Remote learning in rural schools: a look at digital technologies in rural schools and households in Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18765

Keywords:

Digital Technologies; Remote Learning; Rural Schools; Teaching.

Abstract

Faced with the scenario of social emergency triggered by the coronavirus pandemic in Brazil in 2020, which directly had an impact on the educational field, especially in the need to implement remote Learning as a strategy in public and private networks. In this context, the discussion emerges about how the use of digital technologies is being used in various educational contexts, especially in education in rural areas that historically highlights social and structural demands related to the process of digital exclusion. This problematic, highlighting the possibilities and challenges of using Information and Communication Technologies in distance Learning in the context of suspension of school activities and lockdown, brings in its core principles that guide the Brazilian public education as the offer of a universal, egalitarian and quality education. Based on surveys conducted between the years 2019 and 2021, an analysis of the situation of rural schools and households was carried out shortly before the lockdown. In this way, it was possible to measure and correlate how scientific indicators demonstrate that public policies for the insertion of digital technologies in rural schools in recent years have achieved ineffective results, especially in light of the resurgence of digital exclusion in the context of public education in Brazil. In this sense, there was a need for a broad theoretical and practical discussion about the agenda of public policies for digital inclusion, aimed at the expansion of Digital Technologies in rural schools.

References

Agência Brasil (2021). UFMG pesquisa mostra aprofundamento de desigualdades na infância. https://catracalivre.com.br/cidadania/ufmg-pesquisa-mostra-aprofundamento-de-desigualdades-na-infancia/.

Barberia, L. G., Cantarelli, L. G. R., & Schmalz, P. H. S. (2021). Uma avaliação dos programas de educação pública remota dos estados e capitais brasileiros durante a pandemia do COVID-19. FGV: Centro de aprendizagem em avaliação e resultados para o Brasil e a África Lusófona. http://fgvclear.org/site/wp-content/uploads/remote-learning-in-the-covid-19-pandemic-v-1-0-portuguese-diagramado-1.pdf.

Bardin, L. (2000). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bonilla, M. H. & Oliveira, P. C. S. (2011) Inclusão Digital: Ambiguidades em curso. In Bonilla, M. H. & Pretto, N. L.. Inclusão Digital: polêmica contemporânea. v. 2. Salvador: EDUFBA, p. 15-21.

Bonilla, M. H. & Halmann, A. L. (2011). Formação de professores do campo e tecnologias digitais: articulações que apontam para outras dinâmicas pedagógicas e potencializam transformações da realidade. Revista Inter Ação, [S.l.], v. 36, n. 1, p. 285-308, set. 2011. ISSN 1981-8416.

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Caldart, R. S. (2012). Educação do Campo. In Caldart, R. S. et all. (org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular. http://www.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/l191.pdf.

Carvalho, L. C., Robaert, S. & Freitas, L. M. (2015). A educação do Campo no contexto da Educação Brasileira: Questões históricas, políticas Legais. In VI Seminário Nacional de Formação de Professores. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria. http://coral.ufsm.br/snfp/images/ANAIS/A%20EDUCA%C3%87%C3%83O%20DO%20CAMPO%20NO%20CONTEXTO%20DA%20EDUCA%C3%87%C3%83O%20BRASILEIRA%20QUEST%C3%95ES%20HIST%C3%93RICAS%20POL%C3%8DTICAS%20E%20LEGAIS%20(3).pdf

Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.BR). (2020a). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2019. São Paulo: CGI.br. https://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20201123090444/tic_edu_2019_livro_eletronico.pdf.

Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.BR). (2020b). Pesquisa sobre o uso da Internet durante a pandemia do novo coronavírus: Painel TIC COVID-19 (1ª edição). São Paulo: CGI.br. https://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20200817133735/painel_tic_covid19_1edicao_livro%20eletr%C3%B4nico.pdf.

Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.BR). (2020c). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC Domicílios 2019. São Paulo: CGI.br. https://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20201123121817/tic_dom_2019_livro_eletronico.pdf.

Freire, P. (1981). Ação cultural para a liberdade. 5ª ed. Paz e Terra: Rio de Janeiro.

Idoeta, P. A. (2020). Sem wi-fi: pandemia causa novo símbolo de desigualdade na educação. BBC News Brasil. https://www.bbc.com/portuguese/brasil-54380828.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2020). PNAD Contínua TIC 2019: a internet chega a 82,7% dos domicílios do país. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/30521-pnad-continua-tic-2019-internet-chega-a-82-7-dos-domicilios-do-pais.

Koche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica. Petrópolis: Vozes.

Kubota, L. C. (2020). A infraestrutura sanitária e tecnológica das escolas e a retomada das aulas em tempos de COVID-19. Nota Técnica n° 70 da Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura. Instituto de pesquisa econômica Aplicada (IPEA). http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/10121/1/NT_70_Diset_A%20Infraestrutura%20Sanit%c3%a1ria%20e%20Tecnol%c3%b3gica%20das%20Escolas.pdf.

Lapa, B., Pina, A. B. & Menou, M. (2019). Empoderamento e educação na cultura digital. Revista educação e cultura contemporânea. Volume 16, Número 43. Rio de Janeiro: PPGE/UNESA. de http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/5800/47966000.

Brasil (2020). Lei 14.109. Regulamenta o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST). Planalto. Brasília, DF. Presidência da república. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l14109.htm.

Marcon, K. (2020). Inclusão E Exclusão Digital Em Contextos De Pandemia: Que Educação Estamos Praticando E Para Quem?. Criar Educação. Criciúma, v. 9, nº2, Edição Especial PPGE – UNESC. ISSN 2317-2452. http://periodicos.unesc.net/criaredu/article/view/6047/5401.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rosa, T. M., Gonçalves, F. O., & Fernandes, A. S. (2014). Estratificação socioeconômica: uma proposta a partir do consumo. XX fórum BNB de desenvolvimento 2014. Mesa IV – Socioeconomia e Nutrição. https://www.bnb.gov.br/documents/160445/226386/ss4_mesa4_artigos2014_ESTRATIFICACAO_SOCIOECONOMICA_UMA_PROPOSTA_PARTIR_CONSUMO.pdf/fbbd77ab-e78c-4885-973f-a841a26ab49e.

Santos, I. C. M. (2013). Direito à comunicação como direito humano: Desafios e potencialidades que a inserção das TIC na educação oferece para a superação da “cultura do silêncio” no campo. Dissertação de mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME). (2021). Pesquisa Undime sobre Volta às Aulas 2021. http://undime.org.br/uploads/documentos/phpb9nCNP_6048f0cf083f8.pdf

Published

16/08/2021

How to Cite

SANTANA, M. S.; LIMA FILHO, R. A. F.; REIS, D. A. dos. Remote learning in rural schools: a look at digital technologies in rural schools and households in Brazil . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e497101018765, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18765. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18765. Acesso em: 18 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences