Anxiety, depression and stress in excessive weight clients

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6586

Keywords:

Obesity; Depression; Anxiety; Stress.

Abstract

The aim of this study was to evaluate the presence of symptoms of anxiety, depression and stress in patients with overweight anxiety at the Integrated Health Care Clinic of Centro Universitário Una, Belo Horizonte. Men and women, aged between 19 and 52 years, Body Mass Index (BMI)> 25 kg / m² were included. Beck Depression Inventory - BDI, Beck Anxiety Inventory - BAI and Perceived Stress Scale - PSS14 were filled by customers. The study was submitted and approved by the Ethics and Research Committee of Centro Universitário Una. 63 overweight and obese individuals participated, 83% (n = 52) women and 17% (n = 11) men, median age 34 years, median BMI 31.2 kg / m². 63% of individuals indicated symptoms of depression, 73% anxiety and 97% stress. Overweight patients seen at the CIAS show symptoms of depression, anxiety and stress. The higher the BMI, the more symptoms of depression and anxiety the overweight individual has. This situation worsens in patients with symptoms of depression, as they also present symptoms for anxiety and in patients with symptoms of anxiety who also have symptoms of stress. A joint approach between the nutritionist and the psychologist is necessary to fully assess the individual, since obesity can be a factor causing behavioral disorders and vice versa.

Author Biographies

Marina Amorim do Espírito Santo Rabello, Centro Universitário Una

Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Una, Belo Horizonte

Maria Marta Amancio Amorim, Centro Universitário Unifacvest

Centro de estudos em migrações e relações interculturais da Universidade Aberta de Lisboa, Portugal

Mariana Pereira da Silva Franco, Centro Universitário Una

Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Una

Warley Alisson Souza, Centro Universitário Una

Nutricionista graduado pelo Centro Universitário Una, Belo Horizonte

Nayara Mussi Monteze, Centro Universitário Una

Nutricionista pela Universidade Federal de Viçosa (2012). Mestre em Saúde e Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto (2014). Especialista em Nutrição Esportiva (2018). Doutora em Ciência de Alimentos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2019). Professora da graduação e pós-graduação do Centro Universitário Una e UniBH. Membro do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro Universitário Una. Experiência em pesquisa, nas linhas que envolvem obesidade, comportamento alimentar e estratégias de intervenção. Experiência em atendimento nutricional.

References

Andreoletti, C., Veratti, B. W., & Lachman, M. E. (2006). Age differences in the relationship between anxiety and recall. Aging & Mental Health, 10(3), 265–271. Recuperado de https://doi.org/10.1080/13607860500409773.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Obesidade e Depressão: Associação Recíproca, 2010. Recuperado de http://www.abeso.org.br /noticia/obesidade-e-depressao-associacao-reciproca.

Beck, A. T., Epstein, N., Brown, G., & Steer R. A. (1988). An inventory for measuring clinical anxiety: Psychometric properties. Jou. Con. Clin. Psy., 56(6):893-897 Recuperado de https://doi.org/10.1037/0022-006X.56.6.893.

Brasil. (2018). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2017: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2017 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ vigitel_brasil_2017_vigilancia_fatores_riscos.pdf.

Brasil. (2019) Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico : estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2019. Recuperado de https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/julho/25/vigitel-brasil-2018.pdf.

Coelho, M. S. P., Assis, M. A. A., & Moura, E. C. C. (2009). Aumento do índice de massa corporal após os 20 anos de idade e associação com indicadores de risco ou de proteção para doenças crônicas não transmissíveis. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, 53 (.9), 1146-1156 . Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0004-27302009000900012.

Coutinho, M. E. M., Giovanini, M., Pavini, L. S., Ventura, M. T., Elias, R. M., & Silva, L. M. (2015). Aspectos biológicos e psicossociais da depressão relacionado ao gênero feminino. Rev. Bras. Neur. Psiquiatria, 19(1): 49-57. Recuperado de https://rbnp.emnuvens.com.br/rbnp/article/view/131/62.

Gorestein, C., & Andrade, L. (1996). Validation of a Portuguese version of the Beck Depression Inventory and the State-Trait Anxiety Inventory in Brazilian subjects. Braz. Jour. Med. Bio. Research., 29(4),453-457. Recuperado de https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8736107/. Acesso em 10 Out 2019.

Jackson, S. E., Kirschbaum, C., & Steptoe, A. (2017). Hair cortisol and adiposity in a population-based sample of 2,527 men and women aged 54 to 87 years. Obesity, 25 (3): 539-544. Recuperado de https://doi.org/10.1002/oby.21733.

Khesht-Masjedi, F. M., Shokrgozar, S., Abdollahi, E., Habibi, B., Asghari, T., & Ofoghi, R. S., et al.. (2019). The relationship between gender, age, anxiety, depression, and academic achievement among teenagers. Journal Family Medicine and Primary Care, 8(3), 799–804. Recuperado de https://doi:org/10.4103/jfmpc.jfmpc_103_18.

Latterza, A. R., Dunker, K. L. L., Scagliusi, F. B., & Kemene, E. (2004). Tratamento nutricional dos transtornos alimentares. Rev. psiquiatr. Clín., 31(4),173-176. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/rpc/v31n4/22404.pdf.

Ludwing, M. W., Bortolon, C., Bortolini, M., Feoli, A. M., Macagnan, F. E., & Oliveira, M. S. (2012). Ansiedade, depressão e estresse em pacientes com síndrome metabólica. Arq. Bras. Psicologia, 64(1):31-46. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672012000100004.

Luft, C. D. B., Sanches, S. O., Mazo, G. Z., & Andrade, A. (2007). Versão brasileira da Escala de Estresse Percebido: tradução e validação para idosos. Rev. Saú. Pública, 41(4): 606-615. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0034-89102007000400015.

Melca, I. A., & Fortes, S. (2014). Obesidade e transtornos mentais: construindo um cuidado efetivo. Rev. Hosp. Univ. Ped. Ernest, 13(1):18-25. Recuperado de https://doi. org/10.12957/rhupe.2014.9794.

Moraes, A. L., Almeida, E. C., & Souza, L. B. (2013). Percepções de obesos deprimidos sobre os fatores envolvidos na manutenção da sua obesidade: investigação numa unidade do Programa Saúde da Família no município do Rio de Janeiro. Phy. Rev. Saú. Coletiva, 23 (2): 553-572. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/physis/v23n2/v23n2a12.pdf.

Moreira, D. P., & Furegato, A. R. F. (2013). Estresse e depressão entre alunos do último período de dois cursos de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 21 (no.spe): 155-162. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/rlae/v21nspe/pt_20.pdf.

Nascimento, I. B., Fleig, R., & Silva, J. C. (2016). Relação entre obesidade e estresse no ambiente ocupacional: fundamentos sobre causas e consequências. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, 8 (4): 296-311. Recuperado de https://doi.org/10.3895/rbqv.v8n4.5127.

Pereira, C., & Brandão, I. (2014). Uma Perspectiva da Psicopatologia da Obesidade. Arquivos de Medicina, 28 (5):152-159. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-34132014000500004&lng=pt&nrm=iso.

Ribeiro, R. P., Ribeiro, P. H. V., Marziale, M. H. P., Martins, M. B., & Santos, M. R. (2011). Obesidade e estresse entre trabalhadores de diversos setores de produção: uma revisão integrativa. Ac. Pau. Enfermagem, 24(4):577-81. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0103-21002011000400020.

Tosetto, A. P., & Júnior, C. A. S. (2008). Obesidade e sintomas de depressão, ansiedade e desesperança em mulheres sedentárias e não sedentárias. Med. (Rib. Pre.Online), 41(4),497-507. Recuperado de https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v41i4p497-507.

Urbanetto, J. S., Rocha, P. S., Dutra, R. C., Maciel, M. C., Bandeira, A. G., & Magnago, T. S. B. S. (2019). Estresse e sobrepeso/obesidade em estudantes de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 27,(e3177). Recuperado de https://doi.org/10.1590/1518-8345.2966.3177 .

Verdolin, L. D., Nascida, A. R., Júnior, R. O. G., Silva, T. F. C., & Belmonte, T. A. (2012). Comparação entre a prevalência de transtornos mentais em pacientes obesos e com excesso de peso. Scientia Medica, 22(1): 25-31. Recuperado de 9918-Article Text-39427-2-10-20120322 (1).pdf.

Wiesel, T. R. W., Nelson, C. J., Tew, W. P., Hardt, M., Mohil, S. G., & Owusu, C., et al. (2015). Cancer Aging Research Group (CARG). The relationship between age, anxiety, and depression in older adults with cancer. Psycho-Oncology, 24(6), 712–717. Recuperado de https://doi.org/10.1002/pon.3638.

World Health Organization. (2017). WHO. Depression and Other Common Mental Disorders: Global Health Estimates. Geneva: World Health Organization, 2017. Recuperado de http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/254610/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf;jsessionid=456E76F1558AB4DB28CDF4E0B03D2B3A?sequence=1.

Published

09/08/2020

How to Cite

Rabello, M. A. do E. S., Amorim, M. M. A., Franco, M. P. da S., Souza, W. A., & Monteze, N. M. (2020). Anxiety, depression and stress in excessive weight clients. Research, Society and Development, 9(9), e03996586. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6586

Issue

Section

Health Sciences