Assessment of the supplementary and nutritional profile of the male audience

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37456

Keywords:

Supplemental profile; Male audience; Fitness centers; Nutrition.

Abstract

Introduction: Williams (1992) states that nutrition is an important tool within the practice of physical exercise. When oriented correctly, it can reduce fatigue, prolong the athlete's training time or even improve the post-workout recovery process. Objective: It aims to analyze in articles, theses and books, found in academic websites, the characterization of the profile and the routine related to the use of dietary supplements in male individuals. Methodology: This work is a bibliographical research. Results> As a result, a significant use of dietary supplements was identified, mainly aimed at aesthetic gain (muscle mass), with the most consumed supplement corresponding to the one that is most easily acquired and consumed, due to its rapid absorption and effects. Results and discussions: In today's globalized world, marked by the influence of the media in society, the number of people seeking research related to aesthetics has been growing exponentially. Therefore, in general, individuals with a high level of education and financial resources can pay for the practice of physical exercises and exercises related to healthy eating, most of the time they have information about nutrition and physical exercises. Conclusion: Through the above considerations, it is possible to state that to carry out a bibliographical research it is to follow non-random paths, since this type of research requires a high degree of epistemological vigilance, observation and care in choosing and forwarding the methodological procedures

References

Adam, B. O., e colaboradores. (2013). Conhecimento nutricional de praticantes de musculação de uma academia da cidade de São Paulo. Brazilian Journal of Sports Nutrition. 2(2), 24-36.

Alves, C., et al. (2009). Uso de suplementos alimentares por adolescentes. Jornal de pediatria, 85, 287-294.

Avesani, C. M., et al. (2014). Recomendações Nutricionais. In: CUPPARI, Lilian. Guia de Nutrição: clínica do adulto. 3 ed., Barueri: Manole, 24-72.

Bertoletti, A. C., et al. (2016). Consumo de suplementos alimentares por praticantes de musculação e sua relação com o acompanhamento nutricional individualizado. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 10(58), 371-380.

Bizarello, T. B., et al. (2015). Avaliação da rotulagem e informação nutricional de suplementos proteicos importados no Brasil. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 9(49), 14-24.

Boccato, V. R. C. (2006). Metodologia da pesquisa bibliográfica na área odontológica e o artigo científico como forma de comunicação. Rev. Odontol. Univ. Cidade São Paulo, São Paulo, 18(3), 265-274.

Brasil. (2003). ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Poder Executivo.

Caldas, E. H. L., et al. (2019). Análise da rotulagem de suplementos hipercalóricos.

Carvalho, T. (2003). Modificaciones Dietéticas, Reposición Hídrica, Suplementos Alimentícios y Drogas: Verificacion de La acción ergonômica y potenciales riesgos para La salud. In: Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 9(2), 43-53.

CAVA, Tatiane Araujo et al. (2017). Consumo excessivo de suplementos nutricionais entre profissionais atuantes em academias de ginástica de Pelotas, Rio Grande do Sul, 2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26, 99-108.

Cerqueira, F. M., et al. (2007). Antioxidantes dietéticos: controvérsias e perspectivas. Química Nova, 30, 441-449.

Chagas, B. L. F., Do Nascimento, M. V. S., Barbosa, M. R., & De Souza Gomes, L. P. (2016). Utilização indiscriminada de suplementos alimentares: causas e consequências. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-SERGIPE, 3(2), 27-34.

Costa, D. C., et al. (2013). Prevalência do uso de suplementos alimentares entre praticantes de atividade física em academias de duas cidades do Vale do Aço/MG: fatores associados. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 7(41), 5.

Cuppari, L. (2014). Guia de Nutrição: clínica do adulto. 3 ed., Barueri: Manole, 578.

Da Silva, A. C. G., et al. (2020). Riscos e benefícios no uso de suplementos nutricionais na atividade física. Brazilian Journal of Development, 6(12), 96770-96784.

Da Silva, A. R. P., et al. (2017). Avaliação do perfil dos frequentadores de uma academia quanto ao consumo de suplementos nutricionais e fatores associados no município de Alfenas-MG. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 11(67), 916-924.

De Paula Rodrigues, A. L. (2017). Caracterização do perfil e dos hábitos de suplementação alimentar de praticantes de musculação em uma academia do município de Fortaleza - CE. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 11(66), 662-668.

Dos Santos, S. F., et al. (2009). Antropologia de uma academia de musculação: um olhar sobre o corpo e um espaço de representação social. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 23(2), 87-102.

Felix, G. S. (2018). Análise de rótulos em suplementos alimentares e seus efeitos colaterais causados pelo uso sem orientação técnica profissional.

Galvão, F. G. R., Dos Santos, A. K. M., Beserra, T. L., De Brito, C. L., Leite, P. K. V., De Araujo, J. E. R., & Mori, E. (2017). Importância do Nutricionista na Prescrição de Suplementos na Prática de Atividade Física: Revisão Sistemática. Revista e-ciência, 5(1).

Gomes, A. M., Lisboa, B., Cruz, R. A., Gomes, P., & De Souza, A. (2017). Consumo de suplementos alimentares por praticantes de atividades físicas de uma academia de cananéia–SP. Revista Saúde em Foco, (9), 335-363.

Gomes, G. S., et al. (2008). Caracterização do consumo de suplementos nutricionais em praticantes de atividade física em academias. Medicina (Ribeirão Preto), 41(3), 327-331.

Hernandes, A. J., & Nahas, R. M. (2009). Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênica e potenciais riscos para a saúde. Rev. Bras. Med. Esporte. 15(3).

Iriart, J. A. B., Chaves, J.C., & Orleans, R. G. (2009). Culto ao corpo e uso de anabolizantes entre praticantes de musculação. Cad. Saúde Pública, São Paulo, 25(4).

Karkle, M. B. (2015). Uso de suplemento alimentar por praticantes de musculação e sua visão sobre o profissional nutricionista na área de nutrição esportiva em uma academia no município de Braço do Norte-SC. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 9(53), 447-453.

Lima, T. A. M., Mazzoni, J. R. B., Do Amaral Gonçalves, R., Pereira, L. L. V., & De Godoy, M. F. (2019). Estudo da utilização de esteroides anabólicos androgênicos e suplementos alimentares por universitários em São José do Rio Preto-SP. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 13(79), 333-339.

Lima, T. C. S., et al. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista katálysis, 10, 37-45.

Macedo, T. S., et al. (2017). Suplementação e consumo alimentar em praticantes de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 11(68), 974-985.

Malysse, S. (2002). A la recherche du corps ideal: culte féminin du corps dans la zone balnéaire de Rio de Janeiro. Cahiers duBrésil Contemporain, Paris. 31, 157-74.

Marins, J. C. B., et al. (2007). Utilização de recursos ergogênicos e suplementos alimentares por praticantes de musculação em Belo Horizonte MG. Fitness & performance journal, 6(4), 218-226.

Matos, J. B., & Liberali, R. (2008). O uso de suplementos nutricionais entre atletas que participaram da segunda travessia da lagoa do Peri de 3.000m. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. 2(10), 185-197.

Mendes, L. B. (2013). Tipos de suplementos mais utilizados por praticantes de musculação, de uma academia da cidade de Criciúma–SC.

Milani, V.C., Teixeira, E.L., & Marquez, T.B. (2014). Fatores associados ao consumo de suplementos nutricionais em frequentadores de academias de ginástica da cidade de Nova Odessa. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 8(46).

Moreira, F. P., & Rodrigues, K. L. (2014). Conhecimento nutricional e suplementação alimentar por praticantes de exercícios físicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 20(5).

Neves, M. C. F. (2020). A influência da suplementação (adaptogénicos) na resposta hormonal associada ao exercício físico. 2020. Tese de Doutorado. Universidade de Coimbra.

Pamplona, A.P., & Kazapi, I.A.M. Avaliação dietética de praticantes de atividade física em diferentes modalidades esportivas: um estudo comparativo. Nutrição em Pauta, v.66, p.61-5, 2004.

Peçanha, A. L. M. M., et al. (2017). Suplementos termogênicos: evidências sobre a sua eficácia na redução da gordura corporal. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 11(65), 544-553.

Pereira, R. F., Lajolo, F. M., & Hirschbruch, M. D. (2003). Consumo de suplementos por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Revista de Nutrição de Campinas. 16(3).

Pontes, M. C. F. (2013). Uso de suplementos alimentares por praticantes de musculação em academias de João Pessoa-PB. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. 7(37). 9-27.

Resende, G. B., Molinari, M. G., & Silva, A. C. E. (2015). Efeitos adversos do uso inadequado de suplementos alimentares por praticantes de exercício físico. Revista Saúde Multidisciplinar, 3(1), 2015.

Ribeira, M.K.M.R. (2020). Análise de microalbuminúria em praticantes de atividade física sob suplementação proteica. Revista Brasileira de Análises Clínicas, 52(1), 71-6, 2020.

Rodrigues, A. (2017). Caracterização Do Perfil E Dos Hábitos De Suplementação Alimentar De Praticantes De Musculação Em Uma Academia Do Município De Fortaleza-Ce. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. 11(66).662-668.

Schneider, C., Machado, C., Laska, S. M., & Liberali, R. (2008). Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercício físico em academias de musculação de Balneário Camboriú-SC. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 2(11), 307-322.

Silva, A. A., Fonseca, N. S. L. N., & Gagliardo, L. C. (2012). A associação da orientação nutricional ao exercício de força na Hipertrofia muscular. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. 6(35). 389-397.

Silva, L. M. L., Biesek, S., Alves, L. A., & Guerra, I. (2005). Guia alimentar para atletas: Estratégias de nutrição e suplementação no esporte. Manole.

Silva, L. V., & Souza, S. V. C. D. (2016). Qualidade de suplementos proteicos: avaliação da composição e rotulagem. Revista do Instituto Adolfo Lutz, 75(1703), 1-17.

Sussmann, K. (2013). Avaliação do consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercício físico em academia na zona sul do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. 7(37). 35-42.

Williams, C., & Devlin, J. T. (1992). Foods, nutrition and sports performance: an international scientific consensus organized by Mars, Incorporated with International Olympic Committee patronage. London: E & FN Spon.

Zilch, M. C., et al. (2012). Análise da ingestão de proteínas e suplementação por praticantes de musculação nas academias centrais da cidade de Guarapuava-PR. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 6(35), 7.

Published

23/11/2022

How to Cite

PEREIRA , I. X. .; FERREIRA, J. C. de S. .; FIGUEIREDO, R. S. . Assessment of the supplementary and nutritional profile of the male audience. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e459111537456, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37456. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37456. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Review Article