Men's lifestyle and cardiovascular diseases: a health promotion strategy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.19171

Keywords:

Lifestyle; Cardiovascular disease; Men’s health; Nursing.

Abstract

Objectives: to describe the lifestyle of men with cardiovascular disease; to evaluate men’s perceptions of their disease and its prevention approaches; to discuss both men’s health promotion and the prevention of aggravation regarding cardiovascular diseases. Methods: qualitative descriptive study on 22 men in the 25-59 age group presenting any comorbidities associated with cardiovascular diseases. Semi-structured interviewing was employed as the strategy for data collection with the snowball sampling method, a non-probability technique in which research participants recruited other participants. Regarding data analysis, content analysis method was used, a process divided into the following phases: pre-analysis, material exploration and treatment of results, inference and interpretation. Two categories were selected: men’s self-care and lifestyle, and the male perspective on the prevention of cardiovascular diseases. Results and Discussion: the data show that most of the men with cardiovascular diseases have a sedentary lifestyle and that they see self-care as a female concern, resulting in health issues due to the lack of health promotion and disease prevention, what reveals that emergency is the gateway to self-care. Final considerations: it is necessary to invest in health education to bring the basic health care closer to the male population reality using plain language, in addition to training professionals to recruit individuals from this group, thus expanding men’s health care.

Author Biographies

Karoline Lacerda de Oliveira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Durante a graduação fui participante da gestão administrativa da Liga de Trauma e Emergência de Enfermagem da Uerj, monitora de Biologia Celular, bolsista voluntária de iniciação cientifica na temática de Vulnerabilidade de homens jovens universitários diante das suas necessidades de saúde, membro do grupo de pesquisa na temática de saude do homem na linha de pesquisa de fundamentos filosóficos, teóricos e tecnológicos para o cuidar da saúde do homem tendo como orientadora Elizabeth Rose da Costa Martins. Fui voluntária do projeto de extensão Saúde é Brincadeira, realizado no Hospital Universitário Pedro Ernesto e ex participante de iniciação científica sobre "Asma e Poluentes ambientais" no Instituto de Medicina Social da UERJ.

Renata Lopes Macedo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Durante a graduação fui participante da gestão administrativa da Liga de Trauma e Emergência de Enfermagem da Uerj, monitora de Biologia Celular, bolsista voluntária de iniciação cientifica na temática de Vulnerabilidade de homens jovens universitários diante das suas necessidades de saúde, membro do grupo de pesquisa na temática de saude do homem na linha de pesquisa de fundamentos filosóficos, teóricos e tecnológicos para o cuidar da saúde do homem tendo como orientadora Elizabeth Rose da Costa Martins. Fui voluntária do projeto de extensão Saúde é Brincadeira, realizado no Hospital Universitário Pedro Ernesto e ex participante de iniciação científica sobre "Asma e Poluentes ambientais" no Instituto de Medicina Social da UERJ

Elizabeth Rose Costa Martins, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1978)

Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO (1994)

Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (2006)

Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro -UERJ

Professor Colaborador do Programa de Pós-graduação da Faculdade de Enfermagem da – UERJ

Na área de ensino e pesquisa, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem saúde do Homem e na Promoção a Saúde e Prevenção das IST/AIDS; saúde do adulto e idoso e Sistematização da assistência de enfermagem.

Pesquisador no Grupo de Pesquisa "Concepções Teóricas do Cuidar em Saúde e Enfermagem". Linha de pesquisa Fundamentos filosóficos, teóricos e tecnológicos para o cuidar em saúde e enfermagem, na UERJ.

Andressa da Silva Medeiros, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Acadêmica de Enfermagem na Universidade do estado do Rio de Janeiro , Tecnica em Administração formada pelo Colégio Estadual Erich Walter Heinne (EWH), Bolsista de Iniciação Científica FAPERJ na temática da vulnerabilidade dos homens jovens universitários diante de suas necessidades de saúde como orientadora Elizabeth Rose Costa Martins, Membro do grupo de pesquisa na Temática da saúde do homem, na linha de pesquisa de Fundamentos filosóficos, teóricos e tecnológicos para o cuidar em saúde e enfermagem, na UERJ, , Monitora Voluntária da Disciplina de Farmacologia ministrada no quarto período da graduação , Integrante da Liga de Anatomia Humanada (LEAH) . Foi Ligante Acadêmica de Trauma e Emergência em Enfermagem ( LATREEnf / UERJ ), Foi Integrante na Liga Acadêmica de Saúde Mental de Enfermagem ( LIASME / UERJ). 

Letícia Guimarães Fassarella, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduada em enfermagem na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2019. Integrante do projeto de pesquisa "Vulnerabilidade de homens jovens universitários diante suas necessidades de saúde" da UERJ. Integrante do projeto de extensão "O cuidado de Enfermagem a Saúde do Homem jovem na perspectiva da promoção a saúde e prevenção de agravos" da UERJ.

References

Albuquerque, G. A. et al. (2014). O homem na atenção básica: percepções de enfermeiros sobre as implicações do gênero na saúde. Esc. Anna Nery, 18(4), 615-621. doi: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20140086.

Baldin, N., & Munhoz, E. M. B. (2011). Snowball (bola de neve): uma técnica metodológica para pesquisa em educação ambiental comunitária. Anais do Congresso Nacional de Educação – Educere, Curitiba, PR, Brasil, 10.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70.

Brasil. Ministério da Saúde. (2008). Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: Plano de Ação Nacional. Brasília. Disponível: http://portalsaude.saude.gov.br/i ages/pdf/2014/maio/21/CNSH-DOC-Plano-Nacional.PNAISH-2009-2011.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. (2012). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Incorpora, sob a ótica do indivíduo e das coletividades, referenciais da bioética, tais como autonomia, não maleficência, beneficência, justiça e equidade, dentre outros, e visa a assegurar os direitos e deveres que dizem respeito aos participantes da pesquisa, à comunidade científica e ao Estado. Publicada no DOU nº 12. Seção 1 – Página 59. Brasília, DF, 2012. Disponíve: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Cyriacoa, A. F. F., Nunn, D., Amorim, R. F. B., Falcão, D. P., & Moreno, H. (2017). Qualitative research: key concepts and a brief overview of its application in geriatrics/gerontology. Geriatr Gerontol Aging, 11(1), 4-9. doi: 10.5327/Z2447-211520171700011

Gomes, R. (2008). Sexualidade masculina, gênero e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz.

Gomes, R., Nascimento, E.F., & Araujo, F.C. (2007). Why do men use health services less than women? Explanations by men with low versus higher education. Cad. Saude Pública, 23(3), 565-574. https://DOI.Org./10.1590/S0102-311X2007000300015

IBGE. (2018). Projeções da população do Brasil e Unidades da Federação por sexo e idade: 2010-2060. Disponível: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109-projecao-da-populacao.html?edicao=21830&t=resultados.

Manzini, E. J. (2015). Entrevista semiestruturada: análises de objetos e de roteiros. Departamento de Educação Especial, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista. Disponível: https://wp.ufpel.edu.br/consagro/files/2012/03/MANZINI-Jos%C3%A9-Eduardo-Entevista-semi-estruturada-An%C3%A1lise-de-objetivos-e-de-roteiros.pdf.

Martins, E. R. C. et al. (2020a). Young men's health from the perspective of health promotion and disease prevention. Brazilian Journal of Health. 3(2), 2301-2308. doi:10.34119/bjhrv3n2-081

Martins, E. R. C. et al. (2020b). Young men's health from the perspective of health promotion and disease prevention. Research, Society and Development, 9(9), e400997351. doi: 10.33448/rsd-v9i9.7351

Minayo, M. C. S. (2013). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec.

Moreira, R. L. S. F., Fontes, W. D., & Barbosa, T. M. (2014). Difficulties of the man in primary healthcare: the speech of nurses. Rev. Enferm. Ana Nery, 18(4), 615-621. doi: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20140087.

OPAS. Doenças cardiovasculares. Brasília, 2017. Disponível: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253:doencas-cardiovasculares&Itemid=839.

Pozzati, R. et al. (2013). Health care in men: reality and perspectives. Rev. Enfermagem UERJ, 21(4), 540-545. Disponível: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/10032.

Silva, P. N. (2015). Gênero, masculinidade e saúde do homem: a representação social do agente comunitário de saúde. Dissertação de mestrado, Centro de Pesquisas René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz. Belo Horizonte, MG, Brasil. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/10738/2/Disserta%c3%a7%c3%a3o_CHSS_PriscilaNevesSilva.pdf.

Stevens, B. et al. (2018). The Economic Burden of Heart Conditions in Brazil. Arq. Bras. Cardiol. 111(1), 29-36. doi: http://www.dx.doi.org/10.5935/abc.20180104

Teixeira, D. B. S., & Cruz, S. P. L. (2016). Health care for the human: analysis of its strength is search for the health services. Revista Cubana de Enfermería. 32(4). Disponível: http://www.revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/985/209.

Zibetti, M. L. T., & Pereira, S. R. (2010). Women and teachers: repercussions of double duty on life conditions and on teaching work. Educar em revista, esp. 2, 259-276, 2010. Disponível: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602010000500016.

Published

19/08/2021

How to Cite

OLIVEIRA, K. L. de .; MACEDO, R. L. .; MARTINS, E. R. C. .; MEDEIROS, A. da S. .; FASSARELLA, L. G. .; ROCHA, F. C. S. da . Men’s lifestyle and cardiovascular diseases: a health promotion strategy. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e566101019171, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.19171. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19171. Acesso em: 24 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences