The digital influence in the university environment - South of Minas Gerais

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18598

Keywords:

Online Learning; Information and Communications Technologies; Social networking.

Abstract

With the popularization of the internet, university behavior has been modified by Information and Communication Technologies (ICTs). Social networks have served as a means of communication, besides contributing to the sharing of knowledge. The objective is to identify how technology acts in the student experience of university students, interfering both in their studies and in their interpersonal relationships. For this, an online form was applied through the Google Forms platform, answered by 148 students from a private university in southern Minas Gerais, in order to understand the sociodemographic profile and the use of social networks by the sample. It was found that digital technologies are already well disseminated in the academic environment, especially in times of social isolation resulting from the COVID-19 pandemic, contributing both for obtaining knowledge and entertainment, and for communication. Digital influence was considered beneficial in the university environment, as it contributed positively to studies, as well as contributing to information sharing and interpersonal relationships at a distance.

References

Almeida, M. (2010). Tecnologia e Educação a distância: Abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem. Revista Brasileira de Educação a Distância.

Angelo, E. (2016). Redes sociais virtuais na sociedade da informação e do conhecimento: economia, poder e competência informacional. Revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, 21(46), p. 71-80.

Barros, A. S. X. (2015). Expansão da educação superior no brasil: limites e possibilidades. Educação & Sociedade, 36(131), p. 361-390.

Bierhalz, C. D. et al. (2019). Concepções dos estudantes de uma escola do campo sobre tecnologia. Revista Brasileira de Educação do Campo, 4, p.1-21.

Brasil, Ministério da Educação. Medida provisória n° 934, de 1° de abril de 2020. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder executivo, Brasília, DF.

Brasil, Ministério da Educação. Portarias n° 343 e 345 de 2020.

Carneiro, L. de A. et al. (2020). Uso de tecnologias no ensino superior público brasileiro em tempos de pandemia COVID-19. Research, Society and Development, 9(8), e267985485.

Chauí, M. (2010). A contração do tempo e do espaço do espetáculo. Café Filosófico. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=X5d1TBpXrq0ção

Chiusoli, C. L.et al. (2020). Atividade acadêmica, tecnologia e rede social: o comportamento da geração Z. Research, Society and Development, 9(3), e169932735.

Fermann I. L. et al. (2021). Uso de internet e mídias sociais por estudantes universitários: um campo de estudo emergencial. Ciências Psicológicas, 15(1), e-2389.

Galafassi, F. et al. (2013). Análise crítica das pesquisas recentes sobre as tecnologias de objetos de aprendizagem e ambientes virtuais de aprendizagem. Revista Brasileira de Informática na Educação, 21(3), p. 41–52.

Habermas, J. (2018). Não pode haver intelectuais se não há leitores. El País. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/25/eps/1524679056_056165.html

IBGE. Educação melhora, mas ainda apresenta desafios. Síntese dos Indicadores Sociais de 2008. Disponível em: http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view =noticia&i d=1&busca=1&idnoticia=1233.

Lamana, B. B. et al. (2020). Estudos universitários durante o isolamento social: pesquisa de opinião pública. Ebook I Congresso Nacional de Inovação e Popularização da Ciência, 1, p. 135-136.

Morozimato, M. S. et al. (2017). O Uso de Internet e Redes Sociais e a Relação com Indícios de Ansiedade e Depressão em Estudantes de Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, 41(4), p. 497- 504.

Mota, D. C. B. et al. (2021). Saúde mental e uso de internet por estudantes universitários: estratégias de enfrentamento no contexto da COVID-19. Ciência & Saúde Coletiva, 26(6), p. 2159 - 2170.

Nascimento, M. C. & Gomes, G. R.R. (2020). Formação continuada docente para a utilização das TIC no processo de ensino e aprendizagem. Research, Society and Development, 9(2), e33921998.

Pereira, AS et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Prensky, M. (2001). Digital natives, digital immigrants, part 1. On the horizon, 9(5), p. 1-6.

Ramos, V. A. (2018). Tecnologia e formação: o smartphone na experiência de jovens universitários - Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

Rangel, J. R. & Miranda, G. J. (2016). Desempenho acadêmico e o uso das redes sociais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 11(2), p. 139-154.

Silva, F. C. & Vizzotto, M. M. (2013). Perfil do estudante universitário usuário de tecnologias. Psicólogo Informação, 7(17), p. 39-55.

Soares, A. B. et al. (2016) Relações interpessoais na universidade: o que pensam estudantes da graduação em psicologia? Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 7(1), p. 56-76.

Souza, M. V. & Simon, R. M. (2018). Redes sociais e moocs: análise de mídias para uma educação em rede. Em Rede - Revista de Educação à Distância, 2(1), p. 140-154.

Xavier, F. et al. (2020) Análise de redes sociais como estratégia de apoio à vigilância em saúde durante a Covid-19. Estudos Avançados, 44(99), p. 261-282.

Published

11/08/2021

How to Cite

LAMANA, B. B.; AMARAL, D. V. .; ELEUTÉRIO , G. S. de L. .; ALMEIDA, J. F. .; MACHADO , T. C. .; LIMA, C. C. de . The digital influence in the university environment - South of Minas Gerais. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e300101018598, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18598. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18598. Acesso em: 27 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences