Analysis and gradual modeling of an Application for classification of soybeans, corn, beans and sorghum grains

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.15040

Keywords:

Application; Grain classification; Producer.

Abstract

This project aimed to detail the analysis and gradual modeling of the development of an Application for classification of soybeans, corn, sorghum and beans, with the purpose of providing the producer with a tool that allows monitoring the process of classification of soybeans, corn, sorghum grains and bean. The producer is delegated the purpose of inserting data into the available tool, which processes the monitoring and monitoring of the grain classification process, so that it is possible for the producer to confront the results obtained by the Application, the generation of the reports to compare with that of the receiving organization. In this way, the objective is to ascertain in real time the classification of grains aimed at the desired producer, with regard to soy, corn, beans and sorghum, according to the standards legally instituted by regulations (beans 12/2008, corn 60/2011, soybean 11/2007 and sorghum ordinance 268/1984) of the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply (MAPA) and also based on specialized literature. In the act of commercialization, the results of the Application referring to the general and specific database per lot that is generated, assisting at the end of the grain classification process in the reduction of disparities and losses of the lot.

References

Abiove - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. (2019). Manual de boas práticas de classificação de Soja. https://abiove.org.br/wp-content/uploads/2019/05/ 08022018-122719-manual_de_boas_práticas_de_classificacao_de _Soja_05_02_web. compressed.pdf.

Alencar, E. R., Faroni, L. R. D., Filho, A. F. L, Peternelli, L. A. & Costa, A. R. (2009). Qualidade dos grãos de soja armazenados em diferentes condições. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. 13(5), Campina Grande.

Bastiani, J. A. & Martins, R. (2018). Diagrama de Ishikawa. [S. l.]. https://blogdaqualidade.com.br/diagrama-de-ishikawa/.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (1984). Mapa. Instrução Normativa Mapa n° 268, de 22 de agosto de 1984. Estabelece o regulamento técnico do Sorgo, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade intrínseca e extrínseca, a amostragem e a marcação ou rotulagem.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2007). Mapa. Instrução Normativa Mapa nº 11, de 16 de maio de 2007. Estabelece o Regulamento Técnico da Soja, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade intrínseca e extrínseca, a amostragem e a marcação ou rotulagem.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2008). Mapa. Instrução Normativa Mapa n° 12, de 28 de março de 2008. Estabelece o regulamento técnico do Feijão, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade intrínseca e extrínseca, a amostragem e a marcação ou rotulagem.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2011). Mapa. Instrução Normativa Mapa n° 60, de 22 de dezembro de 2011. Estabelece o regulamento técnico do Milho, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade intrínseca e extrínseca, a amostragem e a marcação ou rotulagem.

Chaves, A. M. S. (2017). Técnicas de extração de requisitos. [S. l.]. https://www.tiespecialistas.com.br/tecnicas-de-extracao-de-requisitos.

Generoso, M. (2019). Banco de dados - Parte 1: Diagrama Entidade x Relacionamento (DER). [S. l.]. https://medium.com/@mauriciogeneroso/banco-de-dados-diagrama-entidade-x-relacionamento-der-5ce497d930db.

Góes, W. M. (2014). Aprendendo UML por meio de estudos de caso. São Paulo: Novatec.

Gonçalves, E. J. T. & Cortés, M. I. (2015). Análise e projeto de sistemas. 3, Fortaleza, CE Eduece.

Guedes, G. T. A. (2018). UML 2: Uma abordagem prática. 3, São Paulo: Novatec.

Justo, A. S. (2018). In: EAP (Estrutura Analítica do Projeto): o que é, como fazer e qual a diferença entre EAP e Cronograma. https://www.euax.com.br/2018/12/eap-estrutura-analitica-projeto/.

Knabben, C. C. & Costa, J. S. (2012). Embrapa. Manual de Classificação do Feijão. Instrução Normativa N° 12, de 28 de março de 2008.

Pereira, A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic _Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Sampaio, V. A. M. (2015). Classificação de Grãos passo a passo soja, milho, feijão. Cartilha de Classificação de Grãos, [s. l.]. https://aiba.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Cartilha-Classificacao-de-Graos-Versao-Digital.pdf.

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Senar (2017). Grãos: classificação de soja e milho. Coleção SENAR - Brasília: 152p.,

Silvestri, G. (2017). Prototipação e a criação de produtos que resolvem problemas. [S. l.]. https://uxdesign.blog.br/o-objetivo-de-um-prot%C3%B3tipo-%C3%A9-criar-uma-representa%C3%A7%C3%A3o-semi-real%C3%ADstica-de-algo-que-seja-poss%C3%ADvel-e0445d85ca93.

Silvestre, P. (2017). Empresas erram classificação da soja e revoltam produtores. https://www.canalrural.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/empresas-tem-errado-na-hora-de-classificar-a-soja/.

Published

05/05/2021

How to Cite

OLIVEIRA, D. P. de .; ATAIDES, G. M. .; BARBOSA, U. C. .; BERGLAND, A. C. R. O. .; OLIVEIRA, D. C. de; OLIVEIRA, D. E. C. de .; FURQUIM, M. G. D. .; SOUSA JÚNIOR, J. C. de . Analysis and gradual modeling of an Application for classification of soybeans, corn, beans and sorghum grains. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e34310515040, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.15040. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15040. Acesso em: 26 nov. 2022.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences