Use of medicinal plants for therapeutic purposes by High School students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14484

Keywords:

Botany; Popular knowledge; Biology teaching.

Abstract

Medicinal plants are used as a food and therapeutic resource by civilizations throughout human history. However, knowledge at the biological level is rarely discussed in the classroom. Thus, the study aimed to survey the knowledge of high school students about the use of medicinal plants for therapeutic purposes in a public school in the state of Piauí. Thus, data were collected by electronic form and applied to 33 high school students from public schools in the state of Piauí. Then, the data were subjected to descriptive statistical analysis of frequency and analytical categories for qualitative data. The students cited 17 specimens of plants, where tea and leaves were the main forms of use and preparation, respectively. The plants were used, mainly in the treatment of respiratory and gastrointestinal problems, and the most cited specimens were mint and lemon balm. It was also observed that the students had fragmented knowledge about medicinal plants' therapeutic purposes and the possible damages caused to the genetic material. As plants are a natural resource, students believed that they did not cause damage to the organism. Thus, it appears that traditional knowledge about medicinal plants is present in the lives of students, despite the little associated scientific knowledge.

Author Biographies

Breno Machado de Almeida, Universidade Federal de Viçosa

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade do Ceará (UECE); -Mestre em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Doutorando em Genética e Melhoramento - UFV. 

 

Regina Maria Silva Sousa, Universidade Federal do Piauí

Mestrado em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal do Piauí - UFPI (2018-2020). Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Piauí - UESPI (2014-2017). Têm experiência com metagenômica aplicada a cultura de feijão-fava (Phaseolus lunatus L.), onde desenvolveu trabalho sobre a diversidade bacteriana do solo rizosférico; desenvolveu também trabalhos na área de mutagênese avaliando o efeito citogenotóxico de plantas medicinais por meio do ensaio Allium cepa

Maurício dos Santos Araújo, Universidade Federal de Viçosa

PhD student in Genetics and Plant Breeding - UFV. Master in Genetics and Breeding - UFPI (2018-2020). Graduated in Biological Sciences - IFPI (2014-2018). He has experience in plant breeding and biofortification of cowpea [Vigna unguiculata (L.) Walp.], for agronomic, nutritional and culinary characters. In addition, he has experience in the field of Mutagenesis, especially with the Allium cepa test, applied to medicinal plants, in addition to developing studies on the teaching of genetics.

References

Andres, F. C., Andrade, S. C., Moreschi, C., Rodrigues, S. O. & Ferst, M. F. (2020). A utilização da plataforma Google forms em pesquisa acadêmica: relato de experiência. Research, Society and Development, 9(9), 1–7.

Araújo, M. S. & Lima, M. M. O. (2019). O uso de plantas medicinais para fins terapêuticos: os conhecimentos etnobotânicos de alunos de escolas públicas e privada em Floriano, Piauí, Brasil. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemática, 15 (33), 235–250.

Barboza, A. C., Amador, M. S. M., Gomes, P. W. P., Brito, J. S., Miranda, T. G., Martins-Junior, A. S., Pontes, A. N. & Tavares-Martins, A. C. C. (2020). Percepção dos alunos a respeito do uso de plantas medicinais em escolas públicas de Salvaterra. Biota Amazônia: Open Journal System, 10, 24–30.

Barbosa, M. C. P., Santos, J. W., Silva, F. C. & Guilherme, B. C. (2020). O ensino de botânica por meio de sequência didática: uma experiência no ensino de ciências com aulas práticas. Brazilian Journal of Development, 6 (7), 45105–45122.

Belizário, T. L. & Silva, L. A. (2012). Abordagem etnobotânica no tratamento de parasitoses em comércios de fitoterápicos e numa comunidade rural em Uberlândia-MG. Enciclopédia Biosfera, 8 (15), 1730–1739.

Brasil. (2016). Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Publicada no DOU nº 98, terça-feira, 24 de maio de 2016, seção 1, 44–46.

Cajaíba, R. L., Cajaiba, R. L. & Parry, M. M. (2016). Levantamento etnobotânico de plantas medicinais comercializadas no município de Uruará, Pará, Brasil. Revista Biotemas, 29, 115–131.

Cavalcanti, C. A., Andrade, Y. V. S. & Lima, C. G. (2020). Estudo Etnobotânico sobre a contribuição do uso de plantas medicinais utilizadas no Sítio Frexeira Velha, pertencente ao Município de Pesqueira – PE. Brazilian Journal of Development, 6 (12), 94929–94940.

Carneiro, S. P. & Silva, J. (2007). O Teste Allium cepa no ensino de biologia celular: um estudo de caso com alunos da graduação. Revista Acta Scientiae, 9 (2), 122–130.

Colacio, D. S., Cajaiba, R. L., Sousa, L. A., Martins, J. S. C. & Sousa, E. S. (2019). Levantamento etnobotânico de plantas medicinais comercializadas no município de Buriticupu. Revista Cubana de Plantas Medicinales, 24 (4), 1–17.

Costa, E. A., Cajaiba, R. L., Sousa, L. A., Martins, J. S. C. & Sousa, E. S. (2019). Gamificação da botânica: uma Estratégia para a cura da “Cegueira Botânica”. Revista Insignare Scientia, 2 (4), 79–99.

Costa, J. C. & Marinho, M. G. V. (2016). Etnobotânica de plantas medicinais em duas comunidades do município de Picuí, Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 18, 125–134.

Costa, S. & Pereira, C. (2016). Etnobotânica como subsídio para educação ambiental nas aulas de ciências. Revista Brasileira de Educação Ambiental, 11 (2), 279–298.

Cronquist, A. (1988). The evolution and classification of flowering plants. Bronx: New York Botanical Garden.

Dantas, I. M. J. & Torres, A. M. (2019). Abordagem etnobotânica de plantas medicinais em uma comunidade rural do sertão Alagoano. Diversitas Journal, 4, 39–48.

David, M. & Pasa, M. C. (2017). Articulações entre a etnobotânica e os conhecimentos da disciplina ciências da natureza. Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, 5 (2), 249–264.

Ferreira, M., Barbieri, J. F., Almeida, J. J. G. & Winckler, C. (2020). Introdução e condução dos métodos mistos de pesquisa em educação física. Pensar a Prática, 23, e59905.

Ferreira, G., Campos, M. D. G. P. A., Pereira, B. L. & Santos, G. B. (2017). A etnobotânica e o ensino de botânica do ensino fundamental: possibilidades metodológicas para uma prática contextualizada. Flovet, 1 (9), 86–101.

Griffin, V., McMiller, T., Jones, E. & Johnson, C. M. (2003). Identifying novel helix-loophelix genes in Caenorhabditis elegans through a classroom demonstration of functional genomics. Cell Biology Education, 2, 51– 62.

Ibge. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Organização do território, estrutura territorial, localidades. Brasília, DF, 2010. https://geoftp.ibge.gov.br/organizacaodo_territorio/estrutura_territorial/localidades/Geomedia_MDB.

Kovalski, M. L. & Obara, A. T. (2013). O estudo da etnobotânica das plantas medicinais na escola. Ciência & Educação, 19 (4), 911–927.

Lazarri, G., Gonzatti, F., Scopel, J. M. & Scur, L. (2017). Trilha ecológica: um recurso pedagógico no ensino da Botânica. Scientia cum Industria, 5 (3), 161–167.

Lima, R. A., Pinto, M. N., Mendoza, A. Y. G., Silva, D. R., Nascimento, F. A., Rodrigues, J. J. P., Almeida, K. P. C., Vieira, R. L. & Assis, S. N. S. (2019). A importância das plantas medicinais para a construção do conhecimento em botânica em uma escola pública no município de Benjamin Constant-amazonas (Brasil). Revista Ensino de Ciências e Humanidades Cidadania, Diversidade e Bem Estar, 2 (2), 478–492.

Lima, L. F. S. & Oliveira, A. G. (2020). Etnobotânica e ensino: os estudantes do ensino fundamental como pesquisadores do conhecimento botânico local. Brazilian Journal of Development, 6 (7), 47766–47776.

Mera, J. C. E., Rosas, L. V., Lima, R. A. & Pantoja, T. M. A. (2018). Conhecimento, percepção e ensino sobre plantas medicinais em duas escolas públicas no município de Benjamin Constant-AM. Experiências em Ensino de Ciências, 13 (2), p. 62–79.

Neri, G. F., Oliveira, T. L., Oliveira, V. J. S. & Brito, N. M. (2018). Uso de Plantas Medicinais nas Unidades de Saúde da Família do Alto Sobradinho e Cocão do Município de Santo Antônio de Jesus-BA. Revista Ensaios Ciência, 22, 58–62.

Oliveira, D. L., Silva, N., Silva, F. S. & Guimarães, A. S. (2020a). Integrando conhecimentos: uma abordagem etnobotânica para o ensino de ciências. Brazilian Journal of Development, 6 (9), 64202–64219.

Oliveira, V. M., Caldeira, A. J. R., Ayres, F. M. & Santo, C. A. F. E. (2020b). Uso de plantas medicinais por idosos. Anápolis Digital, 10, 56–75.

Pio, I. D. S. L., Lavor, A. L., Damasceno, C. M. D., Menezes, P. M. N & Silva, F. S. Maia, G. L. A. (2018). Traditional knowledge and uses of medicinal plants by the inhabitants of the islands of the São Francisco river, Brazil and preliminary analysis of Rhaphiodon echinus (Lamiaceae). Brazilian Journal of Biology, 79, 87–99.

Reis, C. R. M., Pereira, A. F. N & Cansanção, I. F. (2017). Levantamento Etnobotânico de plantas medicinais utilizada por moradores do entorno do Parque Nacional Serra da Capivara-PI. Biofarm, 13 (4), 7–21.

Sales, M. D. C., Sartor, E. B & Gentilli, R. M. L. (2015). Etnobotânica e etnofarmacologia: medicina tradicional e bioprospecção de fitoterápicos. Salus Journal of Health Sciences, 1, 17–26.

Santos, B. B. & Campos, L. M. L. (2019). Plantas medicinais na escola: uma experiência com estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 10 (5), 271–290.

Santos, L. S. N., Salles, M. G. F., Pinto C. M., Pinto, O. R. O. & Rodrigues, I. C. S. (2018). O saber etnobotânico sobre plantas medicinais na comunidade da Brenha, Redenção, CE. Agrarian Academy, 5 (9), 409–421.

Santos, R. E. & Macedo, G. E. L. (2017). Aprendizagem significativa de conceitos botânicos em uma classe de jovens e adultos: análise dos conhecimentos prévios. Contexto & Educação, 32 (101), 105–124.

Santos, T. A. X., Terra, F. M., Magaña, K. B. D., Silva, O. A. & Damasceno, E. M. A. (2017). Conhecimento e uso de plantas medicinais por acadêmicos do curso de Farmácia. Visão Acadêmica, 20 (2), 17–28.

Santos, G. J. L. & Pinheiro, D. C. S. N. (2016). Aspectos da terapia etnofarmacológica associados à atividade antitumoral. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, 10 (3), 495–509.

SALESSE, D., MEDEIROS, F. C., Silva, C. C. M., Lourenço, E. L. B. & Jacomassi, E. (2018). Etnobotânica e etnofarmacologia das espécies de Amaryllidaceae, Anacardiaceae, Annonaceae e Aapiaceae. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 22 (3), 199–204.

Silva, D. F. & Santos, M. G. (2017). Plantas medicinais, conhecimento local e ensino de botânica: uma experiência no ensino fundamental. Revista Ciência & Ideias, 8 (2), 140–164.

Madeiro, A. A. S. & Lima, C. R. (2015). Estudos etnofarmacológicos de plantas medicinais utilizadas no Brasil: revisão de literatura. Ciências Biológicas e da Saúde, 3, 69–76.

Ursi, S., Barbosa, P.P., Sana, P. T & Berchez, F. A. S. (2018). Ensino de botânica: conhecimento e encantamento na educação cientifica Estudos Avançados, 32 (94), 7–24.

Xavier, A. R., Sousa, L. M. & Melo, J. L. M. (2019). Saberes tradicionais, Etnobotânica e o Ensino de Ciências: estudo em escolas públicas do Maciço de Baturité, Ceará, Brasil. Educação & Formação, 4 (11), 215–233.

Zardo, A., Otenio, J. K.., Lourenço, E. L. B., Gasparotto Junior, A. & Jacomassi, E. (2016). Levantamento de informações etnobotânicas, etnofarmacológicas e farmacológicas registradas na literatura sobre, Tropoeolum majus L. (Chaguinha). Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 20 (3), 195–198.

Zeni, A. L. B., Parisotto, A. V., Mattos, G. & Helena, E. T. S. (2017). Utilização de plantas medicinais como remédio caseiro na atenção primária em Blumenau, Santa Catarina, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 22 (8), 2703–2712.

Weyrich, L. S., Duchene, S., Soubrier, J., Arriola, L., Llamas, B., Breen, J & Cooper, A. (2017). Neanderthal behaviour, diet, and disease inferred from ancient DNA in dental calculus. Nature, 544 (7650), 357–361.

Who. World Health Organization. (1992). International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems (ICD). https://www.who.int/standards/classifications/classification-of-diseases.

Published

24/04/2021

How to Cite

ANDRADE, N. D. de .; ALMEIDA, B. M. de .; SOUSA, R. M. S. .; ARAÚJO, M. dos S. . Use of medicinal plants for therapeutic purposes by High School students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e59510414484, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14484. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14484. Acesso em: 11 may. 2021.

Issue

Section

Education Sciences