Social representations of women facing the choice of the mode of delivery

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9840

Keywords:

Comprehensive health care; Humanized birth; Prenatal care; Health services; Obstetric nursing.

Abstract

Objective: To know the social representations of women in relation to the choice of delivery mode. Methodology: Descriptive, exploratory study with a qualitative approach, based on the theoretical framework of social representations. The research was carried out in a usual risk maternity hospital, through an interview with 20 mothers. The collected data were transcribed in full and organized manually. To discuss the results, the Theory of Social Representations according to Moscovici was used. Results: After the content analysis according to Bardin, three thematic categories emerged: information for choosing the mode of delivery, idealization of delivery, and women's autonomy in choosing the mode of delivery. Conclusion: it was noticed that the perception and effectiveness of female autonomy in the obstetric scenario still does not represent a predominant reality in public health services when it comes to choosing the mode of delivery. However, it is respect for the autonomy of women during pregnancy, childbirth and birth that makes them feel socially represented as the protagonist in this process.

References

Barros, B. M. C., Ruviaro, R., Richte, D. (2017). A violação dos direitos fundamentais na hora do parto: uma análise da autonomia e empoderamento da mulher. R. Direitos Sociais e Políticas Públicas. 5(1), 67-104. http://www.unifafibe.com.br/revista/index.php/direitos-sociais-politicas-pub/article/view/204

Barreto, C. N., Wilhelm, L. A., Silva, S. C., Alves, C. N., Cremonese, L., Ressel, L. B. (2015). “O Sistema Único de Saúde que dá certo”: ações de humanização no pré-natal. Rev. gaúcha enferm. 36(esp),168-76. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56769

Cardelli, A. A. M., Marrero, T. L., Ferrari, R. A. P., Martins, J. T., Serafim, D. (2016). Expectativas e satisfação das gestantes: desvelando o pré-natal na atenção básica. Rev. iberoam. educ. invest. enferm. 34(2), 252-260. http://dx.doi.org/10.17533/udea.iee.v34n2a04

Carvalho, C. A. S., Ribeiro, L. P., Antunes-Rocha, M. I. (2017). Representações sociais em movimento: uma análise de duas pesquisas no âmbito da educação do campo da FaE-UFMG. Revista Educação e Cultura Contemporânea. 14(37):343-366. http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/3627/1997

Costa, J. P., Jorge, M. S. B., Coutinho, M. P. L., Costa, E. C., Holanda, I. T. A. (2016). A reforma psiquiátrica e seus desdobramentos: representações sociais dos profissionais e usuários da atenção psicossocial. Psicol. saber soc. 5(1), 35-45. https://doi.org/10.12957/psi.saber.soc.2016.15855

Coutinho, E. C., Silva, A. L., Pereira, C. M. F., Rouxinol, D. F. C., Parreira, V. B. C. (2014). Experiências de Ser Mãe: Significados de Parto, Dor e Nascimento. Fronteiras: Journal of Social. 3(3), 259-274. http://periodicos.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras/art icle/view/1082/1023

Fagundes, D. Q., Oliveira, A. E. (2017). Educação em saúde no pré-natal a partir do referencial teórico de Paulo Freire. Trab. educ. saúde. 15(1), 223-243. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00047

Guerra, H. S., Hirayama, A. B., Silva, A. K. C., Oliveira, B. J. S., Oliveira, J. F. J. (2016). Análise das ações da Rede Cegonha no cenário brasileiro. Iniciação Científica CESUMAR. 18(1), 73-80. http://dx.doi.org/10.17765/1518-1243.2016v18n1p73-80

Kottwitz, F., Gouveia, H. G., Gonçalves, A. C. (2018). Via de parto preferida por puérperas e suas motivações. Esc. Anna Nery (Online). 22(1), 1-8. http://dx.doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0013

Mazzotti, A. J. A. (2002). A abordagem estrutural das representações sociais. Psic. da Ed. 14(15), 17-37. https://revistas.pucsp.br/index.php/psicoeduca/article/view/31913

Medeiros, R. M. K., Davi, L. A., Cardos, S. R. M., Maier, S. R. O., Gimenes, C. V., Sudré, G. A. (2017). Aspectos relacionados à preferência da gestante pela via de parto. Rev. Gestão & Saúde. 8(1), 603-621. https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/10400/9168

Nascimento, R. R. P., Arantes, S. L., Souza, E. D. C., Contrera, L., Sales, A. P. A. (2015). Escolha do tipo de parto: fatores relatados por puérperas. Rev. gaúcha enferm. 36(spe), 119-126. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56496

Queiroz, T. C., Fófano, G. A., Farnetano, B. S., Cruz, C. E. S. G., Vieira, C. F., Oliveira, M. A. C. A. et al. (2017). Processo de decisão pelo tipo de parto: uma análise dos fatores socioculturais da mulher e sua influência sobre o processo de decisão. Revista Científica Fagoc Saúde. 2(1):70-77. http://revista.fagoc.br/index.php/saude/article/view/195/236

Reis, T. L. R., Padoin, S. M. M., Toebe, T. F. P., Paula, C. C., Quadros, J. S. (2017). Autonomia feminina no processo de parto e nascimento: revisão integrativa da literatura. Rev. gaúcha enferm. 8(1), e64677. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.01.64677

Riscado, L. C., Jannotti, C. B., Barbosa, R. H. S. (2016). A decisão pela via de parto no Brasil: temas e tendências na produção da saúde coletiva. Texto & contexto enferm. 25(1):e3570014. http://dx.doi.org/10.1590/0104-0707201600003570014

Santos, G. T., Dias, J. M. B. (2015). Teoria das representações sociais: uma abordagem sociopsicológica. PRACS. 8(1), 173-187. https://periodicos.unifap. br/index.php/pracs/article/view/1416

Santos, R. A. A., Melo, M. C., Cruz, D. D. (2015). Trajetória de humanização do parto no Brasil a partir de uma revisão integrativa de literatura. Cad. Cult. Ciênc. 13(2), 76-89. https://doi.org/10.14295/cad.cult.cienc.v13i2.838

Santos, R. A. A., Melo, M. C. P., Leal, R. J. M. (2015). Experiência do tipo de parto: relato de puérperas através da análise de discurso. Revista de Ciências Médicas e Biológicas. 14(1), 74-81. http://dx.doi.org/10.9771/cmbio.v14i1.10112

Scarton, J., Ressel, L. B., Siqueira, H. C. H., Rangel, R. F., Tolfo, F., Weykamp, J. M. (2018). Práticas de atenção ao parto normal: a experiência de primíparas. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. 10(1), 17-24. https://doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i1.17-24

Silva, A. H., Fossá, M. I. T. (2015). Análise de conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos. Qualitas Revista Eletrônica. 17(1), 1-14. http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/2113/1403

Silva, A. L. A., Mendes, A. C. G., Miranda, G. M. D., Souza, W. V. (2017). A qualidade do atendimento ao parto na rede pública hospitalar em uma capital brasileira: a satisfação das gestantes. Cad. Saúde Pública. 33(12), e00175116. https://doi.org/10.1590/0102-311x00175116

Silva, A. L. S., Nascimento, E. R., Coelho, E. A. C. (2015). Práticas do enfermeiro para promover a dignidade, a participação e o empoderamento da mulher no parto natural. Esc. Anna Nery (Online). 19(3), 424-431. https://doi.org/10.5935/1414-8145.20150056

Tostes, N. A., Seidl, E. M. F. (2016). Expectativas de gestantes sobre o parto e suas percepções acerca da preparação para o parto. Temas psicol. 24(2), 681-693. http://dx.doi.org/10.9788/TP2016.2-15

Velho, M. B., Santos, E. K. A., Collaço, V. S. (2014). Parto normal e cesárea: representações sociais de mulheres que os vivenciaram. Rev. bras. enferm. 67(2), 282-289. https://doi.org/10.5935/0034-7167.20140038

Published

15/11/2020

How to Cite

Vieira, M. J. de O. ., Santos, A. A. P. dos, Sanches , M. E. T. de L. ., Silva , J. M. de O. e ., & Oliveira, K. R. V. de . (2020). Social representations of women facing the choice of the mode of delivery . Research, Society and Development, 9(11), e3189119840. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9840

Issue

Section

Health Sciences