Legal surveillance in health: The centrality of health law for the materialization of the constitutional right to health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15483

Keywords:

SUS; Health law; Health surveillance; Health policies.

Abstract

The article, built from an exploratory methodology, investigates the possible centrality of health law for the materialization of the constitutional right to health. Initially, it delimits the health right, understood as a collective right and forming an autonomous legal field, with emphasis on health surveillance, given its character of reducing risks, diseases and illnesses. Therefore, two infra-constitutional laws were analyzed, the Organic Health Law and the Sanitary Surveillance Law, in order to conceptualize this term; and the Federal Constitution of 1988, in order to identify the administrative and legislative powers in public health and specifically in sanitary surveillance. The result found is that the State will only be able to fulfill its constitutional duty when it is equipped with a robust legal instrumentation sanitary, capable of materializing the right to health in this public perspective.

References

Aith, F. M. A. (2006). Teoria geral do direito sanitário brasileiro [Doutorado em Serviços de Saúde Pública, Universidade de São Paulo]. https://doi.org/10.11606/T.6.2006.tde-23102006-144712

Aith, F. M. A. (2019). Manual de direito sanitário com enfoque em vigilância em saúde. CONASEMS.

Aith, F. M. A., Reis, R. R., Diaz-Quijano, F. A., Asano, C. L., & Ventura, D. de F. L. (2020). Direitos na pandemia n. 01—Mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à Covid-19 no Brasil (Boletim de difusão científica Direitos na pandemia n. 01; Direitos na pandemia). CEPEDISA-USP/ Conectas Direitos Humanos. https://cepedisa.org.br/publicacoes/

Almeida Filho, N. de, & Jucá, V. (2002). Saúde como ausência de doença: Crítica à teoria funcionalista de Christopher Boorse. Ciência & Saúde Coletiva, 7(4), 879–889. https://doi.org/10.1590/S1413-81232002000400019

Baptista, T. W. de F., Machado, C. V., & Lima, L. D. de. (2009). Responsabilidade do Estado e direito à saúde no Brasil: Um balanço da atuação dos Poderes. Ciência & Saúde Coletiva, 14(3), 829–839. https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000300018

Batistella, C. (2007). Saúde, doença e cuidado: Complexidade teórica e necessidade histórica. In O território e o processo saúde-doença (p. 265).

Berlinguer, G. (1978). Medicina e política. Hucitec.

Birman, J. (2005). A Physis da saúde coletiva. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 15(suppl), 11–16. https://doi.org/10.1590/S0103-73312005000000002

Bonavides, P. (2019). Curso de Direito Constitucional (34o ed). Malheiros.

Buss, P. M., Machado, J. M. H., Gallo, E., Magalhães, D. de P., Setti, A. F. F., Franco Netto, F. de A., & Buss, D. F. (2012). Governança em saúde e ambiente para o desenvolvimento sustentável. Ciência & Saúde Coletiva, 17(6), 1479–1491. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000600012

Campos, G. W. de S. (2000). Saúde pública e saúde coletiva: Campo e núcleo de saberes e práticas. Ciência & Saúde Coletiva, 5(2), 219–230. https://doi.org/10.1590/S1413-81232000000200002

Campos, G. W. de S. (2006). Reflexões temáticas sobre eqüidade e saúde: O caso do SUS. Saúde e Sociedade, 15(2), 23–33. https://doi.org/10.1590/S0104-12902006000200004

Castro, E. B. V. de. (1992). From the enemy’s point of view: Humanity and divinity in an Amazonian society. University of Chicago Press.

Cittadino, G. (2002). Judicialização da política, constitucionalismo democrático e separação de poderes. In A democracia e os três poderes no Brasil (p. 17–42). UFMG e IUPERJ/FAPERJ.

Costa, E. A. (2009). Vigilância sanitária: Temas para debate. EDUFBA. http://books.scielo.org/id/6bmrk

Cotrim Junior, D. F. (2019). Resistências Institucionalizadas: Gênese e lutas do Movimento sanitário brasileiro [Mestrado em Ciências Jurídicas, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro]. https://doi.org/10.17771/PUCRio.acad.46209

Cotrim Junior, D. F., & Cabral, L. M. da S. (2020). Ações do Governo Federal no combate à coronacrise: Limites, insuficiências e escassos acertos. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 30(2), e300225. https://doi.org/10.1590/s0103-73312020300225

Cotrim Junior, D. F., Cabral, L. M. da S., & Asensi, F. D. (2021). Oferta de leitos de UTI no Brasil à luz dos princípios constitucionais da Igualdade e da Universalidade em tempos de COVID-19. Direito Público, 17(96). https://www.portaldeperiodicos.idp.edu.br/direitopublico/article/view/4554

Cotrim Junior, D. F., Cabral, L. M. da S., & Machado, F. R. de S. (2020). Fila única de leitos: Urgência, dificuldades e enfrentamentos. P2P E INOVAÇÃO, 7, 212–229. https://doi.org/10.21721/p2p.2020v7n1.p212-229

Dallari, S. (2013). Aspectos particulares da chamada judicialização da saúde. Revista de Direito Sanitário, 14(1), 77. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v14i1p77-81

Dallari, S. G. (1988). Uma nova disciplina: O direito sanitário. Revista de Saúde Pública, 22(4), 327–334. https://doi.org/10.1590/S0034-89101988000400008

Dallari, S. G. (1991). O papel do município no desenvolvimento de políticas de saúde. Revista de saúde pública, 25, 401–405.

Dallari, S. G. (2002). Direito Sanitário. Revista Direito e Democracia (Canoas), 3(1), 07–41.

De Moraes, A. (2009). Federação brasileira-necessidade de fortalecimento das competências dos estados-membros. Revista de Direito Administrativo, 251, 11–27.

De Seta, M. H. (2007). A construção do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária: Uma análise das relações intergovernamentais na perspectiva do federalismo [Tese de Doutorado em Saúde Coletiva]. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

De Seta, M. H., & Dain, S. (2010). Construção do Sistema Brasileiro de Vigilância Sanitária: Argumentos para debate. Ciência & Saúde Coletiva, 15(suppl 3), 3307–3317. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000900002

Di Pietro, M. S. Z. (2017). Direito Administrativo (30o ed). Forense.

Donnangelo, M. C. F. (1976). Saúde e Sociedade. Duas Cidades.

Escorel, S. (1999). Reviravolta na saúde: Origem e Articulação Do Movimento Sanitário. Editora FIOCRUZ. Fundação Oswaldo Cruz SciELO. http://books.scielo.org/id/qxhc3

Fleury, S., Ouverney, A. L. M., Kronemberger, T. S., & Zani, F. B. (2011). Governança local no sistema descentralizado de saúde no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública (Impresa) / Pan American Journal of Public Health (Impresa), 28, 446–455.

Garcia, F. de B. S., Ruviaro, D., Semzezem, P., & Toretta, E. T. (2020). A contradição entre o Estado e a garantia de direitos no atual contexto de crise do capitalismo. Research, Society and Development, 9(10), e1179108325. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8325

Germain, G., Simon, A., Arsenault, J., Baron, G., Bouchard, C., Chaumont, D., Allaki, F. E., Kimpton, A., Lévesque, B., Massé, A., Mercier, M., Ogden, N., Picard, I., Ravel, A., Rocheleau, J., & Soto, J. (2019). Quebec’s Multi-Party Observatory on Zoonoses and Adaptation to Climate Change. Canada Communicable Disease Report, 45(5), 143–148. https://doi.org/10.14745/ccdr.v45i05a05

Gil, A. C. (2009). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Gomes, C. B., & Gonzaga e Castro, L. de P. (2012). O novo Regulamento Sanitário Internacional. Revista de Direito Sanitário, 13(2), 137. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v13i2p137-155

Herrero, M., & Thornton, P. (2020). What can COVID-19 teach us about responding to climate change? The Lancet Planetary Health, 4(5), e174. https://doi.org/10.1016/S2542-5196(20)30085-1

Junior, T. S. F. (1995). Normas gerais e competência concorrente. Uma exegese do art. 24 da Constituição Federal. Revista da Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, 90, 245–251.

Köche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica: Teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Vozes.

Lara, M., Fernandes, C. M. da S., Penteado, V. P., & Serra, M. da C. (2021). Direito à saúde e judicialização no acesso a tratamentos de média e alta complexidade pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Research, Society and Development, 10(3), e16010313091. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13091

Latour, B. (1991). Jamais fomos modernos: Ensaio de antropologia simetrica.

Lima, Y. O. R. (2008). Trabalho em saúde: O poder de polícia na visão do professional de vigilância sanitária. [Instituto de Saúde Coletiva. Universidade Federal da Bahia]. http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10893

Luz, M. T. (2014). Instituições Médicas no Brasil. Editora da Rede Unida.

Machado, F. R. de S. (2006). Direito à saúde, integralidade e participação: Um estudo sobre as relações entre Sociedade e Ministério Público na experiência de Porto Alegre [Dissertação]. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Machado, F. R. de S. (2008). Contribuições ao debate da judicialização da saúde no Brasil. Revista de Direito Sanitário, 9(2), 73. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v9i2p73-91

Machado, F. R. de S. (2009). O direito à saúde na interface entre sociedade civil e Estado. Trabalho, Educação e Saúde, 7(2), 355–371. https://doi.org/10.1590/S1981-77462009000200009

Machado, F. R. de S., & Dain, S. (2012). A Audiência Pública da Saúde: Questões para a judicialização e para a gestão de saúde no Brasil. Revista de Administração Pública, 46(4), 1017–1036. https://doi.org/10.1590/S0034-76122012000400006

Manzanedo, R. D., & Manning, P. (2020). COVID-19: Lessons for the climate change emergency. Science of The Total Environment, 742, 140563. https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2020.140563

Oliveira, E. A. de. (2020). Estado e direito no capitalismo: Um debate entre o liberalismo e marxismo. Revista Katálysis, 23(2), 213–222. https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n2p213

Oliveira, J. B. F. de, Tavares, E. M. F., & Costa, J. B. A. da. (2021). Políticas públicas, economicidade e judicialização da saúde. Research, Society and Development, 10(4), e37410414331. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14331

Ortega, F., & Orsini, M. (2020). Governing COVID-19 without government in Brazil: Ignorance, neoliberal authoritarianism, and the collapse of public health leadership. Global Public Health, 15(9), 1257–1277. https://doi.org/10.1080/17441692.2020.1795223

Paim, Jairnilson S., & Almeida Filho, N. de. (1998). Saúde coletiva: Uma “nova saúde pública” ou campo aberto a novos paradigmas? Revista de Saúde Pública, 32(4), 299–316. https://doi.org/10.1590/S0034-89101998000400001

Paim, Jairnilson Silva. (2008). Reforma sanitária brasileira: Contribuição para a compreensão e crítica. EDUFBA; Editora Fiocruz.

Paim, Jairnilson Silva. (2018). Sistema Único de Saúde (SUS) aos 30 anos. Ciência & Saúde Coletiva, 23(6), 1723–1728. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.09172018

Paim, Jairnilson Silva, & Silva, L. M. V. (2010). Universalidade, integralidade, equidade e SUS. BIS. Boletim do Instituto de Saúde (Impresso), 12(2). http://periodicos.ses.sp.bvs.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1518-18122010000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Pessoto, U. C., Ribeiro, E. A. W., & Guimarães, R. B. (2015). O papel do Estado nas políticas públicas de saúde: Um panorama sobre o debate do conceito de Estado e o caso brasileiro. Saúde e Sociedade, 24(1), 9–22. https://doi.org/10.1590/S0104-12902015000100001

Piovesan, M. F., & et al. (2005). PIOVESAN, Márcia Franke et al. Vigilância Sanitária: Uma proposta de análise dos contextos locais. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 8, p. 83-95, 2005. Revista Brasileira de Epidemiologia, 8, 83–95.

Santos, R. T. dos, Cotrim Junior, D. F., Cabral, L. M. da S., Franco, T. de A. V., Pitthan, R. G. V., & Gomes, B. C. (2021). Saúde Pública e Comunicação: Impasses do SUS à luz da formação democrática da opinião pública. Ciência & Saúde Coletiva, Ahead of Print. http://cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/saude-publica-e-comunicacao-impasses-do-sus-a-luz-da-formacao-democratica-da-opiniao-publica/18054

Santos, R. T. dos, & Rocha Guimarães, J. (2020). Democracia sem sentimento de república: O SUS nos tempos da COVID-19 [Preprint]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.1271

Santos, L., & Andrade, L. O. M. de. (2012). Acesso às ações e aos serviços de saúde: Uma visão polissêmica. Ciência & Saúde Coletiva, 17(11), 2876–2878. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012001100003

Santos, R. T. D. (2020). O neoliberalismo como linguagem política da pandemia: A Saúde Coletiva e a resposta aos impactos sociais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 30(2), e300211. https://doi.org/10.1590/s0103-73312020300211

Scliar, M. (2007). História do conceito de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 17(1), 29–41. https://doi.org/10.1590/S0103-73312007000100003

Segre, M., & Ferraz, F. C. (1997). O conceito de saúde. Revista de Saúde Pública, 31(5), 538–542. https://doi.org/10.1590/S0034-89101997000600016

Seta, M. H. D., Oliveira, C. V. dos S., & Pepe, V. L. E. (2017). Proteção à saúde no Brasil: O Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. Ciência & Saúde Coletiva, 22(10), 3225–3234. https://doi.org/10.1590/1413-812320172210.16672017

Seta, M. H. D., Pepe, V. L. E., & Oliveira, G. O. de. (2006). Gestão e vigilância sanitária: Modos atuais do pensar e fazer. SCIELO EDITORA FIOCRUZ. http://www.jstor.org/stable/10.7476/9788575413265

Silva, J. A. A. da, Costa, E. A., & Lucchese, G. (2018). SUS 30 anos: Vigilância Sanitária. Ciência & Saúde Coletiva, 23(6), 1953–1961. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.04972018

Tavares, L. P., Oliveira Júnior, F. L. de, & Magalhães, M. (2020). Análise dos discursos do Presidente Jair Bolsonaro em meio à pandemia: O coronavírus é só uma “gripezinha”? Research, Society and Development, 9(7), e609974469. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4469

Teixeira, E. C. (2002). O papel das políticas públicas no desenvolvimento local e na transformação da realidade. Salvador, AATR.

Temporão, J. G. (2003). O Programa Nacional de Imunizações (PNI): Origens e desenvolvimento. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 10(suppl 2), 601–617. https://doi.org/10.1590/S0104-59702003000500008

Ventura, M., Simas, L., Pepe, V. L. E., & Schramm, F. R. (2010). Judicialização da saúde, acesso à justiça e a efetividade do direito à saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 20(1), 77–100. https://doi.org/10.1590/S0103-73312010000100006

Watts, N., Amann, M., Ayeb-Karlsson, S., Belesova, K., Bouley, T., Boykoff, M., Byass, P., Cai, W., Campbell-Lendrum, D., Chambers, J., Cox, P. M., Daly, M., Dasandi, N., Davies, M., Depledge, M., Depoux, A., Dominguez-Salas, P., Drummond, P., Ekins, P., … Costello, A. (2018). The Lancet Countdown on health and climate change: From 25 years of inaction to a global transformation for public health. The Lancet, 391(10120), 581–630. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(17)32464-9

Published

23/05/2021

How to Cite

COTRIM JUNIOR, D. F. .; BRITO, J. P. A. Legal surveillance in health: The centrality of health law for the materialization of the constitutional right to health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e14410615483, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15483. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15483. Acesso em: 20 jun. 2021.

Issue

Section

Health Sciences