The affective dimension in the Youth and adult literacy process

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13524

Keywords:

Affection; School scope; Social interaction; Literacy; EJA.

Abstract

Affection has an important role in the human being's learning process. With the help of affection, teachers and students are able to create bonds of friendship with each other. It empowers the human being to reveal his feelings in relation to other beings and objects. Based on these assumptions, this article aims to discuss an analysis of the importance of the affective aspect and social interaction experienced by young people and adults in the classroom during the literacy process. This research presents a qualitative methodology within an exploratory bibliographic perspective, in which the denoted data were analyzed based on the perspective of the Document Analysis Method, which consists in extracting informational elements from an original document in order to express its content in a abbreviated, resulting in the conversion of a primary document into a secondary document. In the data obtained, it can be inferred that the relationships established in the classroom constitute one of the most significant moments for the expression of affectivity, thus contributing to the development of the student's constitution as a person.

Author Biographies

Gilmene Bianco, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduação em Quimica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994), mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997) e doutorado em Química (Físico-Química) pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente, professora associada da Universidade Federal do Espírito Santo e pertence ao programa de Pós-graduação em Ensino na Educação Básica como professora permanente na área de Ensino de Química e Ensino de Ciências. Tem experiência na área de Química, com ênfase Polímeros, atuando principalmente nos seguintes temas: polimerização, energia de ativação, degradação térmica, fibras vegetais e isotermas de adsorção.

Dieison Prestes da Silveira, Universidade Federal do Paraná

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática da Universidade Federal do Paraná (2020 - até o momento). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Membro do Grupo de Pesquisa Alfabetização Científica e Tecnológica na Educação em Ciências (UFPR). Membro do Grupo de Pesquisa EArte - Estado da Arte da Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil (Unicamp, USP, UNESP). Mestre em Práticas Socioculturais e Desenvolvimento Social pela Universidade de Cruz Alta - Unicruz (2018 - 2020). Especialista em Meio Ambiente e Sustentabilidade pela Faculdade Futura (2017 - 2019). Especialização em andamento: Ensino de Ciências e Docência no Ensino Superior pela Faculdade Futura (2020). Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus Júlio de Castilhos/RS - IFFar (2014 - 2017). Desenvolve pesquisas e estudos na área de Educação Ambiental, Educação Ambiental Crítica, Alfabetização Científica, Educação em Ciências, Formação de Professores e Práticas Socioculturais. Atua como revisor de periódico: GEDECON - Gestão e Desenvolvimento em Contexto (Universidade de Cruz Alta); Revista Missioneira (URI - Santo Ângelo); Revista Di@logus; Revista Ilustração.

Rodrigo Da Vitória Gomes, Universidade Federal do Paraná

Licenciado em Química pela Universidade Federal do Espírito Santo/UFES (2017) com período sanduíche pelo programa Erasmus Mundos na University of Patras/UPATRAS na Grécia (2014-2015). Licenciado em Pedagogia pela Faculdade Venda Nova do Imigrante/FAVENI (2020). Especialista em Práticas Assertivas em Didática e Gestão da Educação Profissional Integrada à EJA pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte/IFRN (2020). Mestre em Ensino na Educação Básica sub área Ensino de Química pela Universidade Federal do Espírito Santo, Campus São Mateus/Ceunes/UFES (2020), com pesquisa em História da Ciência no Ensino de Química e Formação de Professores. Doutorando em Educação em Ciências e em Matemática pela Universidade Federal do Paraná/UFPR. Desenvolve pesquisa em Educação em Ciências atuando principalmente nos seguintes temas: História da Química, Relações entre Ciência e Técnica na História e Interfaces entre História da Ciência e Ensino. Atualmente desenvolve trabalho docente pela Secretaria Estadual de Educação do Espírito Santo/SEDU atuando na Educação de Jovens e Adultos em Espaços de Privação de Liberdade (Penitenciária Regional de Linhares/PRL e Centro de Ressocialização de Linhares/CDRL) e em Ensino Regular com menores Infratores (Unidade de Internação Provisória - UNIP/NORTE e Unidade de Internação Socioeducativa - UNIS/NORTE). Durante a graduação participou de projetos Iniciação Científica e Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Físico-química e química orgânica com ênfase em Polímeros atuando no desenvolvimento de pesquisas com os seguintes temas: Obtenção de poliésteres, compósitos de fontes renováveis, biodegradação, caracterização de materiais e extração de produtos naturais. 

Deivid Jonas Silva da Veiga, Universidade de Cruz Alta

Pós-graduando em Direito de Família e Sucessões pela Fundação Escola Superior do Ministério Público - FMP (2021 - até o momento). Bacharel em Direito pela Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ (2016 - 2021), tem experiência na área jurídica e na área da Tecnologia de Informação. Foi estagiário do Ministério Público Estadual (2019 - 2021). Foi estagiário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul - Comarca de Tupanciretã-RS (2017 - 2019) e do Instituto Nacional de Seguridade Social - Agência da Previdência Social de Tupanciretã-RS (2016 - 2017). Pesquisa o seguintes temas: crimes cibernéticos no Brasil, violência infantil e os direitos humanos da criança e adolescente.

Denise da Costa Dias Scheffer, Universidade de Cruz Alta

Especialista em Direitos Humanos pela Faculdade São Luís/SC - FESL, (2018/2020). Especialista em Direito Processual Civil pela Faculdade Internacional Signorelli/RJ - FISIG, (2013/2018) e Especialista em Formação Pedagógica para Docentes da Educação Técnica e Tecnológica - Eixo: Gestão e Negócios, pela Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas - Facisa/SC, (2009/2010). Bacharela em Direito pela Universidade de Cruz Alta - Unicruz/RS, (2003/2008). Busca investigar temáticas de pesquisa e produção acadêmico-científica voltadas a práticas socioculturais e ao desenvolvimento social dos sujeitos. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1755-542X. Aprovada em 1º Lugar: Mestrado Acadêmico em Práticas Socioculturais e Desenvolvimento Social - Unicruz - 2021

References

Almeida, L. R & Mahoney, A. A. (2007). Afetividade e aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Edições Loyola.

Brasil. Ministério da Educação. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996, Brasília.

Brasil. Ministério da Educação. (2000ª). Parâmetros Curriculares Nacionais, Brasília.

Codo, W., & Gazzotti, A. A. (1999). Trabalho e Afetividade. In: CODO, W. (coord.) Educação, Carinho e Trabalho. Petrópolis-RJ: Vozes.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e Terra.

Ferreira, A. M. F. (2008). A Análise digital de vídeo e software exploratório no ensino da Física. Dissertação (Mestrado em Ensino da Física e da Química) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

Ferreiro, E., & Teberosky, A. (1986). A psicogênese da língua escrita. Artes Médicas.

Gadotti, M., & Romão, J. E. (2011). Educação de Jovens e Adultos: teoria, prática e proposta. Cortez.

Galvão, I. (1995). Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil/Izabel Galvão. - Petrópolis, Educação e conhecimento. RJ.

Gil, A. C. (2002). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. (4a ed.), Atlas.

Jardilino, J. L., & Araújo, R. B. (2014). Educação de Jovens e Adultos sujeitos saberes e práticas. Cortez.

Jarvis, P. (2013). Aprendendo a ser uma pessoa na sociedade: aprendendo a ser eu. In: ILLERIS, Knud. Teorias Contemporâneas da Aprendizagem. trad. Ronaldo Catado Costa. Penso, p.35-43.

Leite, S. A. S. (2012). Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia, 20(2), 355-368.

Lima Junior, S., & Kashiba, S. A. (2012). EJA – Educação de Jovens e Adultos: uma proposta desafiadora e articulada de ensinar Química. In: Encontro Nacional De Ensino De Química, 16; Encontro De Educação Química Da Bahia, 10. 2012, Salvador. Anais... Salvador: ENEQ.

Luck, H., & Carneiro, D. G. (1985). Desenvolvimento afetivo na escola: promoção, mediação e avaliação. (2a ed.), Vozes.

Lüdke, M., & André, M. (1986). A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. EPU.

Mahoney, A. A., & Almeida, L. R. (2005). Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Psicologia da educação, 20.

Souza, I. M. (2010). Fracasso Escolar e Interação Professor-Aluno. Wak, 2010.

Thomaz, L & Oliveira, R. C. (2009). A educação e a formação do cidadão crítico, autônomo e participativo. http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1709-8.pdf.

Vieira, R. M. S. (2004). Afetividade e aprendizagem. Monografia (Especialização em Psicopedagogia) – Universidade Candido Mendes

.

Wallon, H. (1972). As origens do caráter na criança. Difel.

Wallon, H. (1973/1975). A psicologia genética. Trad. Ana Ra. In. Psicologia e educação da infância. Estampa (coletânea).

Published

27/03/2021

How to Cite

SILVA, J. C. S. da .; BIANCO, G.; SILVEIRA, D. P. da .; GOMES, R. D. V.; DA VEIGA, D. J. S. .; SCHEFFER, D. da C. D. . The affective dimension in the Youth and adult literacy process. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e67210313524, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13524. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13524. Acesso em: 13 apr. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences