Perception of the elderly undergoing hemodialysis treatment

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14010

Keywords:

Chronic kidney failure; Health of the elderly; Renal dialysis.

Abstract

As the population ages, the number of non-communicable chronic diseases increases, including chronic renal failure, which in the terminal phase leads the patient to undergo renal replacement therapy, one of the methods is in the form of hemodialysis, a treatment that keeps life, however, it requires the patient to live with the restrictions imposed by health and treatment conditions. The objective of this work is to recognize the main difficulties experienced by the elderly undergoing hemodialysis treatment in the municipality of Cáceres-MT. This is a descriptive, exploratory study with a qualitative approach, carried out with 16 elderly people, between the months of August and November 2020. For the interview, a semi-structured questionnaire containing open questions was used. Among the elderly interviewed, 50% were male and 50% female, with an age ranging from 60 to 81 years. After analyzing the interviews, we obtained three categories: perceptions and experiences about the impact of the disease and the process of acceptance of hemodialysis treatment; the elderly undergoing hemodialysis treatment: main difficulties experienced; and faith, family and multiprofessional team: coping with the disease and supporting adherence to treatment. This study revealed that the elderly on hemodialysis live with several limitations and difficulties, needing the full support of family members, society, especially the nursing team, helping them to solve the difficulties encountered, knowing how to listen to them and understanding them in their individuality and magnitude, creating educational actions to promote a better quality of life so that despite the limitations these elderly people can live better.

Author Biographies

Ana Claudia Barbosa Florencio, Universidade do Estado de Mato Grosso

Discente do curso Bacharel em Enfermagem.

Bianca Teshima de Alencar, Universidade do Estado de Mato Grosso

Enfermeira. Mestre em Ciências Ambientais.

Helena Gonçalves Marins, Centro de Tratamento do Rim de Cáceres

Assistente Social.

Rafael Teshima de Alencar, Universidade do Estado de Mato Grosso

Enfermeiro.

Samira Michel Garcia Campos, Universidade do Estado de Mato Grosso

Enfermeira. Doutora em Biologia Oral.

References

Brasil. (2006). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Ministério da Saúde, Caderno de Atenção Básica nº 19. – Brasília. 192 p.

Cargnin, M. C. S., Santos, K. S., Gentelina, C. O., Rotoli, A., Paula, S. F. & Ventura, J. (2018). Pacientes em tratamento hemodialítico: percepção acerca das mudanças e limitações da doença e tratamento. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 10 (4): 926.

CNES. Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde. (2020). Consulta estabelecimento. http://cnes.datasus.gov.br/pages/estabelecimentos/ficha/identificacao/5102502394936.

Contente, S. R., Cavalcante, L. I. C., Silva, S. S. & Heumann, S. (2018). Rotina E Qualidade De Vida De Usuários Em Terapia Renal Substitutiva. SPAGESP - Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, 19 (2): 81–93.

Costa, F. G., Coutinho, M. da. P. de. L. & Santana, I. O. de. (2014). Insuficiência renal crônica : representações sociais de pacientes com e sem depressão, Psico-USF, 19 (3): 387–398.

Everling, J., Gomes, J. S., Benetti, E. R. R., Kirchner, M., Barbosa, D. A. & Stumm; E. M. F. (2016). Eventos associados à hemodiálise e percepções de incômodo com a doença renal. Avances en Enfermería, 34 (01): 48–57.

Farago, C. C. & Fofonca, E. A. (2007). Análise de conteúdo na perspectiva de Bardin: Do Rigor Metodológico À Descoberta De Um Caminho De Significações. Linguagem, 18: 1–5.

Galvão, A. A. F., Silva, E. G. da. & Santos, W. L. dos. (2019). As dificuldades encontradas pelos pacientes com insuficiência renal crônico ao iniciar o tratamento. Revista de Iniciação Científica e Extensão, 2 (4): 180-189.

Guyton, A.C. & Hall, J. E. (2011). Tratado de Fisiologia Médica. 12. ed. Rio de Janeiro/RJ: Elsevier, 289-433.

Hartwig, S. V., Junior, A. L. de. S. & Ignotti, E. (2018). Medicamentos para hipertensão de pacientes em hemodiálise em Cáceres - Mato Grosso, Brasil. Mundo da Saúde, 42(1): 158–180.

IBGE. (2018) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Agência IBG Notícias. Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017.

Kusumota, L., Rodrigues, R. A. P. & Marques, S. (2004). Idosos com Insuficiência Renal Crônica: Alterações no Estado de Saúde. Rev Latino-Am Enfermagem, 12 (3): 525–532.

Lima, A. F. C. & Gualda, D. M. R. (2001). História oral de vida: buscando o significado da hemodiálise para o paciente renal crônico. Revista Escola de Enfermagem da USP, 35 (3): 235–241.

Nepomuceno, F. C. L., Melo Junior, I. M. De., Silva, E. De A. & Lucena, K. D. T. de. (2014). Religiosidade e qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise. Saúde em debate [online], 38 (100): 119 -128.

Neves, D. M. De M., Sesso, R. DE C.C., Thomé, F. S., Lugon, J. R. & Nascimento, M. M. (2018). Censo Brasileiro de Diálise: análise de dados da década 2009-2018. Jornal Brasileiro de Nefrologia, 42 (2): 191–200.

Oliveira, G. T.C. De., Andrade, E. I.G., Acurcio, F. De. A., Cherchiglia, M.L. & Correia, M. I .T. D. (2012). Avaliação nutricional de pacientes submetidos à hemodiálise em centros de Belo Horizonte. Revista da Associação Médica Brasileira, 58 (2): 240–247.

Oliveira, H. M. de. Jr., Formiga, F. F. C. & Alexandre, C. da S. (2014). Perfil clínico-epidemiológico dos pacientes em programa crônico de hemodiálise em João Pessoa - PB. Jornal Brasileiro de Nefrologia, 36(3): 367–374.

Orlandi, F. De. S., Pepino, B. G., Pavarini, S. C. I., Santos, D. A. Dos., & Mendiondo, M. S. Z. de. (2012). Avaliação do nível de esperança de vida de idosos renais crônicos em hemodiálise. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46 (4): 900–905.

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Pilger, C., Rampari, E. M., Waidman, M. A. P. & Carreira, L. (2010) Hemodiálise: Seu significado e impacto para a vida do idoso. Escola Anna Nery, 14 (4): 677–683.

Rosa, K. R. & Loures, M. C. (2013). Qualidade de vida de idosos em hemodiálise: Enfermagem e o lúdico. Revista de Ciências Ambientais e Saúde - Estudos, Vida e Saúde, 40(4): 419–446.

Rudnicki, T. (2014). Doença renal crônica: vivência do paciente em tratamento de hemodiálise. Contextos Clínicos, 07(01): 105–116.

Santos, V. F. C. Dos., Borges, Z. N., Lima, S. O. & Reis, F. P. (2018). Percepções, significados e adaptações à hemodiálise como um espaço liminar: a perspectiva do paciente. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (66): 853-863.

Santos, I. Dos., Rocha, R. De. P. F. & Berardinelli, L. M. M. (2011). Necessidades de orientação de enfermagem para o autocuidado de clientes em terapia de hemodiálise. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(2): 335–342.

SBN. Sociedade Brasileira De Nefrologia. (2018). Doenças Comuns/Tratamentos - Hemodiálise. 2018. https://sbn.org.br/publico/tratatamentos/hemodialise/.

Sesso, R. C., Lopes, A. A., Thomé, F. S., Lugon, J. R. & Martins, C. T. (2017). Inquérito Brasileiro de Diálise Crônica 2016. Jornal Brasileiro de Nefrologia, 39 (3): 261–266.

Silva, A. S. Da., Silveira, R. S. Da, Fernandes, G. F.M., Lunardi, V. L. & Backes, V. M. S. (2011). Percepções e mudanças na qualidade de vida de pacientes submetidos à hemodiálise. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(5): 839-844.

Silva, K. A. L. DA, Cargnin, M. C. Dos S., Ventura, J., Paula, S. F. DE & Groos, J. V. (2017). Qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal em tratamento hemodialítico. Revista de Enfermagem UFPE on Line, 11(11): 4663–4670.

Souza, D. F. A. De, Pereira, B. C., Dázio, E. M. R., Vilela, S. De C., Terra, F. De S. & Resck, Z. M. R. (2020). Perspectivas de vida e de viver de pessoas em tratamento hemodialítico. Ciência, Cuidado e Saúde, 19: 1–8.

Stevens, A. & Lowe, J. (2002). Patologia. - 2 ed. Barueri/SP: Manole. p. 349-382.

Uema, R. T. B. & Pupulim, J. S. L. (2015). Percurso E Expectativa De Vida Do Indivíduo Em Tratamento Hemodialítico. Revista de Enfermagem UFPE On Line, 9(10): 1500–1508.

Xavier, B. L. S., Santos, I. Dos, Almeida, R. F., Clos, A. C. & Santos, M. T. dos. (2014). Caracteristicas individuais e clínicas de clientes com doença renal crônica em terapia renal substitutiva. Revista Enfermagem, 22(3): 314–320.

Published

09/04/2021

How to Cite

FLORENCIO, A. C. B. .; ALENCAR, B. T. de .; MARINS, H. G. .; ALENCAR, R. T. de .; CAMPOS, S. M. G. .; HARTWIG, S. V. . Perception of the elderly undergoing hemodialysis treatment. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e23310414010, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14010. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14010. Acesso em: 8 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences