The nurse's role in care for children with autistic spectrum disorder

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37551

Keywords:

Autism spectrum disorder; Autism; Nursing professional.

Abstract

The present study focuses on the role of nurses in caring for children with Autism Spectrum Disorder. This theme consists of a current discussion, between the years 2017 and 2022. The time frame was determined to investigate the limitations found in the literature on nurses in the care of children with ASD. The choice of theme was based on the representation of the nursing professional regarding the diagnosis and treatment of autistic children. Thus, the present research was based on academic studies, characterizing the work as a bibliographic, exploratory and qualitative methodology, whose general objective is to highlight the assistance provided to children with Autism Spectrum Disorder. Regarding the results obtained, it was found that the nurse is the health professional who has more contact with the child. In addition, it can play its role helping the family and the community. However, the literature states that there is a lack of trained nurses. This gap allows us to suggest that it is necessary to create public policies to encourage nurses to train themselves.

References

Araujo, C. M. D, Souza Nascimento, J. D., & Dutra, W. L. (2021). O papel do enfermeiro na assistência à criança autista. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde.

Ault, S., Breitenstein, S. M., Tucker, S., Havercamp, S. M., & Ford, J. L. (2021). Cuidadores de crianças com transtorno do espectro autista em áreas rurais: uma revisão da literatura sobre saúde mental e apoio social. Journal of Pediatric Nursing , 61 , 229-239.

Brasil. (2012). nº 12.764 de 27 de dezembro de 2012. Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtornos do Espectro Autista. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm.

Brasil. (2015). Lei n. 13.146 de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.

Brasil. (2019). Lei n. 13.977 de 8 de julho de 2020. Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L13977.htm.

Brown, M., Marsh, L., & McCann, E. (2021). Experiências de pais diante do diagnóstico de seu filho com transtorno do espectro autista: uma revisão narrativa da pesquisa internacional. Journal of Clinical Nursing , 30 (19-20), 2758-2768.

Brown, M., Marsh, L., & McCann, E. (2021). Experiências de pais diante do diagnóstico de seu filho com transtorno do espectro autista: uma revisão narrativa da pesquisa internacional. Journal of Clinical Nursing , 30 (19-20), 2758-2768.

Câmara, J. L., Boas, R. R. V., do Nascimento Neto, L. F. C., & dos Santos, S. D. G. (2021). Vitamina D: uma revisão narrativa. Brazilian Journal of Health Review, 4(2), 5904-5920.

Cashin, A., Pracilio, A., Buckley, T., Kersten, M., Trollor, J., Morphet, J., & Wilson, NJ (2022). Uma pesquisa de experiências educacionais de enfermeiras registradas e capacidade autopercebida para cuidar de pessoas com deficiência intelectual e/ou transtorno do espectro autista. Journal of Intellectual & Developmental Disability , 47 (3), 227-239.

CDC (2022a). Center of Deseases Control and Prevention. Data & Statistics on Autism Spectrum Disorder. https://www.cdc.gov/ncbddd/autism/data.html.

CDC (2022b). Center of Deseases Control and Prevention. Data & Statistics on Autism Spectrum Disorder. https://www.cdc.gov/about/.

Gaag, R. J. V. D. (2017). Transtornos do espectro do autismo: história do desenvolvimento de um conceito. Em Transtornos do Espectro do Autismo em Adultos (pp. 1-27). Springer, Cham.

Golt, J., & Kana, R. K. (2022). História do autismo. A Neurociência do Autismo, 1.

Cotuá Urzola, J. C., Morales Ortiz, A., Delgado Nilo, M., Muñoz Jáuregui, A. M., Quiñones Sepúlveda, L., Salazar-Granara, A., & Alvarado-Yarasca, Á. (2017). Determinación del nivel de dosis del ácido valproico e influencia de los fármacos inductores y no inductores enzimáticos en pacientes voluntarios de la ciudad de Mérida, Venezuela. Horizonte Médico (Lima), 17(3), 29-34.

GOV-PR. (2022). Governo do Paraná. Secretaria da Saúde. Transtorno do Espectro Autista (TEA). https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Transtorno-do-Espectro-Autismo-TEA.

Gewandsznajder, F., & Mazzotti, A. J. A. (1998). O método nas Ciências Naturais e Sociais. São Paulo: Pioneira.

Griesi-Oliveira, K., & Sertié, A. L. (2017). Transtornos do espectro autista: um guia atualizado para aconselhamento genético. Einstein (São Paulo), 15, 233-238.

Hofzmann, R. R., Perondi, M., Menegaz, J., Lopes, S. G. R., & da Silva Borges, D. (2019). Experiência dos familiares no convívio de crianças com transtorno do espectro autista (TEA). Enfermagem em foco, 10(2).

Marconi, M. D. A., & Lakatos, E. M. (2010). Fundamentos da Metodologia Cientifica. 7ª Edição-São Paulo: Atlas.

Lopes, R. M. D. R., & Rezende, P. I. D. S. (2017). O direito da pessoa com Transtorno do Espectro Autismo (TEA). Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento,13, 65-82.

Maia, C. S., Menezes, K. M. C. D., Tenorio, F. D. C. A. M., Queiroz, J. R. A. D., & Maciel, G. E. D. S. (2020). Transtorno do espectro autista e a suplementação por ácido fólico antes e durante a gestação. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 68, 231-243.

Mapelli, L. D., Barbieri, M. C., Castro, G. V. D. Z. B., Bonelli, M. A., Wernet, M., & Dupas, G. (2018). Criança com transtorno do espectro autista: cuidado na perspectiva familiar. Escola Anna Nery, 22 .

Molina, L. M. M. (2021). Análise da política nacional de proteção dos direitos da pessoa com transtornos do espectro autista e os impactos no Projeto Político-Pedagógico do curso de Pedagogia de uma Universidade Pública.

Mossakowski, T., Maeder, C., & Lüttich, K. (2007, março). O conjunto de ferramentas heterogêneo, Hets. In International Conference on Tools and Algorithms for the Construction and Analysis of Systems (pp. 519-522). Springer, Berlim, Heidelberg.

Neyoshi, C. (2018). Apoio de enfermeiras de saúde pública para crianças com transtorno do espectro autista (TEA) e seus pais, adaptado ao nível de aceitação dos pais e características locais. J Comm Pub Health Nursing, 4 (221), 2.

Reis, R. D. C., & Pinto, I. S. B. (2021). A relação do transtorno espectro autismo com a genética. Biológica-Caderno do Curso de Ciências Biológicas, 4(1).

Ribas, L. B. D., & Alves, M. (2020). O Cuidado de Enfermagem a criança com transtorno do espectro autista: um desafio no cotidiano. Revista Pró-univerSUS, 11(1), 74-79.

Romanowski, J. P., & Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Revista diálogo educacional, 6(19), 37-50.

Rutter, M. (2005). Incidência de transtornos do espectro do autismo: mudanças ao longo do tempo e seu significado. Acta pediátrica, 94 (1), 2-15.

Sampson, W. G., & Sandra, A. E. (2018). Estudo comparativo sobre o conhecimento sobre o transtorno do espectro autista entre enfermeiros pediátricos e psiquiátricos em hospitais públicos em Kumasi, Gana. Prática clínica e epidemiologia em saúde mental: CP & EMH, 14, 99.

Silva, T. D. C., Santos, C. V. P., & Naka, K. S. (2021). Assistência de enfermagem à crianças com transtorno do espectro autista. Estudos Avançados sobre Saúde e Natureza, 1.

Souza, A. P. D., de Oliveira, B. K. F., Albuquerque, F. H. S., da Silva, M. A., Rolim, K. M. C., Fernandes, H. I. V. M., & Pinheiro, M. C. D. (2020). Assistência de enfermagem ao portador de autismo infantil: uma revisão integrativa. Brazilian Journal of Health Review, 3(2), 2874-2886.

Strunk, J., Leisen, M., & Schubert, C. (2017). Utilizando uma abordagem multidisciplinar com crianças diagnosticadas com transtorno do espectro autista. Journal of Interprofessional Education & Practice , 8 , 60-68.

Tiner, S., Cunningham, G. B., & Pittman, A. (2021). “Atividade física é benéfica para qualquer pessoa, incluindo aqueles com TEA”: Antecedentes de enfermeiros que recomendam atividade física para pessoas com transtorno do espectro autista. Autismo, 25 (2), 576-587.

Ventura, M. M. (2007). O estudo de caso como modalidade de pesquisa. Revista SoCERJ, 20(5), 383-386.

Volkert, D., & Ortelli, TA (2022). Transtorno do Espectro Autista. AJN The American Journal of Nursing , 122 (4), 53-55.

Zanotti, J. M. (2018). Manuseie com cuidado: Cuidando de crianças com transtorno do espectro do autismo no ED. Enfermagem2021, 48 (2), 50-55.

Published

21/11/2022

How to Cite

MOURA, V. de M. .; TONON, T. C. A. . The nurse’s role in care for children with autistic spectrum disorder. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e418111537551, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37551. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37551. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Review Article