Profile of workers enjured with sharps in the health área

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i4.41038

Keywords:

Ward; Biological; Work accidents; Fluids.

Abstract

Occupational exposures to potentially contaminated biological materials are a serious risk to professionals in their workplaces. Studies developed in this area of medicine and health show that accidents involving blood and other organic fluids correspond to the most frequently reported exposures. Workers, whether health workers or not, in health establishments are at risk of suffering accidents with sharps due to the complexity of the activities developed. In order to identify the profiles of workers injured with sharps. The methodology was based on an integrative review on the question "how can we minimize accidents with sharps in various areas of health”. Its general objective is to describe the occurrences of accidents with sharps and preventive measures so that it can minimize the occurrence among workers in the health area. With the specific objective to discuss the diseases that can be acquired by professionals who are victims of accidents with sharp objects. The study in which it is a literature review based on subtracted articles in recent years. It concludes that it is necessary to take preventive and educational measures on biosafety, emphasizing the use of personal protective equipment and disposal of contaminated materials.

References

Alves, S. S. M., Passos, J. P. & Tocantins, F. R. (2009). Acidentes com perfurocortantes em trabalhadores de enfermagem uma questão de biossegurança, Rev Enferm UERJ. 17(3): 373-7.

Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Brasil). (2014). Brasil e Alemanha discutem impacto dos acidentes de trabalho. https://www.anamt.org.br/portal/2014/03/26/brasil-e-alemanha-discutem-impacto-dos-acidentes-de-trabalho/.

Amaro Jr., A. S. et al. (2015). Risco biológico no contexto da prática de enfermagem: Uma análise de situações favorecedoras. Rev Epidemiol Control Infect

Brasil. (2006). Exposição a materiaís biológicos. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2011). Classificação de Riscos de Agentes Biológicos elaborada pela CBS. Ministério da Saúde.

Canalli, R.T.C., Moriya, T.M., & Hayshida, M. (2011) Prevenção de acidentes com material biológico entre estudantes de enfermagem. Rev Enferm. UERJ. 19(1): 100- 106.

Canini, S. R. M. et al. (2002). Acidentes perfurocortantes entre trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário do interior paulista. Rev. Latino-Am. Enfermagem.

Cardoso, A.C.M., Figueiredo, R.M. (2010). Situações de risco biológico presentes na assistência de enfermagem nas unidades de saúde da família (USF). Rev Latino-Am Enferm. 18(3) 2-5.

Damaceno, A.P., et al. (2006). Acidentes ocupacionais com material biológico: a percepção do profissional acidentado. Rev Bras Enferm. V.3, n. 2

Destra, A. S. et al. (2002). Avaliação da subnotificação de acidentes profissionais com material biológico em um hospital universitário– Fase III. Anais... Belo Horizonte: ABIH.

Elias, M. A., & Navarro, V. L. (2006). A relação entre o trabalho, a saúde e as condições de vida: negatividade e positividade no trabalho das profissionais de enfermagem de um hospital escola. Rev Latino-Am Enferm. Ribeirão Preto, 14(4): 517-525.

Freitas, A. L. P, & Suett, W. B. (2006). Modelo para avaliação de risco em ambientes de trabalho: um enfoque em postos revendedores de combustíveis automotivos. XXVI ENEGEP.

Brasil. (2001). Norma Regulatória NR 6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI. Ministério do Trabalho e Emprego.

Gil, A C. (2007). Métodos e técnicas de pesquisa social. (5a.ed.), Atlas.

Jeronimo, R. A. S. (2010). Técnicas de UTI. RIDEEL.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. de A. (2001). Metodologia do trabalho Científico. (5a.ed.), Atlas., p. 43-44.

Marques, M.A., Suldofski, M. T., & Costa, G. F. M. (2010). Biossegurança em laboratório clínico. Uma avaliação do conhecimento dos profissionais a respeito das normas de precauções universais. Rev Bras Anál Clín. Vol 42.

Marziale, M. H. P. (1995). Condições ergonômicas da situação de trabalho, do pessoal de enfermagem em uma unidade de internação hospitalar. de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP.

Marziale, M. H. P., et al. (2007). Acidentes com material biológico em hospitais da Rede de Prevenção de Acidentes do Trabalho – REPAT. Rev Bras Saúde Ocup. São Paulo, 32 (115): 109-19.

Nascimento, H. R. P., Trentini, M. (2004). O Cuidado de Enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva (UTI): Teoria Humanística de Paterson e Zderad. Revista Latino-Americana de Enfermagem.

Neves, S. M. F. M., & Souza, C. T. V. (2004). Perfil dos profissionais da área da saúde acidentados com material biológico contaminado com HIV. Belo Horizonte: ABIH.

Nunes, F. C., & Oliveira, A. M. S. (2010). A atuação do enfermeiro na prevenção dos acidentes com material biológico contaminado.

Oliveira, A.C., & Gonçalves, J.A. (2010). Acidente ocupacional por material perfurocortante entre profissionais de saúde de um centro cirúrgico. Rev Esc Enferm. USP. São Paulo, 44 (2): 482-487.

Rapparini, Vitória & Lara, 2004, Rischitelli et al., 2001. Recomendações para o atendimento e acompanhamento de exposição ocupacional a material biológico: HIV e Hepatites B e C. Brasília: Ministério da Saúde - Programa Nacional de DST/AIDS. Disponível em: .Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Exposição a materiais biológicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2006. 76 p.:il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Saúde do Trabalhador , 3. Protocolos de Complexidade Diferenciada)

Rieth, G. H. (2023). Uso De Equipamentos de Proteção Individual pela Enfermagem em uma Unidade de Emergência Hospitalar.

Rischitelli, G. et al., (2001) The risk of acquiring hepatitis B or C among public safety workers. Am. J. Prev. Med., 20(4), 299-306.

Santos, F. D. et. al., (2010). O Estresse do Enfermeiro nas Unidades de Terapia Intensiva Adulto: Uma Revisão da Literatura. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas – SMAD. Vol.6. Nº 1. Art. 13. 2010.

Silva, J.A., et al., (2009). Investigação de acidentes biológicos entre profissionais de saúde. Esc Anna Nery, Rev Enferm. 13(3): 508-16.

Suazo, S. V. V., (1999). Contribuição ao estudo sobre acidentes de trabalho que acometem as trabalhadoras de enfermagem em hospitais chilenos. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP.

Valim, M. D. & Marziale, M. H. P. (2012). Avaliação da exposição ocupacional a material biológico em serviço de saúde. Texto Contexto Enferm. Florianópolis. 20 (Esp): 138- 46.

Valle, A. R. M. C., Moura, M. E. B., & Nunes, B. M. V. T. (2012). A biossegurança sob o olhar de enfermeiros. Rev Enferm. UERJ. 20(3): 361-370.

Silva, M. R., Cortez, E. A., & Valente, G. S. C. (2009). Acidentes com materiais perfurocortantes e biológicos no ambiente hospitalar: análise da exposição ao risco e medidas preventivas Rev. pesqui. cuid. fundam.

Vieira, M., Padilha, M. I., & Pinheiro, R. D.C., (2011). Análise dos acidentes com material biológico em trabalhadores da saúde. Revista LatinoAmericana de Enfermagem.

Published

05/04/2023

How to Cite

VIEIRA JUNIOR, V. F. .; NUNES JUNIOR, A. E. .; FELZENER, M. C. M. . Profile of workers enjured with sharps in the health área . Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 4, p. e12912441038, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i4.41038. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/41038. Acesso em: 2 jun. 2023.

Issue

Section

Health Sciences