Analysis of cases of influenza A(H1N1) in Brazil and the state of Maranhão from 2009 to 2019

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.19318

Keywords:

Virus; Influenza; Epidemiology; Public health.

Abstract

Since mid-2009, Brazil has been living with the influenza A (H1N1) pdm09 virus. In the pandemic period, the country reported 50,482 cases of Severe Acute Respiratory Syndrome (SARS) due to influenza A (H1N1) pdm09, among which 2,060 died. The objective of this study was to carry out an analysis of notified cases and deaths of the H1N1 flu in Brazil and in the State of Maranhão, from 2009 to 2019. This is an ecological study on influenza A (H1N1) pdm09. The data were obtained from the Notifiable Diseases Information System (SINAN), of the Ministry of Health (MS), available in the database of the Informatics Department of the Unified Health System - DATASUS. The seasonality of influenza A (H1N1) pdm09 was confirmed, except for the peculiarities of each region, mainly in the North and Midwest of the country. The prominent risk groups were adults> 60 years of age, heart disease, pulmonary disease and diabetes mellitus. Maranhão registered lower numbers than the national average, suggesting underreporting. The years 2016, 2018 and 2019 recorded the highest number of cases and deaths, excluding the year of the pandemic, in 2019 (10,625 / 1,987, 3,880 / 917 and 3,399 / 787, respectively). The states of the South and Southeast had the highest incidence in the entire period, with emphasis on Paraná and São Paulo. In view of the results, there was a need to reinforce the health surveillance system for influenza, through the creation of more sentinel units and strict data control; as well as optimization of vaccination campaigns, aiming to adapt to the reality found in each extreme of the country.

References

Almeida, A. R. M. D. (2018). Dinâmica sazonal da influenza no Brasil: a importância da latitude e do clima (Tese de Doutorado, Oswaldo Cruz).

Almeida, F. J., Berezin, E. N., Farhat, C. K., Cintra, O. A., Stein, R. T., Burns, D. A., Arns, C. C., Lomar, A. V., Toniolo-Neto, J., & Medeiros, R. (2015). Consenso para o tratamento e profilaxia da influenza (Gripe) no Brasil. Sociedade brasileira de pediatria.

Alonso, W. J., Viboud, C., Simonsen, L., Hirano, E. W., Daufenbach, L. Z., & Miller, M. A. (2007). Seasonality of influenza in Brazil: a traveling wave from the Amazon to the subtropics. American journal of epidemiology, 165(12), 1434-1442.

Brasil (1988). Presidência da República. Casa Civil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil (1990). Lei 8080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm

Brasil (2003). Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.

Brasil (2009). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe técnico de influenza. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2011). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe técnico de influenza. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2012a). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe técnico de influenza. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2012b). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe técnico de influenza. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2013). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Influenza SE 52. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico - Influenza SE 50. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2015). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Influenza SE 47. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2016). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Influenza SE 52. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2017). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Influenza SE 52. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2018a). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Influenza SE 52. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2018b). Protocolo de tratamento de Influenza: 2017. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2019a). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico SE 49. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2019b). Guia de vigilância em saúde: volume único. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2020a). Informe técnico vacinação: 22ª campanha nacional de vacinação contra a influenza. Brasília: Ministério da Saúde, 2020. https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/marco/30/GRIPE-Informe-Tecnico-Influenza--final-2.pdf>.

Brasil (2020a). Informe técnico vacinação: 22ª campanha nacional de vacinação contra a influenza. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

Brasil (2020b). Ministério da Saúde. Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI). Vacinômetro Influenza. DATASUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

Carvalho, C. N., Dourado, I., & Bierrenbach, A. L. (2011). Subnotificação da comorbidade tuberculose e aids: uma aplicação do método de linkage. Revista de Saúde Pública, 45, 548-555.

Coimbra, L. C. (2010). Saiba mais sobre a gripe A. Universidade Federal do Maranhão, Maranhão. https://portais.ufma.br/PortalUfma/paginas/noticias/noticia.jsf?id=7846>.

Estado de São Paulo (1998). Lei nº 10.003, de 24 de junho de 1998. Institui o Programa Estadual de Vacinação da Terceira Idade. https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/1998/lei-10003-24.06.1998.html.

Estado de São Paulo (2007). Lei nº 12.548, de 27 de fevereiro de 2007. Consolida a legislação relativa ao idoso. https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2007/lei-12548-27.02.2007.html.

Estado do Maranhão (2020). Decreto nº 35.672, de 19 de março de 2020. Declara situação de calamidade no Estado do Maranhão em virtude do aumento do número de infecções pelo vírus H1N1, da existência de casos suspeitos de contaminação pela COVID-19.

Estrela, C. (2018). Metodologia científica: ciência, ensino, pesquisa. Artes Médicas.

Felinto, G. M., Escosteguy, C. C., & Medronho, R. D. A. (2018). Fatores associados ao óbito dos casos graves de influenza A (H1N1) pdm09. Cadernos Saúde Coletiva, 27, 11-19.

Ferreira, V., Portela, M. C., & Vasconcellos, M. T. (2000). Fatores associados à subnotificação de pacientes com Aids, no Rio de Janeiro, RJ, 1996. Revista de Saúde Pública, 34, 170-177.

Goldstein, E., Cowling, B. J., O'Hagan, J. J., Danon, L., Fang, V. J., Hagy, A., Miller, J. C., Reshef, D. Robins, J., Biedrzycki, P., & Lipsitch, M. (2010). Oseltamivir for treatment and prevention of pandemic influenza A/H1N1 virus infection in households, Milwaukee, 2009. BMC infectious diseases, 10(1), 1-7.

IBGE (2010). Censo Demográfico IBGE 2010: Resultados Gerais da Amostra. <https://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html>

Lenzi, L., Mello, Â. M. D., Silva, L. R. D., Grochocki, M. H. C., & Pontarolo, R. (2012). Pandemic influenza A (H1N1) 2009: risk factors for hospitalization. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 38, 57-65.

Lima-Costa, M. F., & Barreto, S. M. (2003). Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiologia e serviços de saúde, 12(4), 189-201.

Lobo, R. D. (2015). Fatores de risco para aquisição de influenza A (H1N1) pdm09 entre os profissionais de saúde (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo).

Louie, J. K., Jean, C., Acosta, M., Samuel, M. C., Matyas, B. T., & Schechter, R. (2011). A review of adult mortality due to 2009 pandemic (H1N1) influenza A in California. PLoS one, 6(4), e18221.

Opendatasus (2021). SRAG 2021 - Banco de Dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave - incluindo dados da COVID-19. Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). https://opendatasus.saude.gov.br/dataset/bd-srag-2021#:~:text=Atualmente%2C%20o%20sistema%20oficial%20 para,Gripe%20(SI VEP%2DGripe.

Silva Júnior, S. H. A. D., Mota, J. C. D., Silva, R. S. D., Campos, M. R., & Schramm, J. M. D. A. (2016). Descrição dos registros repetidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Brasil, 2008-2009. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25, 487-498.

Tang, X., Du, R. H., Wang, R., Cao, T. Z., Guan, L. L., Yang, C. Q., Zhu, Q., Hu, M., Li, X., Li, Y., Liang, L., Tong, Z., Sun, B., Peng, P., & Shi, H. Z. (2020). Comparison of hospitalized patients with ARDS caused by COVID-19 and H1N1. Chest, 158(1), 195-205.

WHO (2020). WHO Director-General's opening remarks at the media briefing on COVID-19 - 11 March 2020. www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---11-march-2020>.

Wilking, H., Buda, S., Von Der Lippe, E., Altmann, D., Krause, G., Eckmanns, T., & Haas, W. (2010). Mortality of 2009 pandemic influenza A (H1N1) in Germany. Eurosurveillance, 15(49), 19741.

Zhu, N., Zhang, D., Wang, W., Li, X., Yang, B., Song, J., Zhao, X., Huangm, B., Shi, W., Lu, R., Niu, P., Zhan, F., Ma, X., Wang, D., Xu, W., Wu, G., Gao, G. F., & Tan, W. (2020). A novel coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. New England journal of medicine, 382 (2).

Published

26/09/2021

How to Cite

JALDIN, A. E. M.; NOGUEIRA, L. M.; BATALHA JÚNIOR, N. de J. P. .; MARQUES, C. P. C.; COSTA, I. S.; CAMPOS, J. R. N.; BATISTA, W. S.; UCHOA, D. S.; COSTA, S. de S. Analysis of cases of influenza A(H1N1) in Brazil and the state of Maranhão from 2009 to 2019. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e453101219318, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.19318. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19318. Acesso em: 20 apr. 2024.

Issue

Section

Health Sciences