Perspectives of Inclusive Education in the state school system of Breves, archipelago of Marajó, Pará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17661

Keywords:

Education; Inclusion; PcD; Teaching; Amazon.

Abstract

Inclusive education has been constituted as an advance in the training of students with special educational needs, differentiating from the segregated model. In Pará, it has developed in regular education with specialized support, in addition to specific institutions. In Breves, in Marajó, activities in this perspective began in the 1980s, through training courses, a gradual and exclusive process, where participation was restricted only to those considered able to develop skills and competence in classes of regular education. In this sense, the objective was to know the current conjuncture of inclusive education in secondary education in the urban state network of Breves. The methodology corresponded to the application of questionnaires with semi-structured interviews to employees of the schools targeted by this study. The results are the constitution and discussion of the school history profiles; Inclusive school education; Profile of students PwD’s and the Profile of school accessibility. The need for pedagogical and structural accessibility in schools is conclusive, where inclusion is not limited to specialized educational services and accessible spaces, but an approach that promotes holistic inclusion, from institutional documents to pedagogical and social practices.

Author Biographies

Essia de Paula Romão-Torres, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade do Estado do Pará (2017), Especialista em Georreferenciamento, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto pela Estácio/IESAM (2018). Licenciada em Geografia pela Faculdade de Ciências Humanas e Aplicadas do Belo Jardim - FABEJA (2012). Docente EBTT de Geografia do IFS, Campi Glória e Itabaiana, ministrando disciplinas na área da Geografia e Topografia. Atua nas áreas de Ensino da Geografia, Ciências Ambientais, Biogeografia e Sistemas de Informações Geográficas. Atuou como professora de Geografia no IFPA (2017-2020) e no Ensino Básico na Rede Pública e Privada do estado de Pernambuco (2009-2014), com experiência na Coordenação e Gestão Pedagógica (2011-2012).

Julia Siqueira Moreau, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Graduada em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Espírito Santo (2012) e mestra em Ciências Florestais pela mesma instituição (2014). Tem experiência na área de Recursos Florestais, com ênfase em silvicultura e meio ambiente. Foi estagiária nas empresas Consórcio Construtor Simplício e Fibria Celulose S.A. Atuou como professora voluntária no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo ministrando as disciplinas de Gestão Ambiental e Legislação e licenciamento ambiental para cursos superiores (2016). Em 2017, foi professora substituta do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, atuando no curso de Florestas com as disciplinas de Ecologia aplicada, Mecanização e Colheita Florestal, Princípios da comunicação e extensão florestal, Viveiros florestais e propagação de espécies vegetais. Neste mesmo ano, foi professora do curso superior em Engenharia Florestal da Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas, ministrando as disciplinas de Dendrometria e Fisiologia vegetal. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ciências Florestais da Universidade Federal do Espírito Santo e professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará.

Gabrielly Costa Lino, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Cursando o Terceiro Ano do Ensino Médio Integrado - Técnico em Informática no Instituto federal do Pará , Polo Breves. Possuo Habilidades com a Língua Inglesa (domino razoavelmente a leitura, a escrita e a fala) e em Matemática, já tendo recebido menção Honrosa nas Olimpíadas de Matemática nos anos de 2019 e medalha de prata na copa brasileira de matemática. Participei de feiras de nível nacional á internacional , além de ter sido bolsista do CNPQ em um projeto de pesquisa do instituto federal.

Kevin Washington Azevedo da Cruz, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Cursando o Segundo Ano do Ensino Médio Integrado - Técnico em Informatica no Instituto federal do Pará , Polo Breves. Possuo Habilidades com a Língua Inglesa (domino razoavelmente a leitura, a escrita e a fala) e em Matemática, já tendo recebido menção Honrosa nas Olimpíadas de Matemática nos anos de 2016 , 2017, 2018 e 2019 e medalha de prata na copa brasileira de Matemática em 2020. Já participei em feiras de nível internacional sendo premiado no 3° lugar na área de engenharia.

References

Baldassin, V., Lorenzo, C. & Shimizu, H. E. (2018). Tecnologia assistiva e qualidade de vida na tetraplegia: abordagem bioética. Rev. Bioét. 26 10.1590/1983-80422018264276

Brasil. (2015). Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015). 2015. http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf.

Bruno, M. M. G., & Nascimento, R. A. L. (2019). Política de Acessibilidade: o que dizem as pessoas com deficiência visual. Educação & Realidade, 44, e84848. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.html.

Censi, A., Bôas, D. F. V. & Damiani, M. F. (2016). The challenge of inclusive education in a Brazilian School: teachers’ concerns regarding inclusion. Research, Society and Development, 2, 94-106.

Costa, V. E. S. (2006). Educação, inclusão e políticas públicas: a educação especial no município de Marabá-Pará. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Centro de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Belém.

Costa-Renders, E. C. (2009). Educação e Espiritualidade: pessoas com deficiência, sua invisibilidade e emergência. Paulus.

Figueira, E. (2011). O que é educação inclusiva? Brasiliense.

Garcia, D. I. B., &Favaro, N. A. L. G. (2020). Special Education: public policies in Brazil and current trends. Research,Society and Development.9 (7):1-29. e184973894.

Glat, R. & Fernandes, E. M. (2005). Da educação segregada à educação inclusiva: uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira. Revista Inclusão nº 1, MEC/ SEESP.

Hehir, T. et. al. (2016). Os benefícios da educação inclusiva para estudantes com e sem deficiência. Alana: Abt Associates.

Kraemer, G. M. & Thoma, A. S. (2018). Acessibilidade como Condição para a Inclusão Escolar. Psicologia: Ciência e Profissão. 38, 554-563.

Matiskei, A. C. R. M. (2004). Políticas públicas de inclusão educacional: desafios e perspectivas. Educar em Revista, 20, 185-202.

Melo, C. H. (2015). A história da educação inclusiva no município de Breves. Trabalho de conclusão de curso / lato senso - FAM - Breves.

Miranda, F. D. (2019). Aspectos Históricos da Educação Inclusiva no Brasil. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, 2.

Neves, L. R., Rahme, M. M. F. & Ferreira, C. M. R. J. (2019). Política de Educação Especial e os Desafios de uma Perspectiva Inclusiva. Educação & Realidade, 44, e84853.

Penha, A. C. F. M., Fecury, A. A., Pascoal, R. M., et. al. (2020) Matrículas da Educação Especial na Educação Profissional Técnica de Nível Médio noEstado doAmapá (2015-2018). Research, Society and Development, 9, e881974867.

PME, Breves/PA. (2015). Lei nº 2.388/2015 - Plano Municipal de Educação, Breves

Romão-Torres, Essia de Paula. (2020). Mapa de Localização de Breves na Mesorregião do Marajó. No prole.

Santos, É. (2019). A educação como direito social e a escola como espaço protetivo de direitos: uma análise à luz da legislação educacional brasileira. Educ. Pesqui. 45, e184961.

Saviani, D. (2011). Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. (8a ed.), Autores Associados.

Saviani, D. (2020). Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva.

Published

20/07/2021

How to Cite

ROMÃO-TORRES, E. de P.; MOREAU, J. S. .; LINO, G. C. .; CRUZ, K. W. A. da . Perspectives of Inclusive Education in the state school system of Breves, archipelago of Marajó, Pará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e4910917661, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17661. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17661. Acesso em: 26 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences