Teaching planning: an analysis from the perspective of BNCC thematic units

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i12.1959

Keywords:

Lesson Planning; Natural sciences; Early Years

Abstract

This article aims to analyze the understanding of teachers of the 4th and 5th grades of Elementary School in relation to the lesson plans elaborated from the thematic units, knowledge objects and skills proposed in the Common National Curricular Base (BNCC) for the area of Nature. This is a qualitative research that develops through a case study, following the principles of Bardin Content Analysis (2010). The data production involved the application of a questionnaire composed of mixed and closed questions and lesson plans prepared by the teachers while participating in a Continuing Education Program. As a result we identify divergences between what teachers claim to contemplate in their planning and what they actually contain, the high rate of use of scientific experiments and the lack of interdisciplinary proposals, as well as the preference for the development of knowledge objects and skills. referred to the thematic unit Matter and Energy to the detriment of the others presented by BNCC.

Author Biographies

Vanessa de Cassia Pistóia Mariani, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda PPG Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde;

Docente EBTT INstituto Federal Farroupilha

Lenira Maria Nunes Sepel, Universidade Federal de Santa Maria

Docente do Departamento de Ecologia  da Universidade Federal de Santa Maria e Docente do PPG Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde

References

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições70.

Brasil. (1997). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: ciências naturais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF.

Brasil. (2017). Base Nacional Curricular Comum. Ministério da Educação. Brasília: MEC. 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/download-da-bncc>. Acesso em: 03 de março de 2019.

Brasil. (2017). Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP Nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Diário Oficial da União., Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017.pdf>. Acesso em: 05 de janeiro de 2018.

Cachapuz, A. (2011) Gil-Perez, D., Carvalho,A.M.P.de, Praia,J. & Amparo V. (orgs). A necessária renovação do ensino das ciências. 3.ed. São Paulo: Cortez.

Caixeta, S.S. (2017). Unidocência: uma análise do trabalho de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Uberlândia: Uberlândia-MG.

Carvalho, A. M. P. (2003). A interrelação entre Didática das Ciências e a Prática de Ensino. In: Selles, Sandra Escovedo e Ferreira, Marcia Serra (Orgs) Formação Docente em Ciências: Memórias e Práticas. Niterói: Eduff.

Carvalho, A. M. P. & Gil-Pérez, D. (2011). Formação de professores de ciências-tendências e inovações. 10.ed. São Paulo: Cortez.

Carvalho. A.M.P. (org).(2013). Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: CENGANÉ LEARNING.

Carvalho, A. M. P.& Sasseron, L. H. (2012). Sequências de Ensino Investigativa-SEI: o que os alunos aprendem? In: Tauchen, G.; Silva, A. da. (Org). Educação em Ciências: epistemologias, princípios e ações educativas. Curitiba: CRV.

Chassot, A. (2018). Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. 8. ed. Ijuí: Ed. Unijuí.

Compiani, M. (2018). Comparações entre a BNCC atual e a versão da consulta ampla, item Ciências da Natureza. Ciências em Foco, 11 (1):91-106.

Franco, L.G & Munford, D. (2018). Reflexões sobre a Base Nacional Comum Curricular: Um olhar da área de Ciências da Natureza. Revista Horizontes, 36 (1):158-170, jan./abr.

Flôr, C. C. C. & Trópia, G.(2018). Um Olhar para o discurso da Base Nacional Comum Curricular em funcionamento na área de ciências da natureza. Horizontes, 36 (1):144-157.jan/abr.

Fusari, J. C.(2009). O planejamento do trabalho pedagógico: algumas indagações e tentativas de respostas. O Professor PDE e os Desafios da Escola Pública Paranaense, Londrina: Cadernos PDE.

.

Gandin, D. (2009). A prática do planejamento participativo, 16 ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Hernández Sampieri, R, Fernadez Collado & C, Batista Lúcio, M del P. (2013). Metodologia de Pesquisa, 5. ed. Porto Alegre: Penso.

Marques, A.C.T.L & Marandino, M. (2019) Alfabetização Científica e criança: análise de potencialidades de uma brinquedoteca. Revista Ensaio, 21: (1), mar.

Marinho, H. R. B., Matos Junior, M. A., Salles Filho, N.A. & Finck, S. C. M. (2007). Pedagogia do movimento: universo lúdico e psicomotricidade, 2.ed. – Curitiba: Ipbex.

Martins, I; Cassab, M & Rocha, M.B.(2001). Análise do processo de re-elaboração discursiva de um texto de divulgação científica para um texto didático. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 1: (3): 19-27.

Menogolla, M. Sant’anna, I. M. (2010). Por que planejar? Como planejar? 22ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Moretto, V. P.(2007). Planejamento: planejando a educação para o desenvolvimento de competências. Petrópolis, RJ: Vozes.

Nogueira, M. L. De S. L. & Neto, J. M.(2013). Práticas interdisciplinares nos anos iniciais do Ensino Fundamental: um estudo de teses e dissertações. Amazônia-Revista de Ciências e Matemática. 9 (1): 23-37, jan/jun.

Pereira, F. G. de S. & Santos, F. P. (2014). A Relevância do plano de aula no processo de ensino e aprendizagem: uma análise crítico-reflexiva. Interletras, 3 (18).

Pereira, J. C. & Teixeira, M. do R. F. (2019). Alfabetização Científica e o Ensino de Ciências nos Anos Iniciais: slogan ou realidade no cotidiano escolar? Debates em Educação, 2 (24): 474-494, mai/ago.

Piccinini, C. L. & Andrade, M. C. P. de. (2018). O ensino de Ciências da Natureza nas versões da Base Nacional Comum Curricular, mudanças, disputas e ofensiva liberal-conservadora. REnBio- Revista de Ensino de Biologia da SEEnBio, 11(2):34-50.

Pozo, J.I. & Crespo, M.A.G. (2009). A aprendizagem e o ensino de ciência: do cotidiano ao conhecimento científico. 5 ed. Porto Alegre: Armed.

Rocha, M. B. (2012). Contribuições dos textos de divulgação científica para o ensino de Ciências na perspectiva dos professores. Acta Scientiae,14 (1): 132-150, jan/abr.

Rosa, C. W., Perez, C.A.S. & Drum, C. (2007). Ensino de física nas séries iniciais: concepções da prática docente. Investigações em Ensino de Ciências, 12 (3):357-368.

Sasseron, L. H. (2015). Alfabetização Científica, Ensino por Investigação e Argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Revista Ensaio. Belo Horizonte, 17 (especial): 49-67, nov.

Saviani, D. (2010). História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados.

Vasconcellos, C. dos S. (2014). Planejamento: projeto de ensino aprendizagem e projeto político pedagógico – elementos metodológicos para elaboração e realização. 24. ed. São Paulo: Libertad.

Libâneo, J. C. (1992). Didática. São Paulo: Cortez.

Longhini, M. D. (2008). O Conhecimento do Conteúdo Científico e a Formação do Professor das Séries Iniciais do Ensino Fundamental. Revista Investigações em Ensino de Ciências, 13(2), p. 241-253.

Piletti, C. (2001). Didática Geral. 23Ed. São Paulo: Editora Ática.

Published

01/11/2019

How to Cite

MARIANI, V. de C. P.; SEPEL, L. M. N. Teaching planning: an analysis from the perspective of BNCC thematic units. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 12, p. e498121959, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i12.1959. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1959. Acesso em: 19 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article