Preventive Maintenance in Health Care Establishments

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37572

Keywords:

Preventive maintenance; Equipment; Health care establishments; Clinical engineer.

Abstract

It is extremely necessary to approach preventive maintenance in health care facilities. The maintenance of hospital equipment aims, mainly, at mitigating risks to human health, both for patients and for the professionals involved. The article aims to highlight the effectiveness of preventive maintenance as a safety tool in hospital environments. It is a study based on bibliographic research, covering consultations with journals, institutional repositories and databases of interest to the study. It is justified by the fact that preventive maintenance in EAS favors the economy, once applied in a coherent way it allows the reduction of costs, in this way, the investments now destined for maintenance, can be applied in other areas, allowing the increase of services available to users. When performed properly, it directly influences quality indicators and consequently obtains the privilege of credibility for users who use health facilities. It should be analyzed that the lack of preventive maintenance in health establishments can lead to numerous damages and/or expenses, such as factors related to the insufficient use of hospital equipment and an increase in corrective maintenance. It is essential that the EAS have a Clinical Engineer in their staff responsible for maintenance management, as he will manage the entire technological process in the medical area, aiming at the improvement and quality of the equipment.

References

Amorim, A. S., Pinto Junior, V. L., Shimizu, H. E. (2015). O desafio da gestão de equipamentos médico-hospitalares no Sistema Único de Saúde. Saúde Debate | Rio de Janeiro, v. 39, n. 105, p.350-362.

ABNT. (2013). NBR 15575: Edificações Habitacionais – Desempenho. Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ABNT. (1994). NBR 5462-1994: Confiabilidade e mantenabilidade. Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Calil, S. J. & Texeira, M. S. (1998). Gerenciamento de Manutenção de Equipamentos Hospitalares. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Costa, M. A. (2013). Gestão estratégica da manutenção: uma oportunidade para melhorar o resultado operacional. Universidade Federal De Juiz De Fora: Juiz de Fora. https://www.ufjf.br/ep/files/2014/07/2012_3_Mariana.pdf.

EBSERH. (2020). Engenharia Clínica. Hospitais Universitários Federais - Ministério da http://www2.ebserh.gov.br/web/hu-ufjf/engenharia-clinica#:~:text=A%20Engenharia.

Instituto de Engenharia. (2017). Tudo o que você precisa saber sobre Engenharia Clínica. https://www.institutodeengenharia.org.br/site/2017/07/25/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-engenharia-clinica/

Gerônimo, M. S., Leite, B. C. C. & Oliveira, R. D. (2017). Gestão da manutenção em equipamentos hospitalares: um estudo de caso. Exacta – EP, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 167-183.

Guimarães, J. M. C. (2020). Manutenção nos edifícios hospitalares: o que é preciso fazer? Portal Hospitais Brasil. https://portalhospitaisbrasil.com.br/artigo-manutencao-nos-edificios-hospitalares-o-que-e-preciso-fazer/.

Lima, F. A. & Castilho, J. C. N. (2006). Aspectos da manutenção dos equipamentos Científicos da Universidade de Brasília, Dissertação da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação (FACE), Brasília, DF.

Ministério da Saúde. (2016). Mapeamento e diagnóstico da gestão de equipamentos médico-assistenciais nas regiões de atenção à saúde do projeto Qualisus-rede. Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. – Brasília: Ministério da Saúde.

Monchy, F. (1987). A função da manutenção. São Paulo: Durban.

Moubray, J. (2020). Manutenção centrada em confiabilidade. Reliability-centred Maintenance (RCM). Grã Bretanha.

Netto, W. A. C. (2008). A importância e a aplicabilidade da manutenção produtiva total (tpm) nas indústrias. 53f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

Nunes, E. N. & Valadares, A. (2008). Gestão da manutenção com estratégia na instalação de unidades geradoras de Energia Elétrica. FAE. http://www.fae.edu/publicacoes/pdf/art_cie/art_20.pdf

Porto, D. & Marques, D. P. (2016). Engenharia clínica: nova “ponte” para a bioética ?. Revista Bioética, Brasília, v. 24, n. 3, p. 515-527. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-80422016000300515&lng=en&nrm=iso.

Rodrigues, T. A. & Diniz, I. A.; Rodrigues, L. A. (2016). Manutenção preventiva com foco na redução de custos em unidades hospitalares: uma revisão integrativa da literatura. UFMG, v. 13 n. 2. https://revistas.face.ufmg.br/index.php/rahis/article/.

Rother, E. A. (2007). Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paul Enferm, 20 (2). https://www.scielo.br/j/ape/a/z7zZ4Z4GwY (scielo.br).

SIEMBRA. (2017). Manutenção preventiva em equipamentos: qual a importância? Siembra Automação. https://www.siembra.com.br/noticias/ manutencao-preventiva-em-equipamentos.

Siqueira, I. P. (2005). Manutenção centrada na confiabilidade: manual de implementação. 1.ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 408 p.

Souza, J. B. (2008). Alinhamento das estratégias do planejamento e controle da manutenção (PCM) com as finalidades e função do planejamento e controle da produção (PCP): Uma abordagem Analítica. 169 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Ponta Grossa.

Souza, S. S. & Lima, C. R. C. (2003). Manutenção Centrada em Confiabilidade como Ferramenta Estratégica. In: XXIII Encontro Nac. de Eng. de Produção, Ouro Preto – MG.

Souza, D. B., Milagre, S. T. & Soares, A. B. (2012). Avaliação econômica da implantação de um Serviço de Engenharia Clínica em hospital público brasileiro. Revista Brasileira de Engenharia Biomédica. v. 28, n. 4, p. 327-36.

Sousa, A. S., Oliveira, G. S. & Alves, L. H. (2021). A pesquisa bibliográfica: princípios e fundamentos. Cadernos da Fucamp, v.20, n.43, p.64-83.

Takahashi, Y., OSADA, T. (1993). Manutenção produtiva total. São Paulo: Instituto Iman. 322 p.

Terra, T. G., Guarienti, A., Simão, E. M. & Rodrigues Jr., L. F. (2014). Uma revisão dos avanços da engenharia clínica no Brasil. Disciplinarum Scientia. Série: Naturais e Tecnológicas, Santa Maria, v. 15, n. 1, p. 47-61.

Trojan, F., Marçal, R. F. M. & Baran, L. R. (2013). Classificação dos tipos de manutenção pelo método de análise multicritério electre tri. Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional: Natal – RN. http://www.din.uem.br/sbpo/sbpo2013/pdf/arq0338.pdf.

Xavier, J. N. (2003). Manutenção: tipos e tendências. http://www.engeman.com.br/site/ptb/artigostecnicos.asp/manutencaotiposetendencias.zip.

Wyrebski, J. (1997). Manutenção produtiva total: um modelo adaptado. Dissertação (M.sc) - UFSC, Florianópolis. https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/.

Published

27/11/2022

How to Cite

LOPES, R. S. .; SANTIAGO, L. de A. N. . Preventive Maintenance in Health Care Establishments . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e596111537572, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37572. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37572. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Engineerings