The construction of number concept through Children’s Literature according to the propositions of the BNCC

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18298

Keywords:

Literature and mathematics; Mental processes; Number construction; Mathematics of early childhood education; Number construction in the BNCC.

Abstract

This article was elaborated from a dissertation defended whose research, developed with a qualitative and bibliographic/documentary approach, presented possibilities of identifying, in the classic tales, the mental processes that the child elaborates for the construction of the number. Therefore, becoming a possible relationship between children’s literature and mathematics, in which the first represents pedagogical potentialities for the teaching of the second one, this article aims to discuss the possibility of developing, through classic tales, the guidelines of the Curriculum Common National Base - BNCC - regarding to the construction of the number in kindergarten stage. In order to achieve this goal, the article was divided into three parts: in the first one, some contributions of literature to the teaching of Mathematics are pointed out; in the second, the text discusses how the process of number construction happens and, in the third part, some suggestions of activities are presented, based on children’s classics, to develop the guidelines of the BNCC, as a way to elucidate the discussions. The proposed activities were developed from the story “The Little Thumb” to exemplify pedagogical possibilities and to stimulate the view of the teacher who intends to teach Mathematics using the classic tales. According to the analyses and discussions presented, it is possible to conclude that literature favors the Mathematics learning, since it creates learning contexts, awakening interest and imagination, stimulating communication and providing the development of both mother tongue and mathematical language.

References

Amarilha, M. (2004). Estão mortas as fadas? Literatura infantil e prática pedagógica. 6. ed. Petrópolis: Editora Vozes.

Amarilha, M. (2013) Alice que não foi ao país das maravilhas: educar para ler ficção na escola. 1ª ed. São Paulo: Livraria da Física.

Arnold, D. S. (2016). Matemáticas presentes em livros de leitura: Possibilidades para a Educação Infantil (Dissertação de mestrado). Mestrado Profissional em Ensino de Matemática – Instituto de Matemática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Arnold, D. S., &Dalcin, A. (2020). Matemática e literatura infantil: um livro, um jogo e o “desafio” de desenhar o tempo. Revista internacional de pesquisa em Educação Matemática.10(2), 167-181.

Bettelheim, B. (2017). A Psicanálise dos Contos de Fadas. 34ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Brasil. (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília.

Bortoni-Ricardo, S. M. (2008). O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. 1ª ed. São Paulo, Parábola Editorial.

Campos, R. S. P.& Montoito, R. (2010) O texto alternativo ao livro didático como proposta interdisciplinar do ensino de ciências e matemática. In: PIROLA, N. A. (org.). Ensino de ciências e matemática, IV: temas de investigação. São Paulo: Cultura acadêmica, v.4, 157 – 174.

Colins, F., Machado Jr, A. G. & Gonçalves,T. O. (2016). Alfabetização matemática e literatura infantil: possibilidades para uma prática pedagógica integrada. Amazônia: revista de educação em ciências e matemática. 13(25), 75-84.

Cunha, A. V. da. (2019). Guardados do baú da vovó: sobre matemática, contação e histórias e a construção do conceito de número. 2019. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Educação) – Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, Pelotas.

Cunha, A. V. da& Montoito, R. (2020). Uma revisão sobre pesquisas brasileiras que investigam as inter-relações entre literatura infantil e matemática. Research, societyanddevelopment. 9(9), e462997496.

Cunha, A. V. da& Montoito, R. (2021). Baú da Vovó: Processos mentais para a aprendizagem do conceito de número. Curitiba: CRV.

D’Amore, B. (2012). Matemática, estupefação e poesia. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Farias, C. A. (2006). Alfabetos da alma: histórias da tradição na escola. Porto Alegre: Sulina.

Farias, M. A. (2013). Como usar a Literatura infantil na Sala de Aula.São Paulo: Contexto.

Gerhardt, T. E. & Silveira, D. T. (2009). (Orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Goldenberg, M. (2004). A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record.

Gonçalves, C. P. P. &Pozzobon, M. C. C. (2019). A literatura infantil e as matemáticas: contextos das histórias e grandezas e medidas. Práxis educacional. 15(36), 398-414.

Gontijo C. H., Carvalho, A. T., Fonseca, M. G. & Farias, M. P. (2019). Criatividade em matemática: conceitos, metodologias e avaliação. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Kamii, C. (2007). A criança e o número: implicações educacionais da teoria de Piaget para a atuação com escolares de 4 a 6 anos. 35ª edição. Campinas: Papirus.

Lorenzato, S. (2011). Educação Infantil e percepção matemática. Campinas. Autores Associados LTDA.

Maia, M. G. B. & Maranhão, C. (2015). Alfabetização e letramento em língua materna e em matemática. Ciência & educação. 21(4), 931-943.

Machado, A. M. (2009). Como e por que ler os clássicos universais desde cedo. Rio de Janeiro: Objetiva.

Machado, N. J. (2011). Matemática e língua materna: análise de uma impregnação mútua. São Paulo: Cortez.

Maria, L. de. (2009). O clube do livro. Ser leitor – que diferença faz? São Paulo: Globo.

Montoito, R. (2019). Entrelugares: pequeno inventário inventado sobre matemática e literatura. Bolema, 33(64), 892-915.

Montoito, R., Cunha, A. V. & Weissheimer, R. F. (2021). Criando e ressignificando histórias infantis para o ensino de matemática nos anos iniciais: relatos de pesquisas. In: Navarro, E. R., & Souza, M. C. Educação matemática em pesquisa: perspectivas e tendências. Guarujá: Científica Digital.

Nogueira, C. M. I. (2011). Pesquisas atuais sobre a construção do conceito de número: para além de Piaget? Educar em Revista, Curitiba, PR, n. especial 1/2011, p. 109-124.

Oliveira, K. B. A.&Silva, A. C. (2015). Construção do conceito de número: uma análise de atividades matemáticas desenvolvidas pelo Subprojeto PIBID/UFMT/CUR nas escolas de ensino fundamenta de Rondonópolis. Revista Eventos Pedagógicos: Articulação universidade e escola nas ações do ensino de matemática e ciências, 6. (02), 311 – 327.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M.& Parreira, F. J., &Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de: https://www.ufsm.br/app/uploads/sites/358/2019/02/Metodologia-da-Pesquisa-Cientifica_final.pdf.

Souza, M. de. (2016). O Pequeno Polegar. Coleção Clássicos Ilustrados. São Paulo: Maurício de Souza: Girassol Brasil.

Smole, K. S., Cândido, P. T.&Stancanelli, R. (1997). Matemática e literatura infantil. 2ª edição. Belo Horizonte: Lê, 1997.

Souza, A. P. G. de& Carneiro, R. F. (2015). Um ensaio teórico sobre literatura infantil e matemática: práticas de sala de aula. Educação Matemática e Pesquisa.São Paulo, 17(02), 392 – 418.

Zilberman, R. (2003). A literatura infantil na escola. 1. ed. São Paulo: Global.

Published

31/07/2021

How to Cite

CUNHA, A. V. da; MONTOITO, R. The construction of number concept through Children’s Literature according to the propositions of the BNCC. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e49310918298, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18298. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18298. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences