Nutritional adequacy of meals consumed by adolescents of a philanthropic institution in Belo Horizonte

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.12052

Keywords:

Food consumption; Adolescent; School feeding.

Abstract

Considering the importance of an adequate diet in adolescence and that many young people spend most of the day in whole schools, the study aimed to evaluate the food consumption of adolescents from a philanthropic institution in Belo Horizonte, MG. About 600 adolescents, aged 13 to 17 years, participated in the study. The meals were qualitatively analyzed for 20 days using the method of Qualitative Evaluation of the Menu Preparations. And for quantitative analysis the direct weighing of the lunch was used during seven days. Per capita quantities were used for the snacks. The recommendations of the National School Feeding Program were used as a parameter to analyze the consumption of adolescents according to age, full time. It was found insufficient consumption of carbohydrates, proteins, lipids, energy, fiber, iron, magnesium, zinc, vitamin A, and vitamin C, for both age groups. The school environment acts as a means of promoting the health of adolescents. Given this context, there is a need for interventions in these populations in order to guarantee a balanced diet according to each age group, identifying nutritional diseases and groups at risk, thus promoting the health of adolescents.

Author Biographies

Talita Vieira Botinha Macedo, Centro Universitário Una

Nutricionista graduada no Centro Universita´rio Una, Belo Horizonte.  

Érica Taís de Assis Batista , Centro Universitário Una

Nutricionista graduada no Centro Universitário Una, Belo Horizonte

Marriethe de Oliveira Carneiro , Centro Universitário Una

Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Una, Belo Horizonte. 

Bárbara Pereira da Silva , Centro Universitário Una

Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Una, Belo Horizonte

Maria Marta Amancio Amorim, Centro Universitário Unifacvest

Centro de estudos em migrações e relações interculturais da Universidade Aberta de Lisboa, Portugal

References

Amorim, M. M. A., Junqueira, R. G., & Jokl, L. (2005) Adequação nutricional das refeições do almoço self service de uma empresa de Santa Luzia, MG. Revista de Nutrição, 18(1), 145-156. https://doi.org/10.1590/S1415-52732005000100013.

Batista, A. M., Silva, E. M., Silva, E. I. G., & Messias, C. M. B. O. (2016). Consumo alimentar de magnésio, potássio e fósforo por adolescentes de uma escola pública. Revista Saúde e Pesquisa, 9(1), 73-82. http://dx.doi.org/10.177651/1983-1870.2016v9n1p73-82.

Bertin, L. R. et al. (2008). Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino da cidade de São Mateus do Sul. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., 8 (4), 435-443. https://doi.org/10.1590/S1519-38292008000400009.

Coutinho, N. M. P, Valões, E. M., Lacerda, N. C., & Menezes, D. N. (2007). Avaliação nutricional e consumo de alimentos entre adolescentes de risco. Rev RENE, 8 (3), 9-16. http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13478.

Dias, L. C. D., Cintra, R. M. G. C., Souza, J. T., & Aranha, C. G. S. (2012). Valor nutricional da alimentação escolar oferecida em uma rede municipal de ensino. Revista Ciência em Extensão, 8(2), 134-143.

Fontes, G. A. V., Mello, A. L., & Sampaio, L. R. (2012). Manual de avaliação nutricional e necessidade energética de crianças e adolescentes uma pratica aplicada: EDUFBA.

Garcia, G. C. B., Gambardella, A. M. D., & Frutuoso M. F. P. (2003). Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes de um centro de juventude da cidade de São Paulo. Revista de Nutrição, 16(1), 41-50. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732003000100005.

Giannini, D. T. (2007.). Recomendações nutricionais do adolescente. Revista Adolescência & Saúde, 4(1), 12-18. https://cdn.publisher.gn1.link/adolescenciaesaude.com/pdf/v4n1a03.pdf.

Horta, P. M., Ferreira, A. D., & Santos, L. C. (2012). Impacto de um programa de educação nutricional em adolescentes estudantes da rede pública. Rev. APS, 15(2), 185-191.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE (2016). Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Pesquisa nacional de saúde do escolar: 2015 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. – Rio de Janeiro, IBGE, 132 p. file:///C:/Users/lenovo/Downloads/liv97870.pdf.

Issa, R. C., Moraes, L. F., Francisco, R. R. J., Santos, L. C., Anjos, A. F. V., & Pereira, S. C. L. (2014). Alimentação escolar: planejamento, produção, distribuição e adequação. Revista Panamericana de Salud Publica, 35(2), 96–103. https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resou rce_ssm_path=/media/assets/rpsp/v35n2/a03v35n2.pdf.

Leal, G. V. S., Philippi, S. T., Matsudo, S. M. M., & Toassa, E. C. (2010). Consumo alimentar e padrão de refeições de adolescentes, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia 13(3), 457-67. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2010000300009.

Ministério da Educação (2013). Resolução/CD/FNDE n. 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Brasília, DF. https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/Url PublicasAction.php?acao=abrirAtoPublico&sgl_tipo=RES&num_ato=00000026&seq_ato=000&vlr_ano=2013&sgl_orgao=FNDE/MEC

Ministério da Saúde (2014). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. (2ª ed.).

Mota, H. C., Mastroeni, S. S. B. S., & Mastroeni, F. M. (2013). Consumo da refeição escolar na rede pública municipal de ensino. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 94 (236), 168184. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812013000100009.

Muniz, L. C., Zanini, R. V., Schneider, B. C., Tassitano, R. M., Feitosa, W. M. N., & GonzálezChica, D. A. (2013). Prevalência e fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras entre adolescentes de escolas públicas de Caruaru, PE. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 18(2), 393-404. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000200011

Núcleo de Estudo e Pesquisas em Alimentação [NEPA] (2011). Tabela Brasileira de Composição de Alimentos: NEPA, UNICAMP.

Pereira, A, S.; Shitsuka, D.M.; Parreira, F.J.; Shitsuka, R. Metodologia da pesquisa científica. UFSM, NTE, 2018. 1 e-book. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pioltine, M., & Spinelli, M. G. N. (2012) Análise da oferta alimentar em uma escola privada do município de São Paulo. Revista Univap, 18(31), 48-57. https://doi.org/10.18066/revuunivap.v.18i31.62.

Proença, R. P. C., Sousa, A. A., Vieiros, M. B., & Hering B. (2005). Qualidade Nutricional e Sensorial na Produção de Refeições. UFSC, 91-93.

Reis, I. R. M. S., Sousa, H. M. S., & Messias, C. M. B. O. (2016). Comparação do consumo de sódio e fibras entre adolescentes de ambos os sexos. Revista Baiana de Saúde Pública, 40 (4), 957-967. https://doi.org/10.22278/2318-2660.2016.v40.n4.a2080.

Santana, R. F., Oliveira, A. P., Araújo, D. E., Miranda, A. S., & Santos, R. N. (2015). Intervenções de educação alimentar e nutricional para crianças de uma fundação pública em vitória da conquista - BA: construindo novos hábitos alimentares. Revista Extendere, 3(1), 1-12. http://periodicos.uern.br/index.php/extendere/article/view/1630/883.

Silva, E. I. G., Mendes, M. L. M., & Messias, & C. M. B. O. (2015). Consumo alimentar das vitaminas A, C, B9 e de Zinco por adolescentes de uma escola pública. Revista Baiana de Saúde Pública, 39(3): 598-616. 10.5327/Z0100-0233-2015390300010

Silva, M. M. D. C., & Gregório, E. L. (2011). Avaliação da composição nutricional dos cardápios da alimentação escolar das escolas da rede municipal de Taquaraçu de Minas – MG. Revista HU, 37(3), 387-394.

Silva, M. V. (1998). Alimentação na escola como forma de atender às recomendações nutricionais de alunos dos Centros Integrados de Educação Pública (CIEPS). Caderno de Saúde Pública, 14(1), 171-180. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1998000100025

Silva, R. G., & Fernandes, T. F. S. (2014). Valor nutricional da merenda oferecida em uma escola municipal do agreste pernambucano. Rev. Baiana de Saúde Pública. 38(2), 404-416. https://doi.org/ 10.5327/Z0100-0233-2014380200013.

Sousa, A. M. et al. (2016). ERICA: ingestão de macro e micronutrientes em adolescentes brasileiros. Rev. Saúde Pública, 50(suplem 1), 5s. http://dx.doi.org/10.1590/S01518-8787.2016050006698.

Ygnatios, N. T. M., Lima, N. N., & Pena, G. G. (2017). Avaliação qualitativa das preparações do cardápio de uma escola privada em um município do interior de Minas Gerais. RASBRAN – Revista da Associação Brasileira de Nutrição, 8(1), 82-89. https://rasbran.emnuvens.com.br/rasbran/article/view/580/163

Yin, R. K. (2015). O estudo de caso: Bookman.

Published

30/01/2021

How to Cite

MACEDO, T. V. B. .; BATISTA , Érica T. de A. .; CARNEIRO , M. de O. .; SILVA , B. P. da .; AMORIM, M. M. A. Nutritional adequacy of meals consumed by adolescents of a philanthropic institution in Belo Horizonte . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e54510112052, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.12052. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12052. Acesso em: 28 feb. 2021.

Issue

Section

Health Sciences