Study of chemical wastes in the Basic Sector of the University City Prof. José da Silveira Netto-UFPA

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9753

Keywords:

Management; Chemical waste; University.

Abstract

Due to the debate initiated in the 90s, regarding chemical waste in Brazilian Higher Education Institutions (HEI), it was possible to observe the abundance of problems related to this subject due to the lack of standardizing policies for the management of this waste in these institutions. It is known that the harmful practice of handling and improper disposal of these products can cause several difficulties in the environmental sphere and implies public health problems. As a result, this work aimed to study the chemical residues from the basic sector of the university city prof. José da Silveira Netto-UFPA. The research is a qualitative and quantitative study of an exploratory nature and was concluded after the execution of these five stages: characterization of the study area, waste inventory, application of questionnaires, field research and sampling of chemical residues. In the results it was possible to identify the sources of chemical waste in the Basic Sector of UFPA, in addition to diagnosing the amount that was 750 kg for expired packaging and 325 kg of contaminated bottles. In the qualitative analysis of management, the question of collection and treatment proved to be more worrying, as they are the main steps for environmentally appropriate management. Finally, recommendations were proposed to improve the management of chemical waste at the Institution, taking into account practices addressed by other HEIs that showed that it is feasible to carry out the management of chemical waste in an environmentally appropriate manner by proposing short, medium and long -term actions. long term.

Author Biographies

Fábio Sergio Lima Brito, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Sanitarista e Ambiental formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em saneamento ambiental, saneamento básico, sistemas de abastecimento de água, qualidade da água para consumo humano, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos e líquidos, além da participação em projetos de Educação Ambiental.

Marília Figueiredo Rabelo, Universidade Federal do Pará

Tecnóloga em Saneamento Ambiental pelo Instituto de Federal do Pará (IFPA).  Acadêmica em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará (UFPA), pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Meio Ambiente e Sustentabilidade - GEMAS/UFPA (2019-2020).

Natasha Cibelli da Rosa Gomes, Universidade Federal do Pará

Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Pará (2013). Acadêmica de Engenharia Sanitária e Ambiental na Universidade Federal do Pará (2015-2020), atualmente cursando o 9º semestre. Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/UFPA (2019- 2020) desenvolvendo o seguinte tema: Aproveitamento de Água de Chuvas: Impactos na Drenagem Urbana. Bolsista egressa do Programa de Educação Tutorial Engenharia Sanitária e Ambiental (PET ESA), do Ministério da Educação - MEC, onde desenvolveu atividades de pesquisa, ensino e extensão. Bolsista de monitoria na disciplina Materiais de Construção Civil (2018), monitora voluntária das disciplinas de Materiais de Construção Civil (2017) e Teoria do Desenvolvimento Sustentável (2017).

Rafael da Silva Ferreira, Universidade Federal do Pará

: Bacharel em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará - UFPA. Estudou no programa de pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho - UFPA, onde tornou-se especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho, atualmente é funcionário público efetivo, na Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Abaetetuba - SEMEIA, com cargo de Engenheiro Sanitarista. É membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Abaetetuba CONSEMMA onde representa a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Rafaella Louzeiro Braga, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Pará (2015). Pós graduação em Análise ambiental pelo Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Pará (2019). Em julho de 2020 iniciou no cargo de Técnico em Gestão de Meio Ambiente na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará-SEMAS, trabalha na Gerência de Outorga especificamente com outorga de captação superficial. Suas pesquisas estão relacionadas principalmente as Políticas Sustentáveis, Resíduos Sólidos, Educação Ambiental, Reciclagem e Coleta seletiva.

References

ABNT NBR 10.004 de 31 de maio de 2004. Resíduos sólidos – classificação. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ABNT NBR 12235 de 30 abril de 1992. Armazenamento de resíduos sólidos perigosos – Procedimento. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ABNT NBR 14725 de 19 de novembro de 2014. Produtos químicos — Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente. São Paulo: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ABNT NBR 7501 de 12 de setembro de 2011. Transporte terrestre de produtos perigosos — Terminologia. São Paulo: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Alberguini, L. B. A., Silva, L. C., Rezende, M. O. (2005). Tratamento de Resíduos Químicos: Guia Prático para a Solução dos Resíduos Químicos em Instituições de Ensino Superior, RiMa, 104. Editora: São Carlos.

Antoniassi, B., Silva, M. C. K Da. (2017). A importância do gerenciamento de resíduos perigosos em uma universidade: estudo de caso dos laboratórios de ensino e pesquisa. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão. 12 (2), 183-191.10.20985/1980-5160.2017.

Barbosa, R. P., Ibrahin, F. I. D. (2014). Resíduos Sólidos: impactos, manejo e gestão ambiental, pp. 1-176. São Paulo: Érica.

Dos Santos, V., Medrado, L., Santos Júnior, J., & Silva, J. (2012). Proposta para disposição final dos resíduos químicos identificados nos laboratórios do Campus da Fazenda Experimental/UNIVASF. Revista Gestão da Produção Operações e Sistemas, 0 (2), 65. https://doi.org/10.15675/gepros.v0i2.437

Figueiredo, L.D.S., Duarte, A. C., De Paula, M. E., Barbosa, L. P. J. L De, Barbosa, F. H. F. (2011). A gestão de resíduos de laboratório nas instituições de ensino superior – uma análise crítica. Ciência Equatorial, 1 (2), 57-68. https://periodicos.unifap.br/index.ph p/cienciaequatorial/article/view/564/400

Figuerêdo, D. V. (2006). Manual para gestão de resíduos perigosos de instituições de ensino e de pesquisa, 189-191. Belo Horizonte: Conselho Regional de Minas Gerais.

Flick, U. Entrevista episódio. In: Bauer, M. W., Gaskell, G. (2008). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático (7a ed.), 114. Petrópolis: Vozes.

Gerbase, A. E., Coelho, F. S., Machado, P. F. L., & Ferreira, V. F. (2005). Gerenciamentos de resíduos químicos em instituições de ensino e pesquisa. Química Nova, 28 (1), 3. https://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422005000100001

Gil, A. C. (2009). Como Elaborar Projetos De Pesquisa. (4a ed.), (1987– 1ª ed.) São Paulo: Atlas.

Jardim, W. F (1998). Gerenciamento de Resíduos em Laboratório de ensino e Pesquisa. Química Nova, 21 (5), 671-673. https://www.scielo.br/pdf/qn/v21n5/2943.pdf

Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm

Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Recuperado de www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm

Lima, A. M. P., Souza. L. Di., Matias, L. G. O., Santos, A. P. B., Dantas, W. S., Silva. F R., Rocha, S. A. S. (2016). Levantamento qualiquantitativo dos resíduos químicos perigosos gerados nas aulas práticas de química orgânica da UERN. Química: Ciência, Tecnologia e Sociedade. 5 (2), 22-47.

Macedo, L., Larocca, L., Chaves, M., Perna, P., Muntsch, S., Damaceno, E., de Souza, T., Poliquesi, C., Truppel, T., & Souza, C. (2007). Segregação de resíduos nos serviços de saúde: a educação ambiental em um hospital-escola. Cogitare Enfermagem, 12 (2). http://dx.doi.org/10.5380/ce.v12i2.6803

Michelotti, D; Wolff, D. B. (2009). Gerenciamento de resíduos sólidos perigosos em uma empresa coletora em Santa Maria/RS –estudo de caso. Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas.10 (1), 119-136. https://doi.org/10.37779/nt.v10i1.1257

Nascimento, T. C. F.; Mothé, C. G. (2007). Gerenciamento de resíduos sólidos industriais. Revista Analytica, 27. Recuperado de https://revistaanalytica.com.br/leia-a-analytica-2/

Oliveira Junior, F. A. (2012). Implantação do Programa de Gerenciamento de Resíduos Químicos: caso da Universidade Federal de Lavras. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Agroquímica). Universidade Federal de Lavras.

Pedroza, A.C. (2011). A importância do gerenciamento de resíduos químicos. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade. 4, (2), 163-178. https://doi.org/10.22280/revintervol4ed22011

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica (1. ed., pp 1-119). Santa Maria, RS: UFSM.

Resolução RDC nº 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Recuperado de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0306_07_12_2004.html

Rodrigues, F. A. (2012). Resíduos Perigosos. In: Jardim, A., Yoshida, C., Machado Filho, J. V. Política Nacional, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos. Barueri. (1 ed., pp. 01-820) SP: Manole.

Santos, J. S. Dos. (2012). Gerenciamento de resíduos sólidos como instrumento de gestão ambiental na Universidade Federal do Pará – UFPA. Dissertação de Mestrado (Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia). Universidade Federal do Pará.

Silva, J. M., Rodrigues, A. B., Sampaio, F. S. O., Oliveira, É. M. S., Torres, G. R., Borges, S. S. S. (2015). Gerenciamento de resíduos laboratoriais: a experiência do PROGERE-UFC. Revista Extensão em ação. 1 (8), 99-107. https://doi.org/10.32356/exta.v1.n8.3864

Takayanagui, A. M. M. (2005). Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. In: PHILIPPIJÚNIOR, A. Saneamento, saúde e ambiente: fundamentos para um desenvolvimento sustentável. 323-374. São Paulo: Manole.

Teixeira, C. E., Moraes, S. L., Motta, F. G., Shibata, A. P. (2012). Concepção de um sistema de gestão de resíduos de laboratório: estudo de caso de um instituto de pesquisa. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão. 7 (4), 554-568. https://doi.org/10.7177/sg.2012.V7.N4.A4

UFPA. Plano Geral de Gerenciamento de Resíduos da UFPA. (2008). Recuperado de http://www.ufpa.br/prefeitura/relatorios/PGRSS.pdf

Vergara, S. C. (2010). Métodos e relatórios de pesquisa em Administração. (12 ed.), 1-146 São Paulo: Atlas.

Viana, G. L. L., Reis, C. F., Silva, A. M. T. C. R. (2018). Gerenciamento dos resíduos gerados no laboratório de química do Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Formiga. ForScience: revista científica do IFMG. 6 (3), 1-13. https://doi.org/10.29069/fo rscience.2018v6n3.e358

Published

11/11/2020

How to Cite

Brito, F. S. L., Rabelo, M. F. ., Gomes, N. C. da R. ., Ferreira, R. da S., & Braga, R. L. . (2020). Study of chemical wastes in the Basic Sector of the University City Prof. José da Silveira Netto-UFPA. Research, Society and Development, 9(11), e2089119753. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9753

Issue

Section

Engineerings