The emergence of the Philosophy textbook from 1980 to 1990

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13047

Keywords:

Philosophy textbook; Historical conditions; Teaching.

Abstract

This article is an excerpt from the research 'Philosophy textbooks in Brazil (1980-1990): a study on the origins and ways of teaching Philosophy', carried out in the Master's course of the Graduate Program in Education at the Federal University of Santa Maria. It aims to discuss the Philosophy textbooks produced in Brazil in the 1980s and 1990s. We problematize this Brazilian historical period, in order to understand the elements that have become conditions for textbooks, in general, and textbooks of philosophy, in particular, could emerge with strength and relevance in school philosophy teaching in Brazil. To this end, the study approaches a genealogical perspective by Michel Foucault (2015), as the writing of a story that refuses the perfection of the origins, recognizing the events as discursive plots, which intersect and intertwine in constant movements and forces that form and transform the context. It appears from the investigation that the emergence of the Philosophy textbook is conditioned by the forces at play that were plotted in the following periods: the end of the Military Dictatorship; the process of redemocratization (1980); the process of massification of teaching (1990); the struggles and struggles for the return of Philosophy teaching to high school / high school curricula and the publication of Law 9.349 of 1996.

Author Biographies

Raquel Brum Sturza, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Maria. Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Maria. Especialista em Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria. Licenciada em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria.

Elisete Medianeira Tomazetti, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora Titular da Universidade Federal de Santa Maria.

References

Alves, D. J. (2002). A Filosofia no ensino médio: ambiguidades e contradições na LDB. Campinas: Autores Associados.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil. (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Cartolano, M. T. P. (1985). Filosofia no ensino de 2º grau. São Paulo: Cortez Autores Associados.

Cerqueira, A. G., Cerqueira, A. C., Souza, T. C., Mendes, P. A. (2009). A trajetória da LDB: um estudo crítico frente à realidade brasileira. In: Ciclo de estudos históricos. (2009). Anais. Ilhéus: CEAP.

Chauí, M. (2017, April 10). Aula Inaugural com Marilena Chauí [Web page]. Retrieved from https://www.youtube.com/watch?v=yAq7oyrvo1E.

Chauí, M. (2018). Em defesa da educação pública, gratuita e democrática. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Cunha, L. A. (2014). Ensino profissional: o grande fracasso da ditadura. Cadernos de Pesquisa, v. 44, nº 154, p. 912-93. http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/2913/pdf_9.

Dambros, M., & Mussio, B. R. (2014). Política educacional brasileira: a reforma dos anos 90 e suas implicações. In: Anped Sul, Anais [...]. Florianópolis: UDESC.

Fávero, A. A., Ceppas, F., Gontijo, P. E., Gallo, S. & Kohan, W. O. (2004). O ensino da filosofia no Brasil: um mapa das condições atuais. Caderno Cedes, v. 24, nº 64, p. 257-284. https://www.scielo.br/pdf/ccedes/v24n64/22830.pdf.

Fico, C. (2004). Versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Revista Brasileira de História, v. 24, nº 47, p. 29-60. https://www.scielo.br/pdf/rbh/v24n47/a03v2447.pdf.

Foucault, M. (2015). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitag, B., Motta, V. R. & Costa, W. F. (1989). O livro didático em questão. São Paulo: Cortez Autores Associados.

Frigotto, G. & Ciavatta, M. (2003). Educação Básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação & Sociedade, v. 24, nº 82, p. 93-130. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302003000100005&script=sci_abstract&tlng=pt.

Gallina, S. (2000). A disciplina de Filosofia e o Ensino Médio. In: Gallo, S.; Kohan, W. O. (Orgs.). Filosofia no Ensino Médio. Petrópolis: Vozes, 34-46.

Gallo, S. (2010). Ensino de Filosofia e materiais didáticos. In: Cornelli, G.; Carvalho, M.; Danelon, M. (Coord.). Filosofia: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria da Educação Básica, 159-170.

Lima, N. R. & Ciasca, M.I.F.L. (2020). História da avaliação pedagógica do livro e material didático no Brasil. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 9 (3), e90932509. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2509

Molina, O. (1987). Quem engana quem? Professor x livro didático. Ilhéus: Papirus.

Oliveira, J. B. A. & Guimarães, S. D. P. (1984). A política do livro didático. Campinas: UNICAMP.

Paixão, F. (1996). Momentos do livro no Brasil. São Paulo: Ática.

Pina, F. (2008). Acordo MEC-USAID: ações e reações (1966-1968). In: Encontro Regional de História: poder, violência e exclusão. Anais [...]. São Paulo: ANPUH/SP-USP.

Rigue, F. M., Oliari, G., Sturza, R. B., Tomazzeti, E. M. & Veiga, A. M. da R. (2020). Amateur teacher: contrasting possibilities with teacher education in Brazil. Research, Society and Development, 9(2), e34922000. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i2.2000

Rigue, F. M. (2020). Uma Genealogia da Formação Inicial de Química no Brasil. (Tese de Mestrado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil). https://repositorio.ufsm.br/handle/1/19926.

Rodrigo, L. M. (2009). Filosofia em sala de aula: teoria e prática para o ensino médio. Campinas: Autores Associados.

Santos, G. S., Leandro Filho, J. A. & Baldan, A. S. (2014). O itinerário da Filosofia no currículo do Ensino Médio do Estado de São Paulo. Revista da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Mato Grosso, v. 22, nº 2, p. 69-80. http://www2.unemat.br/revistafaed/content/vol/vol_22/artigo_22/69_80.pdf.

Silva, L. H. P. (2014). A universidade e o cinquentenário do golpe civil-militar de abril de 1964. In: Valle, M. R. (Org.). Golpe militar, história, memória, e direitos humanos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 63-89.

Silveira, T. C. (2015). Ensino de Filosofia no Ensino Médio: uma análise do livro iniciação à Filosofia de Marilena Chauí. Cadernos do PET Filosofia, v. 6, nº 11, p. 75-92. https://revistas.ufpi.br/index.php/pet/article/view/3655/2767.

Sturza, R. B. (2019). Livros didáticos de filosofia no Brasil (1980-1990): Um estudo sobre proveniências e modos de ensinar filosofia. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil). https://repositorio.ufsm.br/handle/1/18957.

Published

08/03/2021

How to Cite

STURZA, R. B. .; TOMAZETTI, E. M. . The emergence of the Philosophy textbook from 1980 to 1990 . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e11510313047, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13047. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13047. Acesso em: 16 apr. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences