Photodynamic therapy in the treatment of injuries in non-melanoma skin cancer: integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11257

Keywords:

Integrative review; Photochemotherapy; Skin neoplasms; Carcinoma.

Abstract

Cancer is the second leading cause of death in the world, and in Brazil, skin cancer is the neoplasia with the highest incidence, which corresponds to about 30% of diagnosed cases. Non-melanoma skin cancer is the most prevalent in the country, but despite the high incidence, it is the one with the lowest lethality. Photodynamic Therapy (PDT) is a topical treatment that causes the selective destruction of neoplastic cells through a photochemical reaction and has been used worldwide in the treatment of several types of cancer, including non-melanoma. The purpose of this review is to identify the contributions of photodynamic therapy in the treatment of lesions in non-melanoma cancer over the past eleven years. It is an integrative review through a search in the Lilacs, SciELO and Medline databases, using the descriptors Photochemotherapy; Skin Neoplasms; Carcinoma, Basal Cell; and Carcinoma, Squamous Cell. PDT with 5-aminolevulinic acid (ALA) and methyl aminolevulinate hydrochloride (MAL) showed similar efficacy and sometimes higher than the conventional therapies in several studies, each with their selectivity and ability to penetrate the tissue. The choice of treatment for the individual must take into account their unique characteristics and the characteristics of the tumor, not excluding the monitoring of a multidisciplinary team and early diagnosis of skin cancer.

Author Biographies

Vanessa Bernardino da Silva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Integrante do grupo de pesquisa Enfermagem e a Saúde da População. Ex-integrante da Liga Acadêmica de Feridas e Curativos (LAFEeC-UNIRIO). Participou do Projeto Jovem Enfermeiro (PJE 2019) pela Nestlé Health Science. Foi Bolsista de Pesquisa junto ao Departamento de Enfermagem em Saúde Pública (DESP-UNIRIO) e Bolsista de Extensão com foco em tratamento de lesões pela Comissão Terapêutica de Feridas do Hospital Federal dos Servidores do Estado (HFSE-UNIRIO).

Sônia Regina de Souza, Federal University of the State of Rio de Janeiro

Graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal Fluminense (1995), Especialista em Enfermagem Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1998 -UNIRIO) Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2001) e Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ (2005). Atualmente é professor associado IV da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Atua na Graduação e Pós-Graduação: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem - Mestrado Acadêmico -PPGENF e Programa de Pós-Graduação em Saúde e Tecnologia no Espaço Hospitalar ? Mestrado Profissional (PPGSTEH). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde do Adulto e do Idoso, discutindo as situações clínicas e cirúrgicas, Modelos Assistenciais em Oncologia E Práticas Avançadas. Coordenadora do Projeto de Extensão Manejo em Feridas - Integração Ensino-Serviço. Líder do Grupo de Pesquisa Enfermagem e a Saúde da População ( UNIRIO) e membro do Laboratório de Pesquisa de Resiliência em Enfermagem ( LAPRENF). Diretora do Colégio Doutoral Tordesillas Enfermagem (CDTE). Pós doutoranda do PROGRAMA ACADÊMICO EM CIÊNCIAS DO CUIDADO EM SAÚDE (PACCS) DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE.

Rosane de Paula Codá, Hospital Federal dos Servidores do Estado

Mestre em saúde e tecnologia no espaço hospitalar pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO (2017). Especialista em Enfermagem Dermatológica pela Universidade Gama Filho (2012). Graduada pela Universidade Federal Fluminense (1993). Foi professora do curso de pós-graduação em terapia intensiva de Enfermagem da Universidade Veiga de Almeida. Atualmente é a enfermeira coordenadora da Comissão Terapêutica de Feridas do Hospital Federal dos Servidores do Estado (HFSE), membro da Câmara Técnica de Feridas do Ministério da Saúde, coorientadora da Liga Acadêmica de Feridas e Curativos (LAFEeC) da UNIRIO, e enfermeira supervisora da setor de neurologia do Hospital Municipal Miguel Couto. Tem experiência na área de Enfermagem nos setores de clínica médica, cardiologia, terapia intensiva e neurocirurgia com ênfase em Enfermagem Dermatológica, atuando principalmente nos seguintes temas: feridas, tratamento, qualidade, segurança e prevenção de lesões.

Bruna Silva Fabrício, CMS Salles Netto

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2010). Pós-graduada ao nível de Residência em Enfermagem Clinica Médica e Cirúrgica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO (2013). Mestre em Saúde e Tecnologia no Espaço Hospitalar, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2019). Tem experiência na assistência com ênfase em Clínica Médica, Cirúrgica e Saúde Pública. No momento, atuando como Docente do Curso Técnico em Enfermagem do SENAC Rio desde 2015 e Docente no Curso Superior de Enfermagem da Universidade Estácio de Sá (UNESA) desde 2018.

Denise de Assis Corrêa Sória, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1992), mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1992) e doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde desta Universidade. Atua principalmente nos seguintes temas: enfermagem, assistência de enfermagem, resiliência, curativos , acadêmicos de enfermagem, Enfermagem na Alta Complexidade. É fundadora e coordenadora do Laboratório de Pesquisa em Resiliência e Enfermagem - LAPRENF.

References

Carneiro, R. C., Macedo, E. M. S. D., Lima, P. P. D., & Matayoshi, S. (2012). Terapia fotodinâmica em carcinoma basocelular periocular: relato de caso. Revista Brasileira de Oftalmologia, 71(6), 394-396.

Conselho Federal de Enfermagem. (2018, 29 de Janeiro). Resolução nº 567/2018: Regulamenta a atuação da Equipe de Enfermagem no Cuidado aos pacientes com feridas. Brasília, DF: COFEN. Obtido em http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/RESOLUÇÃO-567-2018.pdf.

Instituto Nacional do Câncer. (2017). Estimativa 2018: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro, RJ.

Instituto Nacional do Câncer. (2019). Estimativa 2020: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro, RJ.

Instituto Nacional do Câncer. (2020, Março). Câncer de pele não melanoma. Retirado de https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pele-nao-melanoma.

Issa, M. C. A., Boechat, M., & Fassini, A. C. (2016). Terapia fotodinâmica no Brasil: 10 anos de história. Surgical & Cosmetic Dermatology, 8(4), 17-22.

Issa, M. C. A., & Manela-Azulay, M. (2010). Terapia fotodinâmica: revisão da literatura e documentação iconográfica. An Bras Dermatol, 85(4), 501-511.

Neves, D. R., Ramos, D. G., Magalhães, G. M., Rodrigues, R. D. C., & Souza, J. B. A. D. (2010). Terapia fotodinâmica para tratamento de múltiplas lesões no couro cabeludo na síndrome do nevobasocelular: Relato de caso. Anais Brasileiros de Dermatologia, 85(4), 545-548.

Oxford Centre for Evidence-Based Medicine. Levels of evidence. (2009, Março). Retirado de https://www.cebm.ox.ac.uk/resources/levels-of-evidence/oxford-centre-for-evidence-based-medicine-levels-of-evidence-march-2009.

Pereira, R. N., Fialho, E. L., & Gontijo, G. (2010). Tratamento de carcinoma basocelular com associação de terapia fotodinâmica e cirurgia micrográfica de Mohs. Surgical & Cosmetic Dermatology, 2(2), 132-134.

Pires, C. A. A., Fayal, A. P., Cavalcante, R. H., Fayal, S. P., Lopes, N. S., Fayal, F. P., & dos Santos, M. A. L. (2017). Câncer de pele: caracterização do perfil e avaliação da proteção solar dos pacientes atendidos em serviço universitário. Journal of Health & Biological Sciences, 6(1), 54-59.

Rodrigues, T. N. A., Galvão, L. E. G., de Sá Golçalves, H., & de Andrade Pontes, M. A. (2017). Carcinoma basocelular desenvolvido sobre nevo sebáceo: tratamento com terapia fotodinâmica abordando campo de cancerização. Surgical & Cosmetic Dermatology, 9(1), 100-103.

Silva, E., Santos, E., & Júnior, E. (2009). Terapia fotodinâmica no tratamento do câncer de pele: conceitos, utilizações e limitações. Rev Bras Farm, 90(3), 211-7.

Souza, M. T. D., Silva, M. D. D., & Carvalho, R. D. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), 8(1), 102-106.

Torezan, L., Niwa, A. B. M., & Festa Neto, C. (2009). Terapia fotodinâmica em dermatologia: princípios básicos e aplicações. Anais Brasileiros de Dermatologia, 84(5), 445-459.

World Health Organization. (2018). Cancer. Retirado de http://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/cancer.

Zink, B. S. (2014). Câncer de pele: a importância do seu diagnóstico, tratamento e prevenção. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 13.

Published

03/01/2021

How to Cite

SILVA, V. B. da; SOUZA, S. R. de; CODÁ, R. de P.; FABRÍCIO, B. S.; SÓRIA, D. de A. C. Photodynamic therapy in the treatment of injuries in non-melanoma skin cancer: integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e7410111257, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11257. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11257. Acesso em: 23 jan. 2021.

Issue

Section

Health Sciences