi, Z., Liu, H., & Zhang, F. (2020). Advances in the immunology and genetics of leprosy. Frontiers in Immunology, 11, 567.

Ministério da Saúde. Brasil. (2021). Boletim Epidemiológico - Hanseníase 2021 | Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2021/boletim-epidemiologico-hanseniase-2021>. Acesso em: 20 out. 2022.

Ministério da Saúde. Brasil. (2019). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde. V. único. 4 ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 725p.

Ministério da Saúde. Brasil. (2016). Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da Hanseníase como problema de saúde pública: manual técnico operacional. Disponível em: http://www.credesh.ufu.br/sites/credesh.hc.ufu.br/arquivos/diretrizes-eliminacao-hanseniase-4fev16-web.pdf. Acesso em: 25 out. 2022.

Novato, K. M., Grangeiro, A. M., de Melo, B. C., & de Oliveira Fagundes, F. R. Q. (2019). Perfil Epidemiológico da Hanseníase no estado do TOCANTINS no período de 2014 a 2016. Revista de Patologia do Tocantins, 6(4), 5-5.

OMS. Organização Mundial de Saúde (2020). Estratégia Global para Hanseníase 2016-2020. Aceleração rumo a um mundo sem hanseníase. Disponível em:< https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/208824/9789290225201-pt.pdf>. Acesso em: 20 out. 2022.

Richardus, J. H.; Ignotti, E.; Smith, W. C. S (2019). Epidemiology of leprosy. The international textbook of leprosy. American Leprosy Missions.

Sarode, G., Sarode, S., Anand, R., Patil, S., Jafer, M., Baeshen, H., & Awan, K. H. (2020). Epidemiological aspects of leprosy. Disease-a-Month, 66(7), 100899.

Published

18/11/2022

How to Cite

LIMA, J. H. B. de A. .; COSTA, R. S. L. da. Characteristics of leprosy cases diagnosed in the state of Acre in the period from 2018 to 2022. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e313111537235, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37235. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37235. Acesso em: 9 feb. 2023.

Issue

Section

Health Sciences