Quality of life of pre-school children born prematurely

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18915

Keywords:

Premature; Quality of life; Pre-school.

Abstract

This study aimed to evaluate the quality of life of children born prematurely at preschool age. The participants were 15 children, 09 born prematurely and 06 at term, of both sexes, aged between four and six years. The children assessed themselves using the instrument Autoquestionnaire Qualité by Vie Enfant Imagé, with the help of figures and faces that express different emotional states and the scores differ respectively from very unhappy, unhappy, happy and very happy. Of the 15 children evaluated, 60.0% were born prematurely, 40% were born at term, and 13.3% had questionable neuropsychomotor development at the time of self-assessment. The mean quality of life score of the sample was 52.3, on a scale from zero to 78, with a standard deviation of 8.7, a minimum of 35 and a maximum of 65. Children feel happier on their birthday ( 80.0%), at the table with the family (80.0%), when they think of their father (73.3%), when they watch television (73.3%), when they are with their grandparents (66.7% ), when they see their own photograph (66.7%), when they think about growing up (66.7%), when they think about their mother (60.0%), during vacations (60.0%), at night when they go to bed (60.0%), in playtime, during school recess (60.0%), when they do their homework (60.0%), when friends talk to them (53.3% ), when the father or mother talks to them (53.3%). There was no significant difference between genders, ages, prematurity or not, and neuropsychomotor development in terms of quality of life score (p>0.05).

References

Carmo, V. A. P. (2017). Perfil comportamental de um grupo de crianças em idade pré-escolar nascidas prematuramente [ Dissertação de mestrado] Universidade católica de psicologia. Porto, Portugal.

Castilhos, F. B. (2020). Avaliação da qualidade de vida em crianças obesas em um ambulatório universitário do sul de Santa Catarina. Medicina-Tubarão.

Dutra, H. S., Ribeiro, L. C., da Silva Frônio, J., & Neves, L. A. T. (2019). Qualidade de vida de crianças que nasceram com muito baixo peso ou extremo baixo peso. Revista de APS, 22(2).doi: https://doi.org/10.34019/1809-8363.2019.v22.15829.

Gaspar, T., Matos, M. G. D., Ribeiro, J. L. P., & Leal, I. (2006). Qualidade de vida e bem-estar em crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 2(2), 47-60.

Gracioli, S. M. A., & Linhares, M. B. M. (2014). Temperamento e sua relação com problemas emocionais e de comportamento em pré-escolares. Psicologia em Estudo, 19(1), 71-80.

Horta, K. C., & Soares, Â. M. (2020). O desenvolvimento de crianças nascidas pré-termo ou prematuras. Brazilian Journal of Development, 6(8), 58467-58475. Doi:10.34117/bjdv6n8-308.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística .2016 Biblioteca IBGE. Disponível em <https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/bibliotecacatalogo?view=detalhes&id=7229

Junior, A., Francisco, B., Kuczynski, E., Sprovieri, M. H., & Aranha, E. M. (2000). Escala de avaliação de qualidade de vida:(AUQEI-Autoquestionnaire Qualité de Vie Enfant Imagé): validade e confiabilidade de uma escala para qualidade de vida em crianças de 4 a 12 anos.Arq. neuropsiquiatr, 58(1), 119-27. Doi: https://doi.org/10.1590/S0004-282X2000000100018.

Lei n 9610, 19 de fevereiro de 1998 (1998). Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Lex, colet legisli. Jurisprud; São Paulo.

Magalhães, C. T. L. (2019). Superproteção parental e problemas emocionais e de comportamento em crianças nascidas prematuras [Dissertação de Mestrado].

Martini, J. A., Padovani, F. H. P., & Perosa, G. B. (2016). Qualidade de Vida em Crianças Nascidas Prematuras: Fatores de Risco e Proteção. Paidéia (Ribeirão Preto), 26(65), 325-332. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-43272665201610.

Martini, J. A., Perosa, G. B., & Padovani, F. H. P. (2019). Qualidade de vida de escolares nascidos prematuros, o relato do cuidador e o auto-relato infantil. Ciência & Saúde Coletiva, 24, 4699-4706. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320182412.18062017

Moreira, LMA. Desenvolvimento e crescimento humano: da concepção à puberdade. In: Algumas abordagens da educação sexual na deficiência intelectual [online]. 3rd ed. Salvador: EDUFBA, 2011, pp. 113-123. ISBN 9788523211578.

Nunes, A. N. (2019). TORNANDO-SE MÃE DE GÊMEAS PREMATURAS: uma perspectiva autoetnográfica. [Dissertação de Mestrado] Universidade Federal da Bahia; Salvador; Bahia; Brasil.

Pacheco, M. D. J. T. (2018). Efeitos do baixo peso ao nascer no desenvolvimento da linguagem e do comportamento de crianças em situação de vulnerabilidade social. [Dissertação de mestrado] Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Pereira, A. P., & Petreça, D. R. (2015). Percepção e nível de qualidade de vida entre pré-escolares. R Bras Qual Vida, 7(2), 56-64. Doi: 10.3895/rbqv.v7n2.2724.

Pereira, É. F., Teixeira, C. S., & dos Santos, A. (2012). Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Revista brasileira de educação física e esporte, 26(2), 241-250. Doi:https://doi.org/10.1590/S1807-55092012000200007.

Pinto, R. F. J. D. O. (2020). Determinantes parentais e problemas de comportamento em crianças nascidas prematuras-estudo com mães de crianças entre os 4 e os 10 anos. [Dissertação de mestrado]. Universidade de Lisboa, Portugal.

Prebianchi, H. B., & Barbarini, É. H. (2009). Qualidade de vida infantil: limites e possibilidades das questões teóricometodológicas. Psico-Usf, 14(3), 355-364. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-82712009000300011.

Rezende, B. A., Lemos, S. M. A., & Medeiros, A. M. D. (2017). Qualidade de vida e autopercepção de saúde de crianças com mau desempenho escolar. Revista Paulista de Pediatria, 35(4), 415-421. Doi: https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;4;00009.

Roncada, C., Soldera, K., Andrade, J., Bischoff, L. C., Bugança, B. M., Cardoso, T. D. A., & Pitrez, P. M. (2018). Avaliação da qualidade de vida de pais e cuidadores de crianças asmáticas. Revista Paulista de Pediatria, 36(4), 451-456. Doi: https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2018;36;4;00012.

Silva, I. B., Lindau, T. A., & Giacheti, C. M. (2017). Instrumentos de avaliação da linguagem falada de pré-escolares nascidos prematuros: uma revisão de literatura. Revista CEFAC, 19(1), 1-9. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-0216201719112416.

Silva, R. M. M. D., Zilly, A., Toninato, A. P. C., Pancieri, L., Furtado, M. C. C., & Mello, D. F. D. (2020). Vulnerabilidades para a criança prematura: contextos domiciliar e institucional. Revista Brasileira de Enfermagem, 73. Doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0218.

Souza, A. C. F. D. S., Casais-e-Silva, L. L., & Sena, E. P. D. (2019). A influência da prematuridade no desenvolvimento das habilidades fonológicas. Revista CEFAC, 21(4). Doi: https://doi.org/10.1590/1982-0216/201921413118.

Souza, C. B. D. (2020). Predição de risco para dificuldades motoras em prematuros com idade pré-escolar pelo General Movement Assessment [Dissertação de mestrado]. Universidade de São Paulo), São Paulo.

The WHOQOL Group. The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): Position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med 1995; 41(10):1403-1409.

Verreschi, M. Q. (2018). Vocabulário e memória de curto prazo verbal em pré-escolares prematuros sem risco neurológico. [Master's Dissertation], Faculdade de Medicina, University of São Paulo, São Paulo.

Published

19/08/2021

How to Cite

SOUZA, D. de C.; PRADO, I. F. do; MACEDO, D. A.; SILVA, B. B. F. L.; FRANÇA, N. M. Quality of life of pre-school children born prematurely. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e556101018915, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18915. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18915. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences