Analysis of the prevalence of polypharmacy and the pharmacotherapeutic profile of elderly people enrolled in a family health unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18069

Keywords:

Polypharmacy; Elderly; Pharmacotherapeutic Profile; Medicines.

Abstract

Objective: to analyze the prevalence of polypharmacy and the pharmacotherapeutic profile of elderly people enrolled in a family health unit. Methods: Cross-sectional, quantitative, descriptive and analytical pharmacoepidemiological study, carried out with individuals aged 60 years or more in the city of Lafaiete Coutinho – BA. The association between variables was tested using Poisson Regression, with robust calculation of prevalence ratios (PR) and 95% confidence interval (95%CI) and significance p<0.05. Results: 70 elderly people participated; the prevalence of polypharmacy was 24.3% and was significantly associated with the use of health services at least once a year (PR=1.44; CI=0.29-3.67; p<0.001) or for more than twice a year (PR=3.43; CI=1.61-7.43; p<0.01); to the elderly who do not know the indication of their medications (PR=7.40; CI=1.37-39.89; p=0.02), to those who reported complaints about medications (PR=4.09; CI=0. .78-21.42; p=0.04) and those who need some resource to remember to take their medications (PR=4.17; CI=0.97-17.94; p=0.05). The factor helping to take the medication was shown to be a protective factor (PR=0.19; CI=0.03-1.00; p=0.02). Conclusion: The prevalence of polypharmacy was considerable and suggests the need for greater awareness on the part of health professionals, regarding the monitoring of potential risks and associated benefits, in order to ensure the safe use of drugs in polypharmacy regimens in these elderly people.

Author Biographies

Andressa Andrade Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Bacharela em Farmácia, pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Gisele da Silveira Lemos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Bacharela em Farmácia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Doutora em Medicamentos e Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal de Minas Gerais. Pós Graduação lato sensu em Segurança do Paciente pela Escola de Saúde Pública Sergio Arouca - Fiocruz. Pós Graduação lato sensu em Gestão da Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde/ UFSC. Pós graduação lato sensu MBA em Cosmetologia. 

Tuany Santos Souza, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Bacharela em Farmácia. Mestra e Doutoranda em Ciências da Saúde, pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGES/UESB). Docente do Departamento de Saúde II, UESB.

References

Almeida, P. H. R. F., Leão, I. N., Oliveira, B. G., Fernandes, B. D., Álvares, J., Silva, W. C., David, M. M., Lemos, G. S. & Mascarenhas, C. H. M. (2018). Regime terapêutico e qualidade de vida de pacientes hipertensos. Rev. Aten. Saúde, 16(58), 17-28.

Araújo, C. L. (2011). Conhecimento de idosos sobre o uso de medicamentos e interação medicamentosa. RBCEH, Passo Fundo, 8(2), 188-195.

Barros, D. S. L., Silva, D. L. M. & Leite, S. N. (2015). Conduta do tratamento medicamentoso por cuidadores de idosos. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 19, 527-536.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos.

Carvalho, M. F. C., Romano-Lieber, N. S., Bergsten-Mendes, G., Secoli, S. R., Ribeiro, E., Lebrão, M. L. & Duarte, Y. A. D. O. (2012). Polifarmácia entre idosos do município de São Paulo-Estudo SABE. Revista Brasileira de Epidemiologia, 15, 817-827.

Coelho Filho, J. M., Marcopito, L. F. & Castelo, A. (2004). Perfil de utilização de medicamentos por idosos em área urbana do Nordeste do Brasil. Revista de Saúde Pública, 38, 557-564.

Conselho Federal de Farmácia (BR). (2008). Resolução nº 499 de 10 de dezembro de 2008. Dispõe sobre a prestação de serviços farmacêuticos, em farmácias e drogarias, e dá outras providências. Brasília, Distrito Federal.

Dutra, D. D., Duarte, M. C. S., de Albuquerque, K. F., de Lima, A. S., de Souza Santos, J. & Souto, H. C. (2016). Doenças cardiovasculares e fatores associados em adultos e idosos cadastrados em uma unidade básica de saúde Cardiovascular. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 8(2), 4501-4509.

Fechine, B. R. A. & Trompieri, N. (2015). O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. InterSciencePlace, 1(20).

Ferreira, AS., & Soler, O. (2020). Fortalecendo as estratégias de segurança do paciente: uma revisão integrativa sobre os processos de segurança de medicamentos. Research, Society and Development, 9 (12), e129129564.

Folstein, M. F., Folstein, S. E. & Mchugh, P. R. (1975). "Mini-mental state" A practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. Journal of Psychiatric Research, Standford, 12(3), 189-198.

Guimarães, V. G., Brito, G. D. C., Barbosa, L. D. M., Aguiar, P. M., Balisa-Rocha, B. J. & Lyra Junior, D.P. (2012). Perfil Farmacoterapêutico de um Grupo de Idosos assistidos por um programa de Atenção Farmacêutica na Farmácia Popular do Brasil no município de Aracaju–SE. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, 33(2), 307-312.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística – IBGE. Panorama de Lafaiete Coutinho – BA. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/lafaiete-coutinho/panorama.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. (2018). Projeção do Brasil por idade 2018 – 2030. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/.

Kadam, U. T. (2011). Potential health impacts of multiple drug prescribing for older people: a case-control study. Br J Gen Pract., 61, 128–30.

Leão, I. N., Fernandes, B. D., Oliveira, B. G., Almeida, P. H. R. F., Lemos, G. S., Valasques Junior, G. L. & Mascarenhas, C. H. M. (2020). Prevalência das interações medicamentosas potenciais em hipertensos atendidos na atenção primária. Rev. Aten. Saúde, 18(63), 05-13.

Loyola Filho, A. I. D., Uchoa, E. & Lima-Costa, M. F. (2006). Estudo epidemiológico de base populacional sobre uso de medicamentos entre idosos na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 22, 2657-2667.

Lucchetti, G., Granero, A. L., Pires, S. L. & Gorzoni, M. L. (2010). Fatores associados à polifarmácia em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 13(1), 51-58.

Macedo, L. C., Rodrigues, C. & Correa, L. M. (2016). Avaliação farmacoterápica em pacientes de uma instituição geriátrica da região centro-ocidental do Paraná, Brasil. SaBios-Revista de Saúde e Biologia, 11(1), 22-30.

Marin, M. J. S., Cecílio, L. C. O., Perez, A. E. W. U. F., Santella, F., Silva, C. B. A., Gonçalves Filho, J. R. & Roceti, L. C. (2008). Caracterização do uso de medicamentos entre idosos de uma unidade do Programa Saúde da Família. Cad. Saúde Pública, 24(7), 1545-1555.

Marques, A. P. O, de Arruda, I. K. G., Leal, M. C. C. & Espírito Santo, A. C. G. (2007). Envelhecimento, obesidade e consumo alimentar em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 10(2), 231-242.

Mercedes, G. S., do Carmo Mercedes, B. P., de Oliveira, J. C. N., Sakamoto, L. M. & Da Silva, N. M. R. R. (2013). Análise do perfil farmacoterapêutico e doenças prevalentes em pacientes idosos atendidos no hospital universitário de Ribeirão Preto-SP. Infarma-Ciências Farmacêuticas, 25(4), 88-192.

Morais, D. B., Paolinelli, J. P. V., Dâmaso, S. de F. T., Baldoni, A. O., & Otoni, A. (2021). Influence of polypharmacy and use of inappropriate medication for the elderly on the glomerular filtration rate. Research, Society and Development, 10(4), e31810414239.

Neto, J. A. C., Delgado, A. A. A., Galvão, C. C. G. D., Machado, S. J. M., Bicalho, T. C. & Oliveira, T. D. (2012). Uso de medicamentos por idosos de Juiz de Fora: um olhar sobre a polifarmácia. HU Revista, 37(3), 305-13.

Oliveira, M. A. D., Francisco, P. M. S. B., Costa, K. S & Barros, M. B. D. A. (2012). Automedicação em idosos residentes em Campinas, São Paulo, Brasil: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública, 28, 335-345.

Ribeiro, L. C. C., Alves, P.B. & De Meira, E. P. (2009). Percepção dos idosos sobre as alterações fisiológicas do envelhecimento. Ciência, Cuidado e Saúde, 8(2), 220-227.

Rodrigues , D. S. ., Nery, S. B. M. ., Melo, G. A. de ., Mendes, J. S. A. ., Oliveira, G. A. L. de, & Costa Neto, A. M. da . (2021). Impacts caused by polypharmacy on the elderly: an integrative review. Research, Society and Development, 10(2), e28810212263.

Sales, A. S., Sales, M. G. S. & Casotti CA. (2017). Perfil farmacoterapêutico e fatores associados à polifarmácia entre idosos de Aiquara, Bahia, em 2014. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26(1), 121-132.

Sociedade Brasileira de Cardiologia, SBC. (2016). VII Diretriz brasileira de hipertensão. Arq Bras Cardiol., 107(3).

Veras, R. P. (2011). Estratégias para o enfrentamento das doenças crônicas: um modelo em que todos ganham. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 14(4), 779-786.

World Health Organization, WHO (2019). Medication Without Harm – Global Patient Safety Challenge on Medication Safety. Medication Safety in Polypharmacy. Geneva: World Health Organization.

World Health Organization, WHO. (2000). Collaborating Centre for drug Statistics Metodhology. Anatomical Therapeutic Chemical (ATC) classification index with Defined Daily Doses (DDD’s). Oslo.

World Health Organization, WHO. (2002). Active Ageing – A Police Framework. A Contribution of the World Health Organization to the second United Nations World Assembly on Aging. Madrid, Spain.

World Health Organization, WHO. (2006). The safety of medicines in public health programmes: pharmacovigilance an essential tool. Geneva.

Published

26/07/2021

How to Cite

SILVA, A. A.; LEMOS, G. da S.; SOUZA, T. S. Analysis of the prevalence of polypharmacy and the pharmacotherapeutic profile of elderly people enrolled in a family health unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e29210918069, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18069. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18069. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences