CEJA as a Place of Memories

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18419

Keywords:

Youth and adult education; Youth and adult education; Memoirs; Teaching; Memoirs; Teaching.

Abstract

This study presents a research excerpt carried out in the Postgraduate Program, Master in Teaching, PPGEN/UNIC/IFMT, analysis of the pedagogical organization in quarters by knowledge area implemented in CEJAS Centers for Youth and Adult Education in Mato Grosso by through memories and narratives of students and teachers who experienced the proposal between 2008 and 2016, as a way to create files, organize the actions carried out, as these interventions are socially produced. However, the acceleration of time makes us forget or disregard the past, making it necessary to ground collective memories. The methodology of this research is classified as a qualitative documentary and narrative study considering that the official documents of this period are initial data to represent the existence of memories (curriculum, planning and evaluation), as well as the identification of the role of EJA Centers in policies educational institutions of the State. And the participants' narratives represent the records of this space of memories and representations of school culture. As a result, we show that social groups build their narratives based on the memory of the experience, whether through writing, in this study the documents or oral presentations present in the interviews that unfortunately have been disregarded when it comes to the elaboration and continuity of educational public policies.

References

Bignarde, G. K. (2013). A Produção da Política de Constituição dos CEJAS. Espaço do Currículo, v.6, n.3, p.474-483 -144, set/dez.

Bognar, I. & Ferreira, M. S. (2019). Avanços e Retrocessos na Política de Educação de Jovens e Adultos no Estado de Mato Grosso/Brasil (2008/2017). REVES-Revista Relações Sociais, Vol. 02 N. 03.

Boldarine, F. R. (2010). Representações, narrativas e práticas de leitura: um estudo com professores de uma escola pública. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista.

Bosi, E. (1994). Memória e sociedade. 5. ed. São Paulo: Companhia das Letras.

Brasil. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer n. 11 de 10 de maio de 2000. Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/legislacao/parecer_11_2000.pdf. Acesso em: 25 de agosto de 2013.

Brasil. (1988). Constituição Federal do Brasil. Brasília: Senado Federal.

Brasil. LDB. (1996). – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei nº 9.394, de 20 de dezembro.

Chartier. R. (2002). À Beira da Falésia: A história entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. Universidade. UFRGS.

Chartier. R. (2002). À Beira da Falésia: A história entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. Universidade. UFRGS.

Chilante, N. E. F. & Noma Kimiko, A. Reparação da dívida social da exclusão: uma função da educação de jovens e adultos no Brasil? Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. Especial, p 225-237, mai. 2009. <http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/33e/art14_33esp.pdf>.

Fialho, M. L. L. T. M & Brandenburg, C. (2016) (Orgs). Educação, Memórias e Narrativas. Fortaleza: Eduece.

Freire, P. (1993). Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e terra.

Goldenberg, M. (2018). A arte pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 15ª ed. Rio de Janeiro: Record.

Haddad, S., Di Pierro, M.C. (2000). Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, 14:108-130.

Halbwachs, M. (2013). A Memória Coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. 2ª ed. São Paulo: Ed. Centauro.

Lang, A. B .da S.G. (1996). História oral: muitas dúvidas, poucas certezas e uma proposta. In: MEIHY, J. C. S. B. (Org). (Re) introduzindo história oral no Brasil. São Paulo: Xamã.

Marconi, M. de A; Lakatos, E. M. (2019). Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas.

Marconi, M. de A. Lakatos, E. M. (2021). Metodologia do Trabalho Científico. 9ª. ed. São Paulo: Atlas.

Mato Grosso (2010). Secretaria De Estado De Educação. Orientações Curriculares: Diversidades Educacionais. Cuiabá: Defanti, 214.

Mato Grosso (2013). Secretaria de Estado de Educação. (ROP) – Regras de Orientação Pedagógica dos CEJAS por área de conhecimento.

Muylaert, C. J. et al. (2014). Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, vol. 48, n. spe2, São Paulo, dez.

Nora, P. (1993). Entre memória e história: a problemática dos lugares. Trad. Yara Khoury. Projeto História, São Paulo: PUC-SP, n. 10, p. 7-28, dez.

Pereira, J. E. D.& Fonseca, M. C. F. R. (2001). Identidade Docente e Formação de Educadores de Jovens e Adultos. Porto Alegre, Educação & Realidade, vol. 6, n. 2, p. 51-73, jul./dez.

Ribeiro, V. M. A. (1999). Formação de Educadores e a Constituição da Educação de Jovens e Adultos como Campo Pedagógico. Educação e Sociedade, Campinas, v. 20, n. 68, p. 184-201, dez.

Schueler, A. F. M & Magaldi, A. M. B. de M. Educação escolar na primeira república: memória, história e perspectiva de pesquisa. Tempo, Niterói, v.13, n.26, 32-55, 2009.

Silva, J. C & RUCKSTADTER, F. M. M. (2016). Centro de Memória na Escola: Uma Contribuição para a Construção do Conhecimento Histórico In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor PDE: Produção Didático-pedagógica, 2013. Curitiba: SEED/PR., V.2.

Simson Von, O. https://ihggcampinas.org/2018/08/17/o-direito-a-memoria/#comments Acesso em: 24 de dez 2021.

Teixeira Aguiar, M. L. (2015). XXVII Simpósio Nacional de História, Lugares de Historiadores Velhos e Novos Desafios. A Escola como Lugar de Memória. Florianópolis.

Veiga, I. P. A. (2001). (Org.). As Dimensões do Projeto Político-Pedagógico. Campinas, 4. ed. São Paulo: Papirus.

Published

02/08/2021

How to Cite

OLIVEIRA, S. K. L. de .; MACIEL , C. M. L. A. . CEJA as a Place of Memories. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e55310918419, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18419. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18419. Acesso em: 18 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences