Analysis of manganese in soils in riparian areas of the Rio Doce State Park after the Fundão dam rupture in Mariana/MG

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11720

Keywords:

Mining; Dam; Reject; Metals; Contamination.

Abstract

The economic importance of mining activity, as well as its worldwide demand, cause socio-environmental impacts from the process of implementing the activity to the final disposal of the tailings. The rupture of the Fundão dam, located in Mariana-MG, which stored the waste from the processing of iron ore, promoted invaluable environmental damage in the Doce river basin. The present work had as objective to identify the levels of manganese in the soils of the riparian areas in the Doce river State Park after the rupture of the Fundão tailings dam. Six areas of the Doce, Mombaça and Turvo rivers were analyzed, three of which were directly affected by the tailings and three were not affected. The experimental model used was a 3x2x2 factorial: three rivers, two points (upstream and downstream), and two years of collection (2016 and 2017) with four replications. The results showed that the average levels of manganese were higher in the riparian area of ​​the Mombasa river compared to the Doce river, even with only one of its areas affected by the tailings. Between 2016 and 2017, there was a downward trend in manganese values. Of the affected areas, the stretch downstream of the Mombasa river showed higher values ​​when compared to the riparian areas analyzed and affected by the tailings in the Doce river. The areas of the Turvo river, not reached by the tailings, presented the lowest values ​​of manganese concentration. The results indicate an increase in the concentration of manganese in the soils of the riparian areas of the affected rivers, but in a different way.

Author Biographies

Clara Diniz Oliveira Vasconcellos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Eng. Civil, Mestranda Tecnologia, Ambiente e Sociedade/UFVJM

Alexandre Sylvio Vieira da Costa, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Eng. agrônomo, DSc em produção Vegetal, Pós doc. Geociências, Professor Adjunto de Recursos Hídricos e Meio ambiente da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Jairo Lisboa Rodrigues, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professor Assicoado da UFVJM, DSc. Ciências.

Renata Soares Farias Campos, Universidade Vale do Rio Doce

Professora Univale, DSc. Entomologia

Mayra Soares Santos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Doutoranda em Química

 

Rodrigo de Carvalho Hott, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Doutorando em Química

Wady Dutra Neto, Universidade Vale do Rio Doce

Mestre em Gestão integrada de Território

References

Abreu, M. G. P. (2018). Tolerância e eficiência de rizóbios nativos de área de mineração de manganês no desenvolvimento de leguminosas. 68p. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Alloway, B. J. (2012). Heavy metals in soils: Trace metals and metalloids in soils and their bioavailability, V. 22, Springer Dordrecht Heidelberg New York London.

Caires, S. M. D. E. (2009). Determinação Dos Teores Naturais De Metais Pesados Em Solos do Estado de Minas Gerais como Subsídio ao Estabelecimento de valores de Referência de Qualidade. 270 p. Tese (Doutorado). Curso de Solos e Nutrição de Plantas, Universidade Federal de Viçosa.

Dias, C. A., Costa, A. S. V., Guedes, G. R., Umbelino, G. J. M., Sousa, L. G., Alves, J. H., & Silva, T. G. M. (2018). Impactos do rompimento da barragem de Mariana na qualidade da água do rio Doce. Revista Espinhaço, 7(1):21-35.

DNPM-Departamento Nacional de Pesquisa Mineral (2017). Anuário Mineral Brasileiro: Principais substâncias metálicas. 28 p.

Dutra, P. R. F. (2018). Análise dos impactos relacionados ao rompimento da barragem de Fundão em Mariana/MG com ênfase em recursos hídricos. 52p. Tese (Doutorado). Curso de Gerenciamento de Recursos Hídricos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Giaia. Grupo Independente para Avaliação de Impacto Ambiental. (2016). Relatório Técnico: Determinação de metais na bacia do Rio Doce (Período: Dezembro -2015 a Abril-2016).

Ge, X. X., Cai, G. P., & Zeng, G. M. (2004). Study on harmless disposal and comprehensive utilization of manganese sulfate waste residue. Chinas Manganese Ind. 22:11-14.

Hott, R. C. (2016). Adsorção e dessorção das espécies de arsênio (iii e v) e ácido monometilarsônico, pela k-jarosita, para proposta de remediação ambiental. 77p. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Química, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Teófilo Otoni.

IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração (Org.). (2016). Gestão e Manejo de Rejeitos da Mineração/Instituto Brasileiro de Mineração: Instituto Brasileiro de Mineração.128 p.

IEF-Instituto Estadual de Florestas (2019). Plano de Manejo do Parque Estadual do Rio Doce.

Kopezinski, I. (2000). Mineração X Meio Ambiente: considerações legais, principais impactos ambientais e seus processos modificadores: Editora Universidade. 103 p.

Leão, L. P., Costa, R. V. F., Leite, M. G. P., & Junior, H. A. N. (2019). Mapeamento geoquímico do manganês e avaliação de qualidade de sedimentos fluviais e águas superficiais do quadrilátero ferrífero, Brasil. Anuário do instituto de Geociências, UFRJ, 42:444-455.

Lima, V. F., & Merçon, F. (2011). Metais Pesados no Ensino de Química. Química Nova na Escola, 33(4):199-205.

Martins, I. (2003). Manganês. in: Azevedo, A. F., & Chasin, A. A. M. Metais: gerenciamento da toxicidade. Editora Atheneu, v. I.

Ministério Público de Minas Gerais-Conselho Estadual de Política Ambiental (2011). Deliberação Normativa nº 166, de 29 de junho de 2011. Altera o Anexo I da Deliberação Normativa Conjunta COPAM CERH nº 2 de 6 de setembro de 2010, estabelecendo os Valores de Referência de Qualidade dos Solos.

Paschke, M. W., Valdecantos, A. & Redente, E. F. (2005). Manganese toxicity thresholds for restoration grass species. Environmental Pollution, 135:313-322.

Rashed, M. N. (2010). Monitoring of contaminated toxic and heavy metals from mine tailing through age accumulation in soil and some wild plants at Southeast Egypt. Journal Hazardous Materials, 178:739–746.

Tanno, L. C., & Sintoni, A. (2003). Mineração & município: bases para o planejamento de recursos naturais: Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Wei, Y., Hou, H., Shangguan, Y., Li, J., & Li, F. (2014). Genetic diversity of endophytic bacteria of the manganese hyperaccumulating plant Phytolacca americana growing at a manganese mine. European Journal of Soil Biology, 62:15-21.

Wolff, A. P. (2009). Caracterização dos rejeitos de minério de ferro das minas da Vale. 107p. Dissertação (Mestrado). Curso de Pós-Graduação em Engenharia Mineral, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto.

Yabe, M. J. S., & Oliveira, E. (1998). Metais pesados em águas superficiais como estratégia de caracterização de bacias hidrográficas. Química Nova. 5(21):551-556.

Zhang, C., Yu, Z. G., Zeng, G. M., Jiang, M., Yang, Z. Z., Cui, F., Zhu, M. I., Shen, L. Q. & Hu, L. (2014). Effects of sediment geochemical properties on heavy metal bioavailability. Environment International, 73:270–281.

Published

20/01/2021

How to Cite

VASCONCELLOS, C. D. O.; COSTA, A. S. V. da; RODRIGUES, J. L.; CAMPOS, R. S. F.; SANTOS, M. S.; HOTT, R. de C.; DUTRA NETO, W. . Analysis of manganese in soils in riparian areas of the Rio Doce State Park after the Fundão dam rupture in Mariana/MG. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e39410111720, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11720. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11720. Acesso em: 6 mar. 2021.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences