Training memories and the construction routes of the research puzzle

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.12162

Keywords:

Research; Narratives; Experience ; Memorials ; (Auto)biography.

Abstract

This article is an excerpt from doctoral research and aims, exclusively for that text, to reflect on what my (auto)biographical writings revealed, in training memorials built throughout life, as to becoming a teacher, teacher trainer, researcher and the reflections of these life paths, personal and professional, do not constitute the research puzzle. In this sense, therefore, authors who discuss this research perspective are part of the theoretical foundation, such as, for example, Clandinin (2013), Clandinin and Connely (2015), Josso (2007), Souza (2006), Benjamin (1996), Larrosa Bondía (2002), Roldão (2007), Flores (2014), D'Ambrosio (1998) and Passos (2010). Throughout my personal and professional trajectory, as it was presented throughout the article, I was deeply involved with the issues of playfulness and teacher training that teach (Aaron) mathematics. All of this brought me closer to the PhD research puzzle. I hope that this text will allow readers to get closer to narrative research and that more studies of this nature will be built in Brazil.

Author Biography

Américo Junior Nunes da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Professor do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (Uneb - Campus VII) e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos - PPGESA (Uneb - Campus III). Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UnB), Especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela Faculdade Regional de Filosofia, Ciências e Letras de Candeias (IESCFAC), Especialista em Educação Matemática e Licenciado em Matemática pelo Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco (CESVASF). Foi professor e diretor escolar na Educação Básica. Coordenou o curso de Licenciatura em Matemática e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) no Campus IX da Uneb. Foi coordenador adjunto, no estado da Bahia, dos programas Pró-Letramento e PNAIC (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa). Participou, como formador, do PNAIC/UFSCar, ocorrido no Estado de São Paulo. Pesquisa na área de formação de professores que ensinam Matemática, Ludicidade e Narrativas. Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (CNPq/UFSCar), na condição de pesquisador, o Grupo Educação, Desenvolvimento e Profissionalização do Educador (CNPq/PPGESA-Uneb), na condição de vice-líder e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (CNPq/LEPEM-Uneb) na condição de líder. É editor-chefe da Revista Baiana de Educação Matemática (RBEM) e coordenador do Encontro de Ludicidade e Educação Matemática (ELEM).

References

Alves, E. M. S. (2012) A ludicidade e o ensino da matemática: uma prática possível. 7ª. ed. Campinas: Papirus.

André, M. (2010). Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre , setembro/dezembro. 174-181.

Benjamin, W. (1996). Experiência e Pobreza. In: Benjamin, W. Magia e Técnica, Arte e Política. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. Brasília: Brasiliense.

Caporale, S. M. D. (2016). Escrever e compartilhar histórias de vida como práticas de (auto) formação de futuros professores e professoras de matemática. 241 p. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação. Universidade São Francisco, Itatiba/SP.

Cerrillo, Q. M.-M. (2001). La escuela como espacio de trabajo para los profesores. In: MARCELO, C. La función docente: Editorial Síntesis. p. 141-170.

Clandinin, D. J, & Connelly, F. M. (2000). Narrative inquiry: experience and story in qualitative research. San Francisco: Jossey-Bass.

Clandinin, D. J. (2013). Engaging in narrative inquiry. Walnut Creek: Left Coast Press.

Clandinin, D. J, & Connelly, F. M. (2015). Pesquisa Narrativa: Experiência e História em Pesquisa Qualitativa. Uberlândia: EDUFU.

Cunha, R. B. (2007). Lembranças de escola na formação inicial de professores. In: Prado, G. D. V. T.; Cunha, R. B. Percursos de autoria: exercícios de pesquisa. Campinas: Alínea, p. 97-112.

D'Ambrosio, U. (1998). Etnomatemática: Arte ou técnica de explicar ou conhecer. 5ª. ed. São Paulo: Ática.

Day, C. (2014). A resiliência, os professores e a qualidade da Educação. In: Flores, M. A, & Coutinho, C. Formação e trabalho docente: diversidade e convergências. Santo Tirso (Pt): De Facto.

Flores, M. A. (2010). Algumas reflexões em torno da formação inicial de professores. Educação, set. Porto Alegre.

Flores, M. A. (2014). Formação e Desenvolvimento profissional de professores: contributos internacionais. Coimbra (Pt): Almedina.

Gatti, B. (2010). Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, out/dez, 1355-1379.

Guedes-Pinto, A. L. (2012). Memorial de Formação: Registro de um percurso. Faculdade de Educação da Unicamp, Campinas.

Josso, M. C. (2007). A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Porto Alegre/RS, n. 3 (63), p. 413-438.

Kenski, V. M. (1996). Memória prática docente. In: Brandão, C. R. As Faces da Memória. Campinas: Centro de Memória- Unicamp.

Knijnik, G. (1997). As novas modalidades de exclusão social: trabalho, conhecimento e educação. Revista Brasileira de Educação.

Larrosa Bondía, J. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação , Rio de Janeiro, p. 21-28.

Libâneo, J. C. (2007). Pedagogia e pedagogos para que? 9ª. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

Loughran, J. (2009). A construção do conhecimento e o aprender a ensinar sobre o ensino. In: Aprendizagem e desenvolvimento profissional de professores: contextos e perspectivas. Mangualde: Edições Pedago, p. 17-37.

Marcelo Garcia, C. (2009). Desenvolvimento profissional: passado e futuro. Sísifo – Revista das Ciências da Educação, janeiro/abril.

Oliveira, R. M. M. A. (2011). Narrativas: contribuições para a formação de professores, para as práticas pedagógicas e para a pesquisa em educação. Educução Pública, Cuiabá, maio/agosto. 289-305.

Linhares, C. F. S. (2008). Trabalhadores sem trabalho e seus professores: Um desafio para a formação docente. In: Alves, N. Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo: Cortez, v. 1.

Passos, C. L. B. (2010). Materiais manipuláveis como recursos didáticos na formação de professores de Matemática. In: Lorenzato, S. O laboratório de ensino de Matemática na formação de professores. 2ª. ed. Campinas: Autores Associados, p. 77-92.

Roldão, M. D. C. (2007). A formação de professores como objecto de pesquisa – contributos para a construção do campo de estudo a partir de pesquisas portuguesas. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, setembro, 50-108.

Silva, A. J. N. (2016). Querido Diário: O Que Dizem As Narrativas Sobre A Formação E A Futura Prática Do Professor Que Ensinará Matemática Nos Anos Iniciais. Revista Brasileira de História, Educação e Matemática (Hipátia), Campos do Jordão(SP), v. 1, n.1, p. 46-57.

Silva, A. J. N. da, & Passos, C. B. (2019). Conhecendo mais sobre a ludicidade, formação de professores e ensino de matemática no curso de pedagogia da UFSCAR. Revista Brasileira De Pesquisa (Auto)biográfica, 4(10), p. 264-282.

Silva, A. J. N. da, & Passos, C. L. B. (2020). Formação do professor que ensina matemática, ludicidade e narrativas: o que se pesquisou no Brasil. Revista Eletrônica de Educação, v. 14, jan./dez, e3631066, p. 1-18.

Silva, A. J. N. (2020a). Ensinar matemática nos anos iniciais e ludicidade: o que significou para estudantes de uma turma do curso de pedagogia da UFSCar?. Educação Online Puc-RJ, v. 15. n. 35. p. 157-175.

Silva, A. J. N. (2020b). O curso de Pedagogia e a formação de educadoras matemáticas: o que revelam narrativas de um encontro de formação?. In: Gestão educacional e formação docente. 1ed.Rio de Janeiro: Pembroke Collins, v. 1, p. 13-29.

Silva, A. J. N. (2020c). Pesquisa Narrativa: Por Que Não Tive Contato Com Essa Perspectiva De Investigação Antes E Quais Motivos Me Fizeram Escolhe-La?. In: Celso Gabatz; Danielle Ferreira Medeiro da Silva de Araújo; Giovanni Codeça da Silva; Walkyria Chagas da Silva Santos. (Org.). Perspectivas contemporâneas de educação. 1ed.Rio de Janeiro: Pembroke Collins, 2020, v. 3, p. 157-172.

Souza, E. C. (2006). A arte de contar e trocar experiências: Reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, Janeiro, p. 22-39.

Published

30/01/2021

How to Cite

SILVA, A. J. N. da. Training memories and the construction routes of the research puzzle. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e54410112162, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.12162. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12162. Acesso em: 26 feb. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences