The status of the inclusion process of a person with visual impairment in the educational system: An integrative literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18553

Keywords:

Teaching; Visual Impairment; Inclusive education; Educational system.

Abstract

The debates related to inclusive education originated a few decades ago, but suffering the strong influence of a segregational culture that excluded people (a phenomenon historically built by various prejudices) for not belonging to a common standard. Thus, the main objective of this research is to investigate the status of the inclusion of the Visually Impaired Person - VDP in the educational system and the specific objectives are: to investigate the possible effective teaching-learning strategies; how is the initial and continuing education of teachers and investigate the perception of the blind student to the reality of this inclusive process. For this, a qualitative study of descriptive nature was carried out, through previously chosen key words and some inclusion and exclusion criteria to be applied in databases and renowned periodicals. The results of the research revealed that it is important to invest in the initial and continuing education of teachers, in order to sensitize and encourage them to a reflective work in order to recognize the peculiarities of the blind student and to work in a multiprofessional way, since the inclusive process is not far from being effective. It was also found that there are several methodologies and strategies in the attempt to include the PDV at school. Such manifestations are basic assumptions that make the teaching-learning process more accessible, but not yet fully inclusive. Thus, there is much to be done before we can consider the PDV teaching-learning process inclusive.

References

Azevedo, N. C. C. (2013). Da inclusão escolar do deficiente visual à educação para o sujeito. Revista Exitus, 3(2), 217-228.

Brasil. Lei Nº 13.146, de 6 de julho. (2015). Institui a lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (estatuto da pessoa com deficiência). Brasília, 2015.

Brasil. (2008). Ministério da Saúde. Portaria no. 3.128, de 24 de dezembro de 2008. Define que as Redes Estaduais de Atenção à Pessoa com Deficiência Visual sejam compostas por ações na atenção básica e Serviços de Reabilitação Visual. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2008.

Brasil. (1994). Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP.

Bruno, M. M. G., & Nascimento, R. A. L. D. (2019). Política de Acessibilidade: o que dizem as pessoas com deficiência visual. Educação & Realidade, 44.

Diniz, M. (2017). Inclusão de pessoas com deficiência e/ou necessidades específicas-Avanços e desafios. Autêntica.

Fortes, V. G. G. de F., & Martins, L. de A. R. (2017). A formação continuada de professores do ensino médio integrado do ifrn: um dos caminhos para a inclusão de alunos com deficiência visual. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 5(2), 31–53. https://doi.org/10.34024/olhares.2017.v5.749

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, 35(2), 57-63.

Gomes, C. S. C., & Lins, J. L. D. S. G. (2020). A percepção da acessibilidade para pessoa com deficiência pelo estudante da Universidade Federal do Pampa–Campus Santana do Livramento. Research, Society and Development, 9(12), e29191211236-e29191211236.

IMPULSIONA. (2020). 5 Atividades dentro de casa para ensinar os filhos a respeitarem pessoas com deficiências. https://impulsiona.org.br/atividades-pessoas-deficiencias

Lavorato, S. U., & Mól, G. S. (2016). Percepção acerca da inclusão educacional na disciplina de química por alunos com deficiência visual. CIAIQ2016, 1.

Leite, L., Silva, M. C. R., Simões, T. M. S., Silva, A. C. S. & Pereira, M. (2020). Impactos da Covid-19 na graduação da pessoa com deficiência visual. Revista Encantar-Educação, Cultura e Sociedade, 2, 01-14.

Lima, B. T. S. (2019). O ensino de química na percepção de alunos cegos: desenhando a inclusão no ensino médio. In: VI Congresso Nacional de Educação, 6., 2019, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: Realize, 2019. p. 1-18.

Marchi, M. I., & Silva, T. N. C. (2016). Formação continuada de professores: buscando melhorar e facilitar o ensino para deficientes visuais por meio de tecnologias assistivas. Revista Educação Especial, 29(55), 457-469.

Medeiros, L. R. (2020). Utilização de modelos táteis sustentáveis como alternativa no ensino de Química para alunos com deficiência visual. Discursos Interdisciplinares por uma Educação Transformadora _, 35.

Miranda, A. A. B. (2004). História, deficiência e educação especial. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, 15, 1-7.

Moresi, E. (2003). Metodologia da pesquisa. Brasília: Universidade Católica de Brasília, 108(24), 5.

Pereira, D., & Carvalho, L. B. D. O. B. (2018). Políticas de fomento à leitura e ações para a participação da pessoa com deficiência visual em Uberaba-MG. Revista Educação Especial, 31(61), 261-273.

Pereira, D. S. D. R., Tavares, H. S. D. E., & Silva, F. M. (2021). Fatores que dificultam o trabalho do professor em uma sala de recursos multifuncionais. Revista Vox Metropolitana, 4, 99-112.

Plaisance, E. (2015). Da educação especial à educação inclusiva: esclarecendo as palavras para definir as práticas. Educação, 38(2), 231-238.

Ribas, J. (2017). Preconceito contra as pessoas com deficiência: as relações que travamos com o mundo. Cortez Editora.

Robalinho, B. C. S. D., & Costa, C. S. (2019). Jogo Digital na inclusão de alunos com deficiência visual. Informática na educação: teoria & prática, 22(1).

Selau, B., Damiani, M. F., & Costas, F. A. T. (2017). < b> Estudantes cegos na educação superior: o que fazer com os possíveis obstáculos?. Acta Scientiarum. Education, 39(4), 431-440.

Stake, R. E. (2011). Pesquisa qualitativa: Como as coisas funcionam (K. Reis, Trad.).

Stake, R. E. (2016). Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Penso Editora.

Urzedo, L. F. L., Jorge, C. A. M., & Portela, C. P. (2020). Inclusão escolar com ênfase na deficiência visual. unifunec científica multidisciplinar, 9(11), 1-20.

Veraszto, E. V., Camargo, E. P. D., Camargo, J. T. F. D., Simon, F. O., & Miranda, N. A. D. (2018). Evaluation of concepts regarding the construction of scientific knowledge by the congenitally blind: an approach using the Correspondence Analysis method. Ciência & Educação (Bauru), 24(4), 837-857.

Published

05/08/2021

How to Cite

LIMA, M. L. B. de; OLIVEIRA, J. R. de; VIANA, L. A. F. de C. The status of the inclusion process of a person with visual impairment in the educational system: An integrative literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e50101018553, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18553. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18553. Acesso em: 18 oct. 2021.

Issue

Section

Review Article