Sustainability assessment in bananeira production agroecosystems with the application of the MESMIS method

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.8007

Keywords:

Family agriculture; MESMIS; Systems.

Abstract

This article is the result of a master's dissertation in environmental sciences, and focuses on the study of the sustainability of banana production agro-ecosystems in the Vale do Açu region, from the point of view of the Management Systems Assessment Framework Incorporating Sustainability Indicators (MESMIS). The objective of the work was to evaluate the sustainability of two agroecosystems, carrying out, for this, a comparative study between the alternative and conventional banana systems. The data were obtained from the performance of exploratory research, semi-structured interviews, laboratory analyzes, observations, and the methodology proposed by MESMIS, so that the systematizations and considerations made by the interviewees were considered to determine the steps of MESMIS. From this, it is concluded that the production of the alternative agroecosystem is more sustainable than that of the conventional, since the first presented a desired situation of sustainability, while the second gave priority to productivity, thus neglecting itself, to the detriment dimensions of socio-environmental sustainability.

Author Biographies

Luany Gabriely da Silva, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

Mestra em ciências ambientais formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN - CNAT), Especialista em Gestão Ambiental pelo IFRN- CNAT (2018), Agroecológa pelo IFRN-Campus Ipanguaçu (2017),Técnica em Agroecologia pelo IFRN-Campus Ipanguaçu (2017). Foi bolsista do CNPq durante toda a graduação atuando em projetos de extensão pelo Núcleo de Estudos em Agroecologia (NEA), Coletivo TERRES (Terra, Educação e Saberes)e atualmente faz parte do Núcleo de Inovação em Gestão Pública (NIGEP).Trabalhou como voluntária no Projeto de Pesquisa ?Sistemas de irrigação na produção orgânica de bananeira no Vale do Açu-RN. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia, atuando principalmente nos seguintes áreas: adubação verde, Sistema Agroecológico, Agroecossistemas Sustentáveis, Avaliação da Sustentabilidade, Sementes Crioulas, Unidades Técnicas Demonstrativas, Educação do Campo, Controle biológico alternativo de pragas, Extensão Agroecologica e compactação do solo e infiltração.

Gerda Lúcia Pinheiro Camelo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Professora titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. Doutorado em Recursos Naturais pela Universidade Federal de Campina Grande (2013), Mestrado em Gestão e Políticas Públicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte ( 2001). Especializações em Gestão da Qualidade Total pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1998), Comércio Exterior com ênfase em empresas de pequeno porte pela Universidade Católica de Brasília (2004) e Educação Profissional Técnica de Nível Médio integrado ao Ensino Médio na modalidade de Jovens e Adultos pelo Centro Federal de Educação do Rio Grande do Norte (2007). Graduações em Administração de Empresas (1987) e Ciências Contábeis (1985) pela Universidade de Fortaleza. Ministra aulas no curso técnico de administração, cursos de tecnologia de Gestão Ambiental e de Gestão Pública e no curso de especialização em Gestão Ambiental e no Mestrado em Uso Sustentável dos Recursos Naturais no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte.

References

Albano, G. P. & SÁ, A. J. de (2008). Políticas públicas e globalização da agricultura no Vale do Açu-RN. Revista de Geografia, Recife, v. 25, n. 2, p. 58-80. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistageografia/index.php/revista/article/viewfile . Acesso em: 29 maio 2020.

Alencar, I. da C. W. (2018). Avaliação da sustentabilidade das unidades de manejo familiares que produzem coco-anão verde em monocultivo e produção consorciada no perímetro irrigado das várzeas de Sousa PB. 2018. 141 f. Tese (Doutorado em Recursos naturais) – Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais. Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande.

Almeida, S. G. & Fernandes, G.B. (2005). Sustentabilidade econômica de un sistema familiar em uma región semiárida de Brasil. In: ASTIER, M.; HOLLANDS, J. (org.). Sutentabilidad y campesinado: seis experiências agroecológicas em latinoamerica. México: Mundi Prensa, p.121 160.

Altieri, M. A. (2004). Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 5. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 120 p.

Alves, V. E. L.; Aquino, J.R. de & Silva Filho, R. I. da (2018). A modernização da fruticultura irrigada e seus impactos socioeconômicos e ambientais no Vale do Açu RN. Revista GeoInterações, Açu, v.2, n.1 p.35-56, jan. /jun.

Aquino, J. R. de & Silva Filho, R. I. da (2015). Vale do Açu: uma região estratégica para a economia potiguar. Disponível em: http://aduern.org.br/index.php/2018/03/02/artigo-vale-do-acu-uma-regiao-estrategica-para-a-economia-potiguar. Acesso em 18 abr. 2020.

Aquino, J. R. de; Gazolla, M. & Schneider, S. (2018). Dualismo no campo e desigualdades internas na agricultura familiar brasileira. RESR, Piracicaba-SP, v. 56, n.1, jan. /mar., p. 137.

Aquino, J. R.; Silva Filho, R. I. da & Miranda, M. (2013). A socioeconômica e o meio ambiente do Vale do Açu no limiar do século XXI. OESTE – Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar: ICOP. Mossoró, n.17, p.29-43, jul.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Borges, A. L. (2002). Sistemas de produção: cultivo da banana para o Agropolo Jaguaribe-Podi. Cruz das Almas: EMBRAPA. Disponível em: http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br. Acesso em: 10 abr. 2020.

Borges, I. M. S. et al. (2020). Agricultura familiar: análise de sustentabilidade através de indicadores sociais econômicos e ambientais. Research, Society and Development, v. 9, n. 4. ISSN 2525-3409.DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2832.

Brasil. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução no 357, de 17 de março de 2005. Classificação de águas, doces, salobras e salinas do Território Nacional. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=459. Acesso em: 23 ago. 2020.

Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Portaria n. 1.469/2000, de 29 de dezembro de 2000: aprova o controle e vigilância da qualidade da ·água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2001, 32 p.

Buainain, A.M. & Batalha, M. O. (2007). Cadeia produtiva de frutas. Brasília: IICA/MAPA/SP. Disponível em: http://www.ibraf.org.br/x_/Cadeia_Produtiva_de_Frutas_S%C3%A9rie_Agroneg%C3%B3ciosMAPA. Acesso em: 9 mar. 2020.

Camelo, G. L. P. (2013). Avaliação da sustentabilidade dos agroecossistemas familiares de cultivo do abacaxi irrigado versus sequeiro mediante aplicação do MESMIS em Touros – RN. 2013. 190 f. Tese (Doutorado em Recursos Naturais) – Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais. Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande.

Cavalcanti, C. (1994). Breve introdução à economia da sustentabilidade. In: CAVALCANTI, C. (org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. INPSO/FUNDAJ, Instituto de Pesquisas Sociais, Fundação Joaquim Nabuco, Ministério de Educação, Governo Federal, Recife, Brasil, p.17.

Corrêa, I. V.(2007). Indicadores de Sustentabilidade para Agroecossistemas em Transição Agroecológica na Região Sul do Rio Grande do Sul. 2007.89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Agronomia. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (2013). Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed., Brasília, 353p.

Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte. Ipanguaçu precipitação pluvial. Disponível em: www.emparn.rn.gov.br/Conteudo.asp. Acesso em: 1 ago. 2020.

Formiga Júnior, I. M. (2014). Sustentabilidade do cultivo de melão no assentamento São Romão em Mossoró RN. 2014. 141 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente/PRODEMA) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal RN.

Freitag, C. (2020) Avaliação da Sustentabilidade em Agroecossistemas de Produção Familiar com a Aplicação do Método MESMIS. 2020. 163 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural Sustentável) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon.

Gil, A. C. (2009). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gliessman, S. R. (2009). Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora Universidade, p.32-45.

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57- 63, mar. /abr. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/267687750/Indrotucao-a-Pesquisa-Qualitativa-Godoy. Acesso em: 20 fev. 2020.

Guerra, A. G. et al. (2009). Prospecção tecnológica para o agronegócio da banana no Rio Grande do Norte. Natal RN: EMPARN.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2006. Disponível em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 5 abr. 2020.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo agropecuário 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: https://censos.ibge.gov.br/agro/2017. Acesso em: 30 jul. 2020.

Köeppen, W. (1948). Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. México: fondo de cultura econômica, 1948.University of Minnesota, Duluth, D.W. Determining Sample Size for Research Activities, Educational and Psychological Measurement, n.30.

Lacerda, C.S. & Cândido, G.A. (2013). Modelos de indicadores de sustentabilidade para gestão de recursos hídricos. In: Gestão sustentável dos recursos naturais: uma abordagem participativa. Campina Grande: EDUEPB.

Lora, M. I. (2019). Avaliação da sustentabilidade de agroecossistemas dos agricultores participantes da feira do produtor em Pato Branco – PR: uma abordagem ao longo do tempo. 2019. 143 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, p.66-129, Pato Branco.

Marzall, K. (1999). Indicadores de sustentabilidade para agroecossistemas. 1999. 212 f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Masera, O.; Astier, M. & López Ridaura, S. (2000). El marco de evaluación MESMIS. México: GIRA-Mundi-Prensa.

Masera, O.; Astier, M. & López-Ridaura, S.(1999). Sustentabilidad y Manejo de Recursos Naturales: el marco de evaluación MESMIS. México: Mundi-Prensa.

Matos Filho, A. M. (2004). Agricultura orgânica sob a perspectiva da sustentabilidade: uma análise da região de Florianópolis – SC, Brasil. 2004. 172 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, p.94.

Nações Unidas no Brasil (2015). Transformando nosso mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Disponível em: https://www.undp.org/content/dam/brazil/docs/agenda2030/undp-br-Agenda2030-completo-pt-br-2016.pdf. Acesso em: 24 maio 2020.

Pasqualotto, N. (2013). Avaliação da sustentabilidade em agroecossistemas hortícolas, com base de produção na agroecologia e na agricultura familiar, na microrregião de Pato Branco–PR. 2013. 133 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pato Branco - PR, p.69.

Radomsky, G. F. W. & Schneider, S. (2007). Nas teias da economia: o papel das redes sociais e da reciprocidade nos processos locais de desenvolvimento. Sociedade e Estado, Brasília, v.22, p.49-284.

Raij, B. V., Andrade, J. C.; Cantarella, H. & Quaggio, J.A. (2001). Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. Campinas: Instituto Agronômico.

Rio Grande do Norte (2010). Comitê executivo de fitossanidade do Rio Grande do Norte. Disponível em: http://www.fapern.rn.gov.br. Acesso em: 24 jan. 2020.

Rodrigues, S.R. de S. (2014). Avaliação da sustentabilidade em agroecossistemas de base familiar na comunidade de Malhada Grande no município de Queimadas-PB. 27 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Administração) – Universidade Estadual da Paraíba, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Campina Grande, p.07.

Sarandón, S. J. (2002). El desarrollo y uso de indicadores para evaluar la sustentabilidad de los agroecosistemas. In: SARANDÓN, S.J. (editor). Agroecología: el camino hacia una agricultura sustentable. Ediciones científicas americanas La Plata, p.393-414.

Sena, J. V. C. (2011). Aspectos da produção e mercado da banana no Nordeste. Informe rural ETENE. Nordeste, ano 5, n.10. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/documents/88765/89729/ire_ano5_n10.pdf/d1bae204-7a07-4fae-b3d5-d6a3f38a5e04. Acesso em 30 maio 2020.

Silva, M. R. (2015). Avaliação da sustentabilidade dos agroecossistemas de agricultores familiares que atuam na feira-livre de Pato Branco PR. 2015. 179 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pato Branco.

Silva, V. P. & Cândido, G. A. (2014). Sustentabilidade de agroecossistemas de mandioca: primeiro ciclo de avaliação em Bom Jesus-RN. GEOUSP – Espaço e Tempo (Online), São Paulo, v. 18, n. 2, p. 223-324.

Silva, C. G. M.; Andrade, S. A. C. & Stamford, T. L. M. (2005). Ocorrência de Cryptosporidium spp. e outros parasitas em hortaliças consumidas in natura, no Recife. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.10, set. /dez., p.68.

Verona, L. A. F. (2008). Avaliação de sustentabilidade em agroecossistemas de base familiar e em transição agroecológica na região sul do Rio Grande do Sul. 2008. 193 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

Vidal, M.F.de. (2010). Informe rural: uso de irrigação nos estabelecimentos rurais do Nordeste. In: Escritório técnico de estudos econômicos do Nordeste. Minas Gerais, ano 4, n. 12. Disponível em: http://www.bnb.gov.br. Acesso em: 3 abri. 2018.

Zimmermann, C. L. (2009). Monocultura e transgenia: impactos ambientais e insegurança alimentar. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v.6, n.12, p.79-100, jul. /dez.

Published

06/09/2020

How to Cite

Silva, L. G. da, & Camelo, G. L. P. . (2020). Sustainability assessment in bananeira production agroecosystems with the application of the MESMIS method. Research, Society and Development, 9(9), e783998007. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.8007

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences