City’s Master Plan of Belém (PA) and Water Urban Rives

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.19159

Keywords:

Urban Rivers; City's Master Plan; Urban Planning; Environmental Sanitation; Belém.

Abstract

Rivers are important determinants of urban morphology, land use and occupation in the territory. Based on a bibliographical and documental review, as well as cartographic information and socioeconomic data analyzed in a geoprocessing tool, the article discusses the roles and functions of urban rivers in the city’s master plans prepared after the 1998 Brazilian Federal Constitution, in Belém-PA, an Amazon metropolis. It shows that, in Belém, the link between urban occupation and watercourses has historically been marked by relationships of conciliation and environmental conflicts. In the 1993 and 2008 Master Plans, it highlights the approaches to urban rivers based on environmental sanitation, housing, mobility and the requalification of the landscape for leisure and tourism purposes. It concludes that the absence of a broad discussion of the morphological, environmental and functional interfaces of urban rivers, results in both broad and segmented guidelines propositions and sectorial actions propositions focused mainly on works, sometimes on basic sanitation, sometimes on waterfront urbanization, sometimes on housing , the vast majority not implemented. Finally, it suggests the need to overcome such barriers, emphasizing the importance of city’s master plans in defining the social function of the city and, therefore, of urban rivers.

References

ABES. (2020). Ranking Abes da Universalização do Saneamento 2019. http://abes-dn.org.br/pdf/Ranking_2019.pdf.

Arruda, E. S. (2003). Porto de Belém do Pará: origens, concessão e contemporaneidade. Dissertação de Mestrado em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Becker, B. (1990). Amazônia. São Paulo: Ática.

Belém. (2019). Anuário Estatístico do Município de Belém – 2019. http://anuario.belem.pa.gov.br/.

Belém. (2019). Bacias Hidrográficas. Prefeitura de Belém http://www.belem.pa.gov.br/app/c2ms/v/?id=18&conteudo=475.

Diagnóstico Habitacional de Belém. Prefeitura de Belém (2008). http://planodiretor.belem.pa.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/Diagnostico-Habitacional-de-Belem_2008.pdf.

Lei nº 7.603, de 13 de janeiro de 1993 (1993). Institui o Plano Diretor do Município de Belém. http://planodiretor.belem.pa.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/Lei-7603_13-01--Plano-Diretor-Urbano-de-Belem_PDU.pdf.

Lei nº 8655, de 30 de julho de 2008 (2008). Institui o Plano Diretor do Município de Belém. http://www.belem.pa.gov.br/planodiretor/Plano_diretor_atual/Lei_N865508_plano_diretor.pdf.

Braga, R. da C., Barbosa, A. L. das C., & Almeida, L. S. (2014). Urbanização e áreas de alagamentos em Belém: Estudo da bacia da Estrada Nova. Anais do Congresso Brasileiro de Geógrafos, Vitória, ES, Brasil, 7.

Constituição da República Federativa do Brasil (1988). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Lei nº. 10.257, de 10 de julho de 2001 (2001). Regulamenta os artigos 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10257.htm.

Lei nº. 9.433 de 08 de janeiro de 1997 (1997). Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9433.htm.

Lei nº.12.608 de 10 de abril de 2012 (2012). Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil - PNPDEC. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12608.htm.

Carvalho, M. E. S. (2015). Riscos e vulnerabilidades socioambientais na bacia costeira do rio Vaza Barris/Sergipe/Brasil: Contribuições para o planejamento e gestão ambiental. Anais Congresso sobre Planeamento e Gestão das Zonas Costeiras dos Países de Expressão Portuguesa. Aveiro, Portugal, 8.

Castro, E. (2019). Belém do Grão-Pará: de águas e de mudanças nas paisagens. In e. Stoll (org.). Paisagens evanescentes: estudos sobre a percepção das transformações nas paisagens pelos moradores dos rios Amazônicos. Belém, PA: NAEA/UFPA.

Conti, A., & Silva, P. H. P. (2018). As múltiplas escalas da reconciliação “Rio-Cidade”: Ideias e Soluções replicáveis para a microbacia São José-Itabirito, MG. Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. São Paulo, Brasil, 17.

Corrêa, A. J. L. (1989). O espaço das ilusões: planos compreensivos e planejamento urbano na Região Metropolitana de Belém. Belém, 1989. Dissertação de Mestrado em Planejamento em Desenvolvimento, Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil.

Correa, R. L. (2006). A periodização da rede urbana amazônica. In R. L. Corrêa (org.). Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand do Brasil.

Costa, A. N., & Pontes, W. R. (2019). Uso de indicadores de Saneamento Ambiental, na Bacia Hidrográfica do Tucunduba, visando a Redução das Doenças de Veiculação Hídrica. Trabalho de Conclusão de Curso, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, Belém, PA, Brasil.

Costa, L. M. S. A. (2006). Rios e paisagens urbanas em cidades brasileiras. Rio de Janeiro: Viana & Mosley, Editora PROURB.

Costa, M. J. B. (2018). Planejamento e Gestão Urbana na Orla de Belém (PA): Análise do Complexo Ver-o-Rio. AOS – Amazonia, Organizações e Sustentabilidade. AOS, Brazil, 7(2), 99-110.

DOL. (2019). Audiência Pública debate construção de supermercado no Portal da Amazônia. https://www.diarioonline.com.br/noticias/para/543360/audiencia-publica-debate-construcao-de-supermercado-no-portal-da-amazonia.

Lakatos, E. M. & Marconi, M. A.. Fundamentos de Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

McHarg, I. L. (1971). Design with nature. Nova York, Doubleday/National History Press.

Mendonça, F. de A., & Leitão, S. A. M. (2008). Riscos e vulnerabilidade socioambiental urbana: uma perspectiva a partir dos recursos hídricos. GeoTextos, 4(1), 145-163.

Nascimento, E. (2014). Conheça o parque Zoobotânico Mangal das Garças, no Pará. https://fotospublicas.com/conheca-o-parque-zoobotanico-mangal-das-garcas-para/.

Oliveira, J. A. (2006). A cultura, as cidades e os rios na Amazônia. Ciência e Cultura, 58(3).

Penteado, A. R. (1968). Belém do Pará: estudo de geografia urbana. Belém: UFPA - Imprensa Universitária.

PARATURISMO. (2018). Estação das Docas. http://www.paraturismo.pa.gov.br/vejamais_negocios_eventos/belem/estacao.

Ponte, J. P. X. (2007). Cidade e água: Belém do Pará e estratégias de reapropriação das margens fluviais. Arquitextos, 08(2). Recuperado em 29 de janeiro de 2020 de: <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.085/237>.

Ponte, J. P. X. (2020). Belém do Pará: cidade e água. Cadernos Metrópole. 17(33).

Rodrigues, R. M., Tavares, A. C. M., & Miranda, T. B. (2016). Urbanizar as “baixadas”: experiências de projetos de urbanização de assentamentos precários em áreas de preservação permanente em Belém (Pa). Anais do Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Porto Alegre, RS, 20.

ROMANEWS. (2019). Adolescente de 15 anos morre afogado no Ver-O-Rio. https://www.romanews.com.br/cidade/adolescente-de-15-anos-morre-afogado-no-ver-o-rio/39943/.

ROMANEWS. (2020). Placas de carro são encontradas boiando após canal da Doca transbordar. https://www.romanews.com.br/cidade/placas-de-carros-sao-encontradas-boiando-apos-canal-da-doca/71921/.

Sarges, M. de N. (2002). Belém: riquezas produzindo a Belle-Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu.

Santos, E. R. C. (2016). História da cidade de Belém: intervenções urbanísticas e produção do espaço da orla fluvial. Anais Encontro Nacional de Geógrafos. São Luís, MA 18.

Spirn, A. W. (1984). The granite garden. Urban nature and human design. La Verne/TN (EUA), Basic Books.

Tourinho, H. L. Z. (2011). Estrutura urbana de cidades médias amazônicas: análise considerando a articulação das escalas interurbana e intraurbana. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Recife.

Trindade, S. C. C., & Tavares Junior, M. G. C. (2008). Cidades Ribeirinhas da Amazônia: mudanças e permanências. Belém: EDUFPA.

Vainer, C. (2000). Pátria, empresa e mercadoria. Notas sobre a estratégia discursiva do Planejamento Estratégico Urbano. In O. Arantes, C. Vainer & E. Maricato (Orgs.) A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. (Vol. 1, Cap. 2, pp. 75-104). Petrópolis: Vozes.

Vitale, S. P. de S. M. (2015). Caminhos para uma gestão integrada: Aproximação e conflito entre planos hídricos e plano urbano em Guaratinguetá, SP. Fórum Ambiental da Alta Paulista, 11(6), p. 337-348.

Published

20/08/2021

How to Cite

TOURINHO, H. L. Z.; LOPES, M. do S. B.; VIEIRA, M. R. S.; CABRAL, A. C. L. C. City’s Master Plan of Belém (PA) and Water Urban Rives. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e591101019159, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.19159. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19159. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences