Health promotion and prevention of cervical cancer: strategies used by nurses

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7494

Keywords:

Cancer of the cervix; Nurse; Health promotion; Watch out; Comprehensive assistance to women's health.

Abstract

Objective: to analyze the care carried out for the promotion of Health in the prevention of uterine cancer by nurses in Primary Health Care according to the Ministerial protocol. Methodology: a field research with a qualitative, descriptive and exploratory approach is specialized. The study was carried out with ten nurses linked to the Family Health Strategy Teams in a city in the Central Region of the State of Rio Grande do Sul. The selection occurs at random through a draw. Data collection was carried out through semi-structured interviews. The results obtained in the data collection were produced according to Minayo's content analysis. Results: three categories resulted. Health promotion as a nursing care strategy; Nursing care based on the Ministry of Health protocol; Access to services as a nursing care strategy. It is perceived that among nurses, care reveals a very heterogeneous work process, and the promotion and prevention of cervical cancer occurs in an uneven and fragmented way. Final considerations: for effective care as women, it is necessary that permanent health education be guided by changes, permeated with senses and meanings so that care is guided by scientific evidence and based on the official protocols instituted.

Author Biography

Elenir Terezinha Rizzetti Anversa, Faculdade Integrada de Santa Maria-FISMA

Departamento de Enfermagem

References

Amaral, M.S., Gonçalves, A. G., Silveira, L. C. G. (2017). Prevenção do câncer de colo de útero: a atuação do profissional enfermeiro nas unidades básicas de saúde. Revista Científica FacMais, Volume. VIII, Número 1. Fev/Mar. Ano 2017/1º Semestre. ISSN 2238- 8427.

Barcelos, M. R. B., Lima, R. D. C. D., Tomasi, E., Nunes, B. P., Duro, S. M. S., & Facchini, L. A. (2017). Qualidade do rastreamento do câncer de colo uterino no Brasil: avaliação externa do PMAQ. Revista de Saúde Pública, 51, 67. https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051006802

Andrade, V. M. P., Cardoso, C. L. (2017). Visitas domiciliares de agentes comunitários de saúde: Concepções de profissionais e usuários. Psico-USF, Bragança Paulista, 22(1), 87-98. https://doi.org/10.1590/1413-82712017220108.

Brasil, Ministério da Saúde. (2013) Cadernos de Atenção Básica: Controle dos Cânceres do Colo do Útero e da Mama. Retirado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/controle_canceres_colo_utero_2013.pdf.

Brasil, Ministério da Saúde. (2009). Cadernos de Atenção Básica. Saúde na Escola. Brasília, DF. Retirado de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_24.pdf

Brasil, Ministério da Saúde. (2010). Caderno de Atenção Primaria. Rastreamento. Brasília, DF;2010. Retirado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_primaria_ 29_rastreamento.pdf

Brasil, Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. (2015). Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil. Rio de Janeiro. Retirado de https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//diretrizes_ deteccao_precoce_cancer_mama_brasil.pdf

Brasil, Ministério da Saúde. (2014). Política Nacional de Promoção da Saúde Revisão da Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006. Brasília, DF. Retirado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_pnaps.pdf.

Brasil, Ministério da Saúde. (2017). Portaria Nº2.436, de 21 de setembro de 2017. Brasil. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Brasil, Ministério da Saúde. (2016) Protocolos da Atenção Básica. Saúde das Mulheres. Brasília. Retirado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_atencao_basica_ saude_mulheres.pdf

Cofen, Conselho Federal de Enfermagem. (2011). Resolução Cofen Nº381/2011. Federal.http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-n-3812011_7447.html

Ferreira, H. M., Sales, M. D. C. (2017). Saúde da mulher enquanto políticas públicas. Salus J Health Sci. 2017; 3 (2): 58-65. DOI: https://dx.doi.org10.5935/2447-7826.20170016

Fernandes, N. F. S., Galvão, J. R., Assis, M. M. A., Almeida, P. F., Santos, A. M. (2019). Acesso ao exame citológico do colo do útero em região de saúde: Mulheres invisíveis e corpos vulneráveis. Cad. Saúde Pública; 35(10):e00234618. doi: 10.1590/0102-311X00234618

Instituto Nacional de Câncer. José Alencar Gomes da Silva. (2016). Ministério da Saúde. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero. Rio de Janeiro. Retirado de https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//diretrizes paraorastreamentodocancerdocolodoutero_2016_corrigido.pdf

Mendes, L. C., Elias, T. C., Santos, T. N., Tayar, E. M., Riul, S. S. (2017). Atividades educativas estimulando o autocuidado e prevenção do câncer feminino. Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jun ; 6(1):140-147.

Minayo, M. C. S. (2013). O desafio do conhecimento pesquisa qualitativa em saúde. (13a ed.). São Paulo: Hucitec Editora.

Moser, D. C., Silva, G. A., Maier, S. R. O., Barbosa, L. C., Silva, T.G. (2018). Sistematização da Assistência de Enfermagem: percepção dos enfermeiros. J. res.: fundam. care. online out/dez 10(4): 998-1007. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i4.998-1007

Peuker, A. C., Lima, N. B., Freire, K. M., Oliveira, C. M. M., Castro, E. K. (2017). Construção de um material educativo para a prevenção do câncer de colo do útero. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 8, n. 2, p. 146-160, dez. . DOI: 10.5433/2236-6407.2016v8n2p146

Silva, A. B., Rodrigues, M. P., Oliveira, A. P., Melo, R. H. V. (2017). Prevenção do câncer cervicouterino: Uma ação realizada pelos enfermeiros da estratégia saúde da Família. Revista Ciência Plural.3 (2):99-114.

Silva, S. E. D. D., Araujo, J. S., Chaves, M. D. O., Vasconcelos, E. V., Cunha, N. M. F., Santos, R. C. (2016). Representações sociais sobre a doença de mulheres acometidas do câncer cervico-uterino. J. res.: fundam. care. online 2016. jan./mar. 8(1):3667-3678. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v8.3706.

Silva, K. M., Santos S. M. A. (2016). A consulta de enfermagem na estratégia de saúde da família: realidade de um distrito sanitário. Rev Enferm UFSM. Abr./Jun.;6(2): 248-258. https://doi.org/10.5902/2179769218079

UFRGS. (2017). Desafios da atenção primária à saúde no Brasil / Marcelo Rodrigues Gonçalves. [et al.]. Porto Alegre: UFRGS. Retirado de https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/producao_cientifica/DESAFIOS%20DA%20ATEN%C3%87%C3%83O%20PRIM%C3%81RIA%20%C3%80%20SA%C3%9ADE.pdf.

Published

28/08/2020

How to Cite

Baldissera, S. S. ., Rosanelli, C. L. S. P. ., Donaduzzi, D. S. da S. ., & Anversa, E. T. R. (2020). Health promotion and prevention of cervical cancer: strategies used by nurses. Research, Society and Development, 9(9), e504997494. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7494

Issue

Section

Health Sciences