Granted as a management instrument for the use of water resources in the Baixo Teles Pires river basin

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v13i3.45318

Keywords:

Water resource; Water management; Water catchment.

Abstract

Located in a region of broad geoenvironmental diversity, the lower Teles Pires river basin is undergoing transformations in territorial occupation driven by economic development. This highlights the importance of the need to monitor these changes. Therefore, the objective of this study is to conduct an investigation of water uses in the basin region by quantifying the concessions granted for the capture of surface and underground water. A consultation was carried out in databases in the Geoportal system of the State Secretariat for the Environment (SEMA/MT), as well as in the National Water Resources System (SNIRH), of the National Water and Basic Sanitation Agency (ANA), with the objective of quantifying and classifying surface and underground concessions according to their use. It was found that the majority of surface catchment permits in the basin area were issued for irrigation, basic sanitation and public supply, corresponding to 37% of use each. As for underground grants, it was found that 36% were issued for human consumption. However, the considerable difficulty in accessing the water resources information system became evidente.

References

Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2011). Cadernos de Capacitação em Recursos Hídricos: V.6. SAG.

Barros, A. P. S. (2022). Atualização da rede hidrográfica digital da bacia hidrográfica do rio Teles Pires como subsídio para o monitoramento hídrico e sistema de regularização ambiental. [Dissertação de mestrado, Universidade Tecnológica Federal do Paraná]. Repositório Institucional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (RIUT). http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/28723

Brasil. (1997). Lei nº 9.433, de 08 de janeiro de 1997. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm

Caovilla, M., et al. (2009). A outorga da água como gestão dos recursos hídricos no estado de Mato Grosso. XVIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Campo Grande, MS. https://anais.abrhidro.org.br/jobs.php?Event=152

Capoane, V. (2022). Expansão da fronteira agrícola no estado de Mato Grosso entre os anos de 1988 e 2018. Caderno Prudentino de Geografia, 1(44), 73–98.

Cessa, R. M. A., & Rizzi, T. de S. (2017). Identificação de microbacias contendo pivôs centrais no município de Sorriso (MT): estudo contributivo à outorga do uso de água. Revista Agrogeoambiental, 9(4), 23-31. http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v9n420171009

Comitê de Bacia Hidrográfica dos Afluentes da Margem Esquerda do Baixo Teles Pires. (s.d.). CBH-A4 ME. https://cbhbaixotelespires.wixsite.com/comites/localizacao

Costa, R. A. D. S. (2022). Comitês de bacia do rio teles pires: estratégias de ações conjuntas para a governança das águas. UNEMAT Editora. http://portal.unemat.br/media/files/Comitês%20de%20Bacia%20do%20Rio%20Teles%20Pires-%20%20obra.pdf

Da Silva, R. F., et al. (2016). Análise dos impactos ambientais da Urbanização sobre os recursos hídricos na sub-bacia do Córrego Vargem Grande em Montes Claros-MG. Caderno de Geografia, 26(47), 966-976.

Di Mauro, C. A. (2014). Conflitos pelo uso da água. Caderno Prudentino de Geografia, 1(36), 81-105.

Fantin-Cruz, I., & Bruno, L. O. (2020). Comitês de bacias hidrográficas e a gestão participativa dos recursos hídricos no estado de mato grosso. Caminhos De Geografia, 21(73), 332–346. https://doi.org/10.14393/RCG217348479

Ferreira, F. S. (2022). Análise do Sistema de Outorga de Água para a gestão de Recursos Hídricos em Mato Grosso. Cuiabá. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - ProfAgua - Polo UNEMAT como parte dos requisitos para a obtenção do título de Mestre em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos. www.feis.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/profagua/dissertacoesdefendidas/unemat_dissertacao_final_fernanda_dos_santos_ferreira.pdf

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa (6a ed.). Atlas

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2022). Cidades e Estados. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/mt.html

ICV. (2023). ATLAS. Alta Floresta. Instituto Centro de Vida (ICV). https://www.icv.org.br/website/wp-content/uploads/2023/04/atlas-altafloresta.pdf

Koche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica (Edição revista e atualizada). Vozes.

Kraeski, A. (2021). Conversão de áreas e impactos antrópicos na bacia hidrográfica do rio Teles Pires [Dissertação de mestrado]. Universidade Federal de Mato Grosso. https://cms.ufmt.br/files/galleries/95/Disserta%C3%A7%C3%B5es%202021/Db3ca8c35920da778dc44f54a4fd274797a5d7bd9.pdf

Lopes, T. R., et al. (2015). Regionalização das vazões para bacia hidrográfica do rio Teles Pires–MT como subsídio para gestão dos recursos hídricos. Em III Encontro Internacional Inovagri. https://doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a223

Maia, P. C. C., Vasconcellos Sobrinho, M., & Mendes, R. L. R. (2022). Governança da água na Amazônia Paraense: uma análise no uso da outorga de direito de uso dos recursos hídricos. P2P E INOVAÇÃO, 9(1), 8–28. https://doi.org/10.21721/p2p.2022v9n1.p8-28

Mato Grosso. (2011). Resolução nº 44, de 11 de outubro de 2011. Estabelece critérios técnicos a serem aplicados nas análises dos pedidos de outorga de águas subterrâneas no Estado. Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Estado do Mato Grosso. http://www.sema.mt.gov.br/site/index.php/decisao-colegiada/conselho-estadual-de-recursos-hi-dricos/category/353-resolu%C3%A7%C3%B5es?start=40

Moura, V. (2022). Mato Grosso lidera produção agropecuária brasileira por 4 anos consecutivos. SEDEC - Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. https://www.sedec.mt.gov.br/-/18778693-mato-grosso-lidera-producao-agropecuaria-brasileira-por-4-anos-consecutivos#:~:text=De%202018%20a%202021%20o,21%25%20do%20PIB%20do%20Estado&text=A%20cada%20ano%20Mato%20Grosso,segundo%20dados%20do%20Governo%20Federal

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM

Psendziuk, G. C. C. R. (2022). Software de informações geoespacializadas de dados de outorga e cadastro de poços do Estado de Mato Grosso – Cuiabá [Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - ProfÁgua - Unidade UNEMAT]. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". https://www.feis.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/profagua/dissertacoesdefendidas/dissertao_final_giselleccrpsendziuk.pdf

Silva, B. M. B., Silva, D. D., & Moreira, M. C. (2015). Influência da sazonalidade das vazões nos critérios de outorga de uso da água: Estudo de caso da bacia do rio Paraopeba. Revista Ambiente & Água, 10, 623-634

Silva, R. B., Polachini, R., Oliveira, A. S., Claudino, W. V., & Silva, E. P. (2023). Mapeamento da expansão agrícola no município de Alta Floresta-MT nos anos de 2019 e 2022. Enciclopédia Biosfera, 20(45), 261-273

Tomasoni, M. A., de Siqueira Pinto, J. E., & Peixoto da Silva, H. (2010). A questão dos recursos hídricos e as perspectivas para o Brasil. GeoTextos, 5(2). https://doi.org/10.9771/1984-5537geo.v5i2.3789

Veiga, A. M., et al. (2013). Diagnóstico das vazões do rio Teles Pires. Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 20. https://www.abrh.org.br/SGCv3/publicacao.php?PUB=3&ID=155&SUMARIO=3484&ST=diagnostico_das_vazoes_do_rio_teles_pires

Published

23/03/2024

How to Cite

HURTADO, T. C. C. .; LEITE, G. M. .; CARVALHO, D. de A. .; SILVA, S. A. A. da . Granted as a management instrument for the use of water resources in the Baixo Teles Pires river basin. Research, Society and Development, [S. l.], v. 13, n. 3, p. e9013345318, 2024. DOI: 10.33448/rsd-v13i3.45318. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/45318. Acesso em: 15 jun. 2024.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences