Factors that hard the early diagnosis of syphilis in pregnancy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7225

Keywords:

Primary care services; Women’s health; Congenital syphilis.

Abstract

Objective: to identify factors that hinder the early diagnosis of gestational syphilis in a city in the interior of the Northeast. Methodology: this is a descriptive and documentary research with a quantitative approach. Twenty-seven medical records of pregnant women diagnosed with syphilis were used, after which the data were typed and stored in an Excel spreadsheet, analyzed using descriptive statistics and presented in tables using relative and absolute frequencies. Results: a high rate of gestational and congenital syphilis was detected. Difficulties were observed related to the distance from basic units in rural areas, delay in scheduling quarterly exams, failure to perform a rapid test in some units, lack of administration of medication therapy and shortage of penicillin and late uptake of pregnant women were observed. Conclusion: there were some weaknesses in prenatal care, which interfere with the early diagnosis of infection in pregnant women, as well as the need for training for professionals who work indirectly with the public in question.

References

Acosta, L. M. W., Gonçalves, T. R., & Barcellos, N. T. (2016). Coinfecção HIV/sífilis na gestação e transmissão vertical do HIV: um estudo a partir de dados da vigilância epidemiológica. Rev Panam Salud Publica, 40 (6), 435-442.

Araújo, L. R. L., Silva, V. C. C., Filho, P.S. G. & Sousa, M. N. A. (2016). Prevalência de sífilis gestacional e congênita no estado de Goiás, Brasil. C&D-Revista Eletrônica da FAINOR, 9 (2), 49-58.

Brasil. Ministério da Saúde. (2019) Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico - Sífilis. Brasília, DF. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim-epidemiologico-sifilis-2019 Acesso em 18 de abril de 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. (2017). Portaria n° 2436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html Acesso em 18 de abril de 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, 16 out. 1996. Brasília. Disponível em: http://www.cesed.br/portal/documentos/comiteetica/resolucoes/resolucao46612dezembro2012.pdf. Acesso em 21 de setembro de 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. (2017). Teste rápido de HIV e Sífilis na atenção básica. Brasil. Disponível em: https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/rede-cegonha/testes-rapidos.

Cooper, J. M., Michelow, I. C., Wozniak P.S., & Sánchez P. J. (2016). Em tempo: a persistência da sífilis congênita no Brasil – Mais avanços são necessários! Rev. paul. pediatr. 34 (3), 251-253.

Costa, C. V., Santos, I.A. B., Silva, J.M., Barcelos, T. F., & Guerra H.S. (2017). Sífilis Congênita: Repercussões e Desafios. Arq. Catarin Med. Santa Catarina, 46 (3), 194-202.

Domingues, R. M. S. M. & Leal, M. C. (2016). Incidência de sífilis congênita e fatores associados à transmissão vertical da sífilis: dados de estudo Nascer no Brasil. Cad. Saúde Pública, 32 (6), e00082415.

Ferreira, A. G., Gomes, L. A., Medeiros, R. C. T., Leonidas, R.A. M., & Medeiros J. P. (2018). Perfil dos Casos de Sífilis Congênita no Município de Natal/RN no Período de 2007 a 2015. RevistaSaúde em Foco, 20 (2), 203-212.

Figueiredo, D. C. M. M., Figueiredo, A. M., Souza, T. K. B., & Viana R. P. T. (2020). Relação entre oferta de diagnóstico e tratamento da sífilis na atenção básica sobre a incidência de sífilis gestacional e congênita. Cad. Saúde pública.36 (3), e00074519.

Figueiredo, M.S. N., Cavalcante, E.G. R., Oliveira, C. J., Monteiro, M.F. V., Quirino, G. S., & Oliveira, D.R. (2015). Percepção dos enfermeiros sobre o acompanhamento de parceiros de gestantes com sífilis. Rev. Rene, 16 (3), 345-54.

Furtado, M. F. S., Brasil, G. V. S., Aragão, F. B. A., Santos, G. R. B., Pereira S. L. M., & Fontoura, C. C. (2017). Fatores epidemiológicos da sífilis em gestantes no Município de São Luís-MA.

Revista Uningá, 52 (1), 51-55.

Lafetá, K. R. G., Júnior, H. M., Silveira, M. F., & Paranaíba, L. M. R. (2016). Sífilis materna e congênita, subnotificação e difícil controle.Rev. Bras. Epidemiol,19 (1), 63-74.

Lopes, A. C. M., Araújo, M. A. L., Vasconcelo, L. D. P. G., Uchoa F. S. V., Rocha H. P., & Santos J. R. (2016). Implantação dos testes rápidos para sífilis e HIV na rotina do pré-natal em Fortaleza - Ceará. Rev. Bras. Enferm. 69 (1), 62-66. https://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690108i

Marques, C. A. B., Luz, H. C. & Júnior, R. N. C. M. (2020). Perfil Epidemiológico de sífilis gestacional e congênita no Estado do Piauí no período de 2017 a 2020 – Piauí, Brasil. Research, Society and Development, 9 (7), e4000973991.

Maschio, L. T., Machado, I. L. L., Siqueira, J. P. Z., & Almeida, M. T. G. (2019). Perfil epidemiológico de pacientes com sífilis congênita e gestacional em um município do Estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 19(4), 865-872.

Moreira, K. F. A., Oliveira, D. M., Alencar, L. N., Cavalcante, D. F. B., Pinheiro, A. S., & Órfão, N. H. (2017). Perfil dos casos notificados de sífilis congênita. Cogitareenferm,22)2: e

Oliveira, E. H., Silveira, J. A. V. da, Sampaio, S. S. de C., Verde, R. M. C. L., Soares, L. F., & Costa, S. C. R. (2020). Analysis of notificated cases of syphilis in pregnancy in the state of Paraiba, Brazil. Research, Society and Development, 9(1), e179911900.

Silva, L. M. C., Dias, M. D., Frazão, A. G. F., Rezende, A. L. S., Moura, F. M. L., Araújo, E. C., Pinheiro, M. C. N., Rodrigues, A. R. R., Souza, A. M. A. & Leão, P. V. (2019). Sífilis Congênita no Estado do Pará – Brasil, 2007 a 2016. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 24, 1003-e1003.

Published

22/08/2020

How to Cite

Tenorio, L. V. ., Azevedo, E. B. de, Barbosa, J. C. G., Lima, M. K. S. ., Pereira, M. M. de B. S., & Barbosa , H. C. V. . (2020). Factors that hard the early diagnosis of syphilis in pregnancy. Research, Society and Development, 9(9), e377997225. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7225

Issue

Section

Health Sciences