Positive and negative affects in undergraduate Nursing students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13506

Keywords:

Nursing; Nursing students; College education; Emotions.

Abstract

Objective: to understand the positive and negative affects experienced by undergraduate nursing students. Methods: This is a cross-sectional, epidemiological, quantitative study, with 59 undergraduate nursing students, enrolled in a higher education institution in a city in the central-west of the state of São Paulo. Data were collected between the months of September and October 2018, through a semi-structured questionnaire, prepared by the authors, to characterize the participants regarding the sociodemographic variables and the application of the Positive and Negative Affections Scale. The data were analyzed using descriptive statistics and inferential ANOVA one factor, with the intensity of experimentation of each affect as a dependent variable, and sociodemographic variables as predictors. The level of significance adopted for the analyzes of this study was p <0.05. Results: The participants had a general average of 4.3 and a mode of 3.8 for the intensity of positive affects, and a general average of 3.4 and a mode of 3.2 for intensity of negative affects. In the analysis of positive affects, there was a greater intensity of positive affects in heterosexuals (p = 0.012); presence of children (p = 0.035); and absence of mental disorders (p = 0.006). Negative affects showed a higher intensity of negative affects in the presence of mental disorders (p = 0.003). Final considerations: Positive affects are more present than negative affects in undergraduate nursing students. This situation may be related to feelings of enthusiasm, fulfillment and expectations about the future and improvement in the living conditions dreamed of entering higher education.

Author Biographies

Daniel Augusto da Silva, Fundação Educacional do Município de Assis

Doutor em Ciências. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil.

João Emanuel Ribeiro Santos, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduando em Enfermagem. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil.

Lisley Galvão Lucio, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduanda em Enfermagem. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil

Ana Paula Teixeira Rosa, Fundação Educacional do Município de Assis

Graduanda em Enfermagem. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil.

Elizete Mello da Silva, Fundação Educacional do Município de Assis

Doutora em História. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP`, Brasil.

Rosângela Gonçalves da Silva, Fundação Educacional do Município de Assis

Doutora em Biociências. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil.

Caroline Lourenço de Almeida, Fundação Educacional do Município de Assis

Doutoranda em Enfermagem. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis, SP, Brasil.

References

Almeida, L. S., Taveir,a M. C., Peixoto, F., Silva, J. C., & Gouveia, M. J. (2020). Escala de satisfação no domínio académico em universitários portugueses. Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación e Avaliação Psicológica, 54(1), 93-101. http://www.doi.org/10.21865/RIDEP54.1.08

Alves, B. P. & Ambiel, R. A. M. (2018). Escala de forças de caráter: relações com instrumentos de avaliação de afetos e interesses profissionais. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(2), 4-20. http://www.doi.org/10.5433/2236-6407.2016v9n1p4

Anjos, D. R. L., & Aguilar-da-Silva, R. H. (2017). Questionário de Vivências Acadêmicas (QVA-R): avaliação de estudantes de medicina em um curso com currículo inovador. Avaliação, 22(1), 105-123. http://www.doi.org/10.1590/S1414-40772017000100006

Araujo, A. C., Santana, C. L., Kazasa, E. H., Lacerda, S. S., & Tanaka, L. H. (2020). Efeitos de um curso de meditação de atenção plena em estudantes da saúde no Brasil. Acta Paul Enferm, 33, 1-9. http://www.doi.org/10.37689/actaape/2020AO0170

Berbigier, M. C., & Magalhães, C. R. (2017). Educação nutricional em universitários e estratégias para promoção de saúde institucional: revisão integrativa. Rev Bras Promoç Saúde, 30(2), 264-274. http://www.doi.org/10.5020/18061230.2017.p264

Cardoso, J. V., Gomes, C. F. M., Pereira Junior, R. J., & Silva, D. A. (2019). Estresse em estudantes universitários: uma abordagem epidemiológica. Rev enferm UFPE on line, 13, e241547 http://www.doi.org/10.5205/1981-8963.2019.241547

Diener, E., Emmons, R. A., Larsen, R., & Griffin, S. (1985). The satisfaction with Life scale. Journal of Personality Assessment, 49(1), 71-75. http://www.doi.org/10.1207/s15327752jpa4901_13

Frenhan, M. & Silva, D. A. (2021). A felicidade na voz de estudantes universitários. Research, Society and Development, 10(2), e27610212505. http://www.doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12505

Matta, C. M. B., Lebrao, S. M. G., & Heleno, M. G. V. (2017). Adaptação, rendimento, evasão e vivências acadêmicas no ensino superior: revisão da literatura. Psicol. Esc. Educ, 21(3), 583-591. http://www.doi.org/10.1590/2175-353920170213111118

Noronha, A. P. P., & Mansão, C. S. M. (2012). Interesses profissionais e afetos positivos e negativos: estudo exploratório com estudantes de ensino médio. Psico-USF, 17(2), 323-331.

Noronha, A. P. P., Martins, D. F., Campos, R. R. F., & Mansão, C. S. M. (2015). Relações entre afetos positivos e negativos e os cinco fatores de personalidade. Estudos de Psicologia, 20(2), 92-101. http://www.doi.org/10.5935/1678-4669.20150011

Noronha, A. P. P., Lamas, K. C. A., & Barros, M. V. C. (2016). Afetos e personalidade: suas relações em estudantes universitários. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 18(2), 75-88. http://www.doi.org/10.15348/1980-6906/psicologia.v18n2p75-88

Parente, L., Cunha, M., Galhardo, A., & Couto, M. (2018). Autocompaixão, bem-estar subjetivo e estado de saúde na idade avançada. Revista Portuguesa de Investigação Comportamental e Social, 4(1), 3-13. http://www.doi.org/10.7342/ismt.rpics.2018.4.1.57

Ribeiro, I. K. S., Silveira, R. C. P., & Teixeira, G. S. (2017). Estilo de vida y bienestar de estudiantes del área de la salud. Revista Enfermería Actual, 34, 1-16.

Silva, D. A., & Marcolan, J. F. (2015). Desempleo y sufrimiento psíquico en enfermeras. Rev. Bras. Enferm, 68(5), 775-782. http://www.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680502i

Silva, D. A. (2019). A autoestima e o comportamento suicida em estudantes universitários: uma revisão da literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 23, e422. http://www.doi.org/10.25248/reas.e422.2019

Silva, E. C., & Heleno, M. G. V. (2012). Qualidade de vida e bem-estar subjetivo de estudantes universitários. Revista Psicologia e Saúde, 4(1):69-76.

Sorares, A. B., Buscacio, R. C. Z., Fernandes, A. M., Medeiros, H. C. P., & Monteiro, M. C. (2017). O impacto dos comportamentos sociais acadêmicos nas habilidades sociais de estudantes. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 10(1), 69-80.

Vizzotto, M. M., Jesus, S. N., & Martins, A. C. (2017). Saudades de casa: indicativos de depressão, ansiedade, qualidade de vida e adaptação de estudantes universitários. Rev. Psicol. Saúde; 9(1), 59-73. http://www.doi.org/10.20435/pssa.v9i1.469

Zanon, C., Bastianello, M. R., Pacico, J. C., & Hutz, C. S. (2013). Desenvolvimento e validação de uma escala de afetos positivos e negativos. Psico-USF, 18(2), 193-202. http://www.doi.org/10.1590/S1413-82712013000200003

Published

20/03/2021

How to Cite

SILVA, D. A. da; SANTOS, J. E. R. .; LUCIO, L. G. .; ROSA, A. P. T. .; SILVA, E. M. da .; SILVA, R. G. da .; ALMEIDA, C. L. de . Positive and negative affects in undergraduate Nursing students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e39110313506, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13506. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13506. Acesso em: 17 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences